capítulo 10 – a origem de novas espécies

Download Capítulo 10 – a origem de novas espécies

Post on 24-Jan-2018

796 views

Category:

Science

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • A cincia por trs do evolucionismo

    O conhecimento cientfico, com base nas inmerasevidncias obtidas pela observao da prprianatureza e em experimentos de laboratrio, osnaturalistas e bilogos vm tentando explicar como avida surgiu, como a evoluo ocorre e qual teria sido aorigem da evoluo dos grandes grupos dos seres vivosatuais, com milhes de espcies adaptadas aosambientes que vivem.

  • A rvore filogentica Ao refletir sobre a origem e a diversificao dos seres vivos,

    Darwin comparou a histria evolutiva da vida a uma rvore: otronco seria representado pelos primeiros seres vivos, que logoteriam se diversificado e originado ramos, correspondentes snovas linhagens de organismos.

    As rvores filogenticas so diagramas que representam essas relaes de ancestralidade e descendncias, consistindo em linhas que se bifurcam de acordo com a existncia no passado de um evento que transformou uma espcie em duas novas espcies. A juno desta bifurcao chama-se n, onde representa esse momento de diversificao e o ancestral em comum das espcies que se localizam na ponta de cada uma das bifurcaes.

  • rvore filogentica dos mamferos

  • Diversificao da vida

    Como os seres vivos evoluem e se diversificao?

  • Conceito de espcie

    O termo espcie vem do latim species e significa tipo, tudo, qualidade. No sculo XVIII, o botnico sueco sueco Carolus Linnaeus, ou Lineu (1707 1778),

    empregou o termo espcie para indicar cada conjunto de seres vivos em que os indivduos apresentam grandes semelhanas fsicas, com um padro morfolgico comum e tpico do grupo.

  • Exemplos de espcies

  • Espcie biolgica Sob o ponto de vista biolgico, a espcie um grupo

    natural constitudo pelo conjunto de populaes cujos indivduos, com o mesmo fundo gentico, so morfologicamente semelhantes e podem cruzar-se entre si, originando descendentes frteis.

  • Especiao

    As especiaes podem ser entendidas como processos que levam formao de novas espcies. Elas ocorrem em virtude das diferenas surgidas no genoma de populaes diferentes de uma mesma espcie que ocasionaram o isolamento reprodutivo e, consequentemente, o aparecimento de duas espcies diferentes. O isolamento reprodutivo consiste na incapacidade de os indivduos trocarem os genes atravs do cruzamento.

  • Espcies em formao: o conceito de subespcie

    uma subdiviso da espcie. Normalmente isso ocorre quando duas ou mais populaes de uma mesma espcie se separam indo viver em regies diferentes e por ficarem separados por barreiras geogrficas por muitas e muitas geraes e no existindo trocas de genes entre essas populaes isoladas umas das outras os grupos isolados uns dos outros sofrem mutaes com o tempo e assim aparecendo diferenciaes genticas e surgimento de novas subespcies ou raas nessa mesma espcie.

    EX.:Tubaro-martelo uma subespcie de tubaro

  • Subespcies de tubaroTubaro Tubaro-martelo

  • Isolamento reprodutivo O isolamento reprodutivo representa a incapacidade de

    espcies diferentes de se cruzarem ou caso se cruzarem, de produzirem descendentes frteis.

    Durante a evoluo, as populaes passaram por processos de diferenciao, proporcionando um nvel de isolamento orgnico que resultou na enorme biodiversidade biolgica existente.

    Sendo os mecanismos de isolamento reprodutivo, causado pelos seguintes fatores: incompatibilidade gentica, fsica ou comportamental.

  • A vida nos mares primitivos

    Os primeiros seres vivos

  • Os cientistas acreditam que foi no inicio do Pr-Cambriano, que surgiram as molculas precursoras da vida , cuja a principal caracterstica era a capacidade de alto duplicao.

    Essas molculas teriam originado os sistemas complexos, capazes de realizar certos tipos de reaes qumicas, mobilizando energia para manter sua organizao molecular, para o crescimento e a multiplicao.

    O aparecimento desses Sistemas alto duplicativos, que se mantinham isolados do ambiente por um envoltrio membranoso, marcando o inicio da histria da vida na terra.

    Acredita-se que esses sistemas devem ter surgidos h cerca de 3,5bilhes de anos , e so os ancestrais de todos os seres vivos.

  • Primeiros seres vivosOrganismo celulares procariontes .

    Unicelulares.

    Vivem Isolados ou formam colnias.

    Hetertrofos ou auttrofos.

    Aerbicos ou anaerbicos (facultativos ou restritos).

    So de vida livres ou parasitas .

    Geralmente com paredes celular.

    Auttrofos fotossintetizantes ou quimiossintetizantes .

  • Um passo importante na histria no aparecimento dos seres multicelulares, clulas resultantes da multiplicao de uma clula inicial passaram a viver juntas e a dividir tarefas de sobrevivncia .Com o tempo surgiram organismos com clulas cada vez mais especializadas no desempenho de funes diversas, o que levou o aparecimento dos tecidos dos rgos dos organismos multicelulares

  • 1) PIRANIA, 2) VAUXIA, 3) WAPKIA, 4) AYSHEAIA, 5) HALLUCIGENIA, 6)

    ANOMALOCARIS, 7) LAGGANIA, 8) MARRELA, 9) ODARIA, 10) TRILOBITE

    OLENOIDES, 11) SANCTACARIS, 12) SAROTROCERCUS, 13) OTTOIA, 14)

    CANADIA, 15) PIKAIA, 16) AMISKWIA, 17) DINOMISCHUS, 18) ELDONIA, 19)

    ODONTOGRIPHUS, 20) OPABINIA, 21) WIWAXIAIMAGEM: COLD SPRING HARBOR LABORATORY PRES

  • conquista do ambiente da terra firme

    A adaptao dos seres vivos em terras desconhecidas

  • A vida antes estava restrita ao ambiente aqutico. Antes disso possvel que houvesse bactrias e algas vivendo em barrancos, mas as plantas primitivas parecem ter surgido s por volta de 470m.a , a partir de um grupo de algas multicelulares que se adaptaram a condies sem gua.

    Os primeiros habitantes da terra firme foram os fungos, h cerca de 1,3 Bilhes de anos. Esses fungos, associando se algas/bactrias fotossintetizantes, teriam formados os liquens, que se espalharam pelos continentes .

    As primeiras plantas de terra firme s se diversificaram em grande escala aps uma onda de extino em massa por volta de 443m.a. ocorreu devido a um grande calor que permitiu a vida de seres complexos, tambm diminuiu o nvel dos oceanos.

    Acredita-se que o ambiente seco, fornecia a esses seres alimentos e abrigo. Tudo indica que os primeiros animais a conquistaram o ambiente de terra firme fora os artrpodes.

  • O fssil terrestre mais antigoFssil de Pneumodesmus newmani Pneumodesmus newmani (cerca de 5,5 cm)

  • Representao artstica de uma floresta do perodo carbonfero

  • Breve histria da origem dos Tetrpodes

  • Os anfbios foram os primeiros a habitar a terra firme, mas no conquistaram totalmente, pois sua reproduo continuou dependendo do meio aqutico. Ainda hoje, os vulos e os espermatozoides so eliminados na gua e a fecundao ocorre fora do corpo da fmea: quando larva desenvolve-se uma respirao branquial , e somente adulto desenvolve pulmes , e adquirem outras caractersticas a vida em terra firme.

    A Expanso dos anfbios se deu em 375m.a e 360m.a.O clima da poca era quente e mido, permitindo o desenvolvimento de grande florestas, propiciando a proliferao de artrpodes.Nessa poca havia liblulas gigantes, podendo atingir at 65Cm de envergadura

    Por dezenas de milhes de anos os anfbios foram os animais dominantes em terra firme, algumas espcies anfbias chegavam a atingir 9m, e eram predadores ferozes.No perodo Siluriano, uma viagem primitivas dos peixes desenvolveu a mandbula, facilitando a captura dos alimentos.

  • Processo de adaptao ao solo Gradativamente, no processo de

    evoluo, foram selecionados os indivduos com caractersticas mais adaptadas ao meio areo; suas nadadeiras evoluram, dando origem a membros semelhantes a pernas. Da teriam surgido os tetrpodes, ente 408M.a e 360M.a. Em uma regio ao Sul da Polnia h pegadas fsseis deixadas por um tetrpode primitivo, por volta de 397 M.a .Trata-se da mais antiga evidencia de um vertebrado de terra firme, 18 milhes de anos anterior aos mais antigos ossos de tetrpodes fossilizados.

  • Histria dos anfbios

    Histria da evoluo e adaptao dos anfbios

  • Os anfbios foram os primeiros seres vertebrados a conquistar a terra firme, pois todas as outras formas de vida dependiam do meio aqutico para sobrevivncia. De acordo com evidncias de fsseis encontrados h 400 milhes de anos (Perodo Devoniano), os anfbios evoluram a partir dos peixes. Tal constatao revela que ns, seres humanos, somos descendentes dessas fascinantes criaturas chamadas anfbios.Foram cinco as espcies de peixes (Crossopterygians) que deram origem aos anfbios. Essas espcies ainda existem no Brasil, na Austrlia e em partes da frica.Inicialmente, os anfbios eram bastante diferentes de como os conhecemos hoje: a espcie s adquiriu a forma atual h 250 milhes de anos. O recorde de idade da existncia dos anfbios decorrente do registro de pegadas encontradas no sul do Brasil. O fssil mais antigo de um anfbio com a forma atual das rs (ou sapos), conhecido como Triadobatrachus, foi encontrado, em excelente estado de preservao, em Madagascar, em uma decomposio de sedimentos datada do Perodo Trisico (220-230 milhes de anos atrs). Para ter uma ideia de como sua existncia antiga, vale comparar que o homem moderno s surgiu h 100 mil anos e os homindeos existiam h, pelo menos, 2 milhes de anos.

  • Primeiros anfbios Anfbios atualmente

  • Origem das aves

    Breve histria da evoluo das aves

  • As aves evoluram no perodo Jurssico , entre 201,3m.a e 145m.a, a partir de uma linhagem de dinossauros, e so consideradas remanescentes desses animais. Os especialistas ponderam que aves e repteis atuais , a pesas das aparncias diferentes, so essencialmente semelhantes e deviam ser includas nas mesmas categorias taxonmica.

    A presenas de penas deixou

Recommended

View more >