Catia bartolomeu mundo actual

Download Catia bartolomeu mundo actual

Post on 02-Nov-2014

959 views

Category:

Art & Photos

2 download

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. O Mercosul, conhecido como o Mercado Comum do Sul a unio alfandegria(livre comrcio intrazona e poltica comercial comum) de cinco pases da Amrica doSul.Comearei por falar na sua criao, nas etapas e avanos, nos conflitos entre o Brasil eArgentina , aprofundando algumas das questes.</li></ul><p> 2. A Amrica do Sul foi, ao longo de cinco sculos, palco das mais violentas batalhasdo continente americano. Desde a chegada dos espanhis e portugueses aocontinente, a Bacia do Prata foi cenrio das disputas luso-espanholas por territrio(o territrio que hoje o Uruguai j foi espanhol, portugus, novamente espanhole brasileiro). Entretanto, ao mesmo tempo, nesta regio situam-se captulosfundamentais da emancipao poltica e econmica dos futuros scios doMercosul .Durante os sculos XVI e XVII, a Espanha organizou o sistema comercial de suascolnias em torno do esquema de "frotas e galees", autorizando somente a algunsportos o direito de enviar ou receber mercadorias originrias dessas colnias. Paracidades como Buenos Aires, fundada em 1580, esse sistema ameaava odesenvolvimento econmico da regio. Para enfrentar esse confinamentoeconmico, a populao de Buenos Aires percebeu a nica sada possvel: ointercmbio comercial (ainda que ilegalmente) com o Brasil. Esse foi o incio deuma relao que estava destinada a crescer cada vez mais. 3. No sculo XIX, o processo de emancipao poltica da Amrica do Sul acentuou oscontrastes existentes entre os pases da regio. Neste perodo, ocorreramimportantes captulos da histria do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Bastacitar a Guerra da Cisplatina, a independncia da Repblica Oriental do Uruguai,Guerra Grande uruguaia, a Revoluo Farroupilha, a disputa entre unitrios efederalistas na Argentina e a Guerra do Paraguai: alianas, intervenes e conflitosque forjaram o contexto histrico de formao dos estados nacionais platinos.Em 1941,em plena Segunda Guerra Mundial, pela primeira vez, Brasil e Argentinatentaram a criao de uma Unio Aduaneira entre as suas economias. Porm, issono se concretizou devido s diferenas diplomticas dos pases em relao spolticas do Eixo, aps o ataque a Pearl Harbor. Com o fim da guerra, anecessidade de interaco entre as naes se tornou iminente e,consecutivamente, a formao dos blocos econmicos, entretanto na AmricaLatina no houve uma unio que tenha obtido resultados satisfatrios. 4. A guerra da Cisplatina ou campanha da Cisplatina (espanhol: Guerra delBrasil) foi um conflito ocorrido entre o Imprio do Brasil e a Provncias Unidas do Rioda Prata, no perodo de 1825 a 1828, pela posse da Provncia Cisplatina, a regio daactual Repblica Oriental do Uruguai Guerra dos Farrapos ou Revoluo Farroupilha so os nomes pelos quais ficouconhecida a revoluo ou guerra regional, de carcter republicano, contra o governoimperial do Brasil, na ento provncia de So Pedro do Rio Grande do Sul, e que resultouna declarao de independncia da provncia como estado republicano, dando origem Repblica Rio-Grandense. Estendeu-se de 20 de Setembro de 1835 a 1 de Maro de 1845.As Potncias do Eixo foram um dos contendores da Segunda Guerra Mundial. Seusinimigos eram os Aliados. Encabeado pela Alemanha de Adolfo Hitler, pela Itlia deBenito Mussolini e pelo Japo de Tojo Hideki e do Imperador Hirohito, seus membros sereferiam a ele como "Eixo Roma- Berlim -Tquio". Alm destas trs naesprincipais, faziam parte outras menores. 5. Em Dezembro de 1985, o presidente brasileiro Jos Sarney e o presidenteargentino Ral Alfonsn assinaram a Declarao de Iguau, que foi a base para aintegrao econmica do chamado Cone sul. Ambos acabavam de sair de umperodo ditatorial e enfrentavam a necessidade de reorientar as suas economiaspara o mundo exterior e globalizado.Os dois pases haviam contrado uma grande dvida externa no perodo dosgovernos militares e no gozavam de crdito no exterior. Havia uma grandenecessidade de investimentos nos pases, mas no havia verbas. Esta situaocomum fez com que ambos percebessem a necessidade mtua. Logo aps aassinatura da declarao de Iguau, em Fevereiro de 1986, a Argentina declara ainteno de uma "associao preferencial" com o Brasil. Em uma casa particularem Don Torcuato, houve uma reunio para discutir o assunto. A discusso duradois dias e acontece em clima de troca de ideias e posies quanto ao estatuto daeconomia da zona. 6. Depois de poucas semanas, o Brasil que convida a Argentina para uma reuniosemelhante, em Itaipava, tambm em uma residncia particular. Esse foi o sinal deaceitao da iniciativa argentina e ento comeava a formao do acordo, comobjectivo de promover o desenvolvimento econmico de ambos os pases e integr-losao mundo. Para muitos, a ideia de integrao na Amrica do Sul parecia mais umaabstraco, devido as vrias experincias mal sucedidas no passado, entretanto essa foidiferente.Itaipava um distrito (o terceiro distritoda cidade) e um bairro de Petrpolis, noestado do Rio de Janeiro, no Brasil. 7. Em 6 de Julho de 1990, o presidente do Brasil, Fernando Collor, e o daArgentina, Carlos Menem, assinaram a Ata de Buenos Aires de integrao econmicaentre os dois pases e, em complemento a este, em 1991, foi assinado o Tratado deAssuno, com a entrada do Uruguai e Paraguai, para a constituio do Mercosul.O Tratado de Assuno foi um tratado assinado em 26 de Maro de 1991, entre aArgentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, com o objectivo de estabelecer um mercadocomum entre os pases acordados, formando ento o popularmente conhecidoMercosul, Mercado comum do sul. Mais tarde, em 1994, o Protocolo de Ouro Pretofoi assinado como um complemento do Tratado, estabelecendo que o Tratado deAssuno fosse reconhecido jurdica e internacionalmente como uma organizao.Actualmente, estes quatro pases compem o Mercosul como Estados-membros. Hainda estados associados, que so cinco: Bolvia, Chile, Colmbia, Equador e Peru.H alguns anos, a Venezuela solicitou a entrada como membro pleno no Mercosul. 8. O Mercosul tem como Estados Associados Bolvia (1996), Chile (1996), Peru(2003), Colmbia (2004) e Equador (2004).Bolvia, Equador, Colmbia e Peru integram a Comunidade Andina (CAN), blococom que o Mercosul tambm firmar um acordo comercial.O status de Estado Associado atribudo por Deciso do Conselho do MercadoComum. Para aceder a esse status, a Deciso CMC N 18/04, que dispe sobre aadmisso de novos Estados Associados no Mercosul, exige, no seu artigo 1, aassinatura prvia de Acordos de Complementao Econmica(ACEs), instrumentos bilaterais firmados entre o Mercosul e outros membros daALADI. Nesses acordos se estabelece um cronograma para a criao de uma zonade livre comrcio com os Estados Partes do Mercosul e uma gradual reduo detarifas entre o Mercosul e os Estados signatrios. Alm de poder participar naqualidade de convidado nas reunies dos organismos do Mercosul, os EstadosAssociados tambm podem ser signatrios de Acordos sobre matrias comuns. 9. VenezuelaEstadosArgentina ParaguaiUruguai Brasil (1991) (em processoPartes (1991)(1991)(1991) de adeso)Estados Bolvia Colmbia Equador Chile (1996)Peru (2003)Associados (1996)(2004)(2004)EstadoObservador Mxico(status no-oficial)O Chile formaliza sua associao ao Mercosul em 25 de Junho de 1996, durante aX Reunio da Cpula do Mercosul, em San Luis, Argentina, atravs da assinaturado Acordo de Complementao Econmica Mercosul-Chile. A Bolvia formalizousua associao na XI Reunio da Cpula em Fortaleza (Brasil), em 17 deDezembro de 1996, por meio da Deciso, a assinatura do Acordo deComplementao Econmica Mercosul-Bolvia. O Peru formaliza sua associaoao Mercosul em 2003 pela assinatura do Acordo de Complementao EconmicaMercosul-Peru. A Colmbia, Equador e Venezuela formalizam sua associao aoMercosul em 2004 mediante a assinatura do Acordo de ComplementaoEconmica Mercosul-Colmbia, Equador e Venezuela. 10. A Venezuela confirmou o protocolo de entrada em 4 de Julho de 2006. Durante a XXIXConferncia do Mercosul em Montevideu no dia 9 de Dezembro de 2005, aprovou emstatus de Estado associado em processo de adeso, que na prtica significa que tinhavoz mas no voto. Uma vez que a Venezuela adoptou o marco legal, poltico ecomercial do Mercosul na metade de 2006, firmou-se o protocolo para se converter emEstado associado. Estados do Mercosul Estados-membros Estados associados Estados observadores 11. O valor estimado do PIB dos pases do Mercosul utilizando o critrio de Igualdade doPoder de Compra (PPC). utilizada como unidade monetria o dlar internacional.Dados do Banco Mundial sobre PIB e populao. (PIB), O produto interno bruto representa a soma (em valores monetrios) de todos os bens e servios finais produzidos numa determinada regio (quer seja, pases, estados, cidades), durante um perodo determinado (ms, trimestre, ano, etc.). O PIB um dos indicadores mais utilizados na macroeconomia com o objectivo de mensurar a actividade econmica de uma regio. 12. PIB (PPC) em PIB (PPC) perPopulao PasIDHmilhes capita (2007)Brasil 2.013.89311.037 189.011.8610,813Argentina391.05414.559 40.403.943 0,866Venezuela223.4308.12526.085.281 0,844Uruguai41.334 13.917 3.447.9200,865Paraguai 34.014 5.6386.667.8840,761Total Mercosul13.003.72510.975*266.616.8490,821*Colmbia 422.4838.89144.858.434 0,807Chile227.87915.745 16.285.071 0,878Peru 207.9857.41028.675.628 0,806Equador68.939 5.02113.752.593 0,806Bolvia30.093 3.0629.119.3720,729Total Mercosul23.961.1049.300* 365.555.3520,846*1 Somente Estados Partes2 Estados Partes e Associados* Nos clculos de mdias leva-se em conta o nmero de habitantes de cada pas* IDH- ndice de desenvolvimento Humano 13. PIB rea PIBEntidadePopulaoper capita Pases partes kmmilhes de US$ US$Mercosul10 (4 plenos e 1 em 17.320.270 365.555.352 3.994.10412.300(Ampliado)processo de adeso)NAFTA21.588.638 430.495.039 12.889.900 29.942 3Unio Europeia 3.977.487456.285.839 11.064.752 24.249 27ASEAN4.400.000553.900.000 2.172.0004.04410Pases grandesDivises polticasndia3.287.5901.065.070.607 3.033.0002.90034Repblica Popular 9.596.9601.298.847.624 6.449.0005.00033da ChinaEstados Unidos9.631.418293.027.571 10.990.000 37.800 50Canad9.984.67032.507.874958.70029.800 13Rssia 17.075.200 143.782.338 1.282.0008.90089Brasil 8.514.876189.987.291 2.013.89311.037 27Mercosul, valores de acordo com o FMIAzul para o maior valor, verde para o menor, entre os blocos comparados.Fonte: CIA World Factbook 2004, IMF WEO Data base[ Membro da NAFTA 14. O mecanismo de soluo de controvrsias do Mercosul, passou por quatro fasesdistintas at chegar a configurao actual:a) O anexo III do Tratado de Assuno;b) O Protocolo de Braslia;c) O Protocolo de Ouro Preto;d) O Protocolo de Olivos. Protocolo de Ouro Preto O Protocolo de Ouro Preto, criou um procedimento geral para propor reclamaes na Comisso de Comrcio do Mercosul, naquelas matrias que forem de competncia deste rgo. O Estado Parte poder reclamar perante a presidncia da Comisso e caso ela no adopte uma deciso na reunio, esta remeter os antecedentes a um Comit Tcnico. O Comit Tcnico far um parecer sobre a litigncia e encaminh-lo- para a Comisso de Comrcio, para que este decida a controvrsia. Se no for possvel estabelecer uma soluo a Comisso deve encaminhar as propostas, o parecer e as concluses ao Grupo Mercado Comum. Se no houver consenso novamente com a deciso tomada, cabe s partes accionar o mecanismo arbitral previsto no Protocolo de Braslia. 15. O Protocolo de Olivos faculta as partes escolher o foro que ocorrer a soluo de controvrsias atantes do incio do procedimento, evitando decises de outras organizaes internacionaisdivergentes sobre o mesmo assunto.A ltima novidade que se aponta que o Conselho do Mercado Comum passa a possuir a faculdadede criar mecanismos discricionrios para solucionar disputas envolvendo aspectos tcnicosregulados por instrumentos de polticas comerciais comuns.Por fim, pode-se resumir o funcionamento actual do rgo de soluo de controvrsias doMercosul:1. Controvrsias entre Estados Partes: o Estado ou o particular pode apresentar a reclamao. Paraisso, h duas possibilidades:a) A na controvrsia podem estabelecer o litgio junto ao TAHM, oub) Por comum acordo, podem iniciar o procedimento directamente ao TPR.2. Recurso de Reviso: na hiptese de iniciar o litgio no TAHM, pode ser recorrido pelas partes aoTPR.3. Medidas Excepcionais e de Urgncia: antes do incio de uma controvrsia, pode se solicitar ao TPRque dite uma medida provisria, para evitar danos irreparveis para uma das partes.4. Opinies Consultivas: podem ser solicitadas ao TPR, opinies consultivas no so vinculantes:a) pelas partes de forma conjunta, ou pelos rgos decisrios do Mercosul;b) pelos Tribunais Superiores de Justia dos Estados Partes, quando se tratar sobre a interpretaodo Direito do Mercosul.5. Os parmetros do TAHM, ou do TPR sero obrigatrios para os Estados Partes na controvrsia equando ficarem firmes sero irreversveis e formaro coisa julgada. 16. Acordos de livre-comrcioExiste um acordo com a Comunidade Andina, estabelecido no Acordo deComplementao Econmica firmado entre a Comunidade Andina e o Mercosul.Alm da cooperao econmica tambm existe um dilogo poltico que abrepossibilidades de negociao com todo os membros do bloco Andino.Em Novembro de 2005 o Congresso Colombiano ratificou um Tratado de LivreComrcio (TLC) com o Mercosul. O tratado favorvel a Colmbia, j quepermite a este pas implantar instrumentos de proteco a agricultura local. Almdo acesso ao Mercosul para os produtos Colombianos, que aumenta o pesopoltico da Colmbia nas negociaes de livre comrcio que esto sendo tratadasactualmente com os Estados Unidos.Em 30 de Dezembro de 2005, o presidente colombiano lvaro Uribe firma a Lei1.000, para a criao de uma zona de livre comrcio entre a Comunidade Andina eo Mercosul. Com este novo acordo, os produtos colombianos conseguiram umacesso preferencial ao Mercosul, uma vez que a Colmbia obteve a oportunidadede importar matrias primas e bens de capital do Mercosul a custos maisbaixos, segundo o custo estabelecido no Tratado de Livre Comrcio. 17. Tratado de livre comrcio com IsraelNo dia 17 de Dezembro de 2007, durante a XXXIV reunio de cpula doMercado Comum do Sul e Estados associados realizada em Montevideu, ospresidentes dos pases partes do Mercosul assinaram um Tratado de LivreComrcio (TLC) com Israel. Este foi o primeiro TLC do Bloco com um pas defora da Amrica do Sul desde sua fundao, e foi negociado durante dois anos.At Janeiro de 2009 ainda se encontrava espera de ratificao. O tratadocobre 90% do fluxo comercial, com um cronograma de quatro fases pararemoo de restries (imediata, 4, 8 e 10 anos). Prev-se que o intercmbiocomercial entre o Mercosul e Israel fique em torno de 5 bilhes de dlares em2017. Os principais produtos de exportao do Mercosul socommodities(significa mercadoria na linguagem correnteInglesa), gros, calados, automveis, maquinaria pesada e avies, j Israelexporta software, agro qumicos e produtos de alta tecnologia. Foi promulgadono dia 28 de Abril de 2010 pelo presidente Lula. O acordo no inclui aVenezuela, que se encontra em processo de converso em associado pleno. 18. Tratado de livre comrcio com EgiptoNo dia 2 de Ago...</p>