CEMITÉRIOS COMO FONTES POTENCIAS DE CONTAMINAÇÃO

Download CEMITÉRIOS COMO FONTES POTENCIAS DE CONTAMINAÇÃO

Post on 06-Aug-2015

267 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

UNIVERDIDADE DE PERNAMBUCO ESCOLA POLITCNICA DE PERNAMBUCO ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA AMBIENTAL

CEMITRIOS COMO FONTES POTENCIAS DE CONTAMINAO

RECIFE, NOVEMBRO DE 20111

UNIVERDIDADE DE PERNAMBUCO ESCOLA POLITCNICA DE PERNAMBUCO ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA AMBIENTAL

Cemitrio como fontes potenciais de contaminao

Trabalho apresentado pelos discentes do curso de Engenharia Civil da Escola Politcnica de Pernambuco como requisito para composio da nota do 2 Exerccio Escolar da disciplina de Geotcnica Ambiental, ministrada pela Profa. Dra. Stela Fucale.

RECIFE, NOVEMBRO DE 20112

Sumrio1. 2. 3. Introduo.............................................................................................................. 6 Objetivo ................................................................................................................. 8 Reviso de Literatura............................................................................................. 9 I. Princpios de transporte e disperso no solo A movimentao do necrochoorume no solo. ............................................................................................ 9 II. Transmisso de organismos patognicos .......................................................... 9 III. Riscos sade decorrentes da utilizao de gua contaminada .................. 10 IV. Impactos causados por necrochorume ......................................................... 10 4. Os cemitrios atravs dos tempos Um breve histrico...................................... 11 5. O necrochorume .................................................................................................. 12 I. Definies ........................................................................................................ 12 II. O processo de formao do contaminante ....................................................... 12 III. Caracterizao do contaminante .................................................................. 12 6. A contaminao por necrochorume ..................................................................... 14 I. Do solo ............................................................................................................. 14 II. Das guas subterrneas .................................................................................. 15 III. Das guas superficiais .................................................................................. 16 7. Resoluo CONAMA n335 ................................................................................. 16 I. Normas e definies......................................................................................... 17 8. Tecnologias de Remediao................................................................................ 18 9. Casos Estudados................................................................................................. 19 I. Cemitrio da Vrzea......................................................................................... 19 II. Cemitrio Memorial Guararapes....................................................................... 23 10. Consideraes Finais ....................................................................................... 23 I. Tecnologias Inovadoras ................................................................................... 23 II. Custos .............................................................................................................. 23 11. Concluses ...................................................................................................... 23 12. Referncias Bibliogrficas ................................................................................ 24

3

Lista de quadrosQuadro 1 - Exemplo de dados aplicados ...................................................................... 6 Quadro 2 - Composio aproximada do necrochorume do corpo de um homem adulto de 70 kg ...................................................................................................................... 13

4

Lista de FigurasFigura 1 - Constituio do necrochorume ..................................................................... 7 Figura 3 - A distribuio da gua no solo produzindo zonas distintas ......................... 14 Figura 4 - Vulnerabilidade das reas dos cemitrios contaminao ambiental......... 15 Figura 5 - Risco de contaminao das guas subterrneas por necrochorume .......... 16 Figura 6 - Localizao do cemitrio e sua proximidade com o Rio Capibaribe ............ 20 Figura 7 - Cova do tipo rasa e gavetas no cemitrio da Vrzea .................................. 20 Figura 8 - Cova sendo aberta para sepultamento no cemitrio da Vrzea .................. 21 Figura 9 - Mapa potenciomtrico do cemitrio da Vrzea ........................................... 22

5

1. IntroduoEm pocas antigas se pensava que os gases liberados dos cadveres que estavam dispostos nos cemitrios poderiam contaminar as pessoas que o inalassem com a mesma doena que veio a ser a causa do bito do individuo enterrado. Anos a frente viu-se que nada disso acontecia, a explicao cientifica estivera na decomposio do corpo humano, que ao ocorrer libera gases e lquidos para o ambiente. Essa liberao de gases e lquidos causa a contaminao do solo onde esta localizado o cemitrio, em outras palavras, uma grande carga orgnica e outros compostos presentes no corpo humano alcana o meio ambiente envolta, podendo causar danos irreparveis (WHO, 1998). Os cemitrios nada mais so do que depsito de corpos humanos, que necessitam de uma destinao correta, pois a degradao dos mesmos pode se constituir em focos de contaminao. A decomposio dos corpos depende das caractersticas fsicas do solo onde o cemitrio est implantado ou ser implantado. O crescimento populacional tem gerado a necessidade de construo de mais cemitrios, sendo que existem locais totalmente inadequados utilizados com tal finalidade. Devido a falta de planejamento e metodologia adequada, cemitrios que se situavam em locais distantes das cidades, hoje fazem parte dela, propiciando o aparecimento de reas de risco potencial ao meio ambiente. O Necrochorume o liquido resultante da decomposio do cadver humano ao longo do tempo. Apresenta uma densidade mdia de 1,23 g/cm, a relao entre o volume de necrochorume produzido e o peso do corpo de uma pessoa igual a 0,6 l/Kg. PESO (Kg) 70 65 60 55 75 50

PESSOA Emmanuel Rosiane Nathalia Luane Rogrio Annima

QUANTIDADE DE NECROCHORUME (L) 42 39 36 33 45 30

Quadro 1 - Exemplo de dados aplicados Fonte: Rogrio Antonio

6

Figura 1 - Constituio do necrochorume Fonte: Carneiro, 2008

O conhecimento da mobilidade do necrochorume no solo fundamental para saber para qual meio fsico o contaminante vai percolar: solo ou aquoso. Para isso necessrio analisar no apenas o lquido, mas tambm o tipo de solo onde est instalado o cemitrio. Quando o necrochorume alcana o aqfero subterrneo ele contamina a gua que pode estar sendo usada como fonte de gua potvel. Se pessoas desinformadas beberem a gua contaminada podem pegar patogenias graves como a febre tifide, hepatite A, ttano, tuberculose e outras. Diante desta problemtica, torna-se necessrio um estudo que avalie o impacto gerado por estas fontes poluidoras. As pesquisas sobre a contaminao por necrochorume e suas propriedades fsicoqumicas so muito escassas o que dificulta a melhor compreenso do fenmeno.

7

2. ObjetivoEste trabalho tem por objetivo estudar os impactos gerados pela localizao de cemitrios em meio urbano, particularmente no que diz respeito s guas subterrneas de forma a complementar o assunto abordado em sala de aula pela professora Stela fucale de forma a enriquecer o curso quanto aos vrios tipos de contaminantes do solo e da gua subterrnea, entres as fontes de contaminao que armazenam substncia descartes no planejadas. So enfatizados no trabalho os riscos de sade pblica representados pela contaminao das guas subterrneas de reas de cemitrios. So feitas recomendaes sobre os critrios de ordem geolgica e hidrogeolgica que devem ser levados em conta quando da implantao dos mesmos. So ainda apresentados aspectos da legislao existente sobre o assunto.

8

3. Reviso de LiteraturaI. Princpios de transporte e disperso no solo A movimentao do necrochoorume no solo.

O projeto, a construo, a operao e manuteno imprprias das sepulturas do cemitrio podem provocar problemas ao ambiente, em decorrncia da infiltrao do necrochorume do solo gua do subsolo. A infiltrao o processo mais importante de recarga de gua no subsolo, o volume e a velocidade de infiltrao dependem de vrios fatores (HIRATA, 2009) intrnsecos ao solo, como a sua estrutura e porosidade, e ao relevo local. Alm da fora gravitacional e das caractristicas dos solos, sedimentos e rochas, o movimento da gua no subsolo controlado tambm pela fora de atrao molecular e pela tenso superficial (HIRATA, 2009). Solos arenosos possuem gros maiores e consequentemente reas superficiais menores. Isto implica que no possuem capacidade de reter gua ou contaminante em seus interstcios. O solo argiloso consegue reter lquido, pois seus gros so muito pequenos e sua rea superficial maior, onde as molculas do lquido conseguem ficar sorvidas. Para retirar gua ou contaminante de solos argilosos necessria uma presso maior do que em solos arenosos. Isto explicado pela capilaridade existente no solo argiloso interstcio mais fino gera maior presso de reteno (CARNEIRO, 2008). A preocupao com a poluio das guas subterrneas se refere, fundamentalmente, aos aqferos no confinados, e em menor grau, aos aqferos confinados. O principal motivo de preocupao consiste nos elementos patognicos excretados como as bactrias e vrus e podem ser transportados atravs da percolao dos efluentes, desde os sistemas sanitrios locais at os aquferos, (Lewis et al., 1986 apud FUNASA, 2007). O contaminante, de uma maneira geral, ao entrar no solo sofre algumas reaes que podem ret-lo, deix-lo passar livremente ou atenu-lo no meio slido. O comportamento do contaminante depende de suas propriedades fsico-qumicas e do meio onde foi derramado. A mobilidade do poluente no solo medida pela condutividade hidrulica do mesmo. A condutividade hidrulica depende do peso molecular e densidade do poluente e significa a velocidade de infiltrao em solo saturado. No existem grandes quantidades de pesquisas que estudam o comportamento do necrochorume no solo. sabido apenas que sua densidade maior que a da gua. Isto favorece a infiltrao pelo solo at atingir o aqufero subterrneo (CARNEIRO, 2008). A chuva ajuda a percolao e infiltrao do necrochorume no solo at atingir o aqufero. Com a chuva, a carga hidrulica maior sobre o solo o que aumenta a velocidade de infiltrao. Quanto mais rpido o contaminante atravessar o solo, menos tempo ter para ser degradado e adsorvido pelo solo. O necrochorume quando no interior do aqfero pode ser dissolvido (a depender da solubilidade), carreado no sentido de fluxo do aqfero ou se depositar na camada inferior impermevel do mesmo. Apesar da densidade do necrochorume ser maior que a da gua (d = 1,23 g/cm), seu valor no to elevado a ponto de todo o poluente atravessar o aqfero at sua camada impermevel. Com isto, parte do necrochorume dever ser carreada com o aqufero no sentido do fluxo da gua e ser espalhado pela regio (CARNEIRO, 2008).

II.

Transmisso de organismos patognicos

9

Bactrias e vrus podem ser transportados pela percolao do efluente para a gua subterrnea e, se ingeridos, estes organismos podem causar infeces. O contgio ou no do indivduo depender da concentrao e persistncia do organismo patognico nas guas subterrneas e da dose infecciosa necessria para iniciar as doenas, (Lewis et al., 1986 apud FUNASA, 2007). Os vrus presentes no necrochorume ficam adsorvidos nos gros de argila, dificultando sua chegada ao aqufero. Porm em solos arenosos e cascalhos, os vrus podem alcanar longas distncias (CARNEIRO, 2008). Outros contaminates bastante comuns nas guas subterrneas so os microorganismos patognicos, incluindo as bactrias e os vrus. Para a medio de qualidade da gua tanto superficial quanto subterrnea, usado o padro de contagem de coliformes. Embora estas bactrias sejam inofensivas ao homem, elas so usadas devido a sua grande abundncia nas fezes de animais (HIRATA, 2009).

III.

Riscos sade decorrentes da utilizao de gua contaminada

A contaminao por necrochorume pode ser pelo aumento da carga orgnica no meio ambiente, que desencadeia uma srie de alteraes prejudiciais harmonia do ecossistema, ou pode ser ainda pela disseminao de microrganismos patognicos como vrus e bactrias (CARNEIRO, 2008). As doenas relacionadas ao uso da gua de poos contaminados podem ser divididas entre as causadas por agentes biolgicos tais como organismos patognicos e as causadas por substncias qumicas (FUNASA, 2007). Dentre as substncias qumicas o nitrato o de mais fcil ocorrncia nos aquferos, a grnade preocupao ambiental associada a este composto est na sua grande mobilidade e persistncia em condies aerbicas, os metais pesados possuem baixa mobilidade, que faz com que passem mais tempo no meio. Todavia, nos pases em desenvolvimento, as doenas oriundas de contaminao qumica so muito menos frequentes do que as primeiras, que, na verdade, constituem a maior causa de doenas e mortes. Alguns casos histricos de sade pblica relacionados ao necrochorume, aconteceram em Berlim que entre os anos de 1863 e 1867 ocorreu uma epidemia de febre tifide, um caso grave de contaminao do solo por bactrias gerando muitos casos de infeces gastrointestinais, no Brasil j foram detectados em aquferos subterrneos presena de coliformes totais, fecais, estreptococos fecais. De uma forma geral causam doenas de veiculao hdrica: ttano, febre tifide e paratifide, intoxicao alimentar, hepatite A.

IV.

Impactos causados por necrochorume

Os cemitrios podem ser fonte geradora de impactos ambientais. A localizao e operao inadequadas de sepultamentos em meios urbanos podem provocar a contaminao de mananciais hdricos por microorganismos que se proliferam do processo de decomposio dos corpos. Se o aqfero for contaminado na rea interna do cemitrio, esta contaminao poder fluir para regies prximas, aumentando o risco para a sade das pessoas que venham a utilizar da gua captada dos poos rasos e poos tubulares. O impacto depende de vrios fatores: condies metereolgicas locais (precipitao, umidade, temperatura, etc); a geologia e geomorfologia; condies de operao do cemitrio (sepultamento direto no solo ou impermeabilizao da sepultura); topografia (rea e perfil do terreno); caractersticas do solo (determina a condutividade hidrulica); hidrogeologia (comportamento do lenol fretico). Depois de morto, o corpo humano se transforma. Passa a ser um ecossistema de populaes formado por artrpodes, bactrias e outros microorganismos

10

patognicos, degradadores de matria orgnica e outros, podendo pr em risco o meio ambiente e a sade pblica. Por estarem muito prximos aos centro...

Recommended

View more >