ciberjornalismo de proximidade: uma prática afastada das redacções

Download Ciberjornalismo de proximidade: Uma prática afastada das redacções

Post on 09-Dec-2014

413 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • 1. Ciberjornalismo de ProximidadeUma prtica distante das redacesabout.me/pedrojeronimo@UPorto #ciberjornalismo #mcc

2. ?Primeiro nativo digital em PortugalPennsula ibricaInformao regional1998 3. Imprensa Regional...prima pela proximidade entre jornalista e o pblico,numa espcie de compromisso mtuo(Camponez, 2002) 4. Jornalismo de proximidade...tem como principal intuito levar a uma maior interacoentre o jornalista e o pblico-alvo(Vieira, 2009) 5. Ciberjornalismo...especialidade do jornalismo que emprega o ciberespaopara investigar, produzir e, sobretudo difundircontedos jornalsticos(Salaverra, 2005) 6. Ciberjornalismo de proximidade...especialidade do jornalismo de proximidade que emprega ociberespao para investigar, produzir e, sobretudo, difundircontedos jornalsticos, referentes a determinadoterritrio e/ou comunidade (Jernimo, 2012) 7. Esta poder ser a ltima poca do Centro Desportivo de Ftima nas competies nacionais defutebol como clube. O emblema pretende passar a Sociedade Annima Desportiva (SAD), a partirda prxima poca, e vai propor isso mesmo aos scios em assembleia geral. Entendemos que temosque criar outras condies para o futebol snior, nomeadamente pela profissionalizao dofutebol, e a constituio de uma SAD o melhor caminho, explica Srgio Frias, presidente doclube. A jogar atualmente na II diviso nacional, escalo onde dever permanecer na temporada2013/2014, o Ftima no est obrigado a transformar-se numa sociedade desportiva, dado que acompetio no profissional. Contudo, Srgio Frias defende que o lugar do Ftima na IILiga, e vai lutar para subir de diviso. Logo, necessita de se estabelecer com esse regime jurdicoobrigatrio por lei. Mas no s. Hoje em dia, da forma como est a nossa economia, no fcilpara um dirigente, associativo ou no, conseguir cativar qualquer tipo de patrocnio. precisoolhar em frente e no ficar acomodado, afirma. Numa primeira fase, o capital social ser de 250mil euros, o valor mnimo exigido, e o clube j tem uma srie de investidores interessados ementrar para a SAD, adianta o presidente. O Campo de Futebol Joo Paulo II, do CDF, vai merecer oapoio da Federao Portuguesa de Futebol em 36 mil euros, no mbito de um programa de apoiopara a melhoria das infraestruturas e equipamentos dos estdios de 35 clubes da II diviso. Oprotocolo foi assinado no incio do ms e pretende melhorar as zonas de balnerios, postomdico e salas do recinto desportivo, shovelware onde jogam as equipas de formao do clubecidade santurio, num investimento total de 55 mil euros. H a possibilidade de trazer os jogosdo Ftima [do estdio municipal] para o Joo Paulo II. Ter a equipa a jogar na sua casa sempre oobjetivo, mas primeiro vamos melhorar as infraestruturas, justifica Srgio Frias. O campo temcapacidade para 1.450 adeptos sentados e zona de peo. Seis nomes, todos a cantar em portugus.Est fechado o cartaz do Alvaizere Capital do Chcharo, evento que congrega o antigofestival gastronmico e a feira de atividades do concelho. Anaquim, Azeitonas, Salto, JP Simes,Uxu Kalhus e Sebastio Antunes so os msicos que vo animar o certame, entre os dias 7 e 10 dejunho. A autarquia decidiu repetir a receita do ano passado e fundir o Festival Gastronmicodo Chcharo (que habitualmente decorria em outubro) e a Feira Agrcola, Florestal, Industrial,Pecuria e Artesanato (FAFIPA). Queremos manter a tradio mas, para reduzir custos, ajustmosos dois eventos na mesma altura, explica o vereador Francisco Gomes. Apesar de recusar, para j,revelar o oramento do Alvaizere Capital do Chcharo, Francisco Gomes garante que osgastos sero inferiores aos do ano passado. Mas a festa mantm-se nos mesmos moldes. Alm dosconcertos dirios, haver tasquinhas (dinamizadas pelas coletividades do concelho e onde ochcharo o ingrediente em destaque), exposies, animao de rua, teatro e msica popular,tourada, torneios de futebol e um encontro de colecionadores. Texto do jornalista Lus Mudos 8. Esta poder ser a ltima poca do Centro Desportivo de Ftima nas competies nacionais defutebol como clube. O emblema pretende passar a Sociedade Annima Desportiva (SAD), a partirda prxima poca, e vai propor isso mesmo aos scios em assembleia geral. Entendemos que temosque criar outras condies para o futebol snior, nomeadamente pela profissionalizao dofutebol, e a constituio de uma SAD o melhor caminho, explica Srgio Frias, presidente doclube. A jogar atualmente na II diviso nacional, escalo onde dever permanecer na temporada2013/2014, o Ftima no est obrigado a transformar-se numa sociedade desportiva, dado que acompetio no profissional. Contudo, Srgio Frias defende que o lugar do Ftima na IILiga, e vai lutar para subir de diviso. Logo, necessita de se estabelecer com esse regime jurdicoobrigatrio por lei. Mas no s. Hoje em dia, da forma como est a nossa economia, no fcilpara um dirigente, associativo ou no, conseguir cativar qualquer tipo de patrocnio. precisoolhar em frente e no ficar acomodado, afirma. Numa primeira fase, o capital social ser de 250mil euros, o valor mnimo exigido, e o clube j tem uma srie de investidores interessados ementrar para a SAD, adianta o presidente. O Campo de Futebol Joo Paulo II, do CDF, vai merecer oapoio da Federao Portuguesa de Futebol em 36 mil euros, no mbito de um programa de apoiopara a melhoria das infraestruturas e equipamentos dos estdios de 35 clubes da II diviso. Oprotocolo foi assinado no incio do ms e pretende melhorar as zonas de balnerios, postomdico e salas do recinto desportivo, shovelware onde jogam as equipas de formao do clubecidade santurio, num investimento total de 55 mil euros. H a possibilidade de trazer os jogosdo Ftima [do estdio municipal] para o Joo Paulo II. Ter a equipa a jogar na sua casa sempre oobjetivo, mas primeiro vamos melhorar as infraestruturas, justifica Srgio Frias. O campo temcapacidade para 1.450 adeptos sentados e zona de peo. Seis nomes, todos a cantar em portugus.Est fechado o cartaz do Alvaizere Capital do Chcharo, evento que congrega o antigofestival gastronmico e a feira de atividades do concelho. Anaquim, Azeitonas, Salto, JP Simes,Uxu Kalhus e Sebastio Antunes so os msicos que vo animar o certame, entre os dias 7 e 10 dejunho. A autarquia decidiu repetir a receita do ano passado e fundir o Festival Gastronmicodo Chcharo (que habitualmente decorria em outubro) e a Feira Agrcola, Florestal, Industrial,Pecuria e Artesanato (FAFIPA). Queremos manter a tradio mas, para reduzir custos, ajustmosos dois eventos na mesma altura, explica o vereador Francisco Gomes. Apesar de recusar, para j,revelar o oramento do Alvaizere Capital do Chcharo, Francisco Gomes garante que osgastos sero inferiores aos do ano passado. Mas a festa mantm-se nos mesmos moldes. Alm dosconcertos dirios, haver tasquinhas (dinamizadas pelas coletividades do concelho e onde ochcharo o ingrediente em destaque), exposies, animao de rua, teatro e msica popular,tourada, torneios de futebol e um encontro de colecionadores. Texto do jornalista Lus Mudos 9. #1Sector fragilizadoAmadorismoSubsdiodependnciaProximidade 10. #1Sector fragilizadoAmadorismoSubsdiodependnciaProximidade0100200300400500600700800Publicaes1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008AnoImprensa Regional beneficiria do Porte Pago (Fonte: GMCS) 11. #2Papel privilegiadoProduoComercializaoDistribuio 12. #2Papel privilegiadoProduoComercializaoDistribuio 13. #3Jornalismo minguadoRedacesRotinas de produoPlataformas 14. #3Jornalismo minguadoRedacesRotinas de produoPlataformas 15. #Cibermeios regionaisDistribuio por meiosPioneiros na imprensaEvoluo (1996-2012) 16. Cibermeios regionaisistribuio por meios nativosOs pioneiros na imprensaAs notcias nos ciberjornais 17. Cibermeios regionaisistribuio por meios nativosOs pioneiros na imprensaAs notcias nos ciberjornais 18. #Fases do ciberjornalismo de proximidadeImplementao (1996-1997)Reaco (1998-2006)Boom (2007-2008)Estagnao (2010...) 19. #Ciberjornais regionaisDistribuio por meiosPioneiros na imprensaEvoluo (1996-2012) 20. #O pioneiro na imprensa regionalDistribuio por meiosPioneiros na imprensaEvoluo (1996-2012) 21. #1ReinventarIdentidadeProduoDistribuio 22. #2CooperarMdiaUniversidadesCidados 23. #3InvestirPblicoProdutoresProduto 24. #mobileNovas plataformas, novos desafiosAoriano Oriental (2010)Tranposio de contedosResgate do pblico 25. Agradecido!about.me/pedrojeronimo#mcc #ciberjornalismo