capÍtulo 8 - sobrevivÊncia - clube do arrais .curso de arrais amador..... ........

Download CAPÍTULO 8 - SOBREVIVÊNCIA - Clube do Arrais .Curso de Arrais Amador..... ..... clubedoarrais@gmail.com

Post on 16-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Curso de Arrais Amador.......... http://www.clubedoarrais.com....... clubedoarrais@gmail.com

    109

    Apresentamos aqui, de forma resumida e ilustrada, algumas informaes importantes que

    devem ser observadas pelos navegantes, especialmente aqueles que desejam habilitar-se na

    categoria de ARRAIS AMADOR.

    Lembramos que a legislao completa deve sempre ser consultada em www.dpc.mar.mil.br.

    CAPTULO 8 - SOBREVIVNCIA

    APRESENTAO

    Questes relativas segurana da embarcao dizem respeito no sao Comandante, mas a todos que encontram-se a bordo. Seguir asnormas de segurana ajuda a prevenir acidentes e situaes deemergncia.

    Em casos extremos, onde no seja possvel salvar a embarcao, oconhecimento das tcnicas de sobrevivncia o ajudaro a manter-sevivo espera de socorro.

    Mesmo em pequenos perodos de tempo, a sobrevivncia no mardepende de um adequado preparo fsico e psicolgico. Manter-seatualizado e adestrado a melhor maneira de evitar tragdiasmaiores.

    http://www.dpc.mar.mil.br/

  • Curso de Arrais Amador.......... http://www.clubedoarrais.com....... clubedoarrais@gmail.com

    110

    As Normas martimas brasileiras determinam que as embarcaes devem possuir a bordo equipamentos de salvatagem individuais e/ ou coletivos que garantam a sobrevivncia das pessoas em caso de naufrgio. Exemplos de Equipamentos de salvatagem individuais:

    Colete salva-vidas

    Bia salva-vidas Exemplos de equipamentos de salvatagem coletivos:

    Balsa salva-vidas Baleeira Balsa rgida

    EQUIPAMENTOS DE SALVATAGEM

  • Curso de Arrais Amador.......... http://www.clubedoarrais.com....... clubedoarrais@gmail.com

    111

    o principal equipamento de salvatagem a bordo de embarcaes. Cada pessoa a bordo deve possuir um colete individualmente.

    O colete apropriado para manter uma pessoa flutuando, mesmo as que no sabem nadar.

    Mesmo em estado de inconscincia, uma pessoa poder manter-se flutuando com a cabea fora da gua quando usando o colete salva-vidas.

    O equipamento deve ficar bem ajustado ao corpo, pois quando uma pessoa entra na gua, a tendncia do colete subir, causando desconforto, podendo at sair pela cabea se estiver mal colocado.

    MODO CORRETO DE VESTIR O COLETE SALVA-VIDAS

    CONSIDERAES SOBRE O COLETE SALVA-VIDAS

  • Curso de Arrais Amador.......... http://www.clubedoarrais.com....... clubedoarrais@gmail.com

    112

    Mais observaes sobre o colete salva-vidas:

    Dever ser guardado em local de fcil acesso. O nmero de coletes a bordo deve atender quantidade total de pessoas a bordo mais 10% desse total.

    A melhor maneira de saltar na gua utilizando o colete salva-vidas com as pernas esticadas e os ps juntos.

    No utilizar o colete como encosto, travesseiro ou brinquedo. Manter os coletes em bom estado de conservao. Todos os coletes existentes a bordo devem ser homologados pela DPC (Diretoria de Portos e Costas).

    De acordo com a NORMAM-03/DPC, o material de Salvatagem assim classificado:

    CLASSE I fabricado conforme requisitos previstos na Conveno Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar (SOLAS). Utilizados nas embarcaes empregadas na Navegao Ocenica.

    CLASSE II para uso nas embarcaes empregadas na Navegao Costeira.

    CLASSE III uso nas embarcaes empregadas na navegao interior.

  • Curso de Arrais Amador.......... http://www.clubedoarrais.com....... clubedoarrais@gmail.com

    113

    CLASSE IV emprego, por longos perodos, por pessoas envolvidas em trabalhos realizados prximos borda da embarcao ou suspensos por pranchas ou outros dispositivos, que corram risco de cair na gua acidentalmente.

    CLASSE V emprego exclusivo em atividades esportivas tipo moto-aqutica, banana-boat, esqui aqutico, windsurf, parasail, rafting, kitesurf, pesca esportiva, embarcaes de mdio porte (empregadas na navegao interior) e embarcaes midas.

    Tambm conhecida como BIA CIRCULAR, possui uma retinida (corda) que a mantm presa a bordo, possibilitando, assim, o recolhimento do nufrago. Essa retinida deve ser feita de material flutuante.

    CONSIDERAES SOBRE BIAS SALVA-VIDAS

    A BIA CIRCULAR deve ser afixada em local de fcil acesso e fcil retirada.

  • Curso de Arrais Amador.......... http://www.clubedoarrais.com....... clubedoarrais@gmail.com

    114

    CLASSES DE EMPREGO

    De acordo com a NORMAM-05/DPC, as bias salva-vidas so classificadas como:

    CLASSE I (SOLAS) - fabricadas conforme requisitos previstos na Conveno Internacional para Salvaguarda da Vida Humana no Mar (SOLAS). Utilizadas nas embarcaes empregadas na navegao em mar aberto e nas plataformas. Seu uso eficiente em qualquer tipo de gua, mar agitado e locais remotos onde o resgate pode ser demorado.

    CLASSE II - fabricadas com base nos requisitos SOLAS, abrandados para uso nas embarcaes empregadas na navegao de mar aberto, que operem somente em guas sob jurisdio nacional. Possui os mesmos requisitos de flutuabilidade das bias da classe I.

    CLASSE III - destinada ao uso nas embarcaes empregadas na navegao interior.

    Ainda de acordo com a NORMAM-05/DPC, os REQUISITOS PARA BIAS SALVA-VIDAS CIRCULARES especificam que as mesmas devero ser fabricadas de acordo as dimenses e massas constantes da tabela seguinte:

    A balsa salva-vidas uma embarcao de sobrevivncia capaz de preservar a vida das pessoas que esto em perigo a partir do momento do abandono da embarcao. Toda balsa salva-vidas dever ser construda de modo a ser capaz de resistir, flutuando, a uma exposio ao tempo, durante 30 dias (NORMAM-05/DPC). A balsa salva-vidas dever ser construda de tal modo que, se for lanada na gua de uma altura de 18 metros, juntamente com seus equipamentos, funcione satisfatoriamente (NORMAM-05/DPC).

    BALSAS INFLVEIS

  • Curso de Arrais Amador.......... http://www.clubedoarrais.com....... clubedoarrais@gmail.com

    115

    ESTRUTURA E ALGUNS EQUIPAMENTOS DE UMA BALSA SALVA-VIDAS: 1 - Luz sinalizadora. 2 - Coletores de gua de chuva ajudam a no passar sede. 3 - Facho manual, foguete, espelho de sinalizao, fumgeno, apito, lanterna, pilhas e refletor de radar servem para chamar a ateno e pedir socorro. 4 - A faca flutuante corta o cabo que liga a balsa ao barco e no tem ponta para no danificar a balsa. 5 - Revestimento em nilon e PVC. 7 - A rao slida uma goma nutritiva, e a lquida, uma gua especial para nufragos. Um abridor de latas serve para abrir a lata de rao lquida. 8 - ncora de mar, que serve para dar estabilidade embarcao. 9 - Uma esponja de espuma serve para secar a gua que entrar na balsa. 10 - Balsa de estabilizao. 11 - Os copos graduados para que cada pessoa controle a quantidade de gua ingerida. 12 - A balsa tambm conta com uma luz interna.

    A BALSA salva-vidas fica em um casulo fechado e se infla com um dispositivo especial (ampola de CO2) para ser utilizada pelos nufragos.

  • Curso de Arrais Amador.......... http://www.clubedoarrais.com....... clubedoarrais@gmail.com

    116

    Observaes importantes sobre a balsa salva-vidas: A cobertura de cor laranja serve para facilitar o avistamento pelas equipes de busca.

    O cabo que prende a balsa embarcao principal s deve ser cortado quando a embarcao j estiver afundando.

    Ao embarcar na balsa salva-vidas, balancear a distribuio de peso para que ela no venha a emborcar.

    A balsa class II s exigida em embarcao de esporte e recreio de alto-mar, qualquer que seja o seu comprimento. (Balsas classe II so para embarcaes que operam a partir de 60 milhas da costa).

    As balsas salva-vidas para embarcaes que operam em guas restritas so as da Classe III.

    A bateria da balsa ativada ao entrar em contato com a gua do mar, pelo processo de eltrlise.

    As balsas salva-vidas devem ser revisadas a cada 12 meses As ncoras flutuantes das balsas devem ser mantidas na gua, a fim de reduzir a velocidade de deriva (isso importante, pois as buscas por sobreviventes se concentraro na posio do naufrgio. Caso a balsa derive muito, corre o risco de no ser encontrada).

    A no ser que sejam avistados pontos de terra, ou que haja certeza de sua proximidade e da possibilidade de ancan-la, no deve ser feita qualquer tentativa de navegao com as embarcaes de sobrevivncia. Todos os planos de busca embarcao deriva tm como ponto bsico de referncia a posio informada ou estimada do do local do naufrgio.

    As EPIRB (Emergency Position Indicating Radio Beacon), emitem um sinal automtico de rdio nas frequncias de emergncia. Tal sinal permanece ativo por um perdo de tempo e servir para orientar as buscas nas proximidades do naufrgio. (a EPIRB um equipamento da embarcao).

    Em um naufrgio, a quantidade de gua que deve ser consumida por cada nufrago de 350 ml/dia (uma latinha).

    Em um naufrgio, a fadiga e o esgotamento resultantes de grandes privaes podem conduzir a distrbios mentais que produzem extremo nervosismo, atividade excessiva e violenta ou de estafa.

    A melhor forma de evitar o esgotamento psicolgico manter-se ocupado com as tarefas da balsa.

    ROTINA A BORDO DE UMA BALSA SALVA-VIDAS

  • Curso de Arrais Amador.......... http://www.clubedoarrais.com....... clubedoarrais@gmail.com

    117

    Os fatores que mais contribuem para a morte de nufragos so a falta de gua potvel e a exposio fsica ao ambiente.

    Deve-se utilizar os utenslios de pesca existente nas balsas, tanto para prover alimentao como para manter-se ocupado e relaxado.

    Nem todas as espcies de peixes podem ser usadas como alimento. Tambm no deve-se comer o peixe, mas apenas mastig-lo cru.

    Nas altas latitudes (prximo aos plos), o frio o maior causador de mortes entre os nufrago.