celebridades e paradigmas fotográficos: apropriações de ...· celebridades e paradigmas...

Download Celebridades e paradigmas fotográficos: apropriações de ...· Celebridades e paradigmas fotográficos:

Post on 19-Sep-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Celebridades e paradigmas fotogrficos: apropriaes de imagens na web1

    Camila Cornutti2

    Resumo

    O artigo prope fazer um retrospecto breve sobre o conceito de celebridades ao longo do

    tempo, alm de expor suas angulaes de estudo a partir de Rojek (2008). Em seguida,

    expe-se os trs paradigmas fotogrficos propostos por Santaella e Nth (2001), ligando

    o terceiro paradigma, ps-fotogrfico, s apropriaes de imagens das celebridades no

    contexto da web de modo a problematizar como tais apropriaes tem conferido um

    novo status de visibilidade a estas figuras.

    Palavras-chave: celebridades; paradigmas fotogrficos; apropriaes; imagem; web.

    Introduo

    Ao nos darmos conta do uso cotidiano que fazemos da internet, nota-se,

    constantemente, a presena de imagens de celebridades que so, de algum modo,

    apropriadas e rapidamente curtidas, comentadas, replicadas ou compartilhadas por muitas

    pessoas em sites de rede social, como Facebook e Twitter e tambm em blogs, tumblrs e

    sites. Lidar com este reconhecimento o que se procura dar nfase neste artigo, tendo em

    vista, sobretudo, abordar um grupo de imagens especficas (vinculadas ao paradigma ps-

    fotogrfico), e que se tornam bastante relevantes devido ao lugar que atualmente as

    celebridades tendem a ocupar - tanto na mdia, como em conversas que fazem parte do

    dia-a-dia e no prprio ambiente digital.

    Ao longo do tempo vem-se tendo condies de perceber uma srie de apropriaes

    de imagem das celebridades, em distintos veculos de comunicao: um programa

    humorstico, uma charge em um jornal, um spot de rdio, uma fotomontagem em uma

    revista etc. O que na contemporaneidade se configura de um modo distinto e pode

    provocar e mobilizar a questo de se perguntar o que que a internet imanta, magnetiza,

    1 Artigo apresentado no Eixo 5 Entretenimento Digital do VII Simpsio Nacional da Associao Brasileira de

    Pesquisadores em Cibercultura realizado de 20 a 22 de novembro de 2013. 2 Doutoranda do PPGCOM/UFRGS (linha de pesquisa Informao, Redes Sociais e Tecnologias). Mestre em Cincias

    da Comunicao pela Unisinos. Integrante do Laboratrio de Interao Mediada por Computador (LIMC/UFRGS).

    Bolsista CAPES. E-mail: camilacor@gmail.com

    mailto:liesenbergs@gmail.com

  • propicia, facilita e impulsiona para que agora apropriaes deste tipo aconteam de forma

    to recorrente a acentuada.

    A chave aqui abordar a questo das celebridades associadas aos trs paradigmas

    fotogrficos propostos por Santaella e Nth (2001) e ligando as apropriao de imagens

    das celebridades ao contexto da web. Sob o vis do entretenimento digital, acredita-se

    que pensar nestas coisas hoje faz sentido a partir da constatao emprica de que

    possivelmente nunca estivemos to cercados de celebridades e de questes apontadas e

    pautadas para e por elas.

    Sobre as celebridades e sua relevncia na contemporaneidade

    Morin como um dos autores que pioneiramente aborda a temtica das celebridades

    e, na verdade, faz pensar a partir do ponto de partida dos olimpianos, termo cunhado

    por Henry Raymond segundo o prprio Morin indica. A partir deste autor, se

    compreende que o conceito de olimpianos tem origem grega e se refere aos deuses do

    (Monte) Olimpo. No caso dos novos olimpianos, estes so as figuras da atualidade a

    quem so atribudos visibilidade, culto e credibilidade. Ainda para Morin (1997, p. 106),

    a imprensa de massa, ao mesmo tempo que investe os olimpianos de um papel

    mitolgico, mergulha em suas vidas privadas a fim de extrair delas a substncia humana

    que permite a identificao.

    Morin (1989) tambm faz uma grande retrospectiva para entender o que seria a

    estrela, partindo das vedetes de teatro, passando pelo contexto do momento do cinema

    em que os nomes dos intrpretes tornaram-se mais fortes do que os nomes dos

    personagens, at a compreenso das primeiras dcadas do sculo XX em que o

    contedo, a direo e a publicidade gravitavam ao redor da estrela. A partir da, expe a

    construo de importncia dos grandes arqutipos que polarizam as telas do cinema (as

    vamps, as femme fatales, o heri cmico, de aventura, o heri do amor, etc.), aponta que

    os filmes foram se tornando mais complexos ao longo do tempo (vrios gneros podendo

    ser percebidos em um mesmo filme) e com isso os arqutipos indicados anteriormente

    vo se desfazendo, cedendo lugar a figuras mltiplas. Nesta genealogia, Morin (1989)

    elucida que neste perodo de tempo, aproximadamente depois dos anos 30, que se passa

    a ter acesso vida privada das estrelas. Para ele, desde ento as estrelas participam da

  • vida privada quotidiana dos mortais. No so mais astros inacessveis, mas mediadores

    entre o cu da tela e a Terra (MORIN, 1989, p.20).

    O autor concebe que florescem da as possibilidades de f-clubes, revistas,

    fotografias, correspondncias de fs num movimento que institucionaliza todo o fervor

    em torno destas figuras. Neste fervor, Morin (1989) deixa claro que a definio que faz

    das estrelas compreende que estas s esto presentes em produes que tenham poderosos

    recursos econmicos e normalmente interpretam a si mesmas, o que ajuda a melhor

    definir o conceito de estrelas. Alm disso, o terico faz a associao do dolo, que

    sempre um referencial para o seu f, com a indstria cultural na medida em que esta se

    aproveita da necessidade de nos projetarmos em mitos e transforma a tudo que envolve o

    nome dos dolos em mercadoria.

    Este movimento que institucionaliza o que circunda as estrelas pode ser entendido

    na relao com o conceito de star system, definido por Morin (1989), considerando,

    sobretudo, esta construo de imagem envolvida e sustentada por um forte poder

    econmico. Algo a se trazer como pauta o que Herschmann e Pereira (2005) indicam

    ao dizer que

    Ao lado do star system tradicional que lana gals e atrizes, vemos

    surgir na mdia uma infinidade de celebridades que aparentemente no

    dependeram de nenhum mrito especial para alcanar a fama. o que

    revela o sucesso alcanado por uma constelao de estrelas como

    Adriane Galisteu, Roberto Justus, Vera Loyola, Sacha, Tiazinha, Paulo

    Zulu e tantos outros. (HERSCHMANN; PEREIRA, 2005, p.49)

    Neste caminho, outro autor que cria categorizaes e que possibilita instituir

    diferenas entre o perodo das estrelas do cinema e o contexto contemporneo das

    celebridades Chris Rojek (2008). Ele afirma que:

    O despontar da celebridade como uma preocupao pblica resultado

    de trs grandes processos histricos inter-relacionados. Primeiro, a

    democratizao da sociedade; segundo, o declnio da religio

    organizada; terceiro, a transformao do cotidiano em mercadoria.

    (ROJEK, 2008, p.15)

    Rojek (2008) traz definies mais concretas acerca do termo celebridade (que tem

    a raiz latina celebrem que por sua vez traz conotaes tanto de fama quanto de estar

    aglomerado), de maneira que associa celebridade a um pblico, e reconhece a natureza

    volvel, temporria, do mercado de sentimentos humanos (ROJEK, 2008, p. 11). A

  • partir disso, desdobra questes fundamentais sobre o tema, como diferir o glamour e a

    notoriedade (o primeiro aliado noo de um reconhecimento pblico favorvel e o

    segundo, pelo contrrio, agregado a um reconhecimento pblico desfavorvel), abordar a

    concepo de que as celebridades so sim fabricaes culturais, discutir que a celebridade

    sempre vai implicar em uma forte discusso entre o pblico e o privado, alm de instituir

    distines entre celebridade, notoriedade e renome. Este ltimo, para ele, refere-se

    atribuio informal de distino a um indivduo dentro de uma determinada rede de

    relacionamentos sociais (ROJEK, 2008, p. 14).

    Uma organizao importante proposta por Rojek (2008), e que ser utilizada nas

    anlises deste trabalho, diz respeito s variantes de status de celebridade, quais sejam:

    a) celebridade conferida - que tem uma relao com linhagem, o status decorre

    da linha de sangue (ROJEK, 2008, p. 20). Aqui, cita-se como alguns

    exemplos o Prncipe George Alexander Louis, o novo membro da Famlia

    Real inglesa, ou mesmo a menina Sasha, filha da apresentadora Xuxa;

    b) celebridade adquirida - aquelas celebridades que assim o so em funo de

    suas conquistas artsticas ou esportivas, tais como Roberto Carlos ou o jogador

    Neymar;

    c) celebridade atribuda - Rojek entende que a celebridade adquirida no fica

    exclusivamente associada a estes aspectos citados anteriormente, pois em

    muitos casos ela vai ser resultado de concentrada representao de um

    indivduo como digno de nota (ROJEK, 2008, p. 20) por meio de seus

    intermedirios culturais. Nestes casos ele considera que esta uma celebridade

    atribuda.

    Por fim, o autor ainda colabora com a criao de mais dois tipos especficos. Um

    deles o celetide, um termo que ele utiliza para qualquer forma de celebridade

    atribuda, comprimida e concentrada (ROJEK, 2008, p. 23). No entanto, ele distingue

    celetide e celebridade, tendo o entendimento de que, de modo geral, a celebridade possui

    uma carreira mais longa. Alguns exemplos possveis para identificao dos celetides

    seriam aqueles que ganham na loteria, aqueles que fazem um sucesso efmero e logo

    desaparecem, aqueles que tm ateno da mdia por um instante e logo j caem no

    esquecimento, descartados como possibilidade de gerarem con