CAT 126.pdf

Download CAT 126.pdf

Post on 05-Nov-2015

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Portaria CAT n 126, de 16.09.2011 - DOE SP de 17.09.2011 21 de Setembro de 2011</p><p>Portaria CAT n 126, de 16.09.2011 - DOE SP de 17.09.2011 </p><p>Disciplina a arrecadao de tributos e demais receitas estaduais bem como a prestao de contas pelas instituies bancrias. </p><p>O Coordenador da Administrao Tributria, tendo em vista o disposto no art. 111 do Regulamento do ICMS, na Resoluo SF n 40 de 11.12.2006, na Resoluo SF n 31 de 16.08.2001 e considerando a necessidade de serem consolidadas as disposies relacionadas com a arrecadao de tributos e demais receitas estaduais, expede a seguinte Portaria: </p><p> CAPTULO I - DAS GUIAS e DOS DOCUMENTOS DE ARRECADAO e DA </p><p>CODIFICAO DOS TRIBUTOS e DEMAIS RECEITAS </p><p>Seo I - Das Guias e Documentos de Arrecadao </p><p> Art. 1 O pagamento dos diversos valores que constituem receitas do Estado dever ser feito por meio de: I - Guia de Arrecadao Estadual - GARE-ICMS; II - Guia de Arrecadao Estadual - Demais Receitas - GARE-DR; III - Guia de Arrecadao Estadual - GARE-IPVA; IV - Notificao/Guia de Recolhimento - MILT; V - Guia de Arrecadao Estadual - GARE-ITCMD; VI - Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais - GNRE; VII - Documento de Arrecadao de Receitas Estaduais - DARE-SP. Pargrafo nico. As Guias de Recolhimento e o Documento de Arrecadao devero ser impressos, no mnimo, nas seguintes quantidades de vias, destinando-se uma via ao agente arrecadador e as demais vias ao contribuinte ou infrator: 1. GARE-ICMS, GARE-DR, GARE-IPVA, MILT e DARE-SP - 2 (duas) vias; 2. GNRE e GARE-ITCMD - 3 (trs) vias. Art. 2 Os modelos das Guias de Recolhimento e do Documento de Arrecadao referidos no art. 1 estaro disponveis no site da Secretaria da Fazenda, endereo eletrnico www.fazenda.sp.gov.br. </p><p> Subseo I - Da Guia de Arrecadao Estadual - GARE-ICMS </p><p> Art. 3 A Guia de Arrecadao Estadual - GARE-ICMS dever ser utilizada para recolhimento dos seguintes dbitos relacionados ao Imposto sobre Operaes Relativas Circulao de Mercadorias e sobre Prestaes de Servios de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicao - ICMS: I - apurado em conformidade com o Regime Peridico de Apurao; II - devido em operao sujeita a recolhimento especial; </p><p>Pgina 1 de 16</p><p>21/09/2011http://www.iobonlineregulatorio.com.br/print/module/print.ht...</p></li><li><p>III - parcelado ou no; IV - devido em operao sujeita substituio tributria; V - inscrito ou no inscrito na dvida ativa; VI - outros. 1 A GARE-ICMS poder ser: 1. obtida em formulrio impresso; 2. gerada por meio de sistema disponvel no site da Secretaria da Fazenda, endereo eletrnico www.fazenda.sp.gov.br; 3. gerada por meio do programa emissor de GARE, disponvel para download no endereo eletrnico www.fazenda.sp.gov.br. 2 O formulrio impresso da GARE-ICMS dever obedecer s especificaes grficas dispostas no Anexo II. Art. 4 na hiptese de recolhimento dos dbitos relacionados a seguir, a GARE-ICMS dever ser gerada por meio de sistema prprio: I - dbito inscrito em dvida ativa, inclusive parcelamento, no endereo eletrnico www.dividaativa.pge.sp.gov.br; II - dbito includo no Programa de Parcelamento Incentivado - PPI do ICM/ICMS, no endereo eletrnico www.ppidoicms.sp.gov.br; III - parcelamento de dbito no inscrito em dvida ativa, no endereo eletrnico pfe.fazenda.sp.gov.br; IV - ICMS na importao, no endereo eletrnico www.fazenda.sp.gov.br. </p><p> Subseo II - Da Guia de Arrecadao Estadual - Demais Receitas - GARE-DR </p><p> Art. 5 A Guia de Arrecadao Estadual - GARE-DR dever ser utilizada para recolhimento de: I - Imposto sobre a Transmisso de Bens Imveis e de Direitos a Eles Relativos - ITBI (Causa Mortis e Doaes); II - Taxa de Fiscalizao e Servios Diversos (Tabelas "A", "B" e "C"); III - Custas e Contribuies; IV - Receitas Diversas; V - Receita Extraoramentria e Anulao de Despesa. Pargrafo nico. O formulrio impresso da GARE-DR dever obedecer s especificaes grficas dispostas no Anexo III. Art. 6 As instituies bancrias devero relativamente: I - ao Imposto sobre a Transmisso de Bens Imveis e de Direitos a Eles Relativos - ITBI (Causa Mortis e Doaes), autenticar mecanicamente a GARE-DR utilizada para recolhimento; II - aos demais recolhimentos referidos no art. 5, imprimir o comprovante de pagamento com autenticao digital, servindo a GARE-DR nessa hiptese apenas como referncia. Pargrafo nico. Considera-se autenticao digital a combinao de um conjunto de caracteres alfanumricos, contendo informaes prprias da transao bancria vinculada ao recolhimento. Art. 7 O sistema de verificao do recolhimento autenticado digitalmente, a que se refere o inciso II do art. 6, poder ser disponibilizado pela Secretaria da Fazenda aos rgos e entidades envolvidos no recebimento das receitas referidas nos incisos II a V do art. 5. </p><p> Pargrafo nico. Por ocasio da solicitao de prestao de servio ou da necessidade de comprovao do </p><p>Pgina 2 de 16</p><p>21/09/2011http://www.iobonlineregulatorio.com.br/print/module/print.ht...</p></li><li><p>recolhimento autenticado digitalmente, relativamente s receitas referidas nos incisos II a V do art. 5, o interessado dever apresentar o respectivo comprovante de pagamento para fins de validao da autenticao digital, bem como os demais documentos exigidos pelos rgos e entidades envolvidos no recebimento das citadas receitas. </p><p> Subseo III - Da Guia de Arrecadao Estadual - GARE-IPVA </p><p> Art. 8 A GARE-IPVA dever ser utilizada para recolhimento do Imposto sobre a Propriedade de Veculos Automotores - IPVA. Art. 9 A GARE-IPVA dever ser gerada por meio de sistema disponvel nos seguintes endereos eletrnicos: I - www3.fazenda.sp.gov.br/ipvanet, para dbito no inscrito em dvida ativa; II - www.dividaativa.pge.sp.gov.br, para dbito inscrito em dvida ativa; III - www.ppd.sp.gov.br, para parcelamento de dbito includo no Programa de Parcelamento de Dbitos -PPD do IPVA. </p><p> Subseo IV - Da Notificao/Guia de Recolhimento - MILT </p><p> Art. 10. A Notificao/Guia de Recolhimento - MILT ser utilizada para notificao, servindo para recolhimento de multas por infrao: I - legislao de trnsito, aplicadas pelo Departamento Estadual de Trnsito - DETRAN, Departamento de Estradas de Rodagem - DER, Desenvolvimento Rodovirio S/A - DERSA ou pelos municpios que firmaram convnio com o Estado de So Paulo; II - legislao ambiental, aplicada pela Companhia Ambiental do Estado de So Paulo - CETESB. </p><p> Subseo V - Da Guia De Arrecadao Estadual - GARE-ITCMD </p><p> Art. 11. A Guia de Arrecadao Estadual - GARE-ITCMD dever ser utilizada para recolhimento dos dbitos relacionados ao Imposto sobre Transmisso Causa Mortis e Doao de Quaisquer Bens ou Direitos - ITCMD, devido a ttulo de: I - doao; II - transmisso Causa Mortis. 1 a GARE-ITCMD prestar-se- para o pagamento, integral ou parcelado, de dbito inscrito ou no inscrito na dvida ativa. 2 A GARE-ITCMD dever ser gerada por meio de programa emissor, disponvel no endereo eletrnico www60.fazenda.sp.gov.br/wps/portal. </p><p> Subseo VI - Da Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais - GNRE </p><p> Art. 12. A Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais - GNRE dever ser utilizada para recolhimento dos dbitos relacionados ao Imposto sobre Operaes Relativas Circulao de Mercadorias e sobre Prestaes de Servios de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicao - ICMS, quando o recolhimento for efetuado fora do territrio paulista. Pargrafo nico. a GNRE dever ser gerada por meio de sistema disponvel no endereo eletrnico www.fazenda.sp.gov.br. </p><p> Subseo VII - Do Documento de Arrecadao de Receitas Estaduais - DARE-SP </p><p> Art. 13. O Documento de Arrecadao de Receitas Estaduais - DARE-SP dever ser utilizado para recolhimento de dbitos a serem estabelecidos em disciplina especfica. </p><p>Pgina 3 de 16</p><p>21/09/2011http://www.iobonlineregulatorio.com.br/print/module/print.ht...</p></li><li><p> 1 O DARE-SP composto de: 1. Documento Principal, nico; 2. Documento Detalhe, tantos quantos forem os dbitos includos. 2 O DARE-SP dever ser gerado pelo Sistema Ambiente de Pagamentos, disponvel no endereo eletrnico www.fazenda.sp.gov.br. </p><p> Seo II - Da Codificao dos Tributos e demais Receitas </p><p> Art. 14. Os cdigos de recolhimento e os de totalizao das diversas receitas esto previstos nas tabelas do Anexo I. </p><p> Seo III - Das Disposies Comuns </p><p> Art. 15. As Guias de Recolhimento e o Documento de Arrecadao de Receitas Estaduais devero ser acolhidos pelas instituies bancrias autorizadas, listadas no endereo eletrnico www.fazenda.sp.gov.br. Art. 16. Para a impresso dos formulrios das guias GAREICMS e GARE-DR, o estabelecimento grfico dever solicitar autorizao, mediante petio ao Diretor da Diretoria de Arrecadao instruda com prova tipogrfica do modelo a imprimir. Pargrafo nico. Deferido o pedido, o estabelecimento grfico: 1. dever indicar, na margem esquerda das guias, as seguintes informaes: a) nome do estabelecimento grfico; b) nmeros de Inscrio Estadual e do Cadastro Nacional da Pessoa Jurdica no Ministrio da Fazenda; c) nmero do processo pelo qual foi autorizada a impresso; 2. poder, no interesse do contribuinte, imprimir dados identificadores deste nos campos prprios das guias. </p><p> CAPTULO II - DA ARRECADAO DOS TRIBUTOS E DEMAIS RECEITAS PBLICAS </p><p>ESTADUAIS POR INTERMDIO DAS INSTITUIES BANCRIAS </p><p>Seo I - Das Obrigaes Gerais das Instituies Bancrias </p><p> Art. 17. As instituies bancrias devero: I - implantar o recebimento de Guia de Arrecadao Estadual - GARE, Documento de Arrecadao de Receitas Estaduais - DARE - SP e, quando for o caso, de Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais - GNRE, em todos os canais de recebimento que possurem; II - acolher guias de recolhimento e documentos de arrecadao de tributos e demais receitas pblicas: a) que representem efetivo pagamento de tributos e demais receitas estaduais; b) dentro dos prazos para recolhimento; c) fora dos prazos para recolhimento, com os respectivos acrscimos legais; d) sem emendas ou rasuras; e) com informaes de arrecadao, observados os critrios de consistncia previstos em normas e manuais de procedimentos elaborados pela Secretaria da Fazenda; III - autenticar mecanicamente a guia ou documento de arrecadao ou fornecer o comprovante de pagamento, quando for o caso. </p><p> 1 Os demais dados necessrios para o controle de arrecadao sero definidos, conforme os cdigos de </p><p>Pgina 4 de 16</p><p>21/09/2011http://www.iobonlineregulatorio.com.br/print/module/print.ht...</p></li><li><p>receita, em normas e manuais de procedimentos elaborados pela Secretaria da Fazenda. 2 O comprovante de pagamento dever: 1. obedecer aos padres definidos pela Diretoria de Arrecadao, que os informar instituio bancria mediante solicitao desta; 2. conter as seguintes informaes, entre outras: a) cdigo e nome da instituio bancria; b) data de arrecadao; c) identificao de que se trata de recolhimento para a Secretaria da Fazenda de So Paulo; d) representao numrica do cdigo de barras, quando houver; e) valor recolhido; f) autenticao; 3. ser previamente aprovado pela Secretaria da Fazenda. </p><p> Seo II - Da Apresentao da Guia ou do Documento Agncia Bancria, da sua </p><p>Autenticao e dos Procedimentos das Instituies Bancrias </p><p> Art. 18. Antes de receber as guias de recolhimento ou o documento de arrecadao, as instituies bancrias devero verificar: I - se esto autorizadas a receber; II - o cdigo de receita; III - se esto indicadas as informaes de identificao do contribuinte ou interessado; IV - a data de vencimento do prazo para pagamento; V - se esto indicados os acrscimos legais, caso o pagamento esteja fora do prazo; VI - se a soma das parcelas corresponde ao valor total, devendo haver, no mnimo, uma parcela e o valor total. Art. 19. A autenticao mecnica aposta nas vias de guia de recolhimento e de documento de arrecadao dever estar registrada em fita-detalhe. Pargrafo nico. O Documento Detalhe do DARE-SP no poder ser autenticado. Art. 20. Na hiptese de se constatar autenticao mecnica de valor diverso do valor recolhido de fato: I - se a constatao do erro ocorrer no ato do recebimento ou em outro momento antes da descarga dos totalizadores da mquina, devero ser adotados os seguintes procedimentos relativamente a todas as vias da guia ou documento de arrecadao, inclusive as destinadas ao contribuinte: a) se a autenticao tiver sido a maior, a autenticao incorreta dever ser inutilizada com 2 (dois) traos paralelos, reautenticando-se todas as vias da guia ou documento com o valor correto; b) se a autenticao tiver sido a menor, a autenticao incorreta dever ser inutilizada com 2 (dois) traos paralelos, reautenticando-se todas as vias da guia ou documento com o valor correto, ou ser complementado o valor devido com a correspondente autenticao; II - se a constatao do erro ocorrer aps a descarga dos totalizadores da mquina, a retificao dever ser feita em todas as vias, inclusive nas destinadas ao contribuinte, mediante autenticao a carimbo do valor correto, com assinatura de 2 (dois) funcionrios da instituio bancria responsveis pelo setor. Pargrafo nico. - Caso no seja possvel proceder retificao das vias em poder do contribuinte, vedada a retificao das demais vias ou qualquer outro procedimento que tenha por objeto a anulao do valor considerado como receita. </p><p>Pgina 5 de 16</p><p>21/09/2011http://www.iobonlineregulatorio.com.br/print/module/print.ht...</p></li><li><p>Art. 21. Uma vez autenticada a guia ou documento e no se efetuando, por algum motivo, o recebimento de qualquer valor, as vias no podero ser devolvidas aos contribuintes, devendo ser consideradas nulas. </p><p> CAPTULO III - PRESTAO DE CONTAS PELAS INSTITUIES BANCRIAS </p><p> Art. 22. As instituies bancrias, para fins de prestao de contas, devero observar o disposto neste captulo, alm das demais normas que disciplinam a matria, dentre as quais as previstas em resolues do Secretrio da Fazenda e em manuais de arrecadao disponibilizados pela Secretaria da Fazenda. Pargrafo nico. As transaes de repasse financeiro devero ser realizadas conforme definido no Manual de Repasse SPB - Sistema de Pagamentos Brasileiro. </p><p> Seo I - Por Transmisso Eletrnica de Dados </p><p> Art. 23. Para efetuar a prestao de contas por transmisso eletrnica de dados, as instituies bancrias devero: I - solicitar a realizao de teste piloto Diretoria de Arrecadao; II - aps a autorizao, realizar o teste piloto; III - estar habilitadas para a transmisso eletrnica de dados; IV - obter a homologao do teste piloto por meio de ofcio da Diretoria de Informaes e autorizao da Diretoria de Arrecadao. Pargrafo nico. Para realizar o procedimento denominado transmisso eletrnica de dados, as instituies bancrias devero: 1. manter ininterruptamente, disposio da Secretaria da Fazenda, o servio de transmisso eletrnica de dados; 2. garantir a integridade dos dados referentes arrecadao de tributos e demais receitas; 3. fornecer Secretaria da Fazenda os elementos de controle necessrios comprovao de transaes efetuadas; 4. armazenar os dados aps a transmisso eletrnica pelo prazo de 30 (trinta) dias. </p><p> Seo II - Por Borders de Guia de Recolhimento </p><p> Art. 24. Na impossibilidade de se realizar a prestao de contas por tr...</p></li></ul>