Cincias Humanas e suas Tecnologias - Histria Ensino Fundamental, 7 Ano Expanso Martima e Comercial Europeia.

Download Cincias Humanas e suas Tecnologias - Histria Ensino Fundamental, 7 Ano Expanso Martima e Comercial Europeia.

Post on 22-Apr-2015

104 views

Category:

Documents

2 download

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Cincias Humanas e suas Tecnologias - Histria Ensino Fundamental, 7 Ano Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 2
  • NDICE 1. O mundo conhecido at o sculo XV; 2. em busca de novos caminhos; 3. pioneirismo portugus; 4. navegao Espanhola; 5. a diviso do mundo e o Tratado de Tordesilhas; 6.trocas culturais; 7.sugesto de atividades; 8. tabela de imagens. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 3
  • 1. O mundo conhecido at o sculo XV Para compreender o que foi a Expanso Martima Europeia, precisamos fazer um exerccio: imaginar o mundo sem telefone, internet, televiso ou qualquer outra forma de comunicao imediata que conhecemos. Com isso em mente, vamos estudar o que os europeus do sculo XV sabiam sobre o mundo e o que passaram a conhecer com a Expanso Martima. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 4
  • Este era o mundo conhecido pelos europeus no sculo XV: Observe bem e reflita: - Esse mapa corresponde aos mapas que conhecemos hoje? - O que era diferente nesse mapa? Quais regies os europeus da poca desconheciam? E quais conheciam mais detalhadamente? http://dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=7470 HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem: Mapa do mundo segundo Ptolomeu, redesenhado no sculo 15 / Autor Desconhecido / British Library Harley /United States Public Domain.
  • Slide 5
  • Como voc pode ter notado, o mundo conhecido pelos europeus resumia-se sua vizinhana: a prpria Europa; parte da frica; parte da sia. O conhecimento que se tinha do mundo, no sculo XV, era muito limitado, geralmente, vindo de mapas gregos, romanos e, principalmente, dos comerciantes que viajavam pela regio. A maioria dos europeus pouco sabia sobre o extremo Oriente, e a pouca informao que chegava era baseada nos relatos dos viajantes de forma imprecisa e repleta de elementos fantsticos. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 6
  • O livro do viajante Marco Polo, nascido em Veneza, um exemplo de fonte de informao, em que relatava as viagens que fez pelo Oriente (incluindo a China), as riquezas, as caractersticas e os costumes dos povos com que teve contato. Marco Polo em uma de suas viagens. Observem o que ele carregava em seu navio: novidades do Oriente. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem: Marco Pollo viajando / miniatura do livro "As Viagens de Marco Polo / Autor Desconhecido / Public Domain.
  • Slide 7
  • Na poca, acreditava- -se que a Terra era plana (semelhante ao formato de um prato) e que os navios, quando chegavam ao fim do mundo (na linha do horizonte), caam em um abismo sem fim. http://www.dominiosfantasticos.xpg.com.br/id737.htm HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem: Ilustrao do livro de Edward Grant, "Celestial Orbs in the Latin Middle Ages", Isis, Vol. 78, No. 2. (Jun., 1987), pp. 152-173. / Autor Desconhecido / Disponibilizado por Fastfission / United States Public Domain.
  • Slide 8
  • O Oceano Atlntico era conhecido como Mar Tenebroso com temperaturas escaldantes, povoado por monstros e outros perigos. Para um europeu sem instruo, o que voc acha que as imagens transmitiam? http://www.consciencia.org/grandes-navegacoes HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem: Xilogravura de St. Brendan celebrando uma missa no corpo de um monstro marinho, sculo 15 / autor desconhecido / United States Public Domain. Imagem: Nau de Rui Vaz Pereira levantada por um monstro marinho / Victorcouto / Public domain.
  • Slide 9
  • Entretanto, mesmo com muitas lendas existentes, que geravam medo sobre o mar e o que era desconhecido, alguns europeus o encaravam de forma destemida e otimista. Nos mares, estava a oportunidade de encontrar novos mundos, instigando a aventura e a busca por uma vida melhor. Navegar preciso, viver no preciso.(Fernando Pessoa) HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem:Dutch ships ramming Spanish galleys of the English coast, 3 October 1602 / Rijksmuseum Amsterdam / Hendrick Cornelisz Vroom / Public Domain.
  • Slide 10
  • 2. Em busca de novos caminhos At o sculo XV, o Oceano Atlntico era um obstculo intransponvel, mas os europeus comearam a se lanar nele em busca de novas rotas martimas que os levassem a novas possibilidades e s riquezas existentes no Oriente relatadas pelos viajantes. O desbravamento do Atlntico foi uma alternativa encontrada por portugueses e espanhis, uma vez que as rotas comerciais conhecidas (por onde eram trazidas as riquezas do Oriente) eram controladas por mercadores rabes e comerciantes de Gnova e Veneza (cidades italianas). HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 11
  • Rotas comerciais dominadas por comerciantes rabes, genoveses e venezianos. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem: Extenso da Rota da Seda / Wikiality123 / GNU Free Documentation License.
  • Slide 12
  • Nessa poca, as viagens martimas eram arriscadas e longas demais, o que terminava exigindo grande quantidade de recursos materiais. Com barcos movidos a remo ou vela, a sobrevivncia dos navegadores era bem delicada, pois a alimentao era racionada, com pouca variedade e, geralmente, no tinha boa qualidade. Esse quadro colaborava para o surgimento de vrias doenas. Mas o que fazia todo esse risco valer a pena? Que riquezas eram essas? Ouro, prata e pedras preciosas? A resposta vai alm e pode surpreend-lo! HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 13
  • Todo esse esforo era para ter acesso s especiarias do Oriente, alm das riquezas minerais. Voc sabe que especiarias eram essas? Especiarias podiam ser uma flor, um fruto, uma semente, uma casca de planta, secos e com forte aroma, como cravo, canela, noz- -moscada, canela, gengibre, sndalo, entre outras. Eram usadas no s na culinria, mas tambm na fabricao de leos, cosmticos, incensos e medicamentos. E na atualidade, continuamos usando essas especiarias? Encontramos esses produtos com a mesma dificuldade? HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem: Especiaras / heydrienne / Creative Commons Attribution 2.0 Generic.
  • Slide 14
  • Alm do acesso s especiarias e aos metais preciosos, a Expanso Martima foi norteada por: - conquistas de mais terras; - conquista de fiis para a Igreja Catlica; -conquista de mercados consumidores do que era produzido na Europa. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 15
  • 3. O pioneirismo portugus O primeiro povo que se props a explorar o Oceano Atlntico foram os portugueses. Uma srie de fatores favoreceram essa iniciativa pioneira: - posio geogrfica favorvel; - precoce centralizao poltica; - capital disponvel para investir; - existncia de comrcio martimo com o norte da Europa; - domnio das tcnicas de navegao. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 16
  • Quanto ao domnio das tcnicas de navegao, podemos destacar a importncia da Escola de Sagres, um centro de estudos nuticos que reunia gegrafos, cartgrafos, matemticos, astrnomos, navegadores e construtores que desenvolveram e aperfeioaram instrumentos nuticos (bssola e balestilha), mapas, embarcaes e estudos sobre navegao. Isso tudo possibilitou que os portugueses pudessem navegar cada vez mais longe do litoral. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem: Bssola Surveyor do sculo 18 / Museu Arqueolgico Nacional da Espanha / Foto disponibilizada por Luis Garca (Zaqarbal), em maro de 2008 / GNU Free Documentation License. Imagem: Basto de Jacob / Autor Desconhecido / United States Public Domain.
  • Slide 17
  • Neste contexto, vrios navegadores portugueses se destacaram: - Bartolomeu Dias: chegou ao sul da frica (1488), at ento denominado Cabo das Tormentas, passando a chamar-se Cabo da Boa Esperana; -Vasco da Gama: primeiro navegador a chegar ndia (1498), trazendo um grande carregamento de especiarias; - Pedro lvares Cabral: veio ao Brasil (1500) antes de seguir at a ndia. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 18
  • 4. A navegao espanhola A Espanha foi a segunda a iniciar no empreendimento das navegaes. Seu atraso deveu-se finalizao do processo de expulso dos muulmanos de seu territrio, chamado de Reconquista. Incapacitada momentaneamente em dar a largada nas expedies martimas, a corte espanhola decidiu contratar navegadores em seu nome. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 19
  • - Cristvo Colombo: (natural de Gnova) props chegar ndia navegando em sentido oeste, mas acabou descobrindo a Amrica (1492); - Ferno de Magalhes: (natural de Portugal) fez a primeira expedio que circunavegou o mundo; - Hernn Cortez: conquistou a civilizao Asteca, atual Mxico (1519); - Francisco Pizarro: conquistou a civilizao Inca, atual Peru (1532). HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 20
  • A Expanso Martima e Comercial Portuguesa e Espanhola PORTUGALESPANHA Quando comeou14151492 Quem financiouOs reis ObjetivoChegar s ndias Rota que seguiuContornar o continente africano Navegar para o Oeste (diferencial) Principais viajantesBartolomeu Dias Vasco da Gama Pedro lvares Cabral Cristvo Colombo Ferno de Magalhes Conquistas realizadasBrasil Calicute Amrica Central / Mxico Amrica do Sul HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 21
  • 5. A diviso do mundo e o Tratado de Tordesilhas A Expanso Martima gerou um grande desentendimento entre Portugal e Espanha, pela terras recm-descobertas do Novo Mundo, batizadas de Amrica, e ainda as terras por descobrir. Para evitar um conflito ainda maior, em 1493, o papa Alexandre IV foi chamado para resolver a questo decidindo, atravs da Bula Inter Coetera, dividir as novas terras com um meridiano situado 100 lguas a oeste da ilha de Cabo Verde. Percebendo que no ficaria com muita coisa, baseado nesta diviso, Portugal exigiu a elaborao de um novo documento. E assim foi feito: um ano depois foi assinado o Tratado de Tordesilhas, que estabelecia um meridiano a 370 lguas a oeste da Ilha de Cabo Verde. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 22
  • Este um mapa da Amrica do Sul, de 1650, com indicao das reas de povoamento espanhol (em vermelho), portugus (em verde) e holands (em amarelo). Entretanto, podemos observar os meridianos (linhas imaginrias) propostos na diviso do mundo por Espanha e Portugal. O meridiano mais direita representa o que seria a Bula Inter Coetera, proposta pelo papa Alexandre IV. O mais esquerda o Tratado de Tordesilhas. A localizao das cidades atuais s ilustrativa. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem: Mapa da Amrica do Sul em 1650 / Tzzzpfff / GNU Free Documentation License.
  • Slide 23
  • Vale salientar que reis de outros pases europeus no aceitaram tranquilamente o Tratado de Tordesilhas, pois no participaram da diviso, como Frana, Inglaterra e Holanda. Francisco I, rei da Frana, declarou a famosa frase: Gostaria de ver o testamento de Ado para saber como ele dividiu o mundo. Francisco I - http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:FrancisIFrance.jpg HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia Imagem: Francisco I, rei da Frana, c. 1530/ Jean Clouet / Museu do Louvre / Domnio Pblico.
  • Slide 24
  • 6. Trocas Culturais A Expanso Martima e Comercial possibilitou aos europeus o conhecimento de novos continentes, novos povos e novas culturas. O comrcio com o Oriente, sociedade extremamente diferente da europeia, promoveu intensa troca no s de mercadorias, mas tambm de costumes e hbitos. Fez o homem ampliar a viso e olhar fora de seu prprio mundo. notvel a mudana na alimentao do europeu, com a incluso da batata, do milho, da mandioca e do tomate, por exemplo, produtos dos quais usufrumos at hoje. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 25
  • 7. Sugestes de atividades ATIVIDADE I - Questionrio 1.O que motivou os europeus a empreender a Expanso Martima e Comercial? 2. No sculo XV ainda no existiam os meios de comunicao que conhecemos (celular e internet so alguns exemplos). Como o europeu desse perodo obtinha as informaes? Podemos dizer que eram totalmente confiveis? 3.Por que o Oceano Atlntico era to temido no perodo? E hoje em dia, os homens tm esse mesmo sentimento de medo em relao a algo? 4. Quais as riquezas que os europeus buscavam no Oriente? Voc acha que os riscos valiam pena? Explique. 5. Aponte as diferentes estratgias de portugueses e espanhis para chegar s ndias. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 26
  • ATIVIDADE II Histria em quadrinho Agora que a turma j tem bastante informao sobre a Expanso Martima e Comercial, proponha a elaborao de histrias em quadrinhos em duplas ou grupos. Tente garantir que os temas sejam diversificados, como: instrumentos utilizados para a orientao dos navegadores, motivaes da viagens, dificuldades enfrentadas durante o percurso, o cotidiano a bordo dos navios, os principais navegadores, o pioneirismo portugus. No final monte um painel com os trabalhos, retomando em discusso os pontos mais importantes. ATIVIDADE III Filme O filme 1492: a conquista do paraso aborda a Expanso Martima Espanhola, enfocando na vida do navegador Cristvo Colombo. Aps passar para a turma, instigue o debate ou elabore um quadro de apontamentos coletivamente no quadro. HISTRIA, 7 Ano do Ensino Fundamental Expanso Martima e Comercial Europeia
  • Slide 27
  • Tabela de Imagens n do slide direito da imagem como est ao lado da foto link do site onde se consegiu a informaoData do Acesso 4Mapa do mundo segundo Ptolomeu, redesenhado no sculo 15 / Autor Desconhecido / British Library Harley /United States Public Domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:PtolemyW orldMap.jpg 03/09/2012 6Marco Pollo viajando / miniatura do livro "As Viagens de Marco Polo / Autor Desconhecido / Public Domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Marco_Pol o_traveling.JPG 03/09/2012 7Ilustrao do livro de Edward Grant, "Celestial Orbs in the Latin Middle Ages", Isis, Vol. 78, No. 2. (Jun., 1987), pp. 152-173. / Autor Desconhecido / Disponibilizado por Fastfission / United States Public Domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ptolemaics ystem-small.png 03/09/2012 8aXilogravura de St. Brendan celebrando uma missa no corpo de um monstro marinho, sculo 15 / autor desconhecido / United States Public Domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:St._Brenda n_celebrating_a_mass.jpg 03/09/2012 8bImagem: Nau de Rui Vaz Pereira levantada por um monstro marinho / Victorcouto / Public domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Nau_de_R ui_Vaz_Pereira_levantada_por_um_monstro_marin o,_armada_de_1520._Livro_de_Lisuarte_de_Abreu. jpg 03/09/2012
  • Slide 28
  • Tabela de Imagens n do slide direito da imagem como est ao lado da foto link do site onde se consegiu a informaoData do Acesso 9Dutch ships ramming Spanish galleys of the English coast, 3 October 1602 / Hendrick Cornelisz Vroom / Rijksmuseum Amsterdam / Public Domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Vroom_He ndrick_Cornelisz_Dutch_Ships_Ramming_Spanish_ Galleys_off_the_Flemish_Coast_in_October_1602.j pg 03/09/2012 11Extenso da Rota da Seda / Wikiality123 / GNU Free Documentation License. http://en.wikipedia.org/wiki/File:Silk_Route_extant. JPG 04/09/2012 13Especiaras / heydrienne / Creative Commons Attribution 2.0 Generic http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Spices_220 78028.jpg 04/09/2012 16aBssola Surveyor do sculo 18 / Museu Arqueolgico Nacional da Espanha / Foto disponibilizada por Luis Garca (Zaqarbal), em maro de 2008 / GNU Free Documentation License. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Br%C3%BA jula_de_agrimensor_s.XVIII_(M.A.N._Madrid)_01.jp g 04/09/2012 16bBasto de Jacob / Autor Desconhecido / United States Public Domain. http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Jacobstaff. JPG 04/09/2012 22Mapa da Amrica do Sul em 1650 / Tzzzpfff / GNU Free Documentation License http://commons.wikimedia.org/wiki/File:S%C3%BCd amerika1650.png 04/09/2012 23Francisco I, rei da Frana, c. 1530/ Jean Clouet / Museu do Louvre / Domnio Pblico. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:FrancisIFrance. jpg 04/09/2012

Recommended

View more >