Ciências Humanas e suas Tecnologias - História Ensino Médio, 2ª Série A Confederação do Equador.

Download Ciências Humanas e suas Tecnologias - História Ensino Médio, 2ª Série A Confederação do Equador.

Post on 22-Apr-2015

102 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

Slide 1 Cincias Humanas e suas Tecnologias - Histria Ensino Mdio, 2 Srie A Confederao do Equador Slide 2 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Cine histria APRESENTA Caneca da Liberdade Cine histria APRESENTA Caneca da Liberdade Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 3 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Um menino segura uma caneca, feita pelo pai. A caneca da LIBERDADE! Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel,Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 4 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador O menino torna-se Frei Caneca, Professor de Retrica e Geometria no Convento do Carmo em 1803. Participou da Revoluo Pernambucana de 1817 Foi preso e enviado para Salvador, onde ficou detido at 1821. Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel,Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 5 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Em 1823, na provncia de Pernambuco, a crise econmica acendeu o esprito de rebeldia da sociedade pernambucana. Em 1823, na provncia de Pernambuco, a crise econmica acendeu o esprito de rebeldia da sociedade pernambucana. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 6 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Pernambuco se constitua no maior foco de liberalismo, reforando mais ainda a tradio libertria dos pernambucanos. essas ideias contrariavam o imperador Pedro I. Pernambuco se constitua no maior foco de liberalismo, reforando mais ainda a tradio libertria dos pernambucanos. essas ideias contrariavam o imperador Pedro I. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 7 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Recife 1823/1824 Frei Caneca Distribui o Typhis Pernambucano, Jornal da oposio ao governo de Dom Pedro I. Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel,Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 8 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Em 1824 os pernambucanos queriam Paes de Andrade para presidir a provncia. O imperador, para fazer valer sua indicao de Francisco Pais Barreto, ordena o bloqueio militar do Recife. Em 1824 os pernambucanos queriam Paes de Andrade para presidir a provncia. O imperador, para fazer valer sua indicao de Francisco Pais Barreto, ordena o bloqueio militar do Recife. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 9 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador H boatos que Portugal quer restabelecer o domnio Portugus no Brasil. D. Pedro ordena a retirada da diviso naval que bloqueava o Recife. H boatos que Portugal quer restabelecer o domnio Portugus no Brasil. D. Pedro ordena a retirada da diviso naval que bloqueava o Recife. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 10 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Com a dissoluo da Assembleia Nacional Constituinte em 1823 e a notcia que Se elaborava uma Constituio outorgada, Paes de Andrade, liderando um grupo de Fortes convices liberais e republicanas, lanou em 2 de julho de 1824 um Manifesto, praticamente rompendo com o governo de Rio de Janeiro. Com a dissoluo da Assembleia Nacional Constituinte em 1823 e a notcia que Se elaborava uma Constituio outorgada, Paes de Andrade, liderando um grupo de Fortes convices liberais e republicanas, lanou em 2 de julho de 1824 um Manifesto, praticamente rompendo com o governo de Rio de Janeiro. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 11 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador A Confederao Do Equador A Confederao Do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 12 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Em 2 de julho de 1824, Paes de Andrade proclamou a Confederao do Equador. Em 2 de julho de 1824, Paes de Andrade proclamou a Confederao do Equador. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 13 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Emissrio foram enviados para Paraba, Alagoas, Cear, Rio Grande do Norte e Bahia. Foi enviado Jos Silvestre Rabello aos Estados Unidos para pleitear o reconhecimento da Confederao. Emissrio foram enviados para Paraba, Alagoas, Cear, Rio Grande do Norte e Bahia. Foi enviado Jos Silvestre Rabello aos Estados Unidos para pleitear o reconhecimento da Confederao. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 14 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador A reao do governo Imperial foi rpida e violenta. A reao do governo Imperial foi rpida e violenta. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 15 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Alexandre Thomas Cochrane (1775-1860), mercenrio escocs, contratado para organizar a marinha imperial, foi enviado com uma frota de cinco navios para combater os rebeldes. Alexandre Thomas Cochrane (1775-1860), mercenrio escocs, contratado para organizar a marinha imperial, foi enviado com uma frota de cinco navios para combater os rebeldes. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 16 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Combate no Recife, entre o exrcito Imperial e as tropas da Confederao do Equador. Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel,Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 17 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador O brigadeiro Francisco de Lima e Silva (1785-1853) foi enviado, com 1200 homens, para, de Alagoas, marchar rumo a Pernambuco. O brigadeiro Francisco de Lima e Silva (1785-1853) foi enviado, com 1200 homens, para, de Alagoas, marchar rumo a Pernambuco. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 18 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Consta que Cochrane, encarregado de bloquear os portos pernambucanos, manteve negociaes secretas com Paes de Andrade. Este lhe ofereceu 400 contos de ris para aderir rebelio. Cochrane exigiu receber dois milhes de contos de ris. Consta que Cochrane, encarregado de bloquear os portos pernambucanos, manteve negociaes secretas com Paes de Andrade. Este lhe ofereceu 400 contos de ris para aderir rebelio. Cochrane exigiu receber dois milhes de contos de ris. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 19 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador As ideias de Frei Caneca Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 20 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador A todo homem livre manifestar os seus sentimentos e a sua opinio sobre qualquer objeto A todo homem livre manifestar os seus sentimentos e a sua opinio sobre qualquer objeto Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 21 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Condenado morte, Frei Caneca acompanhado pelas ruas do Recife. Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel,Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 22 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador A liberdade de imprensa, ou outro qualquer meio de publicar estes sentimentos, no pode ser proibida, suspensa nem limitada A liberdade de imprensa, ou outro qualquer meio de publicar estes sentimentos, no pode ser proibida, suspensa nem limitada Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 23 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Frei Caneca foi condenado forca. Pena destinada a assassinos e bandidos. Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 24 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador A igualdade consiste em que cada um possa gozar dos mesmos direitos. A igualdade consiste em que cada um possa gozar dos mesmos direitos. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 25 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. O carrasco se recusou a executar Frei Caneca. Prisioneiros e escravos tambm se recusaram e foram espancados. Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 26 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador A lei deve ser igual para todos, recompensando ou punindo, protegendo ou reprimindo. A lei deve ser igual para todos, recompensando ou punindo, protegendo ou reprimindo. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 27 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Frei Caneca despojado de suas vestes sacerdotais. Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 28 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador O direito da propriedade consiste nisso, em que todo o homem seja senhor de dispor, sua vontade, de seus rendimentos e indstria. O direito da propriedade consiste nisso, em que todo o homem seja senhor de dispor, sua vontade, de seus rendimentos e indstria. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 29 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 30 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador A instruo elementar necessria a todos, e a sociedade a deve prestar igualmente a todos os seus membros. A instruo elementar necessria a todos, e a sociedade a deve prestar igualmente a todos os seus membros. Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Slide 31 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Fernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. Imagem: Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 32 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Slide 33 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Slide 34 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador Imagem: Ccero Dias / Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Slide 35 Histria, 2 Srie A Confederao do Equador REVISTA DE Histria.com.br http://www.revistadehistoria.com.br/secao/o-matirio-de-frei-caneca-pelo-olhar-de-cicero-dias Painel do artista Pernambuco homenageia religioso, retratando os momentos cruciais das revolues de 1817 Evaldo Cabral de Mello Slide 36 SlideAutoria / LicenaLink da FonteData do Acesso baseFernando de Sousa from Melbourne, Australia / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Cinema australia.jpg?uselang=pt-br 16/04/2012 3Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 4Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 7Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 16Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 21Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 23Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 25Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 27Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 29Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 Tabela de Imagens Slide 37 SlideAutoria / LicenaLink da FonteData do Acesso 31Ccero Dias / Recorte do Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 39Ccero Dias / Painel, Revolta de 1817,1881 / Casa da Cultura do Recife. Disponibilizado por autor desconhecido16/04/2012 Tabela de Imagens

Recommended

View more >