capital social como elemento de inovaÇÃo .capital social como um conjunto de laços e normas de

Download CAPITAL SOCIAL COMO ELEMENTO DE INOVAÇÃO .capital social como um conjunto de laços e normas de

Post on 30-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • CAPITAL SOCIAL COMO ELEMENTO DE INOVAO TECNOLGICA EDUCACIONAL - ESTUDO DE CASO DA ESCOLA PROFESSOR JOO BENTO DA COSTA

    RICARDO ALVES OLIVEIRAFUNDAAO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDNIA - UNIRricardo.alves@unir.br

    GLEIMIRIA BATISTA DA COSTAUniversidade Federal de Rondnia - UNIRgleimiria@unir.br

    FBIO ROBSON CASARA CAVALCANTEUNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDNIAricardo.alves@unir.br

    JOLIZA CHAGAS FERNANDESUniversidade Federal de Rondniajolizahunir@gmail.com

    ILUSKA LOBO BRAGAUniversidade Federal de Rondniailuskalobo@gmail.com

  • CAPITAL SOCIAL COMO ELEMENTO DE INOVAO TECNOLGICA EDUCACIONAL

    - ESTUDO DE CASO DA ESCOLA PROFESSOR JOO BENTO DA COSTA

    RESUMO: O conceito de capital social e sua aplicao constituem uma das mais difundidas

    linhas de anlise no contexto atual das cincias sociais. De modo resumido, pode-se definir

    capital social como um conjunto de laos e normas de confiana e reciprocidade contidos numa

    comunidade que facilitam a produo de capital fsico e capital humano. Criada pelo Decreto n

    7812 de 25 de abril de 1997, promulgada pelo ento Governador Valdir Raupp de Matos no dia

    26 de maio de 1997, a Escola Estadual Joo Bento da Costa reconhecida como referencia na

    excelncia em educao pblica no Estado de Rondnia. O objetivo deste artigo fazer a relao

    entre o estudo de Putnam na Itlia e o fenmeno observado na Escola Estadual Professor Joo

    Bento da Costa.

    PALAVRAS-CHAVE: Capital Social. Excelncia. Confiana. Reciprocidade.

    CAPITAL TECHNOLOGY AS EDUCATIONAL INNOVATION ELEMENT - CASE STUDY

    SCHOOL PROFESSOR JOO BENTO DA COSTA

    ABSTRACT: The concept of social capital and its application is one of the most widespread

    lines of analysis in the current context of social sciences. Briefly, we can define social capital as a

    set of ties and trust and reciprocity rules contained in a community that facilitate the production

    of physical capital and human capital. Created by Decree No. 7812 of April 25, 1997,

    promulgated by then Governor Valdir Raupp de Matos on May 26, 1997, the State School Joao

    Bento da Costa is recognized as a reference in excellence in public education in the state of

    Rondonia. The purpose of this article is to make the relationship between the study of Putnam in

    Italy and the phenomenon observed in the State School Professor Joo Bento da Costa.

    KEYWORDS: Social Capital. Excellence. Confidence. Reciprocity.

  • 1

    INTRODUO

    A Educao Pblica no Brasil passa por uma fase difcil, com cortes de verbas e

    Profissionais desvalorizados, comprometendo o desenvolvimento das nossas futuras geraes.

    Quem possui condies financeiras um pouco melhores do que a maioria investe na educao

    privada dos seus filhos.

    Porm, mesmo nesse cenrio com tanta desigualdade de recursos entre a rede pblica e a

    privada, existem escolas que se destacam e uma dessas a Escola Estadual de Ensino Mdio

    Professor Joo Bento da Costa que com o seu Projeto Terceiro destaca-se das outras Escolas

    estaduais e concorre em igualdade com as melhores escolas privadas do estado de Rondnia.

    Como isso possvel? O que ocorre nessa Escola que a diferencia das outras escolas pblicas e a

    coloca no mesmo nvel de desempenho das Escolas Privadas?

    Robert Putnam em seu estudo sobre a Itlia demonstrou que h uma forte correlao entre

    modernidade econmica e desempenho institucional e que este desempenho correlaciona-se

    natureza da vida cvica, ao Capital Social, esse conjunto de laos e normas de confiana e

    reciprocidade contidos numa comunidade que facilitam a produo de capital fsico e capital

    humano, explicando o melhor desempenho da Regio Norte em relao a Regio Sul da Itlia.

    O objetivo deste artigo fazer a relao entre o estudo de Putnam na Itlia e o fenmeno

    observado na Escola Estadual Professor Joo Bento da Costa, corroborando a teoria de Putnam

    que define capital social como a capacidade de grupos e organizaes que formam a sociedade

    civil desenvolverem trabalhos coletivos no alcance de objetivos comuns, possibilitadores de

    maior eficincia na produo coletiva de riqueza, ou no caso apresentado aqui, de conhecimento.

    Foram utilizados as notas do Enem disponibilizadas pelo INEP, os dados do CENSO

    escolar e os dados sobre verba escolar disponibilizados pela SEDUC RO.

    1 REVISO BIBLIOGRFICA

    Na literatura acadmica contempornea, o conceito de capital social discutido de duas

    maneiras relacionadas (mas claramente diferenciadas). 5 A primeira, associada aos socilogos

    Ronald Burt, Nan Lin e Alejandro Portes, refere-se aos recursos como, por exemplo,

    informaes, idias, apoios que os indivduos so capazes de procurar em virtude de suas

    relaes com outras pessoas. Esses recursos (capital) so sociais na medida em que so

    acessveis somente dentro e por meio dessas relaes, contrariamente ao capital fsico

    (ferramentas, tecnologia) e humano (educao, habilidades), por exemplo, que so,

    essencialmente, propriedades dos indivduos. A segunda (e mais comum) abordagem acerca do

    capital social, mais precisamente associada ao cientista poltico Robert Putnam, refere-se

    natureza e extenso do envolvimento de um indivduo em vrias redes informais e organizaes

    cvicas formais. (QI-MCS)

    O conceito de capital social e sua aplicao constituem uma das mais difundidas linhas de

    anlise no contexto atual das cincias sociais. A crena de que uma sociedade dotada de redes de

    confiana e solidariedade horizontais produz instituies slidas algo que est na agenda do dia

    para pesquisadores que se dedicam ao estudo das melhores condies na relao pblico-privado

    capazes de promover a boa governana.

  • 2

    Segundo Putnam (1993:1), capital social refere-se a aspectos da organizao social, tais

    como redes, normas e laos de confiana que facilitam a coordenao e cooperao para

    benefcios mtuos. Capital social aumenta os benefcios de investimento em capital fsico e

    capital humano. Putnam (1996) revela em seu estudo que h uma forte correlao entre

    modernidade econmica e desempenho institucional e que este desempenho correlaciona-se

    natureza da vida cvica.

    De modo resumido, pode-se definir capital social como um conjunto de laos e normas de

    confiana e reciprocidade contidos numa comunidade que facilitam a produo de capital fsico e

    capital humano. Nas palavras de um dos principais tericos do capital social na atualidade,

    Robert Putnam (2000:19), enquanto capital fsico refere-se a objetos fsicos e capital humano

    refere-se s propriedades dos indivduos, capital social refere-se conexes entre indivduos

    redes sociais e normas de reciprocidade e confiana que aumentam a produo de capital fsico e

    capital humano.

    Putnam (1996) estudou empiricamente durante mais de 20 anos o processo de

    descentralizao do governo italiano, que se inicia a partir de 1970, analisando comparativamente

    o carter da mudana e do desempenho institucional entre os governos das vrias regies do pas.

    Seu estudo revela que h uma forte correlao positiva entre modernidade econmica e

    desempenho institucional e que o desempenho institucional tem forte correlao positiva com a

    natureza da vida cvica.

    Utilizando para seu estudo das 20 regies italianas uma metodologia comparativa a partir de

    anlise fatorial e regresso mltipla, entre 1976 e 1989, Putnam realizou mais de 700 entrevistas.

    Criada pelo Decreto n 7812 de 25 de abril de 1997, promulgada pelo ento Governador

    Valdir Raupp de Matos no dia 26 de maio de 1997, a Escola Estadual Joo Bento da Costa

    reconhecida como referencia na excelncia em educao pblica no Estado de Rondnia, cuja

    referncia bsica alicera nas peculiaridades inerentes ao ensino.

    Prova disso a nota dessa escola no Enem, quando comparada com todas as escolas de RO,

    aparece destacada em meio a Escolas Particulares Renomadas no estado e aos Institutos Federais.

    2 METODOLOGIA

    O artigo foi elaborado por meio de uma pesquisa Quantitativa, Qualitativa e bibliogrfica

    com fontes secundrias de dados(INEP, ENEM, SEDUC), com tratamento quantitativo e

    qualitativo. Foram aplicados 63 questionrios de Capital Social do Banco mundial aos alunos da

    Escola Joo Bento da Costa, com os resultados tabulados e classificados posteriormente.

    O Exame Nacional do Ensino Mdio comeou a ser implantado em 2004. No incio o

    intuito do MEC era o de medir o desempenho dos alunos que estavam no ltimo ano do ensino

    mdio, (antigo segundo grau). Atualmente, as notas obtidas no Exame so utilizadas de diversas

    maneiras, inclusive como requisito de acesso ao ensino superior em instituies pblicas e

    privadas de todo pas.

    Os resultados tambm auxiliam tanto estudantes quanto pais, professores, diretores das

    escolas e gestores educacionais a refletirem sobre a eficcia do aprendizado no Ensino Mdio,

    podendo servir como subsdio para estabelecer estratgias de melhoria da qualidade da educao.

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais INEP disponibiliza os

    resultados por escola, divididas em privadas, municipais, estaduais e federais, com notas

    separadas pelas reas de proficincia, possibilitando a anlise pela comunidade escolar e pelas

    famlias, para que se percebam os avanos e deficincias.

  • 3

    O principal indicador de desempenho adotado para definir a nota das escolas foi a mdia do

    Enem. Nesse estudo foram consideradas apenas as escolas estaduais do estado de Ro

Recommended

View more >