Ciências Humanas e suas Tecnologias - História Ensino Fundamental, 8º Ano O Império Napoleônico e o Congresso de Viena.

Download Ciências Humanas e suas Tecnologias - História Ensino Fundamental, 8º Ano O Império Napoleônico e o Congresso de Viena.

Post on 22-Apr-2015

102 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Cincias Humanas e suas Tecnologias - Histria Ensino Fundamental, 8 Ano O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 2
  • HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena O IMPRIO NAPOLENICO E O CONGRESSO DE VIENA O Congresso de Viena Napoleo Bonaparte Imagem: Paul Delaroche / Retrato de Napolon Bonaparte, por volta de 1840 / Disponibilizado por Library of Congress / Domnio pblico. Imagem: Jean-Baptiste Isabey / O Congresso de Viena, 1814 / Domnio pblico.
  • Slide 3
  • Enquanto no Brasil germinavam as sementes da Independncia, na Frana florescia um novo Imprio. Coube a Napoleo a tarefa de consolidar internamente e difundir externamente os ideais da Revoluo. A Frana havia atingido o auge durante o Terror. A reao veio em 1795, com a implantao do Diretrio. Este teve dificuldades para governar, atacado pelos partidrios da realeza, que queriam a volta do Antigo Regime, e pressionado pelas camadas populares, que queriam a volta do Terror. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 4
  • Alguns diretores resolveram fortalecer o poder do Diretrio, conspirando com um lder militar popular, que se havia destacado em guerras da Frana contra a Itlia (1796-1797) e no Egito (1798-1799), Napoleo. Foi ele o escolhido para chefiar o golpe que deps o Diretrio, dissolveu a Assembleia e implantou o regime do Consulado (1799-1802). No passava de uma ditadura disfarada. Em 1804, foi criado o Imprio, espcie de monarquia vitalcia. Apesar de haver Constituio, Napoleo governou despoticamente. Por algum tempo, a prosperidade resultante das reformas internas e o xito das guerras permitiram a continuidade do regime. Com os primeiros fracassos militares, seus fundamentos seriam abalados, at a queda, em 1814. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 5
  • O CONSULADO VIRA MONARQUIA Em 1799, a Frana apresentava aspecto desolador: indstria e comrcio arruinados; caminhos e portos destrudos; servio pblico desorganizado; emigrados fugiam da desordem e da ameaa de confisco de bens; clrigos que se haviam recusado a acatar a nova Constituio eram perseguidos. A guerra civil parecia iminente. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 6
  • Napoleo procurou fazer uma poltica de reconciliao. A Constituio, aprovada em plebiscito por mais de 3 milhes de votos, deu-lhe poderes ilimitados, sob aparncia de regime republicano: o Consulado. O voto era universal. Elaborava-se uma lista de candidatos mais votados e entre eles o governo escolhia os encarregados das funes pblicas. O fraco Poder Legislativo se compunha de quatro assembleias: o Conselho de Estado preparava as leis; o Tribunal as discutia; o Corpo Legislativo votava; o Senado velava pela execuo. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 7
  • O Poder Executivo, confiado a trs cnsules nomeados pelo Senado, por dez anos, era o mais forte. Quem detinha o poder, de fato, era o primeiro cnsul; ele propunha e mandava publicar as leis, nomeava ministros, oficiais, funcionrios e juzes Tomou medidas financeiras importantes, como a criao de um corpo de funcionrios para arrecadar impostos e a fundao do Banco da Frana, com direito de emitir papel- moeda. Em 1802, Napoleo assinou o Tratado de Amiens, pondo fim ao conflito europeu que durava desde 1792. Seu governo reorganizou e centralizou a administrao. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 8
  • A situao econmica melhorou. O ensino secundrio organizou-se com o objetivo de instruir funcionrios para o Estado. A maior obra de Napoleo foi o Cdigo Civil, inspirado no Direito Romano, nas Ordenaes Reais e no Direito Revolucionrio; completado em 1804, continua, na essncia, vigorando em nossos dias. A paz com a Igreja veio em 1801. O papa aceitou o confisco de bens e o Estado ficou proibido de interferir no culto. Os bispos, indicados pelo governo e investidos nas funes pelo papa, prestariam juramento de fidelidade ao governo. As bulas papais s entrariam em vigor depois de aprovadas por Napoleo. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 9
  • Vitorioso, interna e externamente, Napoleo pde estabelecer a hereditariedade do Consulado, em 1802: recebeu do Senado o direito de indicar seu sucessor. Tratava-se da implantao da monarquia hereditria. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 10
  • O DESPOTISMO DE NAPOLEO Aproveitando o perigo trazido pelo reincio das guerras, Napoleo se fez proclamar imperador. Em 1804, nova Constituio legalizava o Imprio e convocava um plebiscito para confirmar sua instituio. O papa sagrou Napoleo em Paris. Seu poder era absoluto. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 11
  • Humilhando o Papa Pio VII, o egocntrico Napoleo sagra-se Imperador da Frana pelas prprias mo s. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena Imagem: Jacques-Louis David e Georges Rouget, entre 1805-1807 / Museu do Louvre / Disponibilizado por The Yorck Project /.
  • Slide 12
  • Ao Cdigo Civil seguiram-se o Comercial e o Penal. A economia se aqueceu. Os camponeses passaram a produzir mais e a apoiar o regime. A indstria foi estimulada. O governo concluiu numerosos trabalhos iniciados no Consulado: canais, portos, estradas, embelezamento de cidades. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 13
  • Napoleo tornou-se mais desptico que os antigos reis. Suprimiu as assembleias; o Tribunal e os Corpos Legislativos perderam suas funes; no havia respeito pelas liberdades individuais e polticas; a imprensa ficou sob censura. O imperador interveio na educao e alterou o programa de disciplinas perigosas para o regime, como Histria e Filosofia. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 14
  • Utilizando-se de uma sistemtica censura imprensa e apoiado por um forte aparato policial, Napoleo, para estabelecer a segurana econmica e a ordem administrativa, ps em prtica um plano de reformas para sanear as finanas, incentivar o desenvolvimento agrcola e industrial e reorganizar o ensino. Em 1802, atravs de plebiscito, tornou-se cnsul vitalcio e, em 1804, com a promulgao do Cdigo Civil Napolenico, institucionalizou os direitos burgueses e proibiu a organizao de sindicatos operrios. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 15
  • O APOGEU DO IMPRIO NAPOLENICO HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena Imagem: Olahus / GNU Free Documentation License. Ofensiva hispano-inglesa Batalhas Bloqueio continental Ataques russos Campanha de Napoleo na Rssia (1812-1813) Campanha de Napoleo na Itlia (1796-1797) Campanha de Napoleo Pencula hibrica (1807-1814)
  • Slide 16
  • serviu-se at da religio: o catecismo ensinava os deveres para com Deus e para com o imperador. Quando o papa recusou-se a integrar-se na poltica internacional de Napoleo, este tomou-lhe os Estados e confinou-o em Savona (1809) os bispos que tomaram o partido do papa foram perseguidos. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 17
  • O BLOQUEIO CONTINENTAL O Bloqueio Continental pretendia arruinar a indstria e o comrcio da Inglaterra. Porm, os ingleses, perdendo momentaneamente o comrcio europeu, passaram a atuar na Amrica espanhola e portuguesa, ativando o contrabando. A indstria francesa foi afetada, pois no conseguia substituir as mercadorias inglesas no mercado europeu, o que acabou incentivando uma srie de pases a iniciar seu prprio desenvolvimento industrial. O contrabando de produtos ingleses para a prpria Frana afetou sua produo, gerando desemprego e agitaes operrias. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 18
  • POLTICA EXTERNA Em 1803, a Inglaterra uniu-se Rssia e ustria para lutar contra a Frana. Os ingleses venceram no mar, em Trafalgar, na Espanha. Entretanto, os franceses bateram os austro- russos em terra, em Austerlitz, Bomia. No fim da guerra, a ustria foi separada da Alemanha e da Itlia, e esta, submetida Frana. Na Alemanha, criou-se a Confederao do Reno, sob tutela francesa, para substituir o Sacro Imprio. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 19
  • Outra aliana se formou, em 1806, contra Napoleo: a Prssia e a Rssia, ambas vencidas. Pela Paz de Tilsit (Prssia), a Prssia foi desmembrada e a Rssia aliou- se Frana. Para enfraquecer a Inglaterra, Napoleo decretou o Bloqueio Continental: todos os europeus eram obrigados a fechar seus portos ao comrcio ingls. O desejo de conquistas, na Pennsula Ibrica, abriu Frana novos campos de conflito. Os austracos aproveitaram e retomaram as armas, em 1809, mas foram batidos e tambm sofreram desmembramento. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 20
  • O poder napolenico chegava ao auge. Seu organizado exrcito parecia imbatvel. A Europa ocidental estava submetida a seu poder. Mas as intervenes francesas provocaram revoltas nacionais, principalmente na Prssia. Em 1812, terminou a aliana com os russos, quando estes romperam o bloqueio contra os ingleses. Napoleo invadiu a Rssia, venceu a Batalha de Moscou, mas encontrou tanta resistncia que foi obrigado a uma retirada desastrosa. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 21
  • Na Espanha, as tropas sofriam com os guerrilheiros. A famlia real portuguesa fugiu para o Brasil: mais uma brecha no Bloqueio Continental. Prssia e ustria, ento, aliaram-se Rssia e venceram Napoleo em Leipzig (Confederao do Reno), destruindo seu poder na Europa (1813). Ele nem sequer conseguiu impedir a invaso da Frana. Os aliados tomaram Paris, restabeleceram a monarquia deposta em 1792 e obrigaram Lus XVIII a aceitar o Tratado de Paris. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 22
  • Preso na ilha mediterrnea de Elba, Napoleo fugiu, em maro de 1815, e retomou o poder (Governo dos Cem Dias). Contudo, foi detido pela ltima coligao europeia contra a Frana. Os ingleses o derrotaram em Waterloo, na Blgica. Preso na ilha de Santa Helena, costa africana, morreu em 1821. Lus XVIII retomou o poder. Em 1814-1815, o Congresso de Viena restabeleceu o equilbrio entre as grandes potncias (Inglaterra, Prssia, Rssia e ustria). Alemanha e Itlia permaneceram divididas. A Inglaterra adquiriu a supremacia martima e colonial. Para preservar a paz e evitar perturbaes sociais como a Revoluo Francesa e as guerras de Napoleo, as potncias criaram a Santa Aliana. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 23
  • O CONGRESSO DE VIENA O Congresso de Viena foi uma conferncia entre embaixadores das grandes potncias europeias que teve lugar na capital austraca, entre 1 de Outubro de 1814 e 9 de Junho de 1815, cuja inteno era a de redesenhar o mapa poltico do continente europeu, aps a derrota da Frana napolenica, na primavera anterior; iniciar a recolonizao (como visto na Revoluo Liberal do Porto, no caso do Brasil); restaurar os respectivos tronos s famlias reais derrotadas pelas tropas de Napoleo Bonaparte (como a restaurao dos Bourbon) e firmar uma aliana entre os signatrios. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 24
  • Os termos de paz foram estabelecidos com a assinatura do Tratado de Paris (30 de Maio de 1814), no qual estabeleciam-se as indenizaes a pagar pela Frana aos pases vencedores. Mesmo diante do regresso do ex-imperador Napoleo I do exlio, tendo reassumido o poder na Frana, em Maro de 1815, as discusses prosseguiram, concentradas em determinar a forma de toda a Europa depois das guerras napolenicas. O Ato Final do Congresso foi assinado em 9 de Junho de 1815, nove dias antes da derrota final de Napoleo, na batalha de Waterloo. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 25
  • Objetivo: o objetivo do congresso foi buscar e afirmar um equilbrio entre as naes, com o intuito de evitar guerras e revolues. Medidas: foram adotados uma poltica e um instrumento de ao: Poltica: restaurao legitimista e compensaes territoriais. Instrumento de Ao: Santa Aliana, aliana poltico-militar reunindo exrcitos feudais prontos para intervir em qualquer situao que ameaasse o Antigo Regime, incluindo a hiptese de intervir nas independncias da Amrica. Contra isso, foi criada a "Doutrina Monroe" (Amrica para Americanos). HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 26
  • Participantes: o congresso foi presidido pelo estadista austraco Prncipe Klemens Wenzel von Metternich, contando, ainda, com a presena do seu Ministro de Negcios Estrangeiros e do Baro Wessenberg, como deputado. a Prssia foi representada pelo prncipe Karl August von Hardenberg, o seu Chanceler e o diplomata e acadmico Wilhelm von Humboldt. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 27
  • o Reino Unido foi, inicialmente, representado pelo seu Secretrio dos Negcios Estrangeiros, o Visconde de Castlereagh. Aps fevereiro de 1815, por Arthur Wellesley, Duque de Wellington. Nas ltimas semanas, aps Wellington ter partido para dar combate a Napoleo, foi representado pelo Conde de Clancarty. a Rssia foi defendida pelo seu Imperador Alexandre I, embora fosse nominalmente representada pelo seu Ministro de Negcios Estrangeiros. a Frana estava representada pelo seu Ministro de Negcios Estrangeiros Charles-Maurice de Talleyrand-Prigord. a ustria estava representada pelo seu general-chefe, Metternich. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 28
  • Inicialmente, os representantes das quatro potncias vitoriosas esperavam excluir os franceses de participar nas negociaes mais srias, mas o Ministro Talleyrand conseguiu incluir-se nesses conselhos, desde as primeiras semanas de negociaes. O congresso nunca teve uma sesso plenria de fato: as sesses eram informais entre as grandes potncias. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 29
  • Devido maior parte dos trabalhos ser feita por estas cinco potncias (com algumas questes dos representantes de Espanha, Portugal, Sucia e dos estados alemes), a maioria das delegaes pouco tinha que fazer. Por isso, o anfitrio, Francisco II, Imperador do Sacro Imprio Romano-Germnico, oferecia entretenimento para as manter ocupadas. Isso levou a um comentrio famoso pelo Prncipe de Ligne: le Congrs ne marche pas; il danse. (o Congresso no anda; ele dana.) HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 30
  • OS PRINCPIOS BSICOS DO CONGRESSO 1. O princpio da legitimidade Defendido, sobretudo, por Talleyrand, a partir do qual se consideravam legtimos os governos e as fronteiras que vigoravam antes da Revoluo Francesa. Atendia os interesses dos Estados vencedores na guerra contra Napoleo Bonaparte, mas, ao mesmo tempo, buscava salvaguardar a Frana de perdas territoriais, assim como da interveno estrangeira. Os representantes dos governos mais reacionrios acreditavam que poderiam, assim, restaurar o Antigo Regime e bloquear o avano liberal. Contudo, o acesso no foi respeitado, porque as quatro potncias do Congresso trataram de obter algumas vantagens na hora de desenhar a nova organizao geopoltica da Europa. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 31
  • 2. O princpio da restaurao Era a grande preocupao das monarquias absolutistas, uma vez que se tratava de recolocar a Europa na mesma situao poltica em que se encontrava antes da Revoluo Francesa - que guilhotinou o rei absolutista e criou a Repblica; que acabou com os privilgios reais e instituiu o direito legtimo de propriedade aos burgueses. Os governos absolutistas defendiam a interveno militar nos reinos em que houvesse ameaa de revoltas liberais. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 32
  • 3. O Princpio do equilbrio Defendeu a organizao equilibrada dos poderes econmico e poltico europeus, dividindo territrios de alguns pases como a Confederao Alem, que foi dividida em 39 Estados, tendo a Prssia e a ustria como lderes e anexando outros territrios a pases adjacentes, como o caso da Blgica, que foi anexada Holanda. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 33
  • DIRETRIZES Momento de reao conservadora na Europa, articulado na presena de representantes dos diversos pases vencedores de Napoleo, o objetivo declarado deste frum era o de solucionar os problemas suscitados no continente, desde a Revoluo Francesa (1789), e as conquistas napolenicas. Temia-se uma nova revoluo. As diretrizes fundamentais do Congresso de Viena foram: o princpio da legitimidade; a restaurao; o equilbrio de poder e, no plano geopoltico, a consagrao do conceito de "fronteiras geogrficas". HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 34
  • RESTAURAO E LEGITIMIDADE Essa diretriz estabelecia que deveriam voltar ao trono(restaurao) os legtimos governantes (legitimidade), que estavam no poder antes da Revoluo. As antigas dinastias reinantes retornam ao poder. Essa posio foi defendida pelo representante francs, Talleyrand, garantindo, com isso, que os Bourbons retornassem ao poder com a anuncia dos vencedores. Talleyrand usou, tambm, o conceito de legitimidade para evitar que a Frana, derrotada, perdesse territrio para seus vizinhos, isto , conseguiu restaurar as antigas fronteiras (consideradas "legtimas"), anteriores a 1790. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 35
  • EQUILBRIO DE PODER E FRONTEIRAS GEOGRFICAS Outra deciso importante das grandes potncias reunidas em Viena foi a consagrao da ideia de balana do poder. Segundo essa perspectiva, considerava-se que s fora possvel o fenmeno Napoleo, na Europa, porque ele havia juntado uma tal soma de recursos materiais e humanos que, aliados sua capacidade poltica e militar, provocaram todo aquele perodo de guerras. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 36
  • As grandes potncias decidiram, ento, dividir os recursos materiais e humanos da Europa, de tal maneira que uma potncia no pudesse ser mais poderosa que a outra (balana e equilbrio de poder). Sendo assim, nenhum outro Napoleo atrever-se-ia a desafiar seu vizinho, sabedor de que este contaria com os mesmos recursos. Sendo esse o critrio estabelecido, trataram de p-lo em prtica, resultando num mapa europeu em que as etnias e as nacionalidades no foram levadas em considerao, tal como aconteceu com a partilha da Polnia, por exemplo. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 37
  • Uma vez estabelecida a paz, haveria a necessidade de manuteno de exrcitos? Os estadistas reunidos em Viena foram unnimes em responder afirmativamente. Tratava-se de manter foras armadas exatamente para preservar a paz alcanada. A garantia da paz residia, a partir de ento, na preservao das fronteiras geogrficas estabelecidas justamente para evitar que qualquer potncia viesse a romper o equilbrio, anexando recursos de seus vizinhos e pondo em risco todo o sistema de estados europeus. O princpio geopoltico das "fronteiras geogrficas" perdurou at o trmino da Segunda Guerra Mundial, quando esse conceito foi substitudo pelo conceito de "fronteiras ideolgicas", no contexto da Guerra Fria. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 38
  • CONSEQUNCIAS A Rssia anexou parte da Polnia, Finlndia e a Bessarbia. A ustria anexou a regio dos Blcs. A Inglaterra ficou com a estratgica Ilha de Malta, o Ceilo e a Colnia do Cabo, o que lhe garantiu o controle das rotas martimas. O Imprio Otomano manteve o controle dos povos cristos do Sudeste da Europa. O Reino Unido, o controle de Portugal, Brasil e Algarve. A Sucia e a Noruega uniram-se. A Prssia ficou com parte da Saxnia, da Westflia, da Polnia e com as provncias do Reno. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 39
  • A Blgica, industrializada, foi obrigada a unir-se aos Pases Baixos, formando o Reino dos Pases Baixos. Os Principados Alemes formaram a Confederao Alem, com 38 Estados. A Prssia e a ustria participavam dessa Confederao. A Espanha e Portugal no foram recompensados com ganhos territoriais, mas tiveram restauradas as suas antigas dinastias. Portugal foi elevado a Reino Unido. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 40
  • O Congresso de Viena logrou garantir a paz na Europa. Alm das disposies polticas territoriais, estabeleceu o princpio da livre-navegao do Reno e do Meuse; a condenao do trfico de escravos; determinando sua proibio ao norte da linha do Equador; medidas favorveis para a melhoria das condies dos judeus e um regulamento sobre a prtica das atividades diplomticas entre os pases. HISTRIA, 8 Ano do Ensino Fundamental O Imprio Napolenico e o Congresso de Viena
  • Slide 41
  • Tabela de Imagens n do slide direito da imagem como est ao lado da foto link do site onde se conseguiu a informaoData do Acesso 2aPaul Delaroche / Retrato de Napolon Bonaparte, por volta de 1840 / Disponibilizado por Library of Congress / Public domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Napol%C 3%A9on_Bonaparte_par_Paul_Delaroche_%28d% C3%A9tail%29.jpg 18/09/2012 2bJean-Baptiste Isabey / O Congresso de Viena, 1814 / Public domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Congress Vienna.jpg 18/09/2012 11Jacques-Louis David e Georges Rouget, entre 1805-1807 / Museu do Louvre / Disponibilizado por The Yorck Project / Public domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Jacques- Louis_David_019.jpg 18/09/2012 15 Olahus / GNU Free Documentation License.http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Europe_ map_1812.PNG 18/09/2012

Recommended

View more >