ciclo ii - quarta esperanças e consolações penas e gozos terrenos e futuros

Download Ciclo II - Quarta  Esperanças e Consolações Penas e Gozos Terrenos e Futuros

Post on 02-Jan-2016

33 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Ciclo II - Quarta Esperanças e Consolações Penas e Gozos Terrenos e Futuros. Sandra Benetti (substituindo Marisa Liborio) 2012-04-03. Que livro é esse ? Vamos recordar ?. AS OBRAS BÁSICAS. O Pentateuco Kardequiano. LANÇAMENTO DAS OBRAS BÁSICAS. O Livro dos Espíritos. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

Ciclo II C Penas e Gozos Perfeio Moral

Ciclo II - Quarta Esperanas e ConsolaesPenas e Gozos Terrenos e Futuros

Sandra Benetti(substituindo Marisa Liborio)2012-04-03

Que livro esse?Vamos recordar?2O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

AS OBRAS BSICASO Pentateuco Kardequiano3O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

LANAMENTO DAS OBRAS BSICAS O Livro dos Espritos O Livro dos Mdiuns O Evangelho segundo o Espiritismo O Cu e o Inferno A Gnese(18 de abril de 1857)(janeiro de 1861)(abril de 1864)(agosto de 1865)(janeiro de 1868)4

A primeira edio de 18 de abril de 1857 foi publicada com 501 perguntas.O Livro dos EspritosCapa da 1 Edio

5

Com 1019 questes a partir da Segunda Edio6O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

4 parte: Das esperanas e consolaes(2 edio: maro de 1860)O Livro dos EspritosIntroduo1 parte: Das causas primeirasProlegmenos2 parte: Do mundo esprita ou mundo dos espritos3 parte: Das leis moraisConcluses7(Prolegmenos - exposio preliminar dos princpios gerais de uma cincia ou arte Aurlio 2000)

FEB 71.ed.(Janeiro 1861)8O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

A doutrina esprita, de modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos:a) na existncia e unicidade de Deus, desconstruindo o dogma da Santssima Trindade; b) na existncia e imortalidade do Esprito, compreendido como individualidade inteligente da Criao Divina; c) na defesa da Reencarnao, como o mecanismo natural de aperfeioamento dos Espritos; d) no conceito de criao igualitria para de todos os Espritos, "simples e ignorantes" em sua origem, e destinados invariavelmente perfeio; e) na possibilidade de comunicao entre os espritos encarnados ("vivos") e os espritos desencarnados ("mortos"), atravs da mediunidade; f) na lei de causa e efeito, compreendida como mecanismo de retribuio tica universal a todos os espritos.

2 parte:Mundo dos espritos(6-11)Da vida esprita;Da volta do Esprito vida corporal;Da emancipao da alma;Da interveno dos Espritos no mundo corporal;Das ocupaes e misses dos Espritos;Dos trs reinos.

O Livro dos Mdiuns- Princpios bsicos de sua construo -9O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

A doutrina esprita, de modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos:a) na existncia e unicidade de Deus, desconstruindo o dogma da Santssima Trindade; b) na existncia e imortalidade do Esprito, compreendido como individualidade inteligente da Criao Divina; c) na defesa da Reencarnao, como o mecanismo natural de aperfeioamento dos Espritos; d) no conceito de criao igualitria para de todos os Espritos, "simples e ignorantes" em sua origem, e destinados invariavelmente perfeio; e) na possibilidade de comunicao entre os espritos encarnados ("vivos") e os espritos desencarnados ("mortos"), atravs da mediunidade; f) na lei de causa e efeito, compreendida como mecanismo de retribuio tica universal a todos os espritos.

Trata-se da formulao das leis que regulam a vida do Esprito, indicam como o Homem ou o Esprito deve ou no proceder; dizem respeito conduta, ao comportamento dos Espritos a condio nica e verdadeira para a felicidade dos Espritos.(abril de 1864)

10O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

A doutrina esprita, de modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos:a) na existncia e unicidade de Deus, desconstruindo o dogma da Santssima Trindade; b) na existncia e imortalidade do Esprito, compreendido como individualidade inteligente da Criao Divina; c) na defesa da Reencarnao, como o mecanismo natural de aperfeioamento dos Espritos; d) no conceito de criao igualitria para de todos os Espritos, "simples e ignorantes" em sua origem, e destinados invariavelmente perfeio; e) na possibilidade de comunicao entre os espritos encarnados ("vivos") e os espritos desencarnados ("mortos"), atravs da mediunidade; f) na lei de causa e efeito, compreendida como mecanismo de retribuio tica universal a todos os espritos.

3 parte:Leis Morais(1-12)Lei Divina ou lei natural;Lei de Adorao;Lei do Trabalho;Lei de Reproduo;Lei de Conservao;Lei de Destruio;Lei de Sociedade;Lei do Progresso;Lei de Igualdade;Lei de Liberdade;Lei de Justia, Amor e CaridadeO Evangelho Segundo o Espiritismo

- Princpios bsicos para sua construo -11O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

A doutrina esprita, de modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos:a) na existncia e unicidade de Deus, desconstruindo o dogma da Santssima Trindade; b) na existncia e imortalidade do Esprito, compreendido como individualidade inteligente da Criao Divina; c) na defesa da Reencarnao, como o mecanismo natural de aperfeioamento dos Espritos; d) no conceito de criao igualitria para de todos os Espritos, "simples e ignorantes" em sua origem, e destinados invariavelmente perfeio; e) na possibilidade de comunicao entre os espritos encarnados ("vivos") e os espritos desencarnados ("mortos"), atravs da mediunidade; f) na lei de causa e efeito, compreendida como mecanismo de retribuio tica universal a todos os espritos.

(1/8/1865)

12A doutrina esprita, de modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos:a) na existncia e unicidade de Deus, desconstruindo o dogma da Santssima Trindade; b) na existncia e imortalidade do Esprito, compreendido como individualidade inteligente da Criao Divina; c) na defesa da Reencarnao, como o mecanismo natural de aperfeioamento dos Espritos; d) no conceito de criao igualitria para de todos os Espritos, "simples e ignorantes" em sua origem, e destinados invariavelmente perfeio; e) na possibilidade de comunicao entre os espritos encarnados ("vivos") e os espritos desencarnados ("mortos"), atravs da mediunidade; f) na lei de causa e efeito, compreendida como mecanismo de retribuio tica universal a todos os espritos.

Penas e Gozos Terrenos;Penas e Gozos Futuros.O Cu e o Inferno

Decorre da quarta parte (cap. 1-2) de O Livro dos Espritos, e coloca ao nosso alcance o mecanismo da Justia Divina, em consonncia com o princpio evanglico:."A cada um segundo as suas obras- Princpios bsicos para sua construo -13O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

A doutrina esprita, de modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos:a) na existncia e unicidade de Deus, desconstruindo o dogma da Santssima Trindade; b) na existncia e imortalidade do Esprito, compreendido como individualidade inteligente da Criao Divina; c) na defesa da Reencarnao, como o mecanismo natural de aperfeioamento dos Espritos; d) no conceito de criao igualitria para de todos os Espritos, "simples e ignorantes" em sua origem, e destinados invariavelmente perfeio; e) na possibilidade de comunicao entre os espritos encarnados ("vivos") e os espritos desencarnados ("mortos"), atravs da mediunidade; f) na lei de causa e efeito, compreendida como mecanismo de retribuio tica universal a todos os espritos.

(Jan.1868)

14A doutrina esprita, de modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos:a) na existncia e unicidade de Deus, desconstruindo o dogma da Santssima Trindade; b) na existncia e imortalidade do Esprito, compreendido como individualidade inteligente da Criao Divina; c) na defesa da Reencarnao, como o mecanismo natural de aperfeioamento dos Espritos; d) no conceito de criao igualitria para de todos os Espritos, "simples e ignorantes" em sua origem, e destinados invariavelmente perfeio; e) na possibilidade de comunicao entre os espritos encarnados ("vivos") e os espritos desencarnados ("mortos"), atravs da mediunidade; f) na lei de causa e efeito, compreendida como mecanismo de retribuio tica universal a todos os espritos.

A Gnese

Primeira Parte Causas Primeiras2. Elementos Gerais do Universo3. Criao4. Princpio VitalSegunda Parte Mundo Esprita9. Interveno dos Espritos no Mundo Corporal.10. Ocupaes e misses dos Espritos11. Os Trs ReinosTerceira Parte Leis Morais4. Lei de Conservao5. Lei de destruioBases para a construo deste Livro15Fonte: Conselho Esprita do Estado do Rio de Janeiro.

4 parte

2 parte

1 parte

3 parte16O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

Fonte: Conselho Esprita do Estado do Rio de Janeiro.

Este livro salvou a minha vida e eu espero que salve a sua tambm.17O termo doutrina pode ser definido como o conjunto de princpios que servem de base a um sistema religioso, poltico, filosfico, cientfico, entre outros.

O Esprito Hilrio Silva no livro "O Esprito deVerdade" (FEB), nos conta uma histria acontecida na Frana do tempo de Kardec de um livreiro que manda para Kardec um livro ricamente encadernado e narra na dedicatria que estava quase para se suicidar pulando da ponte no rio Sena, quando tocou em algo que caiu no cho, era "O Livro dos Espritos" e estava escrito na folha de rosto: este livro salvou minha vida. Curioso, ele leu o livro e quando o remete a Kardec acrescenta: Salvou a minha tambm.Mensagem Final...18

PENAS E GOZOS