CIENCIAS CA 8s Vol1 2014 P8 - Profª Paula Toledo Sarraino ?· Caderno do Aluno Volume 1 CIÊNCIAS Ciências…

Download CIENCIAS CA 8s Vol1 2014 P8 - Profª Paula Toledo Sarraino ?· Caderno do Aluno Volume 1 CIÊNCIAS Ciências…

Post on 20-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>8a SRIE 9oANOENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAISCaderno do AlunoVolume 1</p> <p>CINCIASCincias da Natureza</p> <p>MATERIAL DE APOIO AOCURRCULO DO ESTADO DE SO PAULO</p> <p>CADERNO DO ALUNO </p> <p>CINCIASENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS</p> <p>8a SRIE/9o ANOVOLUME 1</p> <p>Nova edio</p> <p>2014-2017</p> <p>GOVERNO DO ESTADO DE SO PAULO</p> <p>SECRETARIA DA EDUCAO</p> <p>So Paulo</p> <p>Governo do Estado de So Paulo</p> <p>Governador</p> <p>Geraldo Alckmin</p> <p>Vice-Governador</p> <p>Guilherme Afif Domingos</p> <p>Secretrio da Educao</p> <p>Herman Voorwald</p> <p>Secretrio-Adjunto</p> <p>Joo Cardoso Palma Filho</p> <p>Chefe de Gabinete</p> <p>Fernando Padula Novaes</p> <p>Subsecretria de Articulao Regional</p> <p>Rosania Morales Morroni</p> <p>Coordenadora da Escola de Formao e Aperfeioamento dos Professores EFAP</p> <p>Silvia Andrade da Cunha Galletta </p> <p>Coordenadora de Gesto da Educao Bsica</p> <p>Maria Elizabete da Costa</p> <p>Coordenadora de Gesto de Recursos Humanos</p> <p>Cleide Bauab Eid Bochixio</p> <p>Coordenadora de Informao, Monitoramento e Avaliao </p> <p>Educacional</p> <p>Ione Cristina Ribeiro de Assuno</p> <p>Coordenadora de Infraestrutura e Servios Escolares</p> <p>Ana Leonor Sala Alonso</p> <p>Coordenadora de Oramento e Finanas</p> <p>Claudia Chiaroni Afuso</p> <p>Presidente da Fundao para o Desenvolvimento da Educao FDE</p> <p>Barjas Negri</p> <p>Caro(a) aluno(a),</p> <p>Vamos iniciar nossas aulas de Cincias, nas quais voc o protagonista. Este Caderno traz Situaes de Aprendizagem que abordam os seguintes contedos:</p> <p>Cincia e tecnologia: constituio, interaes e transformaes dos materiais</p> <p> ropriedades dos materiais resultados e interaes</p> <p> ropondo modelos e plicativos</p> <p> Subst ncia pura ou mistura de subst ncias</p> <p> Comparando a densidade de s lidos</p> <p> rans ormaes qu micas resultados de interaes</p> <p> uantidade de subst ncias em trans ormaes qu micas</p> <p> Subst ncias simples e compostas a linguagem qu mica</p> <p> imitaes dos modelos e plicativos</p> <p>Ser humano e sade: sistemas de interao no organismo</p> <p> Sistema nervoso est mulos e receptores</p> <p> Sistema nervoso interpreta o, rea o e sensaes</p> <p> Sistema end crino orm nios e a intera o das unes org nicas</p> <p>Ser humano e sade: as drogas e suas consequncias para o organismo</p> <p> s e eitos e riscos do uso de drogas</p> <p>Esses temas s o atuais e est o presentes em seu cotidiano. urante as aulas, seu pro essor vai orientar, mediar e estimular os debates e as pesquisas sobre eles e voc e seus colegas poder o contribuir com suas e perincias de vida para ampliar e apro undar as discusses.</p> <p>Convidamos voc a e plorar o universo de Cincias e esperamos que os contedos trabal ados neste Caderno possam servir de base para aprimorar seus con ecimentos.</p> <p>Bons estudos!</p> <p>Equipe Curricular de Cinciasrea de Cincias da Natureza</p> <p>Coordenadoria de est o da Educa o B sica C EBSecretaria da Educa o do Estado de S o aulo</p> <p>E A C NS , N E A ES E ANS A ES S A E A S</p> <p>S A E A EN A E E A ES S A E A S ES A S E N E A ES</p> <p> . Escol a um ob eto e descreva o, e plicando para que ele serve. ense nas caracter sticas que permitem que esse material se a usado para suas respectivas nalidades.</p> <p> . Ap s a discuss o das respostas de todos os alunos da classe, responda: ual a rela o entre o material de que eito um ob eto e o uso que se az desse ob eto E plique sua resposta com e emplos.</p> <p>Agora, voc vai observar o comportamento de alguns materiais quando s o submetidos a o de dois di erentes agentes: oras mec nicas e luz.</p> <p>eia, atentamente, o roteiro da atividade e e ecute os procedimentos indicados. </p> <p>Materiais</p> <p> bast o de giz escolar</p> <p> pedaos de cm de io de solda (usado para soldar ios e componentes eletr nicos, encontrado em supermercados e em lo as de eletricidade e eletr nica)</p> <p> pedao de porcelana branca osca, tambm con ecida como porcelana despolida (pode ser um undo de azule o)</p> <p> martelo pequeno (desses utilizados para pregar tac in as ou pregos pequenos)</p> <p> t bua de madeira (serve a t bua utilizada em cozin a)</p> <p> clipe de metal</p> <p> moeda de , ou centavos, de cobre ou lat o (n o servem as de ao ino id vel)</p> <p> pedao de espon a de ao</p> <p> lanterna.</p> <p>ROTEIRO DE EXPERIMENTAO</p> <p>!?</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>Procedimentos</p> <p>a) Voc vai observar, primeiramente, como alguns materiais se comportam ao interagir com oras mec nicas. ara isso, siga os procedimentos b, c e d.</p> <p>b) egue o bast o de giz e segure o pelas e tremidades, pressionando o e buscando dobr lo ao meio. aa a mesma coisa com o clipe, com um pedao de io de solda e com a moeda. Anote na tabela, na coluna le o , o que observou. </p> <p>c) Coloque um pedao de giz, um pedao de io de solda, o clipe e a moeda sobre a t bua. Bata com o martelin o em cada um desses materiais. Anote na tabela, na coluna impacto , o que observou.</p> <p>d) ente riscar com a un a cada um dos materiais e observe em quais deles poss vel dei ar uma marca, um sulco. Anote suas observaes na tabela, na coluna risco .</p> <p>Agora, voc vai observar o comportamento dos mesmos materiais ao interagirem com a luz. dessa intera o que resultam o bril o e a cor desses materiais. ara isso, aa o que est indicado nos procedimentos seguintes.</p> <p>e) Coloque o clipe, o giz, o io de solda e a moeda sobre a t bua. Es regue a espon a de ao sobre cada um deles e veri ique quais icaram com bril o mais intenso. Anote suas observaes na tabela, na coluna bril o .</p> <p>) E pon a a t bua com os di erentes materiais a uma luz mais intensa que a do ambiente da sala de aula, como a luz solar direta, nas pro imidades de uma l mpada ou luz de uma lanterna. Compare a intensidade do bril o dos materiais nas duas situaes e anote os resultados na tabela, na coluna bril o .</p> <p>g) bserve a cor de cada um dos materiais em estudo: do giz, do clipe, do io de solda e da moeda. Em seguida, es regue cada um deles com ora sobre a porcelana osca. Ao azer isso, voc transorma em p uma certa por o do material. Compare a cor do p do material com a cor origi</p> <p>nal e anote suas observaes na coluna cor .</p> <p>Materiais</p> <p>Resultados da interao com a fora mecnica</p> <p>Resultados da interao com a luz</p> <p>Flexo Impacto Risco Brilho Cor</p> <p>Giz escolar</p> <p>Clipe de metal</p> <p>Fio de solda</p> <p>Moeda</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>6</p> <p> 1. No e perimento realizado, oram analisadas propriedades de alguns materiais quando submetidos ora mec nica e sob intera o com a luz. Escreva o que mais c amou sua aten o nas observaes em rela o ao comportamento dos di erentes materiais.</p> <p>eia no te to a seguir os nomes e os signi icados dessas propriedades.</p> <p>Propriedades resultantes das interaes</p> <p>I. Dos materiais com foras mecnicas</p> <p>a) le ibilidade e elasticidade</p> <p>A le ibilidade e a elasticidade est o relacionadas ao comportamento dos materiais quando s o submetidos a oras mec nicas que agem para dobr los ou estic los sem que se quebrem. materiais que s o le veis e el sticos, ou se a, voltam posi o inicial depois de cessada a ora neles e ercida. outros que s o le veis, porm n o el sticos, ou se a, n o voltam posi o inicial depois de cessada a ora, e ainda materiais que n o s o le veis nem el sticos. </p> <p>ois aspectos merecem aten o quando se ala em le ibilidade um a ora necess ria para dobrar os materiais e o outro a orma em que estes se encontram para compor os ob etos. A classi ica o de um material como le vel ou n o le vel deve ter como critrio a ora e ercida. esse ponto de vista, a moeda n o le vel quando a ora e ercida a muscular, mas poderia ser classi icada como le vel com rela o a uma ora maior. Caso o material que constitui a moeda estivesse sob a orma de io, possivelmente poderia ser le ionado apenas com a ora muscular.</p> <p>b) enacidade </p> <p>A tenacidade de um material a resistncia quebra que ele apresenta quando submetido a impacto, como uma martelada ou uma queda ao c o. uanto maior a ora necess ria para que o material se quebre, maior a sua tenacidade.</p> <p>Leitura e anlise de texto </p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>7</p> <p>c) ureza</p> <p>A dureza a resistncia que um material apresenta ao risco quando uma ora e ercida por outro material em sua super cie. Entende se por risco a orma o de um sulco no material. Assim, se um material A risca um material B, ent o A tem dureza maior que B.</p> <p>d) aleabilidade</p> <p>A maleabilidade a propriedade relacionada acilidade com que um material pode ser trans ormado em c apas e l minas, sem se quebrar, quando submetido a oras mec nicas. </p> <p>uanto menor a ora necess ria para essa trans orma o, mais male vel o material.</p> <p>II. Dos materiais com a luz</p> <p>a) Bril o</p> <p> bril o de um material est relacionado com a re le o de luz na sua super cie: quanto mais intensa a luz re letida, maior o bril o. ateriais que n o tm bril o s o c amados oscos, mas s o muito poucos os que n o apresentam bril o algum.</p> <p>b) Cor</p> <p>A cor de um material tambm uma propriedade que resulta da sua intera o com a luz, neste caso com absor o e re le</p> <p>o. A luz branca ormada por todas as cores. Assim, quando um material mostra se vermel o sob luz branca, signi ica que ele re lete a por o vermel a da luz e absorve todas as outras cores. </p> <p>A absor o e a re le o dependem, entre outros atores, das condies em que o material se encontra. or e emplo: a prata um metal de cor clara quando se encontra em anis, tal eres e outros ob etos porm, preta quando se encontra sob a orma de p ino tal como se apresenta nas radiogra ias e otogra ias em preto e branco (as partes pretas </p> <p>s o constitu das por prata met lica). cobre vermel o, mas torna se preto quando se encontra na orma de p ino. mineral </p> <p>ematita (minrio de erro) cinza escuro, mas, sob a orma de p , vermel o sangue.</p> <p>Elaborado especialmente para o S o aulo az escola.</p> <p> mag</p> <p>e As</p> <p>set </p> <p>anag</p> <p>emen</p> <p>t/Age</p> <p> ot</p> <p>osto</p> <p>c</p> <p>aio de uma m o com ob etos met licos, 1896.</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>8</p> <p>VOC APRENDEU?</p> <p>ara consolidar o que voc aprendeu, responda s questes a seguir de acordo com as concluses a que c egou sobre o comportamento dos materiais nas di erentes situaes. importante lembrar que esse comportamento pode variar, con orme variam os agentes e as condies em que se encontram os materiais.</p> <p> 1. ual dos materiais estudados o mais e vel ual o menos e vel </p> <p> . Algum dos materiais estudados e vel e el stico ual</p> <p> . e emplos de outros materiais, alm dos estudados, que se am e veis n o el sticos, e veis el sticos e n o e veis.</p> <p> . ual oi o material de menor tenacidade entre os estudados</p> <p> . Com o que voc observou no e perimento, poss vel decidir qual dos outros materiais o mais tenaz</p> <p> 6. uais oram os materiais de menor dureza entre os estudados e quais os de maior dureza</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>9</p> <p>Continuando a pensar sobre o assunto</p> <p>Em casa, pense em poss veis e plicaes para as di erenas entre as propriedades dos materiais estudados: por e emplo, o ato de um material ser le vel e o outro n o de um ser mais duro do que o outro. ara elaborar as suas ip teses, ique sabendo que, atualmente, acredita se que todos os materiais s o ormados por part culas muito pequenas e invis veis, mesmo com o uso dos mais modernos microsc pios. magine essas part culas como sendo minsculas es eras que podem estar muito perto umas das outras, praticamente grudadas podem estar muito pr imas, mas n o t o grudadas ou podem estar at muito a astadas. ara propor suas ip teses, pense nos resultados dos e perimentos realizados:</p> <p> 1. ual ser a e plica o para o ato de o o de solda ser mais e vel do que o clipe </p> <p> . or que a moeda passou a ter bril o mais intenso depois de ser polida com a espon a de ao</p> <p> . Escreva ou desen e as suas e plicaes para as propriedades estudadas. Elas ser o discutidas na pr ima aula.</p> <p>LIO DE CASA</p> <p> 7. elo que voc observou, do que depende o bril o de um material</p> <p> 8. Compare a cor dos materiais em pedaos e em p .</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>1</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>11</p> <p>S A E A EN A E N E S E CA V S</p> <p>Na Situa o de Aprendizagem anterior, voc observou algumas propriedades dos materiais. Agora voc criar ip teses para e plicar tais propriedades. Com a orienta o do seu pro essor, e pon a ideias aos colegas, oua as ideias deles e preenc a a tabela a seguir com duas e plicaes que voc ac ou mais prov veis. aa isso para todas as propriedades da tabela.</p> <p>Propriedades Explicao 1 Explicao 2</p> <p>Flexibilidade</p> <p>Tenacidade</p> <p>Dureza</p> <p>Maleabilidade</p> <p>Brilho</p> <p>Cor</p> <p>Ser que as ip teses propostas por voc e seus colegas conseguem e plicar satis atoriamente as propriedades em estudo Voc e seus colegas, reunidos em grupos, v o realizar algumas atividades que a udar o a responder quest o. </p> <p>magine que as part culas que constituem os materiais se am es eras minsculas, invis veis mesmo com o uso dos mais potentes microsc pios. Assim, at em uma por o muito pequena de um material, </p> <p> mil ares e mil ares de part culas. or isso, todos os desen os que ser o eitos nesta atividade representar o apenas algumas dessas part culas.</p> <p>bserve atentamente a igura a seguir. Ela representa um modelo do que acontece com as part culas que constituem um metal quando ele submetido a um impacto.</p> <p>!?</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>1</p> <p> 1. ue propriedade dos materiais o modelo procura interpretar</p> <p> . Nesse modelo, o que acontece com as part culas do metal quando ele submetido a um impacto</p> <p> . Baseando se na gura, procure desen ar um modelo para representar o que acontece com as part culas do o de solda quando ele e ionado. </p> <p> lip</p> <p> es</p> <p>ign</p> <p>omento do impacto. epois do impacto.</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>1</p> <p> 4. Agora, represente, por meio de um modelo, o que acontece quando um giz quebrado.</p> <p> . que acontece com as part culas de um material quando riscado por outro esen e um modelo para representar esse processo.</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>14</p> <p>Aplicando os conhecimentos</p> <p>Agora que voc sabe representar a constitui o dos materiais usando modelos, o seu grupo tem um novo desa io.</p> <p>ropon am modelos de part culas para e plicar as di erenas entre os estados sicos da gua. ara tanto, usem as in ormaes que seguem.</p> <p> A gua s lida (gelo) tem orma pr pria e pode se quebrar.</p> <p> A gua l quida adquire a orma do recipiente que a contm e espal a se com acilidade.</p> <p> A gua no estado gasoso ocupa todo o espao que l e dispon vel.</p> <p>iscuta com seus colegas e, quando c egarem a uma conclus o, aam desen os dos modelos no espao a seguir.</p> <p>odelos poss veis para representar a le ibilidade e o que acontece no polimento s o mostrados a seguir.</p> <p>desorganiza o de part culas no local da dobra</p> <p>retirada de algumas part culas da super cie</p> <p> bril o de certos materiais, como o metal ou a pintura automotiva, tanto mais intenso quanto mais uni ormemente est o distribu das as part culas constituintes do material em sua super cie. uitos materiais interagem com o ar e, como resultado dessa intera o, podem se ormar subst ncias di erentes, por e emplo, idos que resultam da intera o de part culas de um metal com o o ignio do ar. Alm disso, part culas de poeira icam aderidas super cie do material. udo isso leva diminui o do bril o do material.</p> <p>Elaborado especialmente para o S o aulo az escola.</p> <p>Leitura e anlise de texto </p> <p>e o</p> <p>polimento</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>1</p> <p>gua no estado slido gua no estado lquido gua no estado gasoso</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>16</p> <p>Leitura e anlise de texto </p> <p>Substncia qumica ou mistura de substncias?</p> <p>m material considerado subst ncia qu mica quando apresenta um con unto de propriedades bem de inido em dada condi o de press o e temperatura, independente de sua origem ou orma de obten o. or e emplo, o lcool anidro (etanol), utilizado como aditivo de gasolina, tem sempre o mesmo con unto de propriedades, independentemente de ser obtido da cana de acar, da beterraba ou do mil o. sempre um l quido incolor, de densidade igual a ,79 g/cm3 a oC, de temperatura de us o igual a 11 oC e temperatura de ebuli o igual a 79 oC ( press o do n vel do mar). Esses valores s o constantes para qualquer quantidade de lcool anidro. Assim, se um rasco de lcool anidro or dei ado aberto, parte do lcool evaporar , mas a quantidade de lcool restante no rasco apresentar os mesmos valores para as trs propriedades. </p> <p> o lcool combust vel (etanol idratado), o lcool dilu do (vendido em supermercados para limpeza) e o lcool 7 (vendido em pequenos rascos em arm cias, utilizado como antissptico) s o misturas de etanol com gua em di erentes propores e apresentam valores di erentes em compara o aos do lcool anidro. Esses valores dependem da propor o de lcool e gua na mistura e n o s o constantes. or e emplo, se um rasco de lcool dilu do or dei ado aberto, lcool e gua evaporar o em propores di erentes, e o l quido restante </p> <p>no rasco ter propriedades di erentes das que apresentava antes da evapora o. Elaborado especialmente para o S o aulo az escola.</p> <p>S A E A EN A E 3 S BS NC A A S A E S BS NC AS</p> <p>!?</p> <p>Nesta Situa o de Aprendizagem, voc vai estudar como as propriedades dos materiais est o relacionadas com a caracteriza o das subst ncias que os compem. ara isso, ser preciso compreender o conceito de densidade.</p> <p>Densidade a razo entre a massa de um material e o volume que ele ocupa, ou seja, d= m</p> <p> 1. s diversos materiais tm densidades di erentes. que voc espera que acontea quando materiais mais densos que a gua s o mergul ados nela</p> <p> . E o que voc espera que acontea com os materiais menos densos quando mergul ados na gua</p> <p>v .</p> <p>Cincias 8 srie/9 ano Volume 1</p> <p>17</p> <p> 1. Com base no texto, qual a diferena entre o lcool anidro e os outros tipos de lcool?</p> <p> 2. O lcool anidro uma substncia qumica, j os outros tipos de lcool citados no texto so misturas de substncias qumicas. Com base nesse fato, o que uma substncia qumica? E uma mistura de substncias qumicas?</p> <p>Retome a Situao de Aprendizagem 1. Os materiais testados naquela ocasio eram misturas ou substncias qumicas? Para responder corretamente questo, voc e seu grupo vo realizar alguns experimentos que demonstraro como uma propriedade especfica, no caso a densidade, permite identificar se um material mistura ou substncia pura.</p> <p>ROTEIRO DE EXPERIMENTAO</p> <p>Materiais</p> <p> 3 ml de gua destilada</p> <p> 1 col er de sopa</p> <p> 1 g de sal de cozin a</p> <p> 3 pratos fundos</p> <p> 1 frasco graduado em ml (pode ser um bquer, uma mamadeira ou um medidor de cozin a)</p> <p> balana com preciso mnima de 1 g.</p> <p>Procedimentos</p> <p>a) etermine a massa do frasco graduado vazio. Anote o resultado. </p> <p>b) Coloque gua destilada no frasco graduado at completar a marca de 1 ml (que igual a 1 cm3) e determine a massa do frasco graduado com a gua. Anote o resultado. </p> <p>c) Calcule a massa de gua destilada do frasco obtendo a diferena entre as massas do f