choro, gestos, sorrisos - expressµes dos nossos bebes

Download Choro, gestos, sorrisos - Expressµes dos nossos bebes

If you can't read please download the document

Post on 09-Jul-2015

198 views

Category:

Education

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Trabalho realizado por uma aluna da escola D. Dinis. Trabalho de Psicologia

TRANSCRIPT

Choro, gestos, sorrisos Saiba as diferenas das expresses do beb!

E.S.D.DINISRealizado por:Patrcia Sousa N. 13Disciplina: Psicologia

2013 - 2014Choro, gestos, sorrisos Saiba as diferenas das expresses do beb!

Os gestos, o sorriso e as lgrimas so as nicas formas de expresso de um beb que apresenta at comear a falar.Com estas expresses sabemos mais ou menos diferenciar quando est com fome, medo ou dores.

A Linguagem (a forma mais elaborada da comunicao) exige uma aprendizagem muito longa. Mas antes desta forma de comunicar desenvolver-se j dispomos de um sistema de comunicao que permite o relacionamento com os outros.Muito antes de um beb comear a falar ele expressa-se utilizando gestos e sons que revelam o estado de esprito, reclamam a ateno e alertam para alguma coisa que possa estar mal.

O problema de alguns pais e familiares do beb nem sempre serem capazes de interpretar corretamente esta comunicao no-verbal. O instituto do beb NUK, em colaborao com algumas Faculdades espanholas, elaboraram um Guia da Expresso do Beb.

Atravs de uma amostra de cerca de 50 crianas com idades entre os quatro e os treze meses estudou-se a resposta de determinados estmulos com a anlise da expresso facial e vocal dos bebs. O objetivo principal era encontrar um padro especifico que ajudasse a distinguir as principais emoes relacionadas com uma determinada ao.

O Desenvolvimento Emocional:Quando nascemos no temos um reportrio emocional completo, bem pelo contrrio necessrio que os processos de amadurecimento e aprendizagem realizem o desenvolvimento das capacidades necessria que permitem que as emoes venham superfcie.

Entre os dois anos e meio e os trs a criana comea a tomar conscincia da sua identidade pessoal, ou seja, j percebe que um ser diferente e a partir desse momento pode comear a ter emoes sobre si mesmo, como a inveja, a empatia ou o constrangimento.Mais tarde as crianas aprendem as normas de um comportamento social e as suas emoes podem dizer respeito aos prprios atos, ao sentimento de orgulho, vergonha ou culpa.

Como distinguir as expresses do beb.A expresso facial um sistema que produz sinais ou informaes de quatro tipos: sinais faciais estticos (a aparncia), os sinais faciais lentos (as mudanas que ocorrem com o passar dos anos), sinais artificiais e sinais rpidos (as alteraes fsicas na atividade neuromuscular que podem levar a mudanas visveis na ao facial).

Estes ltimos so aqueles que nos interessam j que podem transmitir mensagens de vrios tipos: emoes, sinais de comunicao, aes ilustradoras que acompanham a ateno, o discurso e sinais de comunicao no-verbal.

As principais caractersticas que distinguem os sinais faciais rpidos envolvidos na expresso das emoes encontram-se nas mudanas que aparecem nos olhos, nas sobrancelhas, no nariz, nas bochechas, na boca, nos lbios e no queixo.

->Dor: uma das expresses faciais mais definidas e uniformes. Podemos identificar um rosto de dor num beb atravs da seguinte configurao: *Desce e junta as sobrancelhas; *Eleva as bochechas e reduz a abertura dos olhos; *Fecha os olhos; *Enruga o nariz; *Prolonga o canto da boca; *Abre a boca.

->Alegria: uma das emoes mais fceis de reconhecer:

*Eleva as bochechas e reduz a abertura dos olhos; *Mexe e separa os lbios; *Move o lbio inferior para baixo.

->Raiva:*Eleva a parte posterior das sobrancelhas,*Desce e contrai as sobrancelhas;*Eleva a plpebra inferior e reduz a abertura dos olhos;*Eleva o queixo;*Os lbios permanecem tensos, juntos e apertados;

-> Medo:*Levanta a parte interior das sobrancelhas e desce a exterior;*Eleva a plpebra superior;*Separa os lbios;*Maxilar fica cado;

-> Tristeza:

*Eleva a parte interior das sobrancelhas e desce as mesmas formando um tringulo;*Reduz a abertura da boca. A boca pode mesmo estar a tremer;*Eleva o queixo.

->Surpresa:

*Elevao da parte interior das sobrancelhas e da parte exterior;*Eleva a plpebra superior;*Maxilar cado e abertura da boca.

->Enjoo:

*Elevao das bochechas e uma reduo acentuada da abertura palpebral;*Nariz enrugado;*Elevao do queixo.

Os diferentes chorosO choro a primeira ferramenta de comunicao do beb. Desde o nascimento que este implica uma vocalizao caracterstica, expresses faciais e movimentao dos membros. Geralmente, o choro interpretado como um sinal de mal-estar e os pais tentam encontrar a causa para acabar com o sofrimento.

O choro um sinal e um sintoma que pode ser avaliado pelas suas mltiplas componentes: frequncia, durao, ritmo, intensidade e tom. Foram identificados seis tipos de choro: o de dor, de fome, de clicas, de incmodo, de aborrecimento e de desconforto emocional. -> Na maior parte das vezes o choro de fome breve, contnuo insistente e de um tom mdio. -> As crianas que tm clicas apresentam um choro muito persistente apesar das estratgias que se adotam para acalm-las. -> O aborrecimento expressa-se com lufadas de lgrimas. -> O sofrimento emocional expressado atravs de uma variedade de formas de choro que esto associadas a cada uma das respostas emocionais do beb

O choro pode parar mas voltar aos poucos e poucos. Depois de estar calma a criana pode apresentar soluos e uma respirao forte. Para alm disso, as crianas procuram os pais ou algum que as ajude e cuide delas.

Anlises acsticas do choro:Entre as diversas formas alternativas para estudar as emoes est o estudo acstico do choro. um processo de registo e anlise breve e no invasivo. A valorizao do choro nos bebs traz uma valiosa informao, no s sobre o estado emocional mas tambm sobre o estado neurolgico e mdico do beb.

De acordo com os estudos realizados at agora, os parmetros anormais registados em anlises acsticas ao choro podem revelar qualquer patologia no beb. Diversas variaes nas caractersticas do choro ajudaram a identificar: Sndrome de Down, Encefalite, Meningite e Leses cerebrais.

Sndrome de DownEncefalitesLeso CerebralMeningite

Um estudo feito em 2007 analisou os padres acsticos de dois grupos. Um grupo de crianas com casos de morte sbita de um grupo formado por crianas com baixo risco de morte sbita. Os autores concluram que a anlise ao choro pode ser til como marcador de diagnstico para identificar as crianas com alto risco de sofrerem uma morte repentina.

O diagnstico feito atravs de anlises acsticas do choro est ainda por explorar e por utilizar num contexto clnico. No entanto, sabe-se que tem vrias utilizaes, como por exemplo avaliar a mensagem que transmite o choro (o que permite reforar a segurana do beb e aumentar os vnculos afetivos entre este e os pais).

Informao:http://www.todopapas.com.pt/bebe/cuidados-com-o-bebe/choro-gestos-sorrisos-saiba-diferenciar-as-expressoes-do-bebe-2910

Imagens:Google.