capacidade de suporte de carga de um latossolo de suporte... · alice; simone de oliveira...

Download CAPACIDADE DE SUPORTE DE CARGA DE UM LATOSSOLO de suporte... · Alice; Simone de Oliveira (secretária…

Post on 10-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • CAPACIDADE DE SUPORTE DE CARGA DE UM LATOSSOLO APS TRS DCADAS DE

    DIFERENTES MANEJOS DE PLANTAS INVASORAS EM UMA LAVOURA CAFEEIRA

    CEZAR FRANCISCO ARAUJO JUNIOR

    2010

  • CEZAR FRANCISCO ARAUJO JUNIOR

    CAPACIDADE DE SUPORTE DE CARGA DE UM LATOSSOLO APS TRS DCADAS DE DIFERENTES MANEJOS DE PLANTAS

    INVASORAS EM UMA LAVOURA CAFEEIRA

    Tese apresentada Universidade Federal de Lavras, como parte das exigncias do Programa de Ps-Graduao em Cincia do Solo, rea de concentrao em Recursos Ambientais e Uso da Terra, para a obteno do ttulo de Doutor.

    Orientador

    Prof. PhD. Moacir de Souza Dias Junior

    LAVRAS MINAS GERAIS BRASIL

    2010

  • Ficha Catalogrfica Preparada pela Diviso de Processos Tcnicos da Biblioteca Central da UFLA

    Araujo Junior, Cezar Francisco. Capacidade de suporte de carga de um Latossolo aps trs dcadas de diferentes manejos de plantas invasoras em uma lavoura cafeeira / Cezar Francisco Araujo Junior. Lavras : UFLA, 2010.

    143 p. : il. Tese (doutorado) Universidade Federal de Lavras, 2010. Orientador: Moacir de Souza Dias Junior. Bibliografia. 1. Curva de compresso do solo. 2. Presso de preconsolidao.

    3. Ensaio de compresso uniaxial. 4. Umidade crtica. 5. Carbono orgnico do solo. 6. Distribuio de tenses em solos. I. Universidade Federal de Lavras. II. Ttulo.

    CDD 631.43

  • CEZAR FRANCISCO ARAUJO JUNIOR

    CAPACIDADE DE SUPORTE DE CARGA DE UM LATOSSOLO APS TRS DCADAS DE DIFERENTES MANEJOS DE PLANTAS

    INVASORAS EM UMA LAVOURA CAFEEIRA

    Tese apresentada Universidade Federal de Lavras, como parte das exigncias do Programa de Ps-Graduao em Cincia do Solo, rea de concentrao em Recursos Ambientais e Uso da Terra, para a obteno do ttulo de Doutor.

    APROVADA em 15 de janeiro de 2010

    Prof. Dr. Geraldo Csar de Oliveira UFLA

    Prof. Dr. Mozart Martins Ferreira UFLA

    Pesq. Dr. Arystides Resende Silva Embrapa Amaznia Oriental

    Pesq. Dr. Paulo Tcito Gontijo Guimares CTSM-Epamig

    Prof. PhD. Moacir de Souza Dias Junior

    UFLA

    (Orientador)

    LAVRAS

    MINAS GERAIS BRASIL

  • A instruo dote que no se gasta, direito que no se

    perde, liberdade que no se limita.

    Aos meus Pais,

    Cezar Francisco Araujo (in memoriam) e

    Ceclia Blanco Garcia Araujo,

    por ensinarem o valor do trabalho e da educao.

    Aos meus irmos, Cntia Garcia Arajo,

    Raul Nogueira Arajo Neto e

    Josemara Garcia Arajo,

    pela compreenso e apoio indispensvel,

    sem os quais no seria possvel

    a realizao deste trabalho.

    Ao meu afilhado Cau Araujo Brito.

    DEDICO

  • A tica da entidade na educao profissional deve trabalhar

    permanentemente as condutas dos alunos para fazer deles defensores do valor

    da competncia, do mrito, da capacidade de fazer bem feito, contra os

    favoritismos de qualquer espcie, e da importncia da recompensa pelo

    trabalho bem feito que inclui o respeito, o reconhecimento e a remunerao

    condigna.

    A competncia no se limita ao conhecer, mas vai alm porque

    envolve o agir numa situao determinada: no apenas saber, mas saber

    fazer. Para agir competentemente preciso acertar no julgamento da

    pertinncia, ou seja, posicionar-se diante da situao com autonomia para

    produzir o curso de ao mais eficaz. A competncia inclui o decidir e agir em

    situaes imprevistas, o que significa intuir, pressentir arriscar com base na

    experincia anterior e no conhecimento.

    Ser competente ser capaz de mobilizar conhecimentos, informaes

    e at mesmo hbitos, para aplic-los, com capacidade de julgamento, em

    situaes reais e concretas, individualmente e com sua equipe de trabalho.

    Sem capacidade de julgar, considerar, discernir e prever os resultados de

    distintas alternativas, eleger e tomar decises, no h competncias. Sem os

    valores da sensibilidade e da igualdade no h julgamentos ou escolhas

    autnomas que produzam prticas profissionais para a democracia e a

    melhoria da vida. Parafraseando o Parecer CNB/CEB 15/98, sem

    conhecimento no h constituio da virtude, mas sozinhos os conhecimentos

    permanecem apenas no plano intelectual. So inteis como orientadores

    das prticas humanas.

    Texto extrado da Lei Federal n 5.692/71 que reformulou a Lei

    Federal n 4.024/61 no tocante ao ensino de primeiro e segundo grau.

  • AGRADECIMENTOS

    A Deus, pelo dom da vida, sade e por proporcionar esta oportunidade.

    Universidade Federal de Lavras (UFLA), especialmente ao

    Departamento de Cincia do Solo, pela oportunidade de realizao do

    doutorado.

    Coordenao de Aperfeioamento de Pessoal de Ensino Superior

    (Capes), pela concesso da bolsa de estudos.

    Ao professor Moacir de Souza Dias Junior, pela orientao,

    ensinamentos, amizade e confiana, ao longo dos anos de trabalho.

    Aos pesquisadores da Epamig/CTSM, Paulo Tcito Gontijo Guimares

    pela amizade e coorientao no trabalho, alm da participao na banca

    examinadora; Elifas Nunes de Alcntara, por conceder a rea para o estudo,

    auxiliar no desenvolvimento e transmitir conhecimentos imprescindveis para o

    desenvolvimento do presente trabalho.

    Aos professores Geraldo Csar de Oliveira e Mozart Martins Ferreira,

    pela amizade, conselhos e disponibilidade para participar da banca examinadora.

    A todos os professores do DCS/UFLA, pelo conhecimento transmitido,

    auxlio e contribuio ao trabalho.

    Ao pesquisador Dr. Arystides Resende Silva, da Embrapa Amaznia

    Oriental, pela amizade, disponibilidade e participao na banca examinadora.

    Aos funcionrios do Laboratrio de Fsica do Solo, Dulce Claret Moraes,

    Doroteo e Delanne Ribeiro, pela amizade e considerao por mim.

    Aos professores Donald Gabriels (Ghent University-Blgica), Donald

    Nielsen (University of California, Davies, USA), Idelfonso Pla Sentis

    (Universitad Llieida, Espanha) e Edward Skidmore (USDA, Kansas, USA),

    diretores do College on Soil Physics, realizado em 2007 no The Abdus Salam

    International Centre for Theoretical Physics, Trieste, Itlia, pela oportunidade de

    participao, que proporcionou grande enriquecimento profissional e pessoal.

  • Aos professores Moacir de Souza Dias Junior (DCS-UFLA), Deyanira

    Lobo (Universidad Central de Venezuela) e Donald Gabriels (Ghent University-

    Blgica), diretores da Escuela Latinoamericana de Fsica de Suelos, ELAFIS,

    realizada no Departamento de Cincia do Solo da Universidade Federal de

    Lavras, Minas Gerais, no ano de 2009, pela oportunidade de participao,

    organizao e proferir uma palestra no evento.

    A todos os funcionrios da Epamig de So Sebastio do Paraso, MG,

    especialmente Paulo Guido de Azevedo, Homero Jos Lemos, Antnio Eguimar

    Pereira Xavier e Juracy Jnior de Oliveira.

    Aos colegas de trabalho que passaram pelo Laboratrio de Fsica do

    Solo, Marcos Koiti Kondo, Reginaldo Barbosa da Silva, Welington Willian

    Rocha, Ivoney Gontijo, Ayodele Ebenezer Ajayi (Federal University of

    Technology, Ondo State Akure, Nigria), Giovana Alcntara Maciel e Fabrcio

    de Menezes Telo Sampaio.

    Ao Consrcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Caf

    CBP&D/Caf, pelo apoio financeiro para o desenvolvimento do presente estudo.

    A todos os colegas da ps-graduao, especialmente: Bruno Silva Pires,

    Piero Iori, Aretusa Daniela Resende Mendes (DBI), Marcelo Rodrigues (DBI),

    Eduardo da Costa Severiano, Junior Csar Avanzi (ps-doutorando), Geila dos

    Santos Carvalho, Maurcio Vicente Alves, Michele Duarte de Menezes, Karina

    Marie Kamimura, Leandro Marciano Marra, Ayeska Hubner Braga Nunes, Carla

    Eloize Carducci, Elen Alvarenga, Daniela Aparecida Andrade, Paula SantAnna

    Moreira Pais, Bruno Lima Soares, Ciro Augusto de Souza Magalhes, Fbio

    Satoshi Higashikawa, Fabrcio Willian de vila, Rodrigo Martins Ribeiro, Slvio

    Jnio Ramos, Vitria de Souza Oliveira e Waldete Japiassu de Oliveira.

    Aos funcionrios do Departamento de Cincia do Solo da UFLA: Maria

    Alice; Simone de Oliveira (secretria da Ps-Graduao), Pezo, Cleuza e

    Eliane.

  • BIOGRAFIA

    CEZAR FRANCISCO ARAUJO JUNIOR, filho de Cezar Francisco Araujo e

    Ceclia Blanco Garcia, nasceu na cidade de Trs Pontas, no Sul de Minas Gerais.

    No mesmo municpio concluiu o ensino bsico, passando pelas escolas Corao

    de Jesus, Escola Estadual Cnego Jos Maria e Escola Estadual Prefeito Jacy

    Junqueira Gazola, nesta ltima concluiu o ensino fundamental.

    Aos 14 anos ingressou no ensino mdio, no Curso Tcnico da Escola

    Agrotcnica Federal de Muzambinho, MG, onde obteve ttulo de tcnico em

    agropecuria, no ano de 1997. No ano 2000, aps longas jornadas no curso Pr-

    Vestibular CEVEST, em Lavras, ingressou no curso de Agronomia da

    Universidade Federal de Lavras. Iniciou a iniciao cientfica no Departamento

    de Cincia do Solo/Laboratrio de Fsica do Solo, sob orientao do Prof.

    Moacir de Souza Dias Junior. Graduou-se em Agronomia na UFLA no ano de

    2005. No mesmo ano ingressou no Mestrado do Programa de Ps-Graduao em

    Solos e Nutrio de Plantas do Departamento de Cincia do Solo (DCS-UFLA).

    Em 2007, iniciou o doutorado na mesma instituio e departamen