ciências humanas - ficha 99 -...

Download Ciências Humanas - Ficha 99 - evl.com.brevl.com.br/enem/wp-content/uploads/2013/10/ciencias-humanas-ficha... ·

Post on 09-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Curso Pr-ENEM Cincias Humanas

    iiiiiinnnnnnccccciiiiiiaaaaaasssss HHHHHHuuuuummmmmmaaaaaannnnnnaaaaaasssssiiiiiiiiinnnnnnnnnnnccccciiiiiiiiiiiaaaaaaaaaaaaaasssssss HHHHHHHHHHuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmaaaaaaaaaaaaannnnnnnnnnnaaaaaaaaaaaaaasssssssEEE SSSUUUAAASSS TTTEE SSSUUAS TTE SUAS TEEE SSSUUUAAAASSS TTTTEEEE SSSSSSUUUUUAAAAAAASSSSS TTTTTT CEEECCCEECEEECCCEEEEEECCCC SNNNNOOOLLLOOOGGGIIAAASSSNNOOLOOGGIASNO OGASSSSSSNNNNOOOLLLOOOGGGIIAAAASSSNNNNNNNOOOOOLLLLLLOOOOGGGGIIIIIIIIAAAAAAASSSSS

    Ficha de EstudoFicha de Estudo 999999

    Tema

    Transformao, institucionalizao e conflito nas esferas espacial, econmica, social e poltica

    Tpico de estudoAs regies brasileiras

    Entendendo a competnciaCompetncia 2 Compreender as transformaes dos espaos geogrficos como produto das relaes socioecon-micas e culturais de poder.

    Voc j parou para pensar em como feita a distribuio do espao geogrfico na superfcie terrestre? evidente que cada poro desse espao, em escala continental, regional e local, tem suas delimitaes representadas de forma singular. Mas nem sempre essas reas tiveram a mesma configurao espacial. Os territrios sofrem alteraes em suas diversas esferas, inclusive internas, ao longo do tempo.

    O que provoca tais mudanas no espao geogrfico? Quem so os responsveis por essas variaes? Registre o que voc pensa a respeito.

    Para responder a esses questionamentos, importante entender que tais transformaes decorrem de um processo histrico-geogrfico. A prpria ao natural se encarrega de modificaes nesses espaos, mas elas so tambm influenciadas pela ao humana. O ser humano, como agente transformador, atravs de suas organizaes de poder socioeconmicas e culturais, (re)configura o espao de acordo com os seus interesses e necessidades. Constri e destri barreiras artificiais e edificaes, modifica o curso natural em diferentes espaos, manipula o fluxo de produ-o e de pessoas, normatiza e cobe grandes estruturas, para o controle de diferentes espaos. Uma boa forma de fazer desenvolver a competncia 2, ficar atento s mdias, impressas e digitais. Alm disso, as leituras tradicionais no ambiente escolar so fontes ricas de dados para reflexo acerca desse tema. Tente perceber, por exemplo, na mdia televisiva, por meio de filmes, sries ou mesmo novelas, sobretudo de poca, a caracterizao feita do espao, na qual se retratam diferentes perodos histricos e se notam caractersticas geo-grficas distintas dos dias atuais, alm do jogo de poder que se entremeia ao contexto das tramas. Essa contextualizao contribuir para melhor compreenso das transformaes e da dinmica espacial ocorridas no espao geogrfico.

    Desvendando a habilidadeHabilidade 9 Comparar o significado histrico-geogrfico das organizaes polticas e socioeconmicas em escala local, regional ou mundial.

    Voc sabe que o Brasil um pas de grandes dimenses territoriais. Sua grande extenso contribui para que o territ-rio brasileiro apresente muitas diversidades naturais, econmicas e culturais. Tal fato exige que se faa a delimitao do territrio em distintas pores ou divises regionais. Mas o que significa diviso regional?

  • Curso Pr-ENEM Cincias Humanas

    Os estudos sobre o Brasil revelam realidades diversas: regies industrializadas, regies de intensa seca, regies de fronteira, regies ricas e pobres, Regio Nordeste, Regio Sul dentre tantas outras. Lembra-se dessas expresses? Assim, a prpria extenso do pas contribui para a delimitao de distintas regies. O Brasil apresenta uma diversida-de regional importante. Os diferentes modos de regionalizar o espao brasileiro e as caractersticas da configurao regional brasileira sero abordados nesta ficha. Mos a obra!

    Situaes-problema e conceitos bsicosVamos iniciar nossa discusso acerca do processo de regionalizao do Brasil, retomando um importante e

    recente fato a respeito de alteraes no espao geogrfico brasileiro. Trata-se da discusso sobre a nova diviso do estado do Par.

    Observe a charge a seguir elaborada por Diogo Salles sobre a nova diviso do estado do Par e procure interpret-la.

    Fonte: http://www.humorpolitico.com.br/index.php/2011/12/12/para-vota-nao-pela-divisao-do-estado

    Est claro que a charge faz referncia a uma diviso proposta pelos interesses de grupos de poder influentes no territrio paraense, na qual cada poro serviria aos propsitos polticos de explorao dos recursos naturais e atividades agropecurias. Vamos entender melhor...

    O Par uma das maiores unidades federativas do pas. Localizado na Regio Norte do Brasil, seu imenso territrio provocou, no ano de 2011, uma intensa discusso sobre a possibilidade de diviso do Estado em trs partes, ou melhor, em trs novos estados: Par, Tapajs e Carajs. A proposta incitou opinies favorveis e con-trrias considerando-se, de um lado, a dificuldade de administrao de um territrio to extenso e, de outro, a iniquidade da redistribuio territorial dos novos estados. No difcil perceber a tendncia contrria diviso do estado por parte da populao paraense, uma vez que o plebiscito para a escolha entre dividir e no dividir, realizado em novembro de 2011, teve resultado desfavorvel a tal diviso. Para melhor elucidar esse pensamento, leia atentamente alguns fragmentos do caderno Poder, da folha.com, de 8 de dezembro de 2011 sobre a exposio de diferenas culturais entre regies do Par.

    Na reta final da campanha para o plebiscito sobre a diviso do Par, a frente contrria separao do Estado intensificou as acusaes de que os separatistas so forasteiros que querem ficar com as riquezas locais.

    [...] No Carajs, s cerca de 20% dos habitantes so do Par, segundo os divisionistas. A maioria vem de Ma-ranho, Minas, Rio Grande do Sul, Tocantins e So Paulo. Historicamente, a populao paraense pouco explorou o interior do Estado, abrindo espao para os migrantes. O resultado foi uma populao de origem, sotaque e costumes diferentes, com mais ligao com o agronegcio do que com as tradies culturais da capital. Um dos lderes pr-Carajs, deputado Giovanni Queiroz (PDT), mineiro e possui fazendas avaliadas em R$ 8 milhes no Par. No Tapajs, a distncia fez com que os habitantes se identificassem mais com Manaus do que de Belm.

  • Curso Pr-ENEM Cincias Humanas

    Por ms, saem de Santarm 56 barcos para Manaus e oito para Belm, diz o professor universitrio Edivaldo Bernardo, lder pr-Tapajs.

    (VIZEU, Rodrigo. Plebiscito expe diferenas culturais entre regies do Par. Dezembro de 2011 In: Folha.com. Disponvel em: Acesso em 23/05/2012).

    O texto chama ateno para as argumentaes dos contrrios diviso. Contudo interessante observar tam-bm, em algumas colocaes, interesses que valorizam a diviso do estado, como a intensa migrao da regio sudeste para o Par, impondo a fixao de sua cultura, que descaracteriza tradies regionais j estabelecidas na regio. So claros, ainda, os interesses econmicos voltados principalmente ao setor primrio, destacando-se as fronteiras agrcolas e o agronegcio.

    O exemplo da proposta de diviso do Par no nico no Brasil. Em outros perodos na histria do pas, outros estados surgiram a partir de divises espaciais, tais como o estado de Mato Grosso do Sul, originado da diviso do Mato Grosso, e o estado do Tocantins, que se originou da diviso de Gois. Esses exemplos so impor-tantes para mostrar como o territrio pode ser dividido, reorganizado, regionalizado.

    Todavia, tais exemplos no esgotam as investigaes sobre a atual configurao do espao geogrfico brasi-leiro e suas possveis alteraes. Para entender esse processo necessrio considerar outros aspectos que do suporte ao estabelecimento e inter-relao de distintas regies.

    Que aspectos so esses? De que forma eles influenciam na configurao regional brasileira? E, quais so as consequncias dessas modificaes para habitantes dessas regies? Registre sua resposta a essas perguntas, antes de prosseguir a leitura.

    Existem vrias possibilidades para reordenar o espao, quase sempre vinculadas ao interesse e necessidade de uso e ocupao do mesmo. Uma boa forma de compreender essa reordenao fazer uma anlise mais deta-lhada dos tipos de regionalizao existentes no espao brasileiro.

    Vamos refletir...

    Veja o que nos dizem dois estudiosos da Geografia:

    A regio possui dois sentidos principais: primeiro, produto genrico de um mtodo de regionalizao, ou seja, um recorte espacial coerente dentro de determinados princpios ou caractersticas; segundo, espao construdo a partir de processos sociais especficos, principalmente os regionalismos e as identidades regionais.

    Fonte: Haesbaert, R. e Gonalves, C. W. P. A nova desordem mundial.So Paulo: Unesp, 2006, p. 150.

    Na citao, os autores confirmam o que temos tratado desde o incio de nossa reflexo, ou seja: o espao geogrfico pode ser organizado, ou regionalizado, a partir de vrios aspectos relevantes. Alm disso, possvel observar que no existe um limite exato para determinar a extenso mnima ou mxima de uma regio, e sim as-pectos, que podem ser culturais, naturais e econmicos, que contribuem para determin-la.

    Mas fique atento! Existem alguns tipos de regionalizao do territrio brasileiro que so mais evidenciadas. Vamos estudar alguns deles...

    Primeiramente, devemos dar ateno regionalizao feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Esta-tstica). Essa regionalizao leva em conta fatores humanos e econmicos do territrio, sem desprezar os aspectos fsicos. Nessa regionalizao o territrio nacional dividido em cinco pores que seguem o limite poltico-admi-nistrativo dos estados em suas fronteiras: Regio Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste.

    Antes dessa diviso oficial estabelecida pela constituio de 1988, o IBGE j havia elaborado outros tipos de regionalizao. Tais regionalizaes levavam em considerao a regio natural (quando o meio fsico/natural de-termina a regio) e a regio homognea, definida pela diviso de um determinado espao o

Recommended

View more >