Cariri Ocidental - PB

Download Cariri Ocidental - PB

Post on 09-Jan-2017

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Territrio do Cariri Oriental

    RESUMO EXECUTIVO

    PLANO TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTVEL PTDRS

    TERRITRIO DO CARIRI ORIENTAL - PB

    2010

  • 1

  • RESUMO EXECUTIVO

    2010 2020

    PLANO TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTVEL PTDRS

    TERRITRIO DO CARIRI ORIENTAL - PB

    ______________________

    Paraba - 2010

  • 2

  • 3

    PRESIDENTE DA REPBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

    Lus Incio Lula da Silva

    MINISTRO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO AGRRIO

    Guilherme Cassel

    SECRETRIO DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL

    Humberto Oliveira

    DELEGADO FEDERAL DO MINISTRIO DO DESENVOLVIMENTO

    AGRRIO NA PARABA

    Ranyfbio Cavalcante Macdo

    COOPERATIVA DE PRESTAO DE SERVIO EM DESENVOLVIMENTO

    SUSTENTVEL - VNCULUS

    Severino Ramos do Nascimento

    INSTITUTO DE ASSESSORIA A CIDADANIA E AO DESENVOLVIMENTO

    LOCAL SUSTENTVEL IDS

    Valter de Carvalho

    EQUIPE TCNICA

    COORDENAO GERAL

    Carleuza Andrade da Silva

    Carlos Humberto Osrio Castro

    Nalfra Maria Stiro Queiroz Batista

    Antnio Junio da Silva

    CONSULTORIA TCNICA ESTADUAL

    Oneide Nery da Cmara

    REVISO TCNICA ESTADUAL

    Carlos Gonalo de Oliveira

    Simone Ana Olimpio

    ASSESSOR TERRITORIAL

    Jos Batista Filho

    CONSULTOR

    Maria Auxiliadora Barros

    COLABORAO

    Maria Jos

    Mirian

    Eduardo

    Vivian Meireles

    Accia Barros Fernandes Dutra

    GEOPROCESSAMENTO

    Vvian Julyanna de Meireles Monteiro

  • 4

  • 5

    APRESENTAO 7

    I. Caracterizao Geral 10

    1.1 Aspectos Fsicos, Geogrficos e Ambientais 10

    1.2 Aspectos Demogrficos e Indicadores Socioeconmicos 18

    II. Enfoque Dimensional 22

    2.1 Dimenso Sociocultural Educacional 23

    2.2 Dimenso Ambiental 30

    2.3 Dimenso Socioeconmica 36

    2.4 Dimenso Poltico Institucional 47

    III. Viso de Futuro 58

    IV. Eixos, Programas e Projetos 60

    V. Gesto 66

    VI. Referncias Bibliogrficas 68

    Sumrio

  • 6

  • 7

    ste documento foi formulado de modo a estabelecer estratgias prioritrias de atuao, e subsidiar o processo de discusso,

    articulao de polticas e programas para a realizao de acordos territoriais que resultem na construo de um instrumento que

    favorea a Gesto Social do Territrio e de um Plano Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentvel, onde a participao efetiva

    dos/as atores e atrizes locais tem fundamental importncia na reflexo e construo dessa proposta assim como na definio e

    implementao das polticas territoriais, enquanto sujeitos e protagonistas de seu desenvolvimento.

    Para sua sistematizao foram utilizadas informaes secundrias, relatrios das Oficinas Territoriais, dados do Estudo Propositivo, dados

    primrios e secundrios, do Auto-diagnstico e outros documentos que esto sendo elaborados no Territrio pelos/as atores e atrizes sociais que

    participam do Frum de Desenvolvimento Sustentvel do Territrio do Cariri Oriental, como parte da estratgia da Secretaria de

    Desenvolvimento Territorial SDT, do Ministrio do Desenvolvimento Agrrio MDA, que adota o conceito de territrio como um espao

    fsico, geograficamente definido, geralmente contnuo, compreendendo a cidade e o campo, caracterizado por critrios multidimensionais, tais

    como o ambiente, a economia, a sociedade, a cultura, a poltica e as instituies, e uma populao com grupos sociais relativamente distintos, que

    se relacionam interna e externamente por meio de processos especficos, onde se pode distinguir um ou mais elementos que indicam identidade e

    coeso social, cultural e territorial.

    Este documento considerado RESUMO EXECUTIVO tem como finalidade sintetizar o PTDRS, destacando as principais aes estratgicas que

    nortearo o desenvolvimento sustentvel nos territrios do Estado da Paraba

    E

    Apresentao

  • 8

  • 9

  • 10

    1.1 ASPECTOS FSICOS, GEOGRFICOS E AMBIENTAIS

    Territrio do Cariri Oridental encontra-se na poro

    centro-sul do Estado, entre as coordenadas de 7 e 8

    30` latitude sul e 36 e 37 30 de longitude oeste,

    com altitude para nveis de 400 a 600 metros, em direo ao

    entalhamento do rio Paraba, que forma uma rasa depresso

    intermontana, situada em cotas altimtricas de 300 metros, em vale

    encaixado e estreito. No sentido leste/oeste esse planalto se estende,

    desde a retaguarda da frente oriental escarpada at o limite das suas

    encostas ocidentais, com o Pediplano Sertanejo. Interrompe-se ao

    norte, no vale tectnico do Curimata, e ao sul, prolonga-se at a

    fronteira com Pernambuco, onde encontra os alinhamentos de cristas

    que se elevam a mais de 800m, como as serras das Umburanas, Serra

    de Aca, Serra do Jabitac. Pela sua localizao, no espao central do

    Estado situado mais ao sul, na divisa com Pernambuco, uma rea

    significativa do territrio sofre muita influncia de cidades

    pernambucanas, sobretudo daquelas que esto na zona de influncia

    de Santa Cruz, situadas na poro ao norte do Territrio sofre

    influncia econmica do municpio de Campina Grande.

    O Quadro 01: Municpios e rea (em km2) Territrio Cariri Oriental Municpios

    rea

    ( Km )

    Alcantil 3.241

    Barra de Santana 369,3

    Barra de So Miguel 595,2

    Boa Vista 476,5

    Boqueiro 424,6

    Cabaceiras 400,2

    Carabas 445,6

    Caturit 118,1

    Gurjo 343,2

    Riacho de Santo Antnio 91,3

    Santo Andr 225,2

    So Domingo do Cariri 222,1

    So Joo do Cariri 701,9

    Soledade 560,0

    Total do Territrio 8.214

    Fonte: IBGE, 2007

    I. Caracterizao Geral

  • 11

    Hidrografia

    A principal bacia hidrogrfica do Territrio do Cariri Oriental a do

    Rio Paraba, e a sub-bacia do Rio Tapero. O aude do Boqueiro

    represa as guas do Rio Paraba abastecendo vrios municpios do

    Territrio do Cariri.

    Aps os longos perodos de estiagens que comprometeram os

    volumes de gua acumulada nos audes do Territrio, os invernos

    abundantes de 2008 e 2009 regularizaram os nveis da maioria dos

    reservatrios localizados nesse espao, caso do aude Boqueiro que

    atingiu 87,7% de sua capacidade. Em consequncia disso, devolveu

    populao renovada esperanas com reflexos altamente positivos

    para o desenvolvimento social e econmico do Territrio.

    Segundo dados da Agncia Executiva de Gesto das guas do

    Estado da Paraba AESA, o volume de acumulao dos

    reservatrios localizados no Territrio do Cariri Oriental encontra-se

    dispostos no Quadro 02.

    Quadro 02: Resevatrios, Capacidade e Volume (m3)

    Municpio Aude

    Capacidade

    mxima

    (m3)

    Volume atual

    (m3)

    Volu

    me

    total

    %

    Barra de So

    Miguel Bichinho 4.574.375 1.624.956 35,5

    Boqueiro Epitcio

    Pessoa 411.686.287 361.231.338 87,7

    Carabas Campos 6.594.392 4.213.131 63,9

    Carabas Curimat 4.277.080 332.327 7,8

    Gurjo Gurjo 3.683.875 1.623.160 44,1

    Riacho de Santo

    Antnio

    Riacho de

    Santo

    Antnio

    6.834.000 1.084.519 15,9

    So Domingos

    do Cariri

    So

    Domingos 7.340.440 6.466.698 88,1

    Soledade Soledade 27.058.000 19.620.560 72,5

    Fonte: AESA, 2009 (aesa.pb.gov.br)

  • 12

  • 13

    Caractersticas Climticas e Vegetao

    Clima

    O Territrio do Cariri Oriental, inserido na Mesorregio da

    Borborema, apresenta, segundo a classificao de Koopen, tipo

    climtico Bsh - semirido quente, correspondendo rea mais seca

    do Estado com precipitaes mdias anuais muito baixas (mdia de

    500 mm) e uma estao seca que pode atingir onze meses. O

    municpio de Cabaceiras apresenta ndices pluviomtricos inferiores

    a 300 mm. As mdias de temperatura so superiores a 24 C e a

    umidade relativa do ar inferior a 75%.

    Apresenta os mais baixos ndices pluviomtricos do Estado. A esta

    limitao climtica, associam-se fortes limitaes edficas (solos

    salinos, rasos e pedregosos) que influenciam substancialmente a

    atividade agrcola com repercusses na ocupao do espao regional.

    Vegetao

    A vegetao tpica da regio a Caatinga, classificada pela

    SUDENE em dois tipos: hiper e hipoxerfila. A ocorrncia de um ou

    outro tipo depende das condies climticas e edficas.

    Primitivamente, ocorria em grande parte, uma formao arbustiva-

    arbrea, destacando-se a caatingueira, o pereiro, a jurema.

    Os desmatamentos indiscriminados verificados no Territrio

    contribuem para o desaparecimento das diversas espcies vegetais

    encontradas no Bioma Caatinga, repercutindo negativamente sobre a

    fauna local.

    Foto 1: Ade Epitcio Pessoa Boqueiro.

  • 14

    A caatinga arbustiva-herbcea a formao vegetal mais comum no

    Territrio Cariri Oriental, encontrando-se espcies arbreas com

    porte reduzido. Dentre as espcies encontradas destacam-se a

    jurema, o facheiro e a macambira. A camada herbcea muito

    reduzida, com plantas baixas representadas por gramneas,

    malvceas, amarantceas, entre outras. As espcies so na maioria,

    caduciflias, espinhosas e de folhas pequenas.

    O planalto dos Cariris apresenta-se semi-colinoso, caracterizado

    pelos afloramentos granticos que so extensos apresentando-se em

    amplas superfcies tipo lajedos, ocorrendo tambm inmeros

    mataces de dimenses e formatos variados.

    Um desses afloramentos constitui o stio do Pai Mateus, em

    Cabaceiras, com aproximadamente 5km de extenso. H

    predominncia do processo mecnico, com quebramento das rochas

    que se descascam em placas, fragmentando-se ao longo do tempo.

    Merece destaque outra forma de afloramento, alinhado e

    descontnuo, conhecido como a Muralha do meio do Mundo,

    cortando o municpio de So Joo do Cariri. Corresponde a

    instrues de rochas de caractersticas granticas que se salientam em

    relevo ondulado.

    A regio apresenta caractersticas de relevo acentuado

    principalmente nas proximidades do Rio Paraba e seu afluente

    denominado de Tapero, onde existe um sistema de falhas e fraturas

    que atingem as rochas locais.

    Solos

    Os solos em geral, so rasos e pedregosos, predominando os Bruno

    No Clcicos e os Litlicos. Os Neossolos Litlicos so em geral

    rasos, com espessura inferior a 50 cm, possuindo em geral, uma

    estreita camada de material terroso sobre a rocha, ocorrendo mais

    Foto 2: Vegetao

  • 15

    freqentemente, em reas de relevo acidentado. So classificados

    como solos com grande potencial para aproveitamento hidroagrcola,

    embora necessitem de um manejo eficiente devido sua tendncia

    salinizao e sodificao.

    Os solos do tipo argiloso encontram-se muito sulcados por processos

    erosivos como o escoamento pluvial. Estes solos ficam encharcados

    no perodo das chuvas, mas, to logo chegue a estiagem endurecem,

    no favorecendo utilizao agrcola.

    O solo descoberto resultado da prolongada estiagem que afeta o

    Territrio, bem como do sobrepastoreio que contribui para deix-lo

    mais exposto ao processo de carreamento do material pelas guas

    das chuvas, favorecendo evoluo das ravinas e intensificando o

    processo de desertificao.

    Embora o clima semirido predomine no Territrio, a aridez

    algumas vezes, acentuada por situaes topogrficas localizadas.

    Estes solos apresentam os maiores nveis de degradao. Quando

    ficam descobertos por causa da diminuio e do rebaixamento da

    cobertura vegetal, apresentam fortes sinais de eroso.

    Recursos Minerais

    O Territrio do Cariri Oriental apresenta uma diversidade de

    minrios que favorecem a instalao de vrios empreendimentos

    neste espao. Se explorados de forma sustentvel podem garantir a

    gerao de emprego e renda para milhares de pessoas. No entanto a

    extrao desses recursos, atualmente vem se dando de forma

    desordenada, provocando srios problemas de ordem social e

    ambiental, o que ao longo dos anos vem comprometendo a qualidade

    de vida da populao. Dessa forma, a explorao dos recursos

    minerais existentes na regio, vem ocorrendo por meio da instalao

    de empresas estrangeiras, que absorvem parte da mo-de-obra local

    pagando baixos salrios. A maioria desses empreendimentos,

    instaladas no Territrio visam apenas reproduo do capital,

    considerando os recursos existentes nesse espao como bens

    infinitos, no havendo assim a mnima preocupao com o meio

    ambiente nem muito menos com o bem estar social.

  • 16

  • 17

  • 18

    1.2 ASPECTOS DEMOGRFICOS E INDICADORES

    SOCIOECONMICOS

    Populao

    O Territrio do Cariri Oriental - PB apresentava em 2007, uma

    populao total de 80.851 habitantes distribudos em uma rea de

    8.214 Km, sendo que 40.527 habitantes residiam nas reas urbanas

    e 40.324 nas reas rurais. Sua densidade demogrfica estava em

    torno de 9,84 habitantes por quilmetro quadrado e a taxa de

    urbanizao verificado no mesmo perodo era de 50,1%, como pode

    ser constatado no Quadro 03 e 04.

    Dos 14 municpios que compem o Territrio, oito apresentavam

    contingentes populacional rural maior que os registrados para a zona

    urbana, com destaque para o municpio de Barra de Santana que no

    ano de 2007, apresentava um contingente populacional rural dez

    vezes maior do que o nmero de habitantes residente na rea urbana.

    Quadro 03: Populao, rea, Densidade e ndice de Urbanizao

    Municpios Populao

    2007

    rea

    (km2)

    Densidade

    (hab./km2

    )

    ndice de

    Urbaniza

    o (%)

    Alcantil 5.068 3.241 1,6 0,1

    Barra de Santana 8.619 369,3 23,3 8,6

    Barra de So

    Miguel 5.435 595,2 9,1 41,8

    Carabas 3.824 476,5 8,0 36,0

    Caturit 4.467 424,6 10,5 22,1

    Gurjo 2.985 400,2 7,5 63,8

    Riacho de Santo

    Antnio 1.524 445,6 3,4 66,5

    Santo Andr 2.641 118,1 22,4 28,4

    So Domingos do

    Cariri 2.265 343,2 6,6 48,5

    So Joo do Cariri 4.438 91,3 48,6 49,3

    Cabaceiras 4.907 225,2 21,8 42,8

    Boqueiro 15.877 222,1 71,5 71,5

    Boa Vista 5.673 701,9 8,1 56,8

    Soledade 13.128 560,0 23,4 72,5

    Total 80.851 8.214,2 9,84 50,1

    Fonte: Contagem Populacional - IBGE, 2007

  • 19

    Numa anlise em que se consideram os dois principais segmentos

    populacionais, constata-se nos dados da Contagem Populacional

    realizada pelo IBGE em 2007, que 29.849 pessoas constituam o

    segmento a populao dependente, ou seja, a parcela de 0 a 14 anos

    acrescida dos idosos com idade acima dos 65 anos. A populao em

    idade ativa do Territrio do Cariri Oriental PB era constituda por

    50.508 pessoas cujas idades variam entre 15 e 64 anos de idade.

    Indicadores Socioeconmicos

    ndice de Desenvolvimento Humano

    Segundo a classificao do PNUD em 2000, todos os municpios que

    compem o Territrio do Cariri Oriental - PB encontravam um

    estgio de mdio desenvolvimento humano (aqueles cujo IDH-M

    situa-se entre 0,500 e 0,800).

    Vale ressaltar que apenas 2 municpios do Territrio do Cariri

    Oriental - PB apresentavam IDH-M muito prximos do limite

    inferior do intervalo de mdio desenvolvimento (0,500), so eles

    Barra de Santana (0,575) e Carabas (0,589). No entanto, no mbito

    estadual, 11 dos 14 municpios (79%) situavam-se dentre os 100

    (cem) municpios paraibanos com maiores IDH-M, com destaque

    para os municpios de Boa Vista e Cabaceiras que ocupavam a 7 e a

    9 posies no ranking estadual. Chama ateno o fato de Monteiro,

    que embora ocupando um papel de sede regional, figura apenas na

    85 posio no ranking estadual.

    Quadbro 04 : Caractersticas Demogrficas

    Populao ( Hab.)

    Total 80.851

    Urbana 40.527

    Rural 40.324

    Populao por Segmento

    Etrio (Hab.)

    Populao

    Economicamente

    Dependente

    29.824

    Populao em

    Idade Ativa 50.508

    Razo de Dependncia

    (%) Territrio 36,97

    rea (Km2) Territrio 8.214

    Densidade Demogrfica

    (Hab./Km2)

    Territrio 9,8

    Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica, 2007 e Anurio

    Estatstico do Estado da Paraba, 2008

  • 20

    Outro indicador considerado na anlise o ndic...