cheiro literatura dissertação.pdf

Download Cheiro literatura dissertação.pdf

Post on 08-Feb-2016

7 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Pontifcia Universidade Catlica do Rio Grande do Sul F a c u l d a d e d e L e t r a s

    P r o g r a m a d e P s - G r a d u a o e m L e t r a s

    O CHEIRO DAS PALAVRAS:

    O OLFATO NA NARRATIVA LITERRIA

    Cristina Gomes

    Porto Alegre, fevereiro de 2009.

  • 2

    Pontifcia Universidade Catlica do Rio Grande do Sul F a c u l d a d e d e L e t r a s

    P r o g r a m a d e P s - G r a d u a o e m L e t r a s

    O CHEIRO DAS PALAVRAS: O OLFATO NA NARRATIVA LITERRIA

    Cristina Gomes

    Prof. Dr. Luiz Antonio de Assis Brasil Orientador

    Dissertao apresentada como requisito parcial para obteno do grau de Mestre em Letras, rea de concentrao Teoria da Literatura, eixo Escrita Criativa, pelo Programa de Ps-Graduao da Faculdade de Letras da Pontifcia Universidade Catlica do Rio Grande do Sul

    Instituio depositria: Biblioteca Central Irmo Jos Oto

    Pontifcia Universidade Catlica do Rio Grande do Sul

    Porto Alegre, fevereiro de 2009.

  • 3

  • 4

    AGRADECIMENTOS

    Ao meu orientador, Luiz Antonio de Assis Brasil, pela confiana, pelo conhecimento

    compartilhado e por estar sempre l.

    minha amiga Daniela Pinheiro Machado Kern, por ter dito: agora tu no tens escapatria

    e por todo o companheirismo e generosidade intelectual.

    Aos meus incomparveis, corajosos e apaixonantes pais, Clcio Gomes e Maria Isabel

    Gomes, por tudo que me ensinaram e por tudo que so.

    Ao meu irmo Abelardo Antnio Gomes Neto, por saber voar e fazer com que os outros

    queiram ir junto.

    minha irm, Patrcia Coelho, por estar perto da minha alma.

    Ao meu segundo irmo, Marcelo Esteves, por ser to diferente e to parecido e por estar no

    meu caminho livre e eternamente.

    Mara Vieira Motta por ser fundamental nos ltimos meses.

  • 5

    DEDICATRIA Ao meu amado, ao meu cais, ao meu primeiro leitor,

    Rafael Meira de Figueiredo, por me inspirar sempre o

    melhor.

    minha filha Maya, por seu esprito livre, por saber

    querer e por me levar at o horizonte mais longnquo.

  • 6

    Cheiro: propriedade que tm certos corpos de emanar partculas volteis capazes de afetar os rgos olfativos do homem e de certos animais, e cuja percepo manifesta-se em sensaes diversas.

  • 7

    (...) E seria cruel demais para mim lembrar agora que cheiro era esse,

    aquele, bem na curva onde o pescoo se transforma em ombro, um lugar onde

    o cheiro de nenhuma pessoa igual ao cheiro de outra pessoa.

    Caio Fernando Abreu

  • 8

    SUMRIO INTRODUO..............................................................................................................11 1. O CHEIRO DAS PALAVRAS.................................................................................14 2. A RUA DAS LARANJEIRAS..................................................................................41 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS......................................................................115 CURRICULUM VITAE..............................................................................................116

  • 9

    RESUMO

    Este trabalho, de natureza terica e criativa, pretende realizar uma investigao para

    uma teoria do olfato na literatura. Para isso, deve analisar em que situao encontra-se a

    narrativa contempornea quando lida com o olfato. Que papel desempenha o sentido do olfato

    na literatura? Quais so os mtodos de escrita sobre o olfato? Como pode o cheiro ser

    capturado no papel? O trabalho consiste de um captulo terico seguido da novela literria A

    Rua das Laranjeiras.

    Palavras-chave: Olfato. Cheiros. Narrativa literria.

  • 10

    RSUM

    Ce travail, de nature thorique et crative, se propose poursuivre une recherche pour

    une thorie de l'odorat dans la littrature. Pour cela, on doit analyser dans quelle situation se

    trouve le rcit contemporain lorsqu'il est lu avec l'odorat. Quel est le rle du sens de l'odorat

    dans la littrature ? Quelles sont les mthodes de l'crit propos de l'odorat ? Comment peut-

    on percevoir l'odeur sur le papier ? Le travail est compos d'un chapitre thorique suivi de la

    nouvelle littraire La rue des orangers.

    Mots-cls: Odorat. Odeurs. Rcit littraire.

  • 11

    INTRODUO

    Hortel, caf torrado, grama molhada, mofo, noz-moscada, leite azedo, laqu,

    hlito. Sabe-se que o homem capaz de sentir mais de 400 mil odorantes, capaz tambm de

    sentir um aroma completamente novo, ou seja, um aroma que ainda no tenha sido produzido

    de forma natural ou artificial. O que no se sabe como ns sentimos os cheiros. O olfato

    considerado o sentido mais primitivo e tambm mais desconhecido pela cincia. No sculo

    passado, mais de quarenta teorias diferentes foram formuladas a respeito do funcionamento

    desse sentido. Em 2004, o Prmio Nobel de Medicina foi concedido para uma cientista que

    decifrou as protenas do olfato (BURR, 2006, p. 7). Mas h ainda uma infinidade de perguntas

    sem respostas. Se para o homem e para cincia o sistema olfativo ainda permanece um

    mistrio indecifrvel diferente de sentidos como viso e audio - o que acontece quando

    este mundo enigmtico e complexo passa para o plano literrio?

    Em Making sense: sense perception in the British novel of the 1980s and

    1990s, o alemo Ralf Hertel lana algumas questes sobre o olfato na literatura. Para o terico

    literrio, o olfato um outsider da literatura: o embaraoso, malcheiroso parente na famlia

    das respeitveis percepes sensoriais literrias 1. Hertel destaca que o cheiro aparece como o

    lado irracional dos seres humanos. Aparece em seu duplo sentido: possuir um cheiro

    mostrar ter uma qualidade existencial de humanidade, e a percepo dos cheiros a ponte

    para o subconsciente e irracional (2005, p. 126). Hertel tambm levanta a dificuldade de

    transformar a percepo subjetiva de um cheiro em palavras. Destaca que h palavras para

    1 Os trechos citados do captulo The smell of the text foram traduzidos por Daniela Kern a pedido da autora.

  • 12

    formas, cores, sons ou gostos, mas que carecemos de termos que descrevam cheiros: O mais

    comum que se lance mo das linguagens da msica ou do gosto; falamos sobre harmonias

    de fragrncias, suas composies ou notas, de aromas doces, amargos, temperados ou

    frutados (2005, p. 126).

    Levando todas essas questes em considerao, pretendemos investigar em

    que situao encontra-se a narrativa contempornea quando lida com o olfato. Que papel

    desempenha o sentido do olfato na literatura? Quais so os mtodos de escrita sobre o olfato?

    Como pode o cheiro ser capturado no papel?

    Este trabalho, inscrevendo-se no eixo Escrita Criativa do Mestrado em Teoria

    da Literatura do Programa de Ps-Graduao da Faculdade de Letras da PUCRS, prope-se a

    fazer uma investigao para uma teoria do olfato na literatura e tambm uma articulao entre

    essa reflexo terica e a criao artstica. Na primeira parte do trabalho, atravs de um ensaio

    terico, vamos abordar a questo do olfato na narrativa literria. O romance O perfume do

    escritor alemo Patrick Sskind; a obra Making sense: sense perception in the British novel of

    the 1980s and 1990s de Ralf Hertel; O cheiro das coisas: o sentido do olfato: paladar,

    emoes e comportamentos de Bettina Malnic e O imperador do Olfato: uma histria de

    perfume e obsesso de Chandler Burr serviro de apoio terico fundamental. Neste espectro

    de obras, ainda vale destacar que a escolha da obra ficcional O perfume se deve a dois fatores

    principais: o tema sobre o qual o escritor se debrua e a contemporaneidade da publicao.

    Na segunda parte do trabalho, ser apresentada a novela literria A Rua das

    Laranjeiras. A obra traz em seu cerne algumas questes levantadas no ensaio terico. O

    processo de criao da novela se constituiu antes e ao longo da pesquisa e da elaborao do

    ensaio terico. A questo do olfato est incrustada em toda obra literria, seja na

    caracterizao das personagens (na forma como cada uma sente os cheiros, na forma como

  • 13

    cada uma exala ou no cheiros) ou nas tentativas diversas de descrio dos aromas que

    surgem na histria.

    Ao final deste trabalho, pretende-se contribuir, de alguma forma, com a

    investigao sobre o processo criativo e a teoria sobre o a criao literria.

  • 14

    Inspire e expire : o problema do olfato

    Ao definir como tema central deste trabalho o sentido do olfato na literatura,

    imediatamente surgiram algumas particularidades para a realizao da pesquisa. Como

    particularidade central, podemos destacar a impossibilidade de entrar direta e livremente na

    questo literria sem trazer tona algumas informaes e questionamentos sobre a parte

    fisiolgica e qumica do processo olfativo. Vale destacar tambm a falta de bibliografia geral

    ou detalhada sobre o sentido do olfato seja na rea biolgica ou na rea literria. por esta

    razo que resolvemos aprofundar a pesquisa deste ensaio terico lanando mo de duas obras

    da biologia molecular: O cheiro das coisas o sentido do olfato: paladar, emoes e

    comportamentos, de Bettina Malnic e O imperador do Olfato: uma histria de obsesso e

    perfume, de Chandler Burr (ambas lanadas h menos de quatro anos no mercado editorial

    brasileito). As duas obras vo servir como guias, como ferramentas para auxiliar no