CAPA Manual Transparencia FINAL - cnmp.mp.br ?· Público -, tem por finalidade veicular dados e informações…

Download CAPA Manual Transparencia FINAL - cnmp.mp.br ?· Público -, tem por finalidade veicular dados e informações…

Post on 08-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • Braslia, 2015

  • EXPEDIENTE 2016, Conselho Nacional do Ministrio PblicoPermitida a reproduo mediante citao da fonte

    COMPOSIO DO CNMPRodrigo Janot Monteiro de Barros (Presidente)Cludio Henrique Portela do Rego (Corregedor Nacional)Antnio Pereira DuarteMarcelo Ferra de CarvalhoEsdras Dantas de SouzaWalter de Agra JniorLeonardo Henrique de Cavalcante CarvalhoFbio George Cruz da NbregaGustavo do Vale RochaOtavio Brito LopesFbio Bastos SticaOrlando Rochadel MoreiraSrgio Ricardo de SouzaValter Shuenquener de Arajo

    SECRETARIA-GERALSilvio Roberto Oliveira de Amorim Junior (Secretrio-Geral)Guilherme Guedes Raposo (Secretrio-Geral Adjunto)

    PROJETO GRFICO, REVISO E DIAGRAMAOGrfica e Editora Movimento

    SUPERVISO EDITORIAL E REVISOAssessoria de Comunicao do CNMP

    Conselho Nacional do Ministrio PblicoManual do Portal da Transparncia do Ministrio Pblico/ Conselho

    Nacional do Ministrio Pblico. 4. ed. Braslia : CNMP, 2016.

    150 p. il.

    1. Ministrio Pblico. 2. Comit Gestor Permanente do Portal da Transparncia (Portaria CNMP-PRESI n 93 de 09 de agosto de 2016). I. Brasil. Conselho Nacional do Ministrio Pblico.

    Biblioteca/CNMP CDD 341.413

  • MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DOMINISTRIO PBLICO

    4 Edio

    COMIT GESTOR PERMANENTE DO PORTAL DA TRANSPARNCIA

    (PORTARIA CNMP-PRESI N 93, DE 9 DE AGOSTO DE 2016)

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO

    SUMRIO

    APRESENTAO .....................................................................................................111. INTRODUO .......................................................................................................132. FINALIDADE .........................................................................................................153. IDENTIDADE VISUAL ............................................................................................164. PGINA INICIAL: PADRES DE NAVEGAO DO NOVO PORTAL ............................17

    4.1. PRIMEIRO NVEL DE NAVEGAO ...............................................................194.2. SEGUNDO NVEL DE NAVEGAO ...............................................................20

    4.2.1. Execuo Oramentria e Financeira ............................................204.2.2. Licitaes, Contratos e Convnios .................................................214.2.3. Gesto de Pessoas ..........................................................................224.2.4. Planejamento Estratgico ...............................................................234.2.5. Contato ..............................................................................................244.2.6. Contracheque ...................................................................................254.2.7. Atividade-fim ......................................................................................274.2.8. Servio de Informaes ao Cidado - SIC .....................................304.2.9. Publicao Anual do SIC ..................................................................31

    5. INFORMAES GERAIS ......................................................................................325.1. FORMATO DA APRESENTAO DAS INFORMAES ....................................325.2. DADOS ANTERIORES RESOLUO CNMP N 86/2012 .............................325.3. DVIDAS E SUGESTES .............................................................................33

    6. MODELOS DE RELATRIOS .................................................................................346.1. ORAMENTO E FINANAS ..........................................................................35

    6.1.1. Crdito Oramentrio e Receitas Prprias ....................................356.1.2. Fundos: Saldos e Receitas ..............................................................376.1.3. Detalhamento das Despesas .........................................................396.1.4. Despesas por Ao Oramentria .................................................436.1.4. Despesas por Ao Oramentria .................................................446.1.6. Despesas com Carto Corporativo e Suprimento

    de Fundos .........................................................................................486.1.7. Dirias e Passagens .........................................................................50

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO

    6.1.8. Outros Benefcios: pagamentos no registrados em contracheque .............................................................................52

    6.1.10. Limite de Gastos com Pessoal (Relatrio de Gesto Fiscal) ..........................................................54

    6.1.11. Prestao de Contas Anual ...........................................................546.2. LICITAES, CONTRATOS E CONVNIOS .....................................................55

    6.2.1. Licitaes ...........................................................................................556.2.2. Dispensas e Inexigibilidades ...........................................................576.2.3. Contratos ...........................................................................................59

    6.2.3.1. Termos Aditivos Contratos ....................................................616.2.4. Convnios e Instrumentos Congneres ........................................62

    6.2.4.1. Termos Aditivos Convnios e Instrumentos Congneres ...............................................................................64

    6.2.5. Atas de Registro de Preo Prprias e Aderidas ............................656.2.6. Prestadores de Servios ..................................................................67

    6.3. GESTO DE PESSOAS .................................................................................686.3.1. Quadro de Membros ........................................................................68

    6.3.1.1. Ativos ...........................................................................................686.3.1.2. Inativos .......................................................................................706.3.2.1. Ativos ..........................................................................................71

    6.3.4. Servidores Cedidos ..........................................................................756.3.4.1. Para o Ministrio Pblico .........................................................756.3.4.2. Pelo Ministrio Pblico .............................................................77

    6.3.5. Membros/Servidores com Funes Gratificadas ou Cargos em Comisso .................................................................79

    6.3.5.1. Membros ....................................................................................796.3.7.1. Membros ....................................................................................836.3.7.2. Servidores ..................................................................................83

    6.3.8. Estrutura Remuneratria .................................................................836.3.8.1. Membros ....................................................................................836.3.8.2. Servidores ..................................................................................836.3.9.1. Membros ....................................................................................846.3.9.2. Servidores ..................................................................................85

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO

    6.3.11.1. Membros ..................................................................................886.3.12.1. Membros ..................................................................................906.3.12.2. Servidores ................................................................................91

    7. TPICOS DA RESOLUO CNMP N 89/2012 .....................................................927.1. Planejamento Estratgico ..........................................................................927.2. Contato ......................................................................................................937.3. E-mail institucional dos membros ...............................................................937.5. Contracheque ............................................................................................95

    7.5.1. Tabela I do Anexo da Resoluo CNMP n 89/2012 (alterada pela Resoluo CNMP n 148/2016) ..........................95

    7.5.2. Tabela II do Anexo da Resoluo CNMP n 89/2012 (alterada pela Resoluo CNMP n 148/2016) ...........................96

    7.6 Atividade-fim ...............................................................................................977.6.1 Estudos e Levantamentos Estatsticos da Atuao .......................97

    7.7. Servio de Informao ao Cidado SIC ....................................................1007.8. Publicao Anual do SIC ...........................................................................100

    8. ANEXOS ...........................................................................................................1028.1. Resoluo CNMP n 86/2012 ..................................................................1028.2. Resoluo CNMP n 89/2012 ..................................................................1098.3. Resoluo CNMP n 115/2014 ................................................................1248.4. Portaria CNMP-PRESI n 93/2016 ...........................................................1278.5. Tabela de monitoramento do cumprimento da Resoluo

    CNMP n 86/2012 no Portal da Transparncia .........................................1298.6. Tabela de monitoramento do cumprimento da Resoluo

    CNMP n 89/2012 no Portal da Transparncia .........................................147

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 11

    APRESENTAO

    A redemocratizao do pas e o advento da Constituio da Repblica de 1988, a denominada Constituio Cidad, exigiu do Estado aprimoramento da relao com os cidados e maior eficincia na prestao de servios sociedade. A instituio do Estado Democrtico de Direito assegurou aos cidados o direito participao efetiva nas atividades do Estado, garantindo o direito fundamental informao e a fiscalizao e controle das aes executadas pelos gestores, para que estejam sempre em consonncia com a satisfao do interesse pblico.

    Nesse contexto, coube ao Ministrio Pblico, consoante o art. 127 da Constituio da Repblica, as nobres misses, entre outras, de defender o regime democrtico, que exige ampla participao popular, e os interesses sociais.

    Para tanto, o fortalecimento da democracia e a satisfao dos interesses pblicos sero tanto mais fortes quanto maior forem a participao e o controle social nas atividades desenvolvidas pelos rgos e agentes estatais. Somente o engajamento da sociedade poder alar a administrao pblica brasileira a padres de excelncia na efetividade e eficincia na gesto dos recursos pblicos.

    com esse intento que ora se publica a 4 edio do Manual do CNMP para o Portal da Transparncia do Ministrio Pblico. Dada sua importncia na organizao poltica e administrativa do pas, faz-se mister que o Ministrio Pblico seja instituio de vanguarda na gesto da res publica. Assim, necessrio que o Ministrio Pblico brasileiro fortalea seus padres de governana, por meio de mecanismos de transparncia e accountability.

    Nesse sentido, o Portal da Transparncia, alm de prestar contas acerca dos gastos pblicos e permitir o aperfeioamento da fiscalizao e do controle social, tem o condo de aproximar a sociedade do Ministrio Pblico e de estreitar o dilogo com os diferentes stakeholders (servidores, usurios

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO12

    de servios, rgos de controle, entidades civis organizadas, etc.), mediante o fcil acesso a informaes uniformes e de qualidade (compreensveis, confiveis e tempestivas).

    Esperamos, dessa forma, que o Portal da Transparncia seja importante mecanismo para o aperfeioamento da governana no Ministrio Pblico brasileiro, a fim de aumentar e preservar a confiana da sociedade na instituio e garantir que as aes e condutas dos gestores estejam em harmonia com o interesse pblico.

    Cumpre-nos, ainda, registrar que este documento fruto do trabalho da Comisso de Controle Administrativo e Financeiro (CCAF), do Comit Gestor do Portal da Transparncia e da intensa contribuio de todas as unidades e ramos do Ministrio Pblico brasileiro, por meio de sugestes e questionamentos.

    Braslia, 22 de setembro de 2016.

    Marcelo Ferra de CarvalhoPresidente da Comisso de Controle Administrativo e Financeiro

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 13

    1. INTRODUO

    O Conselho Nacional do Ministrio Pblico, rgo de controle externo criado pela Emenda Constitucional n 45/2004, tem por atribuio, entre outras,

    zelar pela observncia do art. 37 e apreciar, de ofcio ou mediante provocao, a legalidade dos atos administrativos praticados por membros ou rgos do Ministrio Pblico da Unio e dos Estados, podendo desconstitu-los, rev-los ou fixar prazo para que se adotem as providncias necessrias ao exato cumprimento da lei, sem prejuzo da competncia dos Tribunais de Contas (art. 130-A, 2, II, da CR/88).

    No cumprimento dessa misso constitucional, foram editadas as Resolues CNMP n 86/2012, 89/2012 e 115/2014, que do aplicabilidade transparncia, instituda pela Lei n 12.527/11 - Lei de Acesso Informao (LAI), no mbito do Ministrio Pblico.

    A Transparncia Ativa consiste no dever de fornecer dados, independentemente de qualquer solicitao, por meio de ambiente virtual (LAI, art. 8, 3) ou em ambiente fsico (LAI, art. 9 - Servio de Informao ao Cidado - SIC). A Transparncia Passiva, ao contrrio, depende da solicitao do cidado (LAI, art. 10; CR/88, art. 130-A, 5) e pode ser exercida pela Ouvidoria ( 1 do art. 6 da Resoluo n 89/2012).

    As duas modalidades devem estar informadas no stio eletrnico, que , atualmente, o principal meio de comunicao pblica com os usurios dos servios pblicos de modo geral. A esse stio eletrnico se d o nome de Portal da Transparncia. Com efeito, diz o art. 2 da Resoluo n 86/2012 que

    O Portal da Transparncia do Ministrio Pblico, stio eletrnico disposio da sociedade na rede mundial de computadores - internet, gerenciado pelo Conselho Nacional do Ministrio Pblico -, tem por finalidade veicular dados e informaes detalhadas sobre a gesto administrativa e a execuo oramentria e financeira das unidades do Ministrio Pblico.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO14

    Tambm nos termos do art. 4 da mesma Resoluo, [a] Comisso de Controle Administrativo e Financeiro do Conselho Nacional do Ministrio Pblico verificar periodicamente o cumprimento do disposto nesta Resoluo, o que se completa com o disposto no art. 25, 2, da Resoluo n 89/2012, a despeito do exame dos documentos e relatrios pertinentes ao acesso a informaes.

    Desse modo, desde 2014, a Comisso de Controle Administrativo e Financeiro (CCAF) publica no site do CNMP o Transparentmetro e o Ranking da Transparncia, que resultam do monitoramento peridico das informaes disponibilizadas nos sites de todos os ramos do Ministrio Pblico brasileiro, relativamente s Resolues CNMP n 86/2012, 89/2012 e 115/2014. Mesmo que o objeto seja a verificao do cumprimento de tais normativos, a anlise leva em conta outras resolues e entendimentos do CNMP que possam ser pertinentes a cada tema, alm dos critrios de transparncia determinados pela Lei de Acesso informao, Lei de Responsabilidade Fiscal e normas de direito financeiro.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 15

    2. FINALIDADE

    A finalidade deste documento estruturar a comunicao com o pblico no mbito dos stios dos diversos ramos do Ministrio Pblico brasileiro, primar pela padronizao, pela uniformidade, pela clareza das informaes e da linguagem de fcil compreenso, aprimorando a possibilidade de compreenso dos dados de modo universal.

    Por isso, e sempre com base nas Resolues do Conselho, dispe a respeito da pgina inicial dos stios, da logomarca a ser utilizada para identificar visualmente a Transparncia e o Acesso Informao, e insiste na adoo de um padro de navegao, de modelos de relatrios e glossrios, o que proporciona coerncia quanto disponibilizao de informaes e futura integrao dos sistemas regionais, por um lado, buscando esclarecer ao pblico interno e externo, por outro, o significado da informao disponibilizada, ou seja, um tratamento adequado do seu contedo.

    Alm disso, este Manual busca deixar transparente a metodologia empregada pela CCAF para anlise do cumprimento de cada um dos mais de 250 itens utilizados para o monitoramento eletrnico que realiza e publica periodicamente. Essa anlise ser tanto melhor quanto mais compromisso cada rgo tiver designado a um setor, servidor ou membro responsvel institucional pelo Portal no mbito de sua unidade regional.

    Com tais objetivos, a CCAF cumpre sua misso de zelar pela observncia da transparncia, ativa e passiva, nas reas meio e fim, no seu contedo e na sua forma, impingindo o Ministrio Pblico brasileiro a um aperfeioamento permanente de sua comunicao com os usurios de seus servios, comunicao esta que se faz essencial ao regime democrtico ao qual o Parquet pertence e tem por misso constitucional defender.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO16

    3. IDENTIDADE VISUAL

    Identidade visual o conjunto de elementos formais que representa de modo sistematizado o nome, a ideia, o produto, a empresa, a instituio ou o servio. Esse conjunto de elementos costuma ter como base o logotipo e/ou um smbolo visual e um conjunto de cores.

    A identidade visual do Portal da Transparncia do Ministrio Pblico foi desenvolvida pela Assessoria de Comunicao do Conselho Nacional do Ministrio Pblico.

    A identidade visual dever ser preferencialmente apresentada na pgina principal da internet de cada Ministrio Pblico exatamente como a seguir, sendo somente permitida alterao no tamanho da imagem, guardada sua proporcionalidade. No sendo possvel inserir a identidade visual, registre-se que obrigatria a existncia de um atalho, nos termos do que dispe a Resoluo CNMP n 86/2012, art. 3.

    O arquivo pode ser adquirido no endereo: www.cnmp.mp.br/portaldatransparencia

    LOGOMARCA DA TRANSPARNCIA

    Figura 1 - Logomarca da transparncia

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 17

    4. PGINA INICIAL: PADRES DE NAVEGAO DO NOVO PORTAL

    Na pgina inicial de cada stio dever constar obrigatoriamente um atalho para o Portal da Transparncia (art. 3 da Resoluo CNMP n 86/2012), utilizando-se preferencialmente a logomarca desenvolvida para este fim (cf. figura 1 deste Manual).

    Importa salientar que as informaes mais solicitadas na transparncia passiva so as de contato das unidades do MP, contendo, no mnimo, endereo, telefone, e-mail, fax, horrio de funcionamento e horrio de atendimento, todos devidamente atualizados. Portanto, recomenda-se que tais informaes constem da pgina principal dos rgos mesmo que j se encontre no item especfico do Portal da Transparncia.

    Alm dessa informao primordial, busca-se com assiduidade o acesso ao acompanhamento processual, disciplinado pelo art. 7, XIV, da Resoluo CNMP n 89/2012.

    Destarte, o cuidado com a permanente atualizao e facilitao do acesso a esses dois itens tende a reduzir as demandas que aportam nas Ouvidorias, de modo a gerar economia de custos, eficincia e confiabilidade nos nossos sistemas de acesso informao.

    Os padres de navegao sero fixos, de modo a permitir que a mesma informao possa ser acessada igualmente em todas das unidades do Ministrio Pblico, por qualquer usurio.

    A unidade disponibilizar informao a respeito do e-mail do rgo, setor, servidor ou membro responsvel por zelar pela alimentao e manuteno atualizada do Portal, em observncia da indicao de que trata o art. 24 da Resoluo CNMP n 89/2012.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO18

    Ser este rgo, setor, servidor ou membro o canal de comunicao interna com a CCAF, mediante troca de e-mails ou outros meios, para soluo de dvidas, esclarecimentos, sugestes, o que geralmente ocorre aps a publicao de cada edio do Transparentmetro ou do ranking da transparncia.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 19

    4.1. PRIMEIRO NVEL DE NAVEGAO

    ExecuoOramentria e

    Financeira

    LicitaesContratos eConvnios

    Gesto de Pessoas

    PlanejamentoEstratgico

    Contato

    Contracheque

    Atividade-m

    SIC - Servio deInformao ao

    Cidado/Ouvidoria

    Publicao Anualdo SIC

    Ferramenta dePesquisa Geral

    Portal daTransparncia

    Consulta aoAndamento Processual

    Acessibilidadepara Pessoas com

    Decincia

    PginaPrincipal

    Atalho SIC

    Figura 2 - Primeiro nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO20

    4.2. SEGUNDO NVEL DE NAVEGAO4.2.1. Execuo Oramentria e Financeira

    Fundos: Saldos e Receitas

    Receitas Prprias

    Detalhamento dasDespesas

    Despesas por AoOramentria

    Empenhos ePagamentos por

    Favorecido

    Despesas com CartoCorporativo eSuprimento de Fundos

    Dirias e Passagens

    Outros Benefcios

    Repasses Previdencirios

    Limite de Gastos comPessoas (Relatrio de

    Gesto Fiscal)

    Prestao de ContasAnual

    Execuo Oramentriae Financeira

    Figura 3 - Segundo nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 21

    4.2.2. Licitaes, Contratos e Convnios

    Dispensas e Inexigibilidades

    Licitaes

    Contratos

    Convnios eInstrumentosCongneres

    Atas de Registrode Preo Prprias

    e Aderidas

    Prestadores deServios

    Termos Aditivos

    Termos AditivosLicitaes,

    Contratos eConvnios

    Figura 4 - Segundo nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO22

    4.2.3. Gesto de Pessoas

    Ativos

    Inativos

    Ativos

    Inativos

    Para o MinistrioPblico

    Pelo MinistrioPblico

    Membros

    Servidores

    Membros

    Servidores

    Membros

    Servidores

    Membros

    Servidores

    Membros

    Servidores

    Membros

    Servidores

    Vacncias

    Provimentos

    Funes Vagas e Ocupadas

    Cargos Vagos eOcupados

    EstruturaRemuneratria

    Plano de Carreira

    Estagirios

    Membros/Servidorescom Funes

    Graticadas ou Cargos em Comisso

    ServidoresCedidos

    Pensionistas

    Quadro de Servidores

    Quadro de Membros

    Gesto de Pessoas

    Figura 5 - Segundo nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 23

    4.2.4. Planejamento Estratgico

    Finalidades eObjetivos

    Institucionais eEstratgicos

    Metas e Indicadores

    Resultados Alcanados

    Dados Gerais deacompanhamento de

    programas, aes,projetos e obras

    PlanejamentoEstratgico

    Figura 6 - Segundo nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO24

    4.2.5. Contato

    Contato

    Registro decompetncias (atuao

    das reas meio e m)

    Estrutura organizacional

    Endereo, Telefonee Horrios de

    Atendimento dasunidades das reas

    meio e m

    E-mail funcional dos membros

    Figura 7 - Segundo nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 25

    4.2.6. Contracheque

    Remunerao detodos os membros

    ativos

    Proventos de todosos membros

    inativos

    Remunerao de todos os

    servidores ativos

    Proventos de todosos servidores

    inativos

    Valores percebidospor todos ospensionistas

    Valores percebidospor todos os

    colaboradores

    Verbas Referentesa ExercciosAnteriores

    Contracheque

    Figura 8 - Segundo nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO26

    Observe-se que:

    O termo colaboradores se refere s pessoas fsicas que prestam servios ao Ministrio Pblico, como, por exemplo, os contratados com base na Lei n 8.666/93, inclusive nos casos de inexigibilidade por notrio saber, conforme Decreto-Lei n 200/67. Como a Lei de Acesso Informao (Lei n 12.527/11) tem por princpio a extensividade da interpretao, esse campo no est limitado, podendo o MP inserir outras pessoas nessa categoria.

    Assim, a interpretao de colaborador no precisa ser restritiva ao Decreto-Lei n 200/67, mas tambm o inclui, se no tiver sido superada por disposio anloga da Lei n 8.666/93. Os prestadores de servio contratados por interposta pessoa vencedora de licitao tambm se incluem nessa categoria jurdica de colaboradores, a depender do contrato. Desse modo, qualquer pagamento feito pessoa fsica que no conste no item contrato nem no item contracheque dever ser registrado no item valores percebidos por todos os colaboradores.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 27

    4.2.7. Atividade-fim

    Termos de ajustamentode conduta rmados

    Estudos e levantamentosestatsticos sobre sua

    atuao

    Relao de membrosparticipantes de conselhoe assemelhados externos

    instituio

    RecomendaesExpedidas

    Audincias PblicasRealizadas (Res. 92

    CNMP)

    Registro deprocedimentos

    preparatrios com seuandamento no MP

    Procedimentos deinvestigao criminal e

    seus andamentos no MP

    Inquritos Civis e seusandamentos no MP

    Inquritos Policiais eseus andamentos no MP

    Dados e estatstica damovimentao

    processual por unidade

    Respostas s perguntasmais frequentes da

    sociedade

    Atividade-m

    Figura 9 - Segundo nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO28

    Observe-se que:

    Ao clicar nos banners Termos de Ajustamento de Conduta ou Recomendaes Expedidas, espera-se que o contedo de cada um esteja disponibilizado, preferencialmente digitalizado. Alm disso, espera-se que o nmero do TAC ou da Recomendao esteja disponibilizado juntamente ao nmero do procedimento em que inserido, de modo que o usurio possa acompanhar seu andamento. O campo para preenchimento do nmero deve estar acessvel nesse banner, de modo que o usurio no necessite abrir outros banners para obter a informao desejada, ou seja, o andamento.

    No que diz respeito ao banner das audincias pblicas, deve-se observar a Resoluo especfica que trata do tema, qual seja, a Resoluo CNMP n 82/2012, em que se exige pelo menos a publicao antecipada do Edital e, posteriormente, da Ata pormenorizada e da relao de participantes.

    Com relao aos feitos relacionados atividade-fim, como, por exemplo, procedimentos preparatrios, procedimentos de investigao criminal, inquritos civis, inquritos policiais, termos de ajustamento de condutas, entre outros, importa que, ao abrir esse banner, o usurio se depare com uma relao de todos eles em ordem cronolgica, com uma ferramenta de busca que lhe permita localizar determinado procedimento ou inqurito por nome, tema, objeto ou qualquer outro identificador, alm do campo destinado insero do nmero, bastando que ele copie e cole no campo, de modo a facilitar sua pesquisa.

    Ainda, se determinado procedimento no ocorre no mbito de alguma unidade do Ministrio Pblico, deve-se publicar certido informando tal fato, pois, ao contrrio, restar dvidas ao destinatrio final da informao sobre se a unidade ministerial no possui a informao e no a publica ou se realmente essa no existe.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 29

    Por sua vez, os banners relativos a Estudos e Levantamentos Estatsticos e Relao de Membros Participantes de Conselhos e Assemelhados Externos instituio devero conduzir as tabelas que esto descritas no item 7.6.

    Finalmente, o banner referente a Respostas s Perguntas mais Frequentes da Sociedade dever conduzir o usurio pgina da ouvidoria ou SIC contendo perguntas e respostas indexadas por quantidade de demanda.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO30

    4.2.8. Servio de Informaes ao Cidado SIC

    Unidade e autoridaderesponsvel pelo SIC

    Atendimento eOrientao ao pblico

    quanto ao acesso informao

    SICInformao sobre a

    tramitao de documentos nas

    respectivas unidades

    Protocolo dedocumentos e

    requerimentos de acesso informao

    Formulrio eletrnicode pedido deinformao

    Figura 10 - Segundo nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 31

    4.2.9. Publicao Anual do SIC

    Rol das informaesdesclassicadas nos ltimos

    12 meses

    Rol de documentos classicadosem cada grau de sigilo, comidenticao para referncia

    futura

    Relatrio Estatstico com aquantidade de pedidos de

    informao recebidos, atendidose indeferifos, com informaes

    genricas sobre solicitaes

    Descrio das aes desenvolvidaspara concretizao do direitoconstitucional informao

    Publicao Anual

    Figura 11 - Segundo nvel de navegao

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO32

    5. INFORMAES GERAIS5.1. FORMATO DA APRESENTAO DAS INFORMAES

    Os padres propostos no presente documento so de tabelas para edio em formato aberto e no proprietrio, bem como legvel por mquina, conforme art. 8 da Resoluo n 89/2012 e art. 8, 3, II e III, da Lei de Acesso Informao (Lei n 12.527/11), em razo da simplicidade de sua elaborao e divulgao, o que permitir que mesmo as unidades que no tenham estruturas mais complexas, no que se refere a banco de dados e sistemas informatizados, possam dar transparncia s informaes.

    Caber a cada rgo, com o apoio de seus setores de informtica, escolher a forma mais adequada de preenchimento das tabelas, bem como escolher o tipo de arquivo que atenda aos critrios do pargrafo anterior. Alm de preservar a autonomia administrativa, as solues locais so mais econmicas e eficientes ao permitir melhor adequao a cada tecnologia da informao adotada pelos diversos rgos.

    obrigatria a apresentao das informaes fontes da informao e data da ltima atualizao para cada quadro apresentado.

    5.2. DADOS ANTERIORES RESOLUO CNMP N 86/2012

    desejvel que aquelas unidades do Ministrio Pblico que possuam condies de incorporar as informaes de anos anteriores ao formato divulgado por este Manual da Transparncia faam-na, visto que essas estariam disponveis em um mesmo local, o que facilitaria a consulta por parte da sociedade em geral. Entretanto, no ser exigida a migrao de dados de perodos anteriores entrada em vigor da Resoluo CNMP n 86/2012, ou seja, novembro de 2012.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 33

    5.3. DVIDAS E SUGESTES

    A Comisso de Controle Administrativo e Financeiro estar disponvel para esclarecimento de dvidas e recebimento de sugestes pelo e-mail ccaf@cnmp.mp.br.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO34

    6. MODELOS DE RELATRIOS

    Esta seo destinada especificao dos modelos de relatrios que devero ser formatados e devidamente publicados nos Portais da Transparncia do Ministrio Pblico.

    Como ressaltado anteriormente, tais relatrios constituem padres mnimos de informaes, ou seja, ser permitida a incluso de outras informaes pelos Ministrios Pblicos, respeitados os padres de navegao previstos no item 4 deste documento.

    Caso o rgo no possua dado ou informao para o preenchimento de algum item das tabelas, tal fato dever constar como informao inexistente ou N/A. Esse procedimento garante a transparncia quanto a falta ou ausncia de dados para fins de anlise do portal, apesar de no isentar a responsabilidade do rgo por parte de auditorias do CNMP, rgo de controle externo ou pelos prprios cidados.

    A seguir esto apresentados cada um dos quadros agrupados conforme a Resoluo CNMP n 86/2012, seguidos de um glossrio que define o contedo de cada um dos campos. Ressalte-se que os quadros apresentados esto em sua formatao mnima.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO35

    6.1. ORAMENTO E FINANAS6.1.1. Crdito Oramentrio e Receitas Prprias

    Objeto Valores Previstos Valores Recebidos (c)

    (a) (b) Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total

    CREDITO ORAMENTRIOLIBERADO / COTA FINANCEIRALIBERADA (d)

    RECEITAS PRPRIAS (Especificar por origem) (e)

    Fonte da Informao (f): Data da ltima atualizao:

    (a) Objeto - Detalhar a origem do recolhimento (exemplo: oramento, arrecadao oriunda de inscrio em concurso pblico, alienao de bens, entre outros).

    (b) Valores Previstos - Para o crdito oramentrio, a previso o valor total aprovado na Lei Oramentria Anual somados aos eventuais crditos adicionais. Para as receitas prprias, os valores previstos so aqueles estimados pelo rgo.

    (c) Valores Recebidos - Para o crdito oramentrio, trata-se dos valores financeiros efetivamente liberados/disponibilizados pelo Poder Executivo aos rgos do Ministrio Pblico. Isto , a descentralizao de crditos para que os rgos possam executar a despesa ou o cumprimento efetivo do cronograma mensal de desembolso. No deve ser confundido com a descentralizao interna (proviso) entre diversas unidades gestoras de um mesmo rgo. Em relao s receitas prprias, trata-se dos valores arrecadados ms a ms, por regime de caixa, ou seja, considerando-se efetivamente a entrada na conta bancria do rgo.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO36

    (d) Crdito Oramentrio Liberado/Cota Financeira Liberada - A partir do valor total previsto pela Lei Oramentria Anual - LOA, o crdito oramentrio representa o montante mensal efetivamente liberado pelo Poder Executivo para o Ministrio Pblico.

    (e) Receitas prprias - So todos e quaisquer ingressos financeiros recebidos por outras fontes que no o crdito oramentrio do Poder Executivo (exemplo: arrecadao de inscries em concurso pblico, alienao de bens imveis, alugueis, entre outros). Esses devem ser descritos e detalhados mesmo que no constem da Lei Oramentria Anual. Cada fonte diferente de arrecadao dever ser detalhada em linha especfica. No devem ser confundidas com receitas extraoramentrias (compensatrias e temporrias).

    NOTA: As receitas prprias dos rgos devem constar da Lei Oramentria Anual devido aos princpios oramentrios da universalidade, da unidade e da transparncia. Isto , todo e qualquer ingresso financeiro uma receita oramentria, mesmo que o rgo ainda no tenha a prtica de registr-lo na LOA: (...) embora haja obrigatoriedade de a LOA registrar a previso de arrecadao das receitas, a mera ausncia formal desse registro no lhes retiram o carter oramentrio, haja vista o art. 57 da Lei n 4.320, de 1964, classificar como receita oramentria toda receita arrecadada que represente ingresso financeiro (...) Manual Tcnico do Oramento 2015 / MPOG.

    (f) Fonte da Informao - Setor administrativo responsvel pelo levantamento das informaes e dados apresentados na tabela.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, II; Lei n 4.320/64 arts. 2, 3, 35, I, e 57; Lei n 12.527/2011 art. 8, 1, II; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea a; Resoluo CNMP n 74/2011, anexo I, item III.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO37

    6.1.2. Fundos: Saldos e Receitas

    Fundo Saldo do Fundo em Janeiro Valores Recebidos (c)

    (a) (b) Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov DezSaldo Atual

    (d)

    FUNDO DE REAPARELHAMENTO: Nome, Fonte de recurso e Fundamento Legal

    OUTROS FUNDOS: nome, fonte de recurso e fundamento legal

    Fonte da Informao (f): Data da ltima atualizao:

    (a) Fundo - Declarar todos os fundos, contas ou valores que o rgo utilize, arrecade, guarde, gerencie, administre, responda ou assuma obrigaes e que j no estejam detalhados nas outras tabelas de receitas e despesas deste Manual. Alm do nome, para cada fundo ou conta dever ser apresentada a lista das fontes de seus recursos e o fundamento legal ou normativo de sua instituio. Caso haja mais de uma fonte de recurso, cada uma dever constar em linha diferente para evidenciar o montante recebido mensalmente por cada fonte.

    (b) Saldo do fundo em janeiro - Demonstrar o valor do saldo de cada fundo ou conta no incio do exerccio financeiro.

    (c) Valores Recebidos - Demonstrar o aporte de valores mensais para o fundo ou conta. Ressalte-se que caso o fundo ou conta tenha mais de uma fonte de recurso, cada uma dever constar em linha diferente.

    (d) Saldo atual - Demonstrao do saldo do fundo atualizado mensalmente aps o acrscimo de aportes e decrscimos de despesas.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO38

    (f) Fonte da informao - Setor administrativo responsvel pelo levantamento das informaes e dados apresentados na tabela.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000, arts. 48 e 48-A; Lei n 4.320/64 arts 2, 35 e 74; Lei n 12.527/2011 arts. 2, 3, I, 7,8, 1, II, III e V; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea h; Resoluo CNMP n 89/2012, art 5, IV e V.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 39

    6.1.3. Detalhamento das Despesas

    Objeto Valores Previstos Valores Pagos (c)

    Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total

    (a) (b) (d) Pessoal e Encargos Sociais

    01 Aposentadorias 03 Penses 04 Contratao por tempo determinado

    07 Contribuies a entidades fechadas de previdncia

    08 Outros benefcios assistenciais

    09 Salrio-famlia 11 Vencimentos e vantagens fixas

    13 Obrigaes patronais

    16 Outras despesas variveis

    Substituies Horas-extras Outros (especificar)

    34 Outras despesas de Pessoal - terceirizao (e)

    91 Sentenas judiciais

    92 Despesas de exerccios anteriores

    94 Indenizaes e restituies trabalhistas

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO40

    6.1.3. Detalhamento das Despesas (Continuao)

    Objeto Valores Previstos Valores Pagos (c)

    Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total

    (a) (b) (d)

    Outras Despesas Correntes

    14 Dirias 30 Material de Consumo 31 Premiaes culturais, artsticas, cientficas e outras

    32 Material, bem ou servio para distribuio gratuita

    33 Passagens e despesas com locomoo

    35 Servios de consultoria 36 Outros servios de terceiros - pessoa fsica

    37 Locao de mo de obra 39 Outros servios de terceiros - pessoa jurdica

    46 Auxlio-alimentao 47 Obrigaes tributrias e contributivas

    48 Outros Auxlios Financeiros

    Auxlio-moradia Outros auxlios e vantagens de qualquer natureza (especificar)

    49 Auxlio-transporte 91 Sentenas judiciais 92 Despesas de exerccios anteriores

    93 Indenizaes e restituies

    96 Ressarcimento de despesas de pessoal requisitado

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 41

    6.1.3. Detalhamento das Despesas (Continuao)

    Objeto Valores Previstos Valores Pagos (c)

    Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total

    (a) (b) (d)

    Investimento

    14 Dirias 30 Material de Consumo

    33 Passagens e despesas com locomoo

    36 Outros servios de terceiros - pessoa fsica

    37 Locao de mo de obra

    39 Outros servios de terceiros - pessoa jurdica

    47 Obrigaes tributrias e contributivas

    51 Obras em andamento

    52 Equipamentos e material permanente

    91 Sentenas judiciais

    92 Despesas de exerccios anteriores

    Inverses financeiras 61 Aquisio de Imveis

    Total Geral (f) Fonte da Informao (g): Data da ltima atualizao:

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO42

    (a) Objeto - Descrio do Tipo da Despesa, agrupados pelos Grupos de Despesa: Pessoal e Encargos Sociais, Outras Despesas Correntes, Investimentos e Inverses Financeiras.

    (b) Valores Previstos - Valores da lei oramentria adicionados ou reduzidos de eventuais crditos adicionais.

    (c) Valores Pagos - Valores pagos no ms (Regime de Caixa). Caso algum valor tenha sido pago por meio de fundo ou outra conta, tal valor pago deve constar em linha abaixo da linha principal destinada aos valores pagos pela conta principal do rgo.

    (d) Total - Somatrio dos valores dos meses do ano.

    NOTA: Proceder totalizao dos valores nas linhas amarelas. Ou seja, somar, para cada ms, os valores pagos para Pessoal e Encargos Sociais, Outras Despesas Correntes, Investimentos e Inverses Financeiras.

    (e) Outras despesas de Pessoal - Terceirizao: Com base no art. 18, 1, da Lei Complementar n 101/2000, os servios terceirizados que realizam atividades descritas nos editais para membros ou servidores devero fazer parte do clculo para limite de pessoal.

    (f) Total Geral - Somatrio dos valores contidos nas linhas: Pessoal e Encargos Sociais, Outras Despesas Correntes, Investimentos e Inverses Financeiras.

    (g) Fonte da Informao - Setor administrativo responsvel pelo levantamento das informaes e dados apresentados na tabela.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000 art. 18; Lei n 12.527 art. 8, 1, III; Lei n 4.320/64, arts. 12 e 13; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea b; Resoluo CNMP n 74/2011, anexo I, item III; Portaria Conjunta STN/SOF n 1, de 10 de dezembro de 2014.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 43

    6.1.4. Despesas por Ao Oramentria

    Descrio da Ao Autorizado Empenhado Liquidado Pago

    (a) (b) (c) (d) (e)

    Atividades

    Defesa do Interesse Pblico no Processo Judicirio

    Despesas de Pessoal Despesas de Custeio Despesas de Investimento

    Divulgao Institucional

    Despesas de Pessoal Despesas de Custeio Despesas de Investimento

    Capacitao de Recursos Humanos

    Despesas de Pessoal Despesas de Custeio Despesas de Investimento

    Assistncia Mdica e Odontolgica

    Despesas de Pessoal Despesas de Custeio Despesas de Investimento

    Auxlio-alimentao

    Despesas de Pessoal Despesas de Custeio Despesas de Investimento

    Auxlio-transporte Despesas de Pessoal Despesas de Custeio Despesas de Investimento

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO44

    6.1.4. Despesas por Ao Oramentria (Continuao)

    Descrio da Ao Autorizado Empenhado Liquidado Pago

    (a) (b) (c) (d) (e)

    Auxlio-pr-escolar Despesas de Pessoal Despesas de Custeio Despesas de Investimento

    Projetos

    Construo do Edifcio-Sede do Ministrio Pblico em XXXXXX

    Despesas de Pessoal Despesas de Custeio Despesas de Investimento

    Operaes Especiais

    Construo do Edifcio-Sede do Ministrio Pblico em XXXXXX

    Despesas de Pessoal Despesas de Custeio Despesas de Investimento

    Total (f)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Descrio da Ao - Descrio das aes oramentrias de estrutura programtica (atividades, projetos e operaes especiais), subdivididas por grupo de natureza de despesa, conforme constar na lei oramentria de cada unidade do Ministrio Pblico. A tabela busca evidenciar qual o tipo de gasto por diferentes aes.NOTA 1: os itens listados em Atividades so parmetros mnimos que devem ser divulgados por todos os rgos. Isto , devem estar demonstradas as diferentes naturezas dos gastos com Defesa do Interesse Pblico, Divulgao Institucional, Capacitao de Recursos Humanos, Assistncia Mdica e Odontolgica, Auxlio-alimentao, Auxlio-transporte, Auxlio pr-escolar, Auxlio-moradia, Substituies, entre outros. Caso o

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 45

    rgo divida suas despesas por outras atividades, essas devero ser detalhadas. Os projetos e as operaes especiais, por sua vez, devero refletir separadamente todos os diferentes gastos especficos ao tema.(b) Autorizado - Valores da lei oramentria adicionados ou reduzidos de eventuais crditos adicionais.(c) Empenhado - Valor total de empenhos realizados at o ms.(d) Liquidado - Total de valores liquidados at o ms.(e) Pago - Total de valores pagos at o ms.(f) Total - Somatrio dos valores de cada uma das colunas (b) a (e).NOTA 2: Normalmente, os valores empenhados acumulados at dezembro sero inferiores aos valores liquidados e pagos. Ao final do exerccio, esta diferena caracterizar-se- como restos a pagar a serem inscritos para o ano seguinte.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000 art. 48, II; Lei n 12.527/2011 art. 7, VII, a, e art. 8, 1, III e V; Lei n 4.320/64, arts. 12 e 13; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea c; Resoluo CNMP n 74/2011, anexo I, item III; Portaria Interministerial STN/SOF n 163/2001 e posteriores alteraes.

    Observao:

    Despesas de Pessoal: So despesas oramentrias com pessoal ativo, inativo e pensionistas, relativas a mandatos eletivos, cargos, funes ou empregos, civis, militares e de membros de Poder, com quaisquer espcies remuneratrias, tais como vencimentos e vantagens, fixas e variveis, subsdios, proventos da aposentadoria, reformas e penses, inclusive adicionais, gratificaes, horas extras e vantagens pessoais de qualquer natureza, bem como encargos sociais e contribuies recolhidas pelo ente s entidades de previdncia, conforme estabelece o caput do art. 18 da Lei Complementar n 101, de 2000.

    Despesas de Custeio: So despesas oramentrias com aquisio de material de consumo, pagamento de dirias, contribuies, subvenes, auxlio-alimentao, auxlio-transporte, alm de outras despesas da categoria econmica Despesas Correntes no classificveis nos demais grupos de natureza de despesa.

    Despesas de Investimento: So despesas oramentrias com softwares e com o planejamento e a execuo de obras, inclusive com a aquisio de imveis considerados necessrios realizao dessas ltimas, e com a aquisio de instalaes, equipamentos e material permanente.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO46

    6.1.5. Empenhos e Pagamentos por Favorecido

    UG:

    Nome do Favorecido CNPJ/CPF Objeto Tipo licitao Modalidade licitao EmpenhoValor

    EmpenhadoValor Pago

    no MsValor Pago at

    o Ms

    (a) (b) (c) (d) (e) (f) (g) (h) (i)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    UG - Cdigo e nome da(s) Unidade(s) Gestora(s) vinculada(s) ao Ministrio Pblico.

    (a) Nome do Favorecido - Nome da pessoa fsica ou jurdica beneficiria do pagamento feito pelo Ministrio Pblico.

    (b) CNPJ/CPF - Cdigo nmero do CNPJ, se pessoa jurdica, ou CPF, se pessoa fsica, do beneficirio do pagamento.

    (c) Objeto - Descrio resumida do objeto contratado.

    (d) Tipo licitao - Exemplos: menor preo, melhor tcnica e tcnica e preo.

    (e) Modalidade licitao - Exemplos: concorrncia, tomada de preos ou convite. Informar tambm neste campo se houve dispensa ou inexibilidade ou se a contratao foi feita por meio de adeso ata de registro de preos.

    (f) Empenho - Nmero do empenho.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 47

    (g) Valor Empenhado - O valor empenhado para a contratao, at o ms.

    (h) Valor Pago no Ms - O valor pago para o favorecido, no ms, relacionado ao objeto descrito no item c.

    (i) Valor Pago at o Ms - O valor pago para o favorecido, at o ms, relacionado ao objeto descrito no item c.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei n 12.527/2011, art. 7, VII, a, e art. 8, 1, III e V; Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea d.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO48

    6.1.6. Despesas com Carto Corporativo e Suprimento de Fundos

    SUPRIDO (a): CPF (b): PERODO DE APLICAO (c): APROVAO DE CONTAS (d):

    Data Favorecido Motivo Valor Pago

    (e) Nome (f) CNPJ/CPF (g) (h) (i)

    Fonte da InformaoData da ltima atualizao:

    (a) Suprido - Nome do titular do carto corporativo ou do recebedor do suprimento de fundos, que tenha efetuado compras no ms de referncia.

    (b) CPF - Nmero do CPF do suprido.

    (c) Perodo de Aplicao - Data estabelecida para que o suprido utilize os recursos a ele disponibilizados. Dever ser informada no formato dd/mm/aaaa.

    (d) Aprovao de Contas - Opes: sim, no ou em anlise.

    (e) Data - Data da aquisio do bem ou servio.

    (f ) Nome - Nome do favorecido pelo pagamento.(g) CNPJ/CPF - Nmero do CNPJ ou do CPF do favorecido pelo pagamento.

    (g) CNPJ/CPF - Nmero do CNPJ ou do CPF do favorecido pelo pagamento.

    (h) Motivo - Resumir o objeto da aquisio (exemplo: aquisio de 5 parafusos para fixao de pias).

    (i) Valor Pago - Valor da aquisio do material ou servio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 49

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I, e Lei n 12.527, art. 8, 1, III; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea e.

    Observao: Todos os portadores de cartes corporativos ou suprimento de fundos que efetuarem compras no ms devem estar listados no quadro.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO50

    6.1.7. Dirias e Passagens

    Nome Cargo Perodo Trecho Transporte Motivo Valor da Passagem N de dirias Valor total dirias

    (a) (b) (c) (d) (e) (f) (g) (h) (i)

    Total (j) Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Nome - Nome do membro, servidor ou colaborador eventual que recebeu a diria.

    (b) Cargo - Cargo do membro ou servidor que recebeu a diria (exemplo: subprocurador da Repblica, promotor de Justia, analista processual, tcnico administrativo).

    (c) Perodo - Perodo a que se referem as dirias (exemplo: 25/07/2011 a 28/07/2011).

    (d) Trecho - Informar o trecho percorrido (exemplo: BSB/BH/BSB).

    Nota: Em caso de trechos muito extensos, utilizar o rodap do quadro para detalhamento.

    (e) Transporte - Tipo de transporte utilizado: avio, carro ou nibus.

    (f) Motivo - Motivo da viagem (exemplo: participar de congresso XX, reunies de trabalho XX, correio na promotoria XX, curso sobre XX).

    (g) Valor da Passagem - Valor total da passagem ou custo do transporte.

    (h) N de Dirias - Quantidade de dirias pagas. Informar quando houver pagamento de meias dirias.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 51

    (i) Valor total dirias - Valor total das dirias pagas.

    (j) Total - Somatrio dos valores dos meses do ano.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I, e Lei n 12.527, art. 8, 1, III ;Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea f.

    NOTA: No item f, o motivo da viagem no pode ser vago, devendo ser detalhado e bem explicado. Ainda, em caso de sigilo, o processo sigiloso deve estar explcito. Note que o procedimento para classificao de sigilo dever obedecer aos critrios da Lei de Acesso Informao (Lei n 12.527/11) em seus artigos 26, 27 e 28.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO52

    6.1.8. Outros Benefcios: pagamentos no registrados em contracheque

    Justificativa Nome do recebedor Cargo Valores

    (a) (b) (c) (d)

    Total Geral (e) Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Justificativa - Descrio da natureza do pagamento, benefcio ou ressarcimento. Tais despesas incluem cota de telefonia celular ou fixa, cota de servios grficos, txi, restituies, uniformes, indenizaes e quaisquer outros pagamentos que no forem registrados no item contracheque. Em outras palavras, trata-se de todo e qualquer valor transferido para membros, servidores ou colaboradores que no conste do contracheque, devendo constar desta tabela.

    (b) Nome - Nome do beneficirio.

    (c) Cargo - Cargo do beneficirio.

    (d) Valores - Valor pago no ms.

    (e) Total Geral - Somatrio dos valores pagos no ms.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I ; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea g.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO53

    6.1.9. Repasses a Fundos ou Institutos Previdencirios

    Fundo ou Instituto Previdencirio Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total

    (a) (b) (c) (d) (e) (f) (g) (h) (i) (j) (k) (l) (m) (n) Total Geral (o) Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Fundo ou Instituto Previdencirio - Informar o nome da instituio destinatria da arrecadao dos valores previdencirios de folha de pagamento (exemplo: Instituto Nacional de Seguridade Social).

    (b) a (m) - Valores recolhidos ms a ms.

    (n) Total - Somatrio dos valores dos meses do ano (por Fundo ou Instituto Previdencirio).

    (o) Total Geral - Somatrio dos valores dos meses do ano.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000 arts.18 e 48-A, I; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea h.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO54

    6.1.10. Limite de Gastos com Pessoal (Relatrio de Gesto Fiscal)

    A informao do limite de gastos com pessoal regulamentada pela Secretaria do Tesouro Nacional, sendo que os ramos do MPU que tenham seus demonstrativos consolidados no Relatrio Gesto Fiscal do MPU esto dispensados da apresentao do referido quadro, devendo este estar contido na informao divulgada no site institucional.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso I, alnea i.

    6.1.11. Prestao de Contas Anual

    Devero ser divulgados os Relatrios de Prestao de Contas encaminhados ao Tribunal de Contas e seus respectivos julgamentos.

    O relatrio de Prestao de Contas anual do ordenador de despesas documento confeccionado pelo setor de Auditoria Interna e encaminhado ao Tribunal de Contas. O documento contm as concluses sobre a fiscalizao contbil, financeira, oramentria, operacional e patrimonial, quanto legalidade, legitimidade e economicidade do rgo. Mesmo que o julgamento das contas de determinado ano ainda no tenha sido realizado, ainda torna-se necessria a publicao do Relatrio de Prestao de Contas.

    FUNDAMENTO LEGAL: Constituio Federal, arts. 70, pargrafo nico, e 71, II; Lei Complementar n 101/2000, art. 49; e Lei n 12.527/2011, art. 7, VII, alnea b; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5,

    inciso I, alnea j.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO55

    6.2. LICITAES, CONTRATOS E CONVNIOS6.2.1. Licitaes

    N do Edital Data do Edital N do Processo Objeto Tipo Modalidade Situao Resultado

    (a) (b) (c ) (d) (e) (f) (g) (h)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    NOTA 1: Esta tabela dever apresentar todas as licitaes que o rgo realizou no ano. Apesar de ser atualizada mensalmente, a tabela deve conter todas as licitaes realizadas no ano, e no apenas aquelas realizadas no ms.

    NOTA 2: A atualizao mensal refere-se tanto incluso de novas licitaes realizadas, quanto atualizao da situao das demais licitaes j presentes na tabela.

    NOTA 3: Caso o procedimento licitatrio perdure por mais de um exerccio financeiro, esse dever constar da tabela de todos os anos pelos quais vigeu (exemplo: Edital da licitao x foi publicado em dezembro de 2016, mas o julgamento e adjudicao ocorreu em janeiro de 2017. Nesta situao, a licitao deve constar tanto na tabela de licitaes do ano de 2016 quanto na tabela de licitaes do ano de 2017).

    (a) N do Edital - Informar o nmero do edital do processo licitatrio.

    (b) Data do Edital - Data de publicao nos meios de informaes devidos (exemplo: Dirio Oficial, Jornais de grande circulao).

    (c) N do Processo - Nmero do Processo interno do rgo.

    (d) Objeto - Descrio da licitao.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO56

    (e) Tipo - Tipo do processo licitatrio, conforme previsto na Lei n 8666/93, Lei n 10520/2002, Decreto n 5450/2005 e demais normas pertinentes.

    (f) Modalidade - Modalidade da licitao, conforme previsto na Lei n 8666/93, Lei n 10520/2002, Decreto n 5450/2005 e demais normas pertinentes.

    (g) Situao - Situao do andamento do processo licitatrio (exemplo: em andamento, cancelado, concludo).

    (h) Resultado - Nome da empresa vencedora. Caso o processo licitatrio esteja em andamento, preencher o campo com o termo aguardando.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei n 8666/93; Lei n 10520/2002; Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I, e Lei n 12.527, art. 8, 1, IV; Decreto n 5450/2005; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso II, alneas a a d.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO57

    6.2.2. Dispensas e Inexigibilidades

    Dispensa / Inexigibilidade de

    LicitaoPreceito Legal Nmero do empenho

    Data do empenho Objeto

    Elemento e Subelemento da Despesa

    Valor do empenho Contratado(a) CNPJ/CPF

    (a) (b) (c ) (d) (e) (f) (g) (h) (i)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    NOTA 1: Esta tabela dever apresentar todas as dispensas e inexigibilidades que o rgo realizou no ano. Apesar de ser atualizada mensalmente, a tabela deve conter todas as dispensas e inexigibilidades realizadas no ano, e no apenas aquelas realizadas no ms.

    NOTA 2: Caso a dispensa e inexigibilidade perdure por mais de um exerccio financeiro, esse dever constar da tabela de todos os anos pelos quais vigeu.

    (a) Dispensa / Inexigibilidade - Classificar a contratao como dispensa ou inexigibilidade.

    (b) Preceito Legal - Citar o artigo e inciso da lei de licitaes que embasou a contratao por dispensa ou inexigibilidade (exemplo: art. 24, inciso II ou art. 25, I).

    (c) Nmero do empenho - Nmero ou cdigo do empenho da dispensa ou inexigibilidade.

    (d) Data do empenho - Data de emisso do empenho em dia, ms e ano (exemplo: 12/04/2017).

    (e) Objeto - Descrio detalhada dos bens ou servios contratados mediante dispensa ou inexigibilidade. Descrio detalhada trata-se de informar o objeto ou servio assim como se encontra no contrato, termo de referncia ou empenho (exemplo: Aquisio de 20 resmas de papel A4 ou contratao de servio de reforma de porto da promotoria x).

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO58

    (f) Elemento e Subelemento da Despesa - Citar o cdigo contbil e o nome do elemento e subelemento referentes a cada uma das contrataes mediante dispensa e inexibilidade (exemplo: Cdigo 3.3.90.30.16 - Material de consumo; subelemento Material de expediente).

    (g) Valor do empenho - Valor do objeto ou servio adquirido conforme o empenho emitido.

    (h) Contratado(a) - Nome da pessoa jurdica ou fsica contratada.

    (i) CNPJ/CPF - CNPJ da pessoa jurdica contratada ou CPF da pessoa fsica contratada.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei n 8666/93; Lei n 10520/2002; Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I; Lei n 12.527, art. 8, 1, IV; Decreto n 5450/2005; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso II, alneas a a d; Resoluo CNMP n 89/2012, art. 7, III.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO59

    6.2.3. Contratos

    N Objeto Data da PublicaoN do Edital

    VignciaSituao Item Fornecido

    Unidade de Medida

    Valor Unitrio Quantidade

    Valor Total do Item

    Valor Total do Contrato Contratado

    CNPJ/CPF Scios

    Termo AditivoIncio Trmino

    (a) (b) (c) (d) (e) (e') (f) (g) (h) (i) (j) (k) (l) (m) (n) (o) (p)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    NOTA 1: Esta tabela dever apresentar todos os contratos firmados no ano, bem como todos os contratos de anos anteriores que ainda estejam vigentes. Apesar de ser atualizada mensalmente, a tabela deve conter todas as contrataes do ano, e no apenas aquelas realizadas no ms.

    NOTA 2: A atualizao mensal refere-se tanto incluso de novos contratos firmados, quanto atualizao da situao dos demais contratos j presentes na tabela.

    NOTA 3: Caso o contrato perdure ativo por mais de um exerccio financeiro, dever constar na tabela de todos os anos os quais vigeu (exemplo: a contratao de servio de limpeza que tenha sido assinado em 2016 e que tenha sido renovado at 2019, dever constar das tabelas de contratos dos anos de 2016, 2017, 2018 e 2019).

    (a) N - Informar o nmero do termo de contrato ou nota de empenho, quando esta o substituir.

    (b) Objeto - Descrio do objeto do contrato.

    (c) Data da Publicao - Data de publicao nos meios de informaes devidos (exemplo: Dirio Oficial, jornais de grande circulao).

    (d) N do Edital - Nmero do edital do processo licitatrio relacionado. Informar se houve dispensa ou inexigibilidade.

    (e) Vigncia (Incio) - Data de incio da vigncia do contrato no formato dd/mm/aaaa.

    (e) Vigncia (Trmino) - Data de trmino da vigncia do contrato no formato dd/mm/aaaa.

    (f) Situao - Situao do contrato, indicando se ativo, concludo ou rescindido.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO60

    (g) Item Fornecido - Descrio do(s) item(ns) a ser(em) atendido(s) pelo contrato. Excetuam-se os materiais de consumo.

    (h) Unidade de Medida - Unidade de medida do(s) item(ens) a ser(em) fornecido(s) (exemplo: m, m, l, gr, kg, un).

    (i) Valor Unitrio - Valor unitrio do(s) item(ens) a ser(em) fornecido(s).

    (j) Quantidade - Quantidade do(s) item(ns) a ser(em) fornecido(s).

    (k) Valor Total do Item - Valor total de cada item, de acordo com a frmula (i) x (j).

    (l) Valor Total do Contrato - Valor total do contrato com o somatrio dos totais dos itens presentes no contrato.

    (m) Contratado - Nome da empresa ou da pessoa fsica contratada.

    (n) CNPJ/CPF - Nmero do CNPJ ou do CPF da empresa ou pessoa fsica contratada.

    (o) Scios - Nome e CPF dos trs principais integrantes de seu quadro societrio, assim compreendidos aqueles que detenham maior parcela das cotas societrias ou o poder de gesto da sociedade.

    (p) Termo Aditivo - Informar se h termo aditivo ao contrato, indicando se sim ou no.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I, e Lei n 12.527, art. 8, 1, III e IV; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso II, alneas e a j e m.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO61

    6.2.3.1. TERMOS ADITIVOS CONTRATOS

    N do Contrato N do Aditivo Objeto Data de Publicao Valor Total

    (a) (b) (c ) (d) (e)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) N do Contrato - Informar o nmero do Contrato principal.

    (b) N do Aditivo - Informar o nmero do Termo Aditivo. Caso o mesmo contrato tenha diversos aditivos, cada aditivo dever estar demonstrado em linha diferente.

    (c) Objeto - Informar o objeto do Termo Aditivo (exemplo: prorrogao da vigncia por mais 12 meses; reajuste do contrato).

    (d) Data de Publicao - Data de publicao nos meios de informaes devidos (exemplo: Dirio Oficial, jornais de grande circulao).

    (e) Valor Total - Informar o valor total do Termo Aditivo.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I, e Lei n 12.527, art. 8, 1, III e IV; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso II, alneas g e h.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO62

    6.2.4. Convnios e Instrumentos Congneres

    N Tipo de Instrumento ObjetoData da

    PublicaoN

    ProcessoVigncia

    Situao Convenente CNPJ/CPF RepresentantesValor do Repasse Contrapartida

    Prestao de Contas

    Termo AditivoIncio Trmino

    (a) (b) (c) (d ) (e) (f) (f') (g) (h) (i) (j) (k) (l) (m) (n)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) N - Informar o nmero do convnio.

    (b) Tipo de Instrumento - Tipo de instrumento utilizado, indicando se convnio, termo de cooperao, contrato de repasse ou outros instrumentos.

    (c) Objeto - Descrio do objeto do convnio.

    (d) Data da Publicao - Data de publicao nos meios de informaes devidos (exemplo: Dirio Oficial, jornais de grande circulao).

    (e) N Processo - Nmero do processo de convnio relacionado.

    (f) Vigncia (Incio) - Data de incio da vigncia do convnio no formato dd/mm/aaaa.

    (f) Vigncia (Trmino) - Data de trmino da vigncia do convnio no formato dd/mm/aaaa.

    (g) Situao - Situao do convnio, indicando se ativo, concludo, rescindido ou denunciado.

    (h) Convenente - Nome do convenente.

    (i) CNPJ/CPF - Nmero do CNPJ ou do CPF do convenente.

    (j) Representantes - Nome dos representante(s) do(s) convenente(s).

    (k) Valor do Repasse - Valor financeiro do repasse instituio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 63

    (l) Contrapartida - Valor da contrapartida.

    (m) Prestao de Contas - Situao da regularidade da prestao de contas, indicando se regular, irregular ou em anlise.

    (n) Termo Aditivo - Informar se h termo aditivo ao contrato, indicando se sim ou no.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I, e Lei n 12.527, art. 8, 1, III; Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso II, alneas e, h, l e m.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO64

    6.2.4.1. TERMOS ADITIVOS CONVNIOS E INSTRUMENTOS CONGNERES

    N do Convnio N do Aditivo Objeto Data de Publicao Valor Total

    (a) (b) (c ) (d) (e)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) N do Convnio - Informar o nmero do convnio principal.

    (b) N do Aditivo - Informar o nmero do Termo Aditivo. Caso o mesmo convnio tenha diversos aditivos, cada aditivo dever estar demonstrado em linha diferente.

    (c) Objeto - Informar o objeto do Termo Aditivo (exemplo: prorrogao da vigncia por mais 12 meses; reajuste do convnio).

    (d) Data de Publicao - Data de publicao nos meios de informaes devidos (exemplo: Dirio Oficial, jornais de grande circulao).

    (e) Valor Total - Informar o valor total do Termo Aditivo.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei Complementar n 101/2000, art. 48-A, I, e Lei n 12.527, art. 8, 1, IV; Resoluo CNMP n 86/2012,

    art. 5, inciso II, alneas g e h.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO65

    6.2.5. Atas de Registro de Preo Prprias e Aderidas

    Nrgo

    Gerenciador da Ata

    Objeto Data da Publicao

    N do Edital do Processo

    Vigncia Item Registrado

    Unidade de Medida

    Valor Unitrio Quantidade

    Valor Total do

    Item

    Valor Total do Contrato

    Contratado CNPJ/CPF SciosIncio Trmino

    (a) (b) (c) (d ) (e) (f) (f') (g) (h) (i) (j) (k) (l) (m) (n) (o)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    NOTA 1: Esta tabela dever apresentar todas as Atas de Registro de Preos - ARP que o rgo realizou e/ou aderiu no ano. Apesar de ser atualizada mensalmente, a tabela deve conter todas as ARPs realizadas/aderidas no ano e no apenas aquelas realizadas/aderidas no ms.

    NOTA 2: A atualizao mensal refere-se tanto incluso de novas ARPs realizadas/aderidas, quanto atualizao da situao das demais ARPs j presentes na tabela.

    NOTA 3: Caso a validade da ata perdure por mais de um exerccio financeiro, esta dever constar da tabela de todos os anos pelos quais vigeu.

    (a) N - Informar o Nmero da Ata.

    (b) rgo Gerenciador da Ata - Informar o rgo gerenciador da ata, seja o prprio MP, outro MP ou rgo da administrao pblica federal, estadual ou municipal.

    (c) Objeto - Descrio do objeto da ata.

    (d) Data da Publicao - Data de publicao nos meios de informaes devidos (exemplo: Dirio Oficial, jornais de grande circulao).

    (e) N do Edital do Processo - Nmero do edital do processo licitatrio relacionado.

    (f) Vigncia (Incio) - Data de incio da vigncia da ata no formato dd/mm/aaaa.

    (f) Vigncia (Trmino) - Data de trmino da vigncia da ata no formato dd/mm/aaaa.

    (g) Item Registrado - Descrio do(s) item(ns) a ser(em) registrado(s), conforme a licitao realizada.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO66

    (h) Unidade de Medida - Unidade de medida do(s) item(ns) a ser(em) registrado(s) (exemplo: m, m, l, gr, kg, un).

    (i) Valor Unitrio - Valor unitrio do(s) item(ns) a ser(em) registrado(s).

    (j) Quantidade - Quantidade do(s) item(ns) a ser(em) registrado(s).

    (k) Valor Total do Item - Valor total de cada item, de acordo com a frmula (i) x (j).

    (l) Valor Total do Contrato - Valor total do contrato com o somatrio dos totais dos itens presentes no contrato.

    (m) Contratado - Nome da empresa ou da pessoa fsica registrada.

    (n) CNPJ/CPF - Nmero do CNPJ ou do CPF da empresa ou pessoa fsica registrada.

    (o) Scios - Nome e CPF dos trs principais integrantes de seu quadro societrio, assim compreendidos aqueles que detenham maior parcela das cotas societrias ou o poder de gesto da sociedade.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso II, alnea k.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO67

    6.2.6. Prestadores de Servios

    Empresa Contratada / CNPJ (a)

    N do Contrato (b)

    Nome (c)

    CPF (d)

    Cargo/Atividade Exercida (e)

    Unidade Administrativa (f)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Empresa Contratada - Nome da empresa contratada e o nmero do CNPJ.

    (b) N do Contrato - Nmero do contrato relacionado.

    (c) Nome - Nome completo do funcionrio da empresa.

    (d) CPF - Nmero do CPF do funcionrio com os 3 primeiros dgitos e os 2 ltimos dgitos ocultos (exemplo: ***.456.789 - **).

    (e) Cargo/Atividade Exercida - Cargo ou atividade desenvolvida pelo funcionrio.

    (f) Unidade Administrativa - Nome da unidade administrativa em que o funcionrio desempenha suas atividades.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso II, alnea n.

    Observao: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO68

    6.3. GESTO DE PESSOAS6.3.1. Quadro de Membros

    6.3.1.1. ATIVOS

    Matrcula Nome Cargo Efetivo Funo Lotao Nomeao Vitalcio

    (a) (b) (c) (d) (e) Ato/Portaria N Data publicao (h)

    (f) (g)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Matrcula - Cdigo funcional do membro.

    (b) Nome - Nome completo do membro.

    (c) Cargo Efetivo - Nome do cargo efetivo (exemplo: procurador da Repblica, promotor de Justia).

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 69

    (d) Funo - Preencher com o tipo/cdigo de funo comissionada, cargo em comisso, funo gratificada, ou outra de mesma natureza exercida pelo membro.

    (e) Lotao- Identificar a lotao do membro.

    (f) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de nomeao, referente ao cargo inicial na carreira, decorrente de aprovao em concurso pblico.

    (g) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato/portaria de nomeao.

    (h) Vitalcio - Indicao se o membro vitalcio, no formato sim ou no.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea a.

    Observao: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO70

    6.3.1.2. INATIVOS

    Matricula Nome Cargo Efetivo Nomeao Aposentadoria

    (a) (b) (c) Ato/Portaria N Data publicao Ato/Portaria N Data publicao

    (d) (e) (f) (g)

    Fonte da Informao:Data da ltima atualizao:

    (a) Matrcula - Cdigo funcional do membro.

    (b) Nome - Nome completo do membro.

    (c) Cargo Efetivo - Nome do cargo efetivo, quando da aposentadoria (exemplo: procurador da Repblica, promotor de Justia).

    (d) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de nomeao. Caso o ato no tenha numerao, preencher com N/C (no consta).

    (e) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato/portaria de nomeao.

    (f) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de aposentadoria. Caso o ato no tenha numerao, preencher com N/C (no consta).

    (g) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato/portaria de aposentadoria.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea a.

    Observao 1: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    Observao 2: As informaes relativas aos itens d e e somente sero exigidas a partir das aposentadorias ocorridas em 2012, sendo desejvel seu preenchimento para todos os membros inativos, mas no obrigatrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO71

    6.3.2. Quadro de Servidores

    6.3.2.1. ATIVOS

    Matricula Nome Cargo Efetivo Funo Lotao Nomeao Estvel

    (a) (b) (c) (d) (e) Ato/Portaria N Data publicao (h)

    (f) (g)

    Fonte da Informao:

    Data da ultima atualizao:

    (a) Matrcula - Cdigo funcional do servidor.

    (b) Nome - Nome completo do servidor.

    (c) Cargo Efetivo - Nome do cargo efetivo (exemplo: analista processual, tcnico administrativo, tcnico de informtica).

    (d) Funo - Preencher com o tipo/cdigo de funo comissionada, cargo em comisso, funo gratificada, ou outra de mesma natureza exercida pelo servidor.

    (e) Lotao - Identificar a lotao do servidor.

    (f) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de nomeao.

    (g) Data Publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato/portaria de nomeao.

    (h) Estvel - Indicar se o servidor estvel, no formato sim ou no.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO72

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea a.

    Observao 1: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    Observao 2: Os servidores sem vnculo efetivo com o servio pblico devem ser listados

    no quadro 6.3.5.2.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO73

    6.3.2.2. INATIVOS

    Matricula Nome Cargo Efetivo Nomeao Aposentadoria

    (a) (b) (c) Ato/Portaria N Data publicao Ato/Portaria N Data publicao

    (d) (e) (f) (g)

    Fonte da Informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Matrcula - Cdigo funcional do servidor.

    (b) Nome - Nome completo do servidor.

    (c) Cargo Efetivo - Nome do cargo efetivo, quando da aposentadoria (exemplo: analista processual, tcnico administrativo, tcnico de informtica).

    (d) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de nomeao. Caso o ato no tenha numerao, preencher com N/C (no consta).

    (e) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato/portaria de nomeao.

    (f) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de aposentadoria. Caso o ato no tenha numerao, preencher com N/C (no consta).

    (g) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato/portaria de aposentadoria.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea a.

    Observao 1: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    Observao 2: As informaes relativas aos itens d e e somente sero exigidas a partir das aposentadorias ocorridas em 2012, sendo desejvel seu preenchimento para todos os servidores inativos, mas no obrigatrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO74

    6.3.3. Pensionistas

    Instituidor da Penso Cargo Efetivo Pensionista Concesso da Penso

    (a) (b) (c) Ato/Portaria N Data publicao

    (d) (e)

    Fonte da Informao:Data da ultima atualizao:

    (a) Instituidor da Penso - Informar nome do membro ou servidor falecido que deu origem ao pagamento de penso por morte.

    (b) Cargo Efetivo - Detalhar o cargo efetivo do instituidor da penso.

    (c) Pensionista - Informar o nome do beneficirio da penso.

    (d) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de concesso da penso.

    (e) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato de concesso da penso.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea b.

    Observao 1: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    Observao 2: As informaes relativas aos itens d e e somente sero exigidas a partir das concesses de penso ocorridas em 2012, sendo desejvel seu preenchimento para todos os demais casos, mas no obrigatrio.

    Observao 3: As unidades do Ministrio Pblico que no administram a concesso e o pagamento das aposentadorias ou penses devem solicitar as informaes ao rgo ou entidade responsvel pelo pagamento.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO75

    6.3.4. Servidores Cedidos

    6.3.4.1. PARA O MINISTRIO PBLICO

    Matrcula Nome Cargo de Origem

    Atividade exercida no

    MP

    Funo Comissionada Lotao Cesso

    rgo de Origem nus Prazo

    (a) (b) (c) (d) (e) (f) Ato/Portaria N Data publicao (i) (j) (k)

    (g) (h)

    Total de Servidores cedidos pelo MP: (l)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Matrcula - Cdigo funcional do servidor.

    (b) Nome - Nome completo do servidor.

    (c) Cargo de Origem - Nome do cargo efetivo no rgo de origem.

    (d) Atividade Exercida no MP: Descrever a atividade exercida pelo servidor em atividade no MP ou relacionar sua atividade ao nome de algum cargo da estrutura de cargos efetivos do MP.

    (e) Funo Comissionada - Preencher com o tipo/cdigo de funo comissionada, cargo em comisso, funo gratificada, ou outra de mesma natureza exercida pelo servidor no MP.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO76

    (f) Lotao - Identificar a lotao do servidor.

    (g) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de cesso, se houver.

    (h) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato de cesso.

    (i) rgo de Origem - rgo da Administrao direta ou indireta de origem do servidor.

    (j) nus - Informar com sim, caso o nus seja do Ministrio Pblico, e no, caso o nus seja do rgo de origem.

    (k) Prazo - Informar o prazo de cesso. Se no houver prazo, deve ser lanada a expresso indeterminado.

    (l) Total de Servidores cedidos para o MP - Informar o nmero total de servidores cedidos para o MP.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea c.

    Observao 1: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO77

    6.3.4.2. PELO MINISTRIO PBLICO

    Matrcula Nome Cargo de Origem Funo Lotao Cesso rgo de Destino nus Prazo

    (a) (b) (c) (d) (e) Ato/Portaria N Data publicao (h) (i) (j)

    (f) (g)

    Total de Servidores cedidos pelo MP: (k)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Matrcula - Cdigo funcional do servidor.

    (b) Nome - Nome completo do servidor.

    (c) Cargo de Origem - Nome do cargo efetivo no MP

    (d) Funo - Preencher com o tipo/cdigo de funo comissionada, cargo em comisso, funo gratificada, ou outra de mesma natureza exercida pelo servidor no rgo de destino.

    (e) Lotao - Identificar a lotao do servidor.

    (f) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de cesso.

    (g) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato de cesso.

    (h) rgo de Destino - rgo da Administrao direta ou indireta para o qual o servidor foi cedido.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO78

    (i) nus - Informar com sim, caso o nus seja do Ministrio Pblico, e no, caso o nus seja do rgo de destino.

    (j) Prazo - Informar o prazo de cesso. Se no houver prazo, deve ser lanada a expresso indeterminado.

    (k) Total de Servidores cedidos pelo MP - Informar o nmero total de servidores cedidos pelo MP.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea d; Resoluo CNMP n 89/2012, art. 7, inciso X.

    Observao 1: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO79

    6.3.5. Membros/Servidores com Funes Gratificadas ou Cargos em Comisso

    6.3.5.1. MEMBROS

    Matrcula Nome Gratificao Lotao Nomeao

    (a) (b) (c) (d) Ato/Portaria N Data publicao

    (e) (f)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Matrcula - Cdigo funcional do membro.

    (b) Nome - Nome Completo do membro.

    (c) Gratificao - Descrever o cargo comissionado, funo de confiana, funo gratificada ou qualquer outra retribuio de mesma natureza.

    (d) Lotao - Identificar a lotao do membro.

    (e) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de nomeao.

    (f) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato de nomeao.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea e.

    Observao: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO80

    6.3.5.2. SERVIDORES

    Matrcula Nome Gratificao Lotao Vnculo Efetivo Nomeao

    (a) (b) (c) (d) (e) Ato/portaria N Data publicao

    (f) (g)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Matrcula - Cdigo funcional do servidor.

    (b) Nome - Nome Completo do servidor.

    (c) Gratificao - Descrever o cargo comissionado, funo de confiana, funo gratificada ou qualquer outra retribuio de mesma natureza.

    (d) Lotao - Identificar a lotao do servidor.

    (e) Vnculo Efetivo - Informar sim, caso o servidor possua vnculo efetivo com o servio pblico, e no, caso no possua vnculo efetivo (no concursados).

    (f) Ato/portaria n - Nmero do ato/portaria de nomeao.

    (g) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato de nomeao.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea e.

    Observao: Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO81

    6.3.6. Estagirios

    Nome Nvel Especialidade Obrigatrio Prazo

    (a) (b) (c) (d) (e)

    Total Obrigatrio: (f)

    Total no obrigatrio: (g)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Nome - Nome completo do estagirio.

    (b) Nvel - Informar se o estagirio de nvel superior ou mdio.

    (c) Especialidade - Preencher com a especialidade, caso seja estgio de nvel superior, como, por exemplo, Direito, Administrao, Informtica. No caso de estgio de nvel mdio preencher com a expresso no se aplica.

    (d) Obrigatrio - Informar sim, se o estgio for obrigatrio, ou no, se no for obrigatrio, conforme conceituao abaixo indicada.

    (e) Prazo - Informar a data final do estgio no formato dd/mm/aaaa.

    (f) Total Obrigatrio - Somar o quantitativo de estagirios obrigatrios.

    (g) Total no obrigatrio - Somar o quantitativo de estagirios no obrigatrios.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO82

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea f e Resoluo CNMP n 42/2009.

    Observao 1 : Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    Observao 2: Estgio Obrigatrio aquele definido no projeto do curso, cuja carga horria requisito para aprovao e obteno do diploma.

    Observao 3: Estgio no obrigatrio o desenvolvido como atividade opcional, acrescida carga horria regular e obrigatria, definido por Lei e regulamentado por Ato Administrativo.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 83

    6.3.7. Plano de Carreira

    6.3.7.1. MEMBROS

    Conforme disposto nas leis que regulamentam as carreiras de membros da unidade.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea g.

    6.3.7.2. SERVIDORES

    Conforme disposto nas leis que regulamentam as carreiras de servidores da unidade.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea g.

    6.3.8. Estrutura Remuneratria

    6.3.8.1. MEMBROS

    Conforme disposto nas leis que regulamentam as carreiras de membros da unidade.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea g.

    6.3.8.2. SERVIDORES

    Conforme disposto nas leis que regulamentam as carreiras de servidores da unidade.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea g.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO84

    6.3.9. Cargos Vagos e Ocupados

    6.3.9.1. MEMBROS

    Carreira: Membros do Ministrio Pblico

    Cargos Existentes Ocupados Vagos

    (a) (b) (c) (d)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Cargos - Nome dos cargos efetivos.

    (b) Existentes - Quantidade de cargos existentes.

    (c) Ocupados - Quantidade de cargos ocupados.

    (d) Vagos - Quantidade de cargos vagos. Incluem-se as vacncias.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea h.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO85

    6.3.9.2. SERVIDORES

    Carreira: Servidores do Ministrio Pblico

    Cargos Existentes Ocupados Vagos

    (a) (b) (c) (d)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Cargos - Nome dos cargos efetivos.

    (b) Existentes - Quantidade de cargos existentes.

    (c) Ocupados - Quantidade de cargos ocupados.

    (d) Vagos - Quantidade de cargos vagos. Incluem-se as vacncias.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea h.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO86

    6.3.10. Cargos em Comisso e Funes de Confiana Ocupados e Vagos por Membros e Servidores

    Descrio (a)

    Existentes Ocupados Vagos

    (b) Com vnculo (c) Sem vnculo (d) (e = b - c - d)

    Membros Servidores CC 7 CC 6 CC 5 CC 4 CC 3 CC 2 CC 1 FC 3 FC 2 FC 1

    Total Total Total

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    (a) Descrio - Descrever a estrutura de cargos comissionados, funes de confiana ou equivalentes. Os cdigos descritos na tabela so meramente ilustrativos, devendo cada unidade indicar sua prpria estrutura, conforme consta na descrio da carreira.

    (b) Existentes - Nmero de cargos em comisso/funes de confiana existentes.

    (c) Com vnculo - Nmero de cargos em comisso/funes de confiana ocupados por membros e servidores.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 87

    (d) Sem vnculo - Nmero de cargos em comisso/funes de confiana ocupados.

    (e) Vagos - Nmero de cargos em comisso/funes de confiana vagos.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea i.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO88

    6.3.11. Provimentos

    6.3.11.1. MEMBROS

    Nome Cargo Efetivo Provimento

    (a) (b) Ato/Portaria N Data publicao

    (c) (d)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    NOTA: Nesta tabela devero constar todos os provimentos que j ocorreram no rgo e no apenas aqueles provimentos ocorridos no ms. A tabela dever ser atualizada mensalmente.

    (a) Nome - Nome completo do membro que ingressou no Ministrio Pblico.

    (b) Cargo Efetivo - Nome do cargo efetivo.

    (c) Ato/portaria n - Nmero do ato/portaria de provimento, se houver.

    (d) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato de nomeao.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea j.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO89

    6.3.11.2. SERVIDORES

    Nome Cargo Efetivo Provimento

    (a) (b) Ato/portaria N Data publicao

    (c) (d)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    NOTA: Nesta tabela devero constar todos os provimentos que j ocorreram no rgo, e no apenas aqueles provimentos ocorridos no ms. A tabela dever ser atualizada mensalmente.

    (a) Nome - Nome completo do servidor que ingressou no Ministrio Pblico, por concurso pblico.

    (b) Cargo Efetivo - Nome do cargo efetivo.

    (c) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de provimento.

    (d) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato de nomeao.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea j.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO90

    6.3.12. Vacncias

    6.3.12.1. MEMBROS

    Nome Cargo Efetivo Vacncias

    (a) (b) Ato/Portaria N Data publicao

    (c) (d)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    NOTA: Nesta tabela devero constar todas as vacncias que j ocorreram no rgo e no apenas aquelas ocorridas no ms. A tabela dever ser atualizada mensalmente.

    (a) Nome - Nome completo do membro que teve o cargo declarado vago por qualquer motivo (exonerao, aposentadoria, falecimento, posse em outro cargo pblico inacumulvel.

    (b) Cargo Efetivo - Nome do cargo efetivo.

    (c) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de vacncia.

    (d) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato de vacncia.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea j.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO91

    6.3.12.2. SERVIDORES

    Nome Cargo Efetivo Vacncias

    (a) (b) Ato/Portaria N Data publicao

    (c) (d)

    Fonte da informao:

    Data da ltima atualizao:

    NOTA: Nesta tabela devero constar todas as vacncias que j ocorreram no rgo, e no apenas aquelas ocorridas no ms. A tabela dever ser atualizada mensalmente.

    (a) Nome - Nome completo do servidor que teve o cargo declarado vago por qualquer motivo (exemplo: exonerao, aposentadoria, falecimento, posse em outro cargo pblico inacumulvel).

    (b) Cargo Efetivo - Nome do cargo efetivo.

    (c) Ato/Portaria n - Nmero do ato/portaria de vacncia.

    (d) Data publicao - Data da publicao na imprensa oficial do ato de vacncia.

    FUNDAMENTO LEGAL: Resoluo CNMP n 86/2012, art. 5, inciso III, alnea j.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO92

    7. TPICOS DA RESOLUO CNMP N 89/2012

    7.1. PLANEJAMENTO ESTRATGICO

    Objetivos (a) Indicador (b) Meta (c)Resultado

    alcanado at o momento (d)

    Documento (e)

    (a) Objetivos - Citar todos os objetivos formalizados em planejamento estratgico e Plano Plurianual. So tambm denominados de objetivos institucionais, estratgicos, programas, aes, projetos e obras.

    (b) Indicador - Nmero ou ndice que mede a realizao do objetivo. Representa como se mede o objetivo (exemplo: unidades construdas, nmero de beneficiados, ndice de aprovao, quantitativo de servidores capacitados, percentual de processos eletrnicos, percentual de erros, percentagem de reas que aderiram gesto de processos).

    (c) Meta - Estimativa de realizao do objetivo para um determinado tempo. Demonstra quanto do objetivo deve ser alcanado em determinado tempo (exemplo: construir um prdio em 3 anos, implementar gesto de processos em 8 meses, capacitar 70% dos servidores em 2 anos).

    (d) Resultado alcanado at o momento - Valor ou ndice de efetivo cumprimento do objetivo para data presente. Demostra o quanto do objetivo foi realmente alcanado at o momento atual.

    (e) Documento - Documento em que est formalizado o objetivo (exemplo: PPA, Planejamento Estratgico).

    Fundamentao: Lei de Acesso Informao (Lei n 12.527/2011) art. 7, V e VII, letra a, e art. 8, 1, V; Resoluo CNMP n 89/2012, art 7, I e IV.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 93

    7.2. CONTATO

    Nome da Unidade (a) Telefone Endereo

    Caracterstica do Imvel (b)

    Horrio de atendimento

    NOTA: Link para essa tabela tambm dever constar na pgina principal do rgo

    (a) Nome da unidade - Apresentar o nome das unidades das reas meio e fim.

    (b) Caracterstica do Imvel - Descrever se o imvel prprio, cedido, alugado ou outros.

    Fundamentao: Lei de Acesso Informao (Lei n 12.527/2011), art. 8, 1, I; Resoluo CNMP n 89/2012, art. 7, II; Resoluo CNMP n 74/2011, anexo I, item II.

    7.3. E-MAIL INSTITUCIONAL DOS MEMBROS

    Nome do membro Cargo (a) Lotao (b) E-mail institucional

    (a) Cargo - Exemplo: promotor de Justia, procurador-geral de Justia, procurador da Repblica.

    (b) Lotao - Local ou locais de trabalho do membro, seja em promotorias, procuradorias ou em reas da administrao.

    Fundamentao: Resoluo CNMP n 89, art. 7, II.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO94

    7.4. ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICINCIA

    A acessibilidade do contedo deve estar garantida para pessoas com deficincia, por meio de softwares que permitam a interao dos cidados, como exemplo, a ampliao de caracteres, os meios de voz digitalizados e formatos alternativos de comunicao. As ferramentas de acessibilidade devem constar da pgina principal do portal do Ministrio Pblico.

    FUNDAMENTO LEGAL: Conveno sobre os Direitos das Pessoas com Deficincia, art. 9 (aprovada pelo Decreto Legislativo n 186/2008); Lei n 10.098/00, art. 17; Lei n 13.146/15 (Estatuto da Pessoa com Deficincia), art. 3, incisos I e V, art. 63, caput e 1.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO95

    7.5. CONTRACHEQUE7.5.1. Tabela I do Anexo da Resoluo CNMP n 89/2012 (alterada pela Resoluo CNMP n 148/2016)

    Nome ou Matrcula Cargo Lotao

    RENDIMENTOS DESCONTOS

    Rendimento Lquido Total12 Indenizaes

    13Outras

    Remuneraes Temporrias14

    REMUNERAO BSICA REMUNERAO EVENTUAL OU TEMPORRIA

    Total de Rendimentos

    Brutos7

    OBRIGATRIOS/LEGAIS

    Total de Descontos11

    Remunerao do Cargo Efetivo1

    Outras Verbas Remuneratrias,

    Legais ou Judiciais2

    Funo de Confiana ou Cargo

    em Comisso

    Gratificao Natalina4

    Frias (1/3 constitucional)5

    Abono de Permanncia6

    Contribuio Previdenciria8

    Imposto de Renda9

    Reteno por Teto Constitucional10

    ...

    TOTAL GERAL

    1. Remunerao do cargo efetivo - Vencimento, GAMPU, V.P.I, Adicionais de Qualificao, G.A.E e G.A.S, alm de outras desta natureza.

    2. V.P.N.I., Adicional por tempo de servio, quintos, dcimos e vantagens decorrentes de sentena judicial ou extenso administrativa.

    3. Rubricas que representam a retribuio paga pelo exerccio de funo (servidor efetivo) ou remunerao de cargo em comisso (servidor sem vnculo ou requisitado).

    4. Parcelas da Gratificao Natalina (13) pagas no ms corrente, ou no caso de vacncia ou exonerao do servidor.

    5. Adicional correspondente a 1/3 (um tero) da remunerao, pago ao servidor por ocasio das frias

    6. Valor equivalente ao da contribuio previdenciria, devido ao funcionrio pblico que esteja em condio de aposentar-se, mas que optou por continuar em atividade (institudo pela Emenda Constitucional n 41, de 16 de dezembro de 2003).

    7. Total dos rendimentos brutos pagos no ms.

    8. Contribuio Previdenciria Oficial (Plano de Seguridade Social do Servidor Pblico e Regime Geral de Previdncia Social).

    9. Imposto de Renda Retido na Fonte.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO96

    10. Valor deduzido da remunerao bsica bruta, quando esta ultrapassa o teto constitucional, nos termos da legislao correspondente.

    11. Total dos descontos efetuados no ms.

    12. Rendimento lquido aps os descontos referidos nos itens anteriores.

    13. Auxlio-alimentao, Auxlio-transporte, Auxlio-moradia, Ajuda de Custo e outras dessa natureza, exceto dirias, que sero divulgadas no Portal da Transparncia.

    14. Valores pagos a ttulo de Adicional de Insalubridade ou de Periculosidade, Adicional Noturno, Servio Extraordinrio, Substituio de Funo, Cumulaes.

    7.5.2. Tabela II do Anexo da Resoluo CNMP n 89/2012 (alterada pela Resoluo CNMP n 148/2016)

    Verbas referentes a exerccios anteriores

    Nome do membro / servidor1

    Valor recebido2

    Objeto do processo

    Nmero do processo

    Origem do processo

    administrativo ou judicial4

    1. Nome do membro / servidor - nome completo do servidor ou membro recebedor da verba ou indenizao.

    2. Valor recebido no ms.

    3. Nmero do processo - Nmero do processo com a devida caracterizao de seu rgo de origem. Exemplo: Processo 001.376/2016/SG/MPF.

    4. Origem do processo administrativo ou judicial - classificar o processo de concesso da verba como de natureza judicial ou administrativa.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO M

    INISTRIO PBLICO97

    7.6 ATIVIDADE-FIM7.6.1 Estudos e Levantamentos Estatsticos da Atuao

    rea de Atuao (a)

    Promotoria/Procuradoria

    Nmero de membros

    (b)

    Nmero de processos/

    procedimentos em trmite (c)

    Nmero de processos/

    procedimentos que entraram no perodo (d)

    Nmero de processos/

    procedimentos que saram no

    perodo (e)

    Tempo mdio de durao

    dos processos/procedimentos

    (f)

    Demandas judicializadas

    Quantidade de improvimentos

    (g)

    Quantidade de provimentos parciais (h)

    Quantidade de recursos

    interpostos (i)

    Total Total Total Total Tempo mdio Total Total Total Total Total

    Fonte de dados

    Data da ltima atualizao

    (a) rea de atuao - Este item trata da atuao finalstica do Ministrio Pblico em reas temticas ou demais subdivises adotadas quando da distribuio processual. Equivale ao agrupamento de membros em atividade de processos similares por tema e/ou localidade. Por exemplo: Coordenadorias de Apoio Institucional - CAO, GAECO, Consumidor, Mulher, Crianas, Patrimnio Pblico, Trabalho Escravo, Divises Regionais de Atuao, Coordenadorias Nacionais, Procuradoria da Repblica do Estado de Minas Gerais, Procuradoria Regional do Trabalho da 10 Regio, Procuradoria Regional da Repblica da 2 Regio, 5 Cmara - PGR.

    (b) Nmero de membros - Quantitativo de membros responsveis pelos processos da respectiva Promotoria/Procuradoria.

    (c) Nmero de processos em trmite - Quantitativo de processos que ainda se encontram na Promotoria/Procuradoria.

    (d) Nmero de processos que entraram no perodo - Quantitativo de processos que foram distribudos quela Promotoria/Procuradoria.

    (e) Nmero de processos que saram no perodo - Quantitativo de processos que saram, que foram arquivados ou concludos.

    (f) Tempo mdio de durao dos processos - Clculo do tempo mdio que os processos ficaram em tal rea. Para essa informao,

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO98

    necessrio levantar, primeiramente, a data da sada de cada processo, subtraindo-se a data de entrada desse. Esse clculo informa o tempo de durao de cada processo na rea. Em segundo lugar, devero ser somados os tempos de durao de todos os processos daquelas reas e, finalmente, dividir esse total pelo nmero de processos da rea.

    (g) Quantidade de improvimentos - Quantitativo de decises contrrias ao pleiteado pelo MP.

    (h) Quantidade de provimentos parciais - Quantitativo de decises que atenderam parcialmente ao pleito do MP.

    (i) Quantidade de recursos interpostos - Quantitativo de instrumentos recursais em geral.

    FUNDAMENTO LEGAL: Lei n 12.527/2011, arts. 3, 7, II e VII, a, e 8, 1, V; Resoluo CNMP n 89/2012, art. 7, IX e XV.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 99

    7.6.2. Relao de Membros Participantes de Conselhos e Assemelhados Externos Instituio

    Nome do Membro e Contato

    Ato de Designao Nome do Conselho ou rgo Externo Instituio

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO100

    7.7. SERVIO DE INFORMAO AO CIDADO - SIC

    O SIC o instrumento utilizado para a concretizao da transparncia passiva, ou seja, aquela que se d quando as informaes no esto disponibilizadas independentemente de requerimento.

    Destarte, se a informao j constar do stio eletrnico, o rgo responsvel pelo SIC dever responder imediatamente a respeito desse fato, de preferncia oferecendo o link para seu acesso mais rpido.

    O SIC permite que qualquer pessoa, fsica ou jurdica, requeira informaes, receba protocolo, acompanhe o prazo e o andamento, receba a resposta da solicitao por e-mail, entre com recursos, apresente reclamaes, consulte as respostas recebidas, d sugestes ou faa elogios.

    Assim, espera-se que, quando o usurio clicar no banner do SIC, encontre imediatamente o formulrio para escrever e enviar a solicitao, recebendo prontamente, aps o seu envio, o nmero do protocolo por meio do qual poder acompanhar prazo, andamento e resposta. Logo, o campo para preenchimento do nmero do protocolo tambm dever estar disponvel, sem que lhe seja necessrio acessar outro cone.

    Antecedendo o campo para encaminhamento das solicitaes, deve o SIC informar a unidade responsvel e como funciona o acesso s informaes, esclarecendo sua classificao em sigilosas ou no, e a possibilidade de sua desclassificao mediante recurso, informando igualmente as hipteses de seu cabimento, tramitao e deciso.

    7.8. PUBLICAO ANUAL DO SIC

    A Ouvidoria, ou outro rgo incumbido da gesto do SIC, dever publicar a relao das informaes desclassificadas nos ltimos doze meses, conforme sua classificao de sigilo, com identificao para referncia futura,

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 101

    bem como relatrio estatstico contendo a quantidade de pedidos de informao recebidos, atendidos e indeferidos, alm de informaes genricas a respeito dos solicitantes, indicando as aes desenvolvidas para concretizao do direito constitucional de acesso informao.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO102

    8. ANEXOS

    8.1. RESOLUO CNMP N 86/2012

    RESOLUO N 86, DE 21 DE MARO DE 2012(Publicada no DOU, Seo 1, de 07/05/2012, pg. 77)

    Dispe sobre o Portal da Transparncia do Ministrio Pblico.

    O CONSELHO NACIONAL DO MINISTRIO PBLICO, no exerccio das atribuies conferidas pelo artigo 130-A, pargrafo 2, inciso II, da Constituio Federal, e pelo artigo 19 do Regimento Interno, em conformidade com a deciso Plenria proferida na 2 Sesso Extraordinria, realizada em 21 de maro de 2012;

    CONSIDERANDO que compete ao Conselho Nacional do Ministrio Pblico o controle da atuao administrativa e financeira do Ministrio Pblico, bem como zelar pela observncia do art. 37 da Constituio Federal;

    CONSIDERANDO que a Administrao Pblica rege-se, dentre outros, pelos princpios da publicidade e eficincia, previstos no caput do art. 37 da Constituio Federal;

    CONSIDERANDO o disposto na Lei Federal n 12.527/2011, que estabelece ser dever do Estado assegurar o direito fundamental de acesso informao, delineando dados mnimos a serem divulgados em stios oficiais da rede mundial de computadores pelos rgos e entidades pblicas, com a utilizao de ferramenta de pesquisa e linguagem de fcil compreenso;

    CONSIDERANDO o disposto na Resoluo n 66, de 23 de fevereiro de 2011, que Institui no mbito do Ministrio Pblico o Portal da Transparncia e d outras providncias;

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 103

    CONSIDERANDO a necessidade de se promover os avanos na seara da transparncia da gesto administrativa e financeira do Ministrio Pblico, para alm das regras bem sucedidas da Resoluo n 38 deste Conselho Nacional do Ministrio Pblico, notadamente no que concerne a um maior detalhamento das informaes divulgadas ao pblico.

    CONSIDERANDO a deciso do Conselho Nacional do Ministrio Pblico no julgamento proferido no Pedido de Providncias CNMP n 267/2008-62, transformado, por deciso Plenria de 16 de fevereiro de 2009, em Procedimento de Controle Administrativo e encaminhado Comisso de Controle Administrativo e Financeiro;

    RESOLVE editar a seguinte Resoluo:

    Art. 1 Fica institudo o Portal da Transparncia do Ministrio Pblico, instrumento de controle social da execuo oramentria, financeira e administrativa dos Ministrios Pblicos da Unio e dos Estados.

    Art. 2 O Portal da Transparncia do Ministrio Pblico, stio eletrnico disposio da Sociedade na Rede Mundial de Computadores - Internet, gerenciado pelo Conselho Nacional do Ministrio Pblico, tem por finalidade veicular dados e informaes detalhadas sobre a gesto administrativa e execuo oramentria e financeira das unidades do Ministrio Pblico.

    Art. 3 O acesso pgina da Transparncia do Ministrio Pblico dar-se-, necessariamente, por meio de atalho inserido na pgina inicial do stio eletrnico do Conselho Nacional do Ministrio Pblico, dos Ministrios Pblicos dos Estados, e dos ramos do Ministrio Pblico da Unio.

    Art. 4 A Comisso de Controle Administrativo e Financeiro do Conselho Nacional do Ministrio Pblico verificar periodicamente o cumprimento do disposto nesta Resoluo.

    Art. 5 O Portal da Transparncia do Ministrio Pblico, observado o disposto no art. 5, inciso X, da Constituio Federal, disponibilizar para

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO104

    o Conselho Nacional do Ministrio Pblico, para cada ramo do Ministrio Pblico da Unio, bem como para as Unidades do Ministrio Pblico dos Estados, no mnimo, as seguintes informaes:

    I. Informaes oramentrias e financeiras compostas de:

    a) receitas prprias totais previstas e arrecadadas, discriminadas por objeto;

    b) despesas totais previstas e pagas por grupo e elemento de despesa;

    c) especificao da programao oramentria e respectivos valores autorizados, empenhados, liquidados e pagos;

    d) valores empenhados, por unidade gestora, contendo nome, CNPJ ou CPF do beneficiado, descrio do objeto, tipo e modalidade de licitao e valores pagos;

    e) despesas com carto corporativo e suprimento de fundos, com a descrio dos gastos e indicao da aprovao de sua prestao de contas;

    f) despesas com passagens e dirias, discriminando nome e cargo do beneficirio, origem e destino de todos os trechos, perodo e motivo da viagem, meio de transporte e valor da passagem ou fretamento, bem como quantidade e valor das dirias concedidas;

    g) descrio da natureza e valor de quaisquer outros benefcios no previstos expressamente nesta Resoluo, concedidos aos membros ou servidores do Ministrio Pblico, sendo identificados obrigatoriamente o nome e o cargo do beneficirio;

    h) repasses aos fundos ou institutos previdencirios;

    i) apurao quadrimestral do limite de gastos com pessoal estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

    j) prestao de contas anual do ordenador de despesas.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 105

    II. Informaes relativas licitaes, contratos e convnios compostas de:

    a) nmeros da licitao e do processo administrativo;

    b) tipo e modalidade da licitao;

    c) objeto da licitao e do contrato dela resultante ou do convnio;

    d) resultado e situao da licitao;

    e) nome, CNPJ ou CPF do contratado ou convenente e, no caso de pessoa jurdica, dos trs principais integrantes de seu quadro societrio, assim compreendidos aqueles que detenham maior parcela das cotas societrias ou o poder de gesto da sociedade;

    f) nmero e descrio dos itens fornecidos, excetuando-se despesas classificveis como Material de Consumo;

    g) eventuais termos aditivos, com as mesmas informaes exigidas em relao ao contrato ou convnio original;

    h) data das publicaes dos editais, dos extratos de contratos ou convnios e dos termos aditivos e demais informaes exigidas por lei;

    i) perodo de vigncia, discriminando eventuais prorrogaes;

    j) valor global e preos unitrios do contrato;

    k) atas de registro de preos prprias ou adeses, com as mesmas informaes exigidas em relao ao contrato;

    l) no caso de convnio, o valor do repasse e da contrapartida exigida ao conveniado e situao quanto regularidade da prestao de contas;

    m) situao do contrato ou do convnio (ativo, concludo ou rescindido);

    n) relao de nomes de funcionrios prestadores de mo-de-obra aos Ministrios Pblicos, agrupados por contrato e local de efetiva prestao dos servios, indicando o CPF e cargo ou atividade exercida.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO106

    III. Informaes relativas a pessoal compostas de:

    a) relao dos nomes dos membros e dos servidores ocupantes de cargos de provimento efetivo pertencentes ao quadro de pessoal do rgo, ativos e inativos, o nmero de identificao funcional, cargo e funo, lotao, ato de nomeao ou contratao e a respectiva data de publicao com a indicao se so estveis, no estveis ou vitalcios ou a data de publicao do ato de aposentadoria;

    b) relao dos nomes de pensionistas, contendo informaes sobre o nome do membro ou servidor falecido, cargo por ele ocupado e data de publicao do ato de concesso do benefcio;

    c) relao dos nomes de servidores cedidos de outros rgos da administrao pblica direta ou indireta, nmero de identificao funcional, cargo e funo, lotao, ato de nomeao ou contratao e a respectiva data de publicao, com a indicao de sua origem, do nus da cesso e do prazo da mesma;

    d) relao dos nomes de servidores cedidos para outros rgos da administrao pblica direta ou indireta, nmero de identificao funcional, cargo e funo, ato de nomeao ou contratao e a respectiva data de publicao, com a indicao de seu destino, do nus da cesso e do prazo da mesma;

    e) relao dos nomes de membros e servidores com funes gratificadas ou comissionadas, nmero de identificao funcional, descrio da funo, lotao, ato de nomeao e a respectiva data de publicao;

    f) relao dos nomes dos estagirios, indicando se o estgio obrigatrio ou no-obrigatrio, nvel, especialidade e seu prazo;

    g) planos de carreiras e estruturas remuneratrias das carreiras e cargos das Unidades do Ministrio Pblico.

    h) quantitativo de cargos vagos e ocupados, discriminados por carreiras e cargos;

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 107

    i) cargos em comisso e funes de confiana vagos e ocupados por servidores com e sem vnculo com a Administrao Pblica, agrupados por nvel e classificao;

    j) atos de provimento e vacncia.

    1 - As consultas podero ser realizadas por Tipo de Despesa, Despesa por Unidade Administrativa, Favorecido e Dirias pagas;

    2 - Cada Unidade do Ministrio Pblico poder conferir sigilo aos dados relacionados a operaes especiais ou as investigaes que esteja procedendo, e que, caso expostos, previamente, possam frustrar os seus objetivos, reservando-se o direito de no identificar eventuais beneficirios de pagamentos e restringir o acesso a esses dados, enquanto perdurarem as razes para o sigilo.

    3 - As informaes do Portal Transparncia devero ser atualizadas at o 15 dia do ms subseqente ao ms a que se referem, exceo feita ao inciso I, alnea i, cujas informaes sero atualizadas at 30 (trinta) dias aps o final de cada quadrimestre, e alnea j do mesmo inciso, cujas informaes so de carter anual.

    4 - Caber ao Presidente do Conselho Nacional do Ministrio Pblico, aps consultar o Plenrio, instituir o Comit Gestor Permanente do Portal da Transparncia do Ministrio Pblico, que elaborar, no prazo de 90 (noventa) dias, um Manual da Transparncia, alm de estabelecer estratgias de divulgao, ouvidas as unidades do Ministrio Pblico para aperfeioamento e atualizao do Manual, respeitadas as informaes mnimas solicitadas na Resoluo.

    Art. 6 Cada unidade do Ministrio Pblico disponibilizar recursos humanos, tcnicos e operacionais para a implantao, atualizao e manuteno das informaes a serem disponibilizadas.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO108

    Pargrafo nico. O Conselho Nacional do Ministrio Pblico, se necessrio, poder prestar apoio tcnico-operacional para viabilizar o disposto no caput.

    Art. 7 Ficam revogadas as Resolues n 66, de 23 de fevereiro de 2011, e n 75, de 19 de julho de 2011.

    Art. 8 Esta Resoluo entra em vigor aps decorridos 180 (cento e oitenta) dias da data de sua publicao.

    Braslia, 21 de maro de 2012.

    ROBERTO MONTEIRO GURGEL SANTOSPresidente do Conselho Nacional do Ministrio Pblico

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 109

    8.2. RESOLUO CNMP N 89/2012

    (Alterada pela Resoluo CNMP n 148/2016).

    RESOLUO N 89, DE 28 DE AGOSTO 2012

    (Publicada no DOU, Seo 1, de 24/09/2012, pgs. 94/95)

    Regulamenta a Lei de Acesso Informao (Lei n 12.527, de 18 de novembro de 2011) no mbito do Ministrio Pblico da Unio e dos Estados e d outras providncias.

    O CONSELHO NACIONAL DO MINISTRIO PBLICO, no exerccio da competncia prevista no art. 130-A, 2, inciso II, da Constituio Federal, e com fundamento no art. 19 do Regimento Interno; em conformidade com a deciso Plenria proferida na 8 Sesso Ordinria, realizada em 28 de agosto de 2012;

    CONSIDERANDO que a Lei de Acesso Informao (Lei n 12.527, de 18 de novembro de 2011), que dispe sobre o acesso a informaes previsto no inciso XXXIII do caput do art. 5, no inciso II do 3 do art. 37 e no 2 do art. 216 da Constituio Federal e d outras providncias, aplica-se ao Ministrio Pblico por disposio expressa de seu art. 1, pargrafo nico, I;

    CONSIDERANDO que a referida Lei de vital importncia para a concretizao do direito constitucional de acesso informao, pelo qual deve zelar o Ministrio Pblico, no cumprimento de seu dever de defender a ordem jurdica, o regime democrtico e os interesses sociais e individuais indisponveis;

    CONSIDERANDO a necessidade de se institurem regras e procedimentos uniformes nos diversos ramos do Ministrio Pblico da Unio e nos Ministrios Pblicos dos Estados para a fiel execuo da Lei de Acesso Informao,

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO110

    RESOLVE:

    CAPTULO I

    DISPOSIES GERAIS

    Art. 1 Esta Resoluo regulamenta, no mbito do Ministrio Pblico da Unio e dos Estados, a aplicao da Lei n 12.527, de 18 de novembro de 2011, que dispe sobre o acesso a informaes previsto no inciso XXXIII do caput do art. 5, no inciso II do 3 do art. 37 e no 2 do art. 216 da Constituio Federal e d outras providncias.

    Pargrafo nico. A presente Resoluo tambm aplicvel ao Conselho Nacional do Ministrio Pblico.

    Art. 2 O Ministrio Pblico, por seus rgos administrativos, deve assegurar s pessoas naturais e jurdicas o direito de acesso informao, que ser prestada mediante procedimentos objetivos e geis, de forma transparente, clara e em linguagem de fcil compreenso, observados os princpios da administrao pblica, da inviolabilidade da vida privada e da intimidade e as diretrizes previstas na Lei n 12.527, de 2011.

    CAPTULO II

    DO ACESSO INFORMAO E SUA DIVULGAO

    Art. 3 O Ministrio Pblico, observadas as normas e procedimentos especficos aplicveis, dever assegurar a:

    I - gesto transparente da informao, propiciando amplo acesso a ela e sua divulgao;

    II - proteo da informao, garantindo-se sua disponibilidade, autenticidade e integridade; e

    III - proteo da informao sigilosa e da informao pessoal, observada a sua disponibilidade, autenticidade, integridade e eventual restrio de acesso.

    Art. 4 O Ministrio Pblico velar pela efetiva proteo dos

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 111

    direitos arrolados no art. 7 da Lei de Acesso Informao, no mbito da respectiva administrao.

    1 Quando no for autorizado acesso integral informao por ser ela parcialmente sigilosa ou pessoal, assegurado o acesso parte no sigilosa preferencialmente por meio de cpia com ocultao da parte sob sigilo, ou, no sendo possvel, mediante certido ou extrato, assegurando-se que o contexto da informao original no seja alterado em razo da parcialidade do sigilo.

    2 O direito de acesso aos documentos ou s informaes neles contidas utilizados como fundamento da tomada de deciso e do ato administrativo ser assegurado apenas com a edio do ato decisrio respectivo, sempre que o acesso prvio puder prejudicar a tomada da deciso ou seus efeitos.

    3 A negativa de acesso s informaes objeto de pedido, quando no fundamentada, sujeitar o responsvel s medidas disciplinares previstas em Lei.

    4 Informado do extravio da informao solicitada, poder o interessado requerer autoridade competente a imediata abertura de sindicncia para apurar o desaparecimento da respectiva documentao.

    5 Constatados impedimentos fortuitos ao acesso da informao, como o extravio ou outra violao sua disponibilidade, autenticidade e integridade, o responsvel pela conservao de seus atributos dever, no prazo de 10 (dez) dias, justificar o fato, indicar testemunhas que comprovem suas alegaes e divulgar automaticamente a circunstncia em seu stio eletrnico ou comunic-la ao requerente.

    Art. 5 O disposto nesta Resoluo no exclui as hipteses legais de sigilo e de segredo de justia.

    Pargrafo nico. O acesso aos procedimentos investigatrios cveis e criminais, assim como aos inquritos policiais e aos processos judiciais em poder do Ministrio Pblico, segue as normas legais e regulamentares

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO112

    especficas, assim como o disposto na Smula Vinculante n 14 do Supremo Tribunal Federal.

    Art. 6 Cada Ministrio Pblico dever regulamentar em sua estrutura administrativa a unidade responsvel pelo Servio de Informaes ao Cidado (SIC), acessvel por canais eletrnicos e presenciais, em local e condies apropriadas para:

    a) atender e orientar o pblico quanto ao acesso a informaes;

    b) informar sobre a tramitao de documentos nas suas respectivas unidades; e

    c) protocolizar documentos e requerimentos de acesso a informaes.

    1 O Servio de Informaes ao Cidado (SIC) poder ser operacionalizado pela Ouvidoria ou outra unidade j existente na estrutura organizacional do Ministrio Pblico.

    2 O Ministrio Pblico dever disponibilizar formulrio eletrnico para a apresentao de pedidos de informao, a serem respondidos preferencialmente em formato eletrnico, franqueando-se ainda ao interessado optar pelo encaminhamento da informao por correspondncia, caso em que assumir os custos correspondentes, quando no preferir retir-la na sede do rgo.

    Art. 7 Cada Ministrio Pblico dever disponibilizar, em seus respectivos stios eletrnicos, em campos facilmente acessveis, sem necessidade de cadastro prvio, e em linguagem de fcil compreenso, sem prejuzo do disposto na Resoluo CNMP n 86, de 21 de maro de 2012, informaes de interesse coletivo ou geral que produzam ou tenham sob sua responsabilidade, dentre elas:

    I - finalidades e objetivos institucionais e estratgicos, metas, indicadores e resultados alcanados pelo Ministrio Pblico;

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 113

    II - registro das competncias e estrutura organizacional, endereos e telefones das respectivas unidades e horrios de atendimento ao pblico, bem como endereos de correio eletrnico (e-mail) funcional dos membros;

    III - informaes concernentes a contrataes em geral, procedimentos licitatrios, inclusive os respectivos editais e resultados, procedimentos de dispensa e de inexigibilidade de licitao, bem como a todos os contratos, respectivos aditivos e convnios celebrados;

    IV - dados gerais para o acompanhamento de programas, aes, projetos e obras desenvolvidos pelo Ministrio Pblico;

    V - oramento da instituio, com a descrio e registros de quaisquer repasses ou transferncias de recursos financeiros, de receitas auferidas e despesas realizadas;

    VI - relao de servidores efetivos, cedidos e comissionados do rgo;

    VII - remunerao e proventos percebidos por todos os membros e servidores ativos, inativos, pensionistas e colaboradores do rgo, incluindo-se as indenizaes e outros valores pagos a qualquer ttulo, bem como os descontos legais, com identificao individualizada do beneficirio e da unidade na qual efetivamente presta servios, na forma do Anexo I;

    VIII - termos de ajustamento de conduta firmados;

    IX - estudos e levantamentos estatsticos sobre a sua atuao;

    X - relao de membros e servidores que se encontram afastados para exerccio de funes em outros rgos da Administrao Pblica;

    XI - relao de membros que participam de Conselhos e assemelhados, externamente instituio;

    XII - recomendaes expedidas;

    XIII - audincias pblicas realizadas;

    XIV - registros dos procedimentos preparatrios, procedimentos de investigao criminal, inquritos civis e inquritos policiais, incluindo o

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO114

    respectivo andamento no mbito do Ministrio Pblico, observado o disposto no pargrafo nico do art. 5;

    XV - dados e estatsticas relativos a movimentao processual em cada unidade;

    XVI - respostas a perguntas mais frequentes da sociedade.

    1 As informaes referidas no inciso VII devero ser publicadas mensalmente, at o ltimo dia til do ms subsequente ao do recebimento da remunerao.

    2 Para atendimento parcial ao disposto no caput, quanto s informaes j tratadas nos anexos da Resoluo CNMP n 74/2011, considera-se suficiente a publicao das respectivas tabelas.

    3 O Portal da Transparncia do Ministrio Pblico, institudo na forma da Resoluo CNMP n 86, de 21 de maro de 2012, ser considerado instrumento de concretizao da Lei de Acesso Informao, ao disponibilizar as informaes a que se refere este artigo.

    Art. 8 Os stios eletrnicos do Ministrio Pblico devero ser adaptados para que, obrigatoriamente:

    I - contenham ferramenta de pesquisa de contedo que permita o acesso informao de forma objetiva, transparente, clara e em linguagem de fcil compreenso;

    II - possibilitem a gravao de relatrios em diversos formatos eletrnicos, preferencialmente abertos e no proprietrios, tais como planilhas e texto, de modo a facilitar a anlise das informaes;

    III - possibilitem o acesso automatizado por sistemas externos em formatos abertos, estruturados e legveis por mquina;

    IV - divulguem em detalhes, resguardados aqueles necessrios para segurana dos sistemas informatizados, os formatos utilizados para estruturao da informao;

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 115

    V - garantam a autenticidade e a integridade das informaes disponveis para acesso;

    VI - mantenham constantemente atualizadas as informaes disponveis para acesso;

    VII - indiquem local e instrues que permitam ao interessado comunicar-se, por via eletrnica ou telefnica, com o rgo ou entidade detentora do stio; e

    VIII - adotem as medidas necessrias para garantir a acessibilidade de contedo para pessoas com deficincia, nos termos do art. 17 da Lei n 10.098, de 19 de dezembro de 2000, do art. 9 da Conveno sobre os Direitos das Pessoas com Deficincia, aprovada pelo Decreto Legislativo n 186, de 9 de julho de 2008 e demais normas tcnicas oficiais e legais aplicveis.

    Art. 9 Cada rgo do Ministrio Pblico disponibilizar em seu stio eletrnico oficial, em campo de destaque, atalho com acesso pgina do Sistema de Informao ao Cidado e ao Portal da Transparncia.

    CAPTULO III

    DO PROCEDIMENTO DE ACESSO INFORMAO

    Art. 10. O Ministrio Pblico dever organizar, nos locais em que oferea atendimento ao pblico, o recebimento de pedidos de informao, que sero aceitos por qualquer meio legtimo, inclusive pela internet, devendo conter a especificao da informao requerida e a comprovao da identidade do requerente, sem exigncias que inviabilizem ou dificultem a solicitao.

    1 O Ministrio Pblico dever dispor de formulrios em suas unidades de atendimento ao pblico, para a apresentao de pedidos de acesso informao, que tambm sero disponibilizados em seu stio eletrnico oficial, cabendo administrao direcionar o pedido ao rgo ou autoridade responsvel.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO116

    2 Os formulrios contero campo para a identificao do solicitante, com nome, documentos pessoais e endereo, se pessoa fsica, ou razo social, dados cadastrais e endereo, se pessoa jurdica, e podero conter campos para outros dados, como telefone, correio eletrnico, escolaridade, ocupao, tipo de instituio e rea de atuao, conforme Anexo II.

    3 O campo para a formulao do pedido no poder conter restries indevidas, nem exigir os motivos determinantes da solicitao de informaes de interesse pblico, embora possa conter a recomendao de que o pedido dever ser formulado de forma clara e objetiva, para facilitar seu atendimento e permitir resposta adequada.

    4 As informaes pessoais relativas intimidade, vida privada, honra e imagem das pessoas somente podero ter autorizada sua divulgao ou acesso por terceiros diante de previso legal, ordem judicial ou consentimento expresso da pessoa a que elas se referirem.

    5 No ser admitida a alegao de restrio de acesso informao relativa vida privada, honra e imagem de pessoa se for invocada com o intuito de prejudicar processo de apurao de irregularidades em que o titular das informaes estiver envolvido, bem como em aes voltadas para a recuperao de fatos histricos de maior relevncia.

    Art. 11. Aps o recebimento, o pedido de acesso informao ser imediatamente encaminhado ao rgo ou autoridade responsvel pela informao, que dever autorizar ou conceder o acesso imediato informao.

    1 No sendo possvel conceder o acesso imediato, o rgo ou autoridade responsvel dever, no prazo mximo de 20 (vinte) dias, prorrogvel por dez dias mediante justificativa expressa, com cincia do requerente:

    I - comunicar data, local e modo para se realizar a consulta, efetuar a reproduo ou obter a certido;

    II - indicar as razes de fato ou de direito da recusa, total ou parcial, do acesso pretendido, ou

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 117

    III - comunicar que no possui a informao, indicar, se for do seu conhecimento, o rgo ou a entidade que a detm, ou, ainda, remeter o requerimento a esse rgo ou entidade, cientificando o interessado da remessa do seu pedido de informao.

    2 O Ministrio Pblico oferecer meios para que o prprio requerente pesquise a informao de que necessitar, exceto a de carter eminentemente privado, assegurada a segurana e a proteo das informaes e o cumprimento da legislao vigente.

    3 Caso a informao solicitada esteja disponvel ao pblico em formato impresso, eletrnico ou em qualquer outro meio de acesso universal, sero informados ao requerente, por escrito, o lugar e a forma pela qual se poder consultar, obter ou reproduzir a referida informao, ficando o Ministrio Pblico desonerado da obrigao de seu fornecimento direto, salvo se o requerente declarar no dispor de meios para realizar por si mesmo tais procedimentos.

    4 Quando for negado o acesso, por se tratar de informao total ou parcialmente sigilosa, ser disponibilizada para o requerente o inteiro teor da deciso, por certido ou cpia, devendo ser cientificado da possibilidade de recurso, dos prazos e condies para a sua interposio e indicada a autoridade competente para a sua apreciao.

    5 Havendo dvida quanto classificao do documento, o pedido poder ser encaminhado anlise do rgo ministerial que, nos termos da regulamentao referida no art. 17, esteja incumbido da classificao das informaes, respeitado o prazo mximo definido pelo 1 do presente artigo.

    Art. 12. O servio de busca e fornecimento da informao gratuito, salvo nas hipteses de reproduo de documentos pelo rgo ou entidade pblica consultada, situao em que poder ser cobrado exclusivamente o valor necessrio ao ressarcimento do custo dos servios e dos materiais utilizados.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO118

    Pargrafo nico. Est isento de ressarcir os custos previstos no caput todo aquele cuja situao econmica no lhe permita faz-lo sem prejuzo do sustento prprio ou da famlia, declarada nos termos da Lei n 7.115, de 29 de agosto de 1983.

    Art. 13. Quando se tratar de acesso informao contida em documento cuja manipulao possa prejudicar sua integridade, dever ser oferecida a consulta de cpia, com certificao de que esta confere com o original.

    Pargrafo nico. Na impossibilidade de obteno de cpias, o interessado poder solicitar que, a suas expensas e sob superviso de servidor pblico, a reproduo seja feita por outro meio que no ponha em risco a conservao do documento original.

    Art. 14. As decises que indeferirem o acesso informao ou s razes da negativa de acesso estaro sujeitas a recurso no prazo de dez dias a contar da sua cincia, dirigido, na ausncia de normativa especfica do Ministrio Pblico, ao rgo hierarquicamente superior, que dever se manifestar no prazo de cinco dias.

    Pargrafo nico. Os rgos do Ministrio Pblico devero informar mensalmente Ouvidoria do Conselho Nacional do Ministrio Pblico todas as decises que, em grau de recurso, negarem acesso a informaes.

    Art. 15. Negado o acesso informao, o requerente poder dirigir-se ao Conselho Nacional do Ministrio Pblico, por meio de procedimento de controle administrativo, incumbindo ao relator, nos casos de urgncia, apresent-lo em mesa para julgamento na primeira sesso plenria subsequente.

    Art. 16. No sero atendidos pedidos de acesso informao:

    I - genricos;

    II - desproporcionais ou desarrazoados;

    III - que exijam trabalhos adicionais de anlise, interpretao ou consolidao de dados e informaes, ou servio de produo ou tratamento de dados que no seja de competncia do rgo ou entidade;

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 119

    IV - que contemplem perodos cuja informao haja sido descartada, nos termos de norma prpria;

    V - referentes a informaes protegidas por sigilo.

    1 Na hiptese do inciso III, o rgo ou entidade dever, caso tenha conhecimento, indicar o local onde se encontram as informaes a partir das quais o requerente poder realizar a interpretao, consolidao ou tratamento de dados.

    2 vedado Administrao exigir que sejam declarados os motivos determinantes da solicitao de informao de interesse pblico.

    CAPTULO IV

    DA CLASSIFICAO E REAVALIAO DE INFORMAES

    Art. 17. O Presidente do CNMP e o Procurador-Geral de cada Ministrio Pblico regulamentaro o procedimento de classificao de informaes, que dever observar o disposto no Captulo IV da Lei de Acesso Informao quanto s restries de acesso informao, em especial quanto aos graus e prazos de sigilo, observado o disposto no pargrafo nico do art. 5.

    1 No mbito de cada Ministrio Pblico, das decises de classificao, reclassificao e desclassificao de informaes sigilosas caber recurso ao Conselho Superior.

    2 No mbito do Conselho Nacional do Ministrio Pblico, das decises referidas no 1 caber recurso ao Plenrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO120

    CAPTULO V

    DAS RESPONSABILIDADES

    Art. 18. O uso indevido das informaes obtidas nos termos desta Resoluo sujeitar o responsvel s consequncias previstas em lei.

    Art. 19. As responsabilidades dos membros e servidores do Ministrio Pblico por infraes descritas no Captulo V da Lei de Informao sero devidamente apuradas de acordo com os procedimentos administrativos regulamentados pelas leis orgnicas de cada instituio.

    Art. 20. O Ministrio Pblico responde diretamente pelos danos causados em decorrncia da divulgao no autorizada ou utilizao indevida de informaes sigilosas ou informaes pessoais, cabendo a apurao de responsabilidade funcional nos casos de dolo ou culpa, assegurado o respectivo direito de regresso.

    CAPTULO VI

    DA PUBLICIDADE DAS SESSES DE JULGAMENTO DA ADMINISTRAO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO

    Art. 21. As sesses dos rgos colegiados da Administrao Superior do Ministrio Pblico so pblicas, devendo ser, sempre que possvel, transmitidas ao vivo pela internet.

    1 Por deciso fundamentada, determinados atos instrutrios do processo administrativo disciplinar podero ser realizados na presena, to somente, das partes e de seus advogados, ou apenas destes, desde que a preservao do direito intimidade no prejudique o interesse pblico informao.

    2 As sesses de que trata o caput sero registradas em udio, cujo contedo ser disponibilizado no respectivo stio eletrnico oficial no prazo de 5 (cinco) dias, e em ata, a ser disponibilizada no stio eletrnico oficial no prazo de 2 (dois) dias, contados da data de sua aprovao.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 121

    3 Ser garantido ao interessado o acesso ntegra das discusses e decises, de acordo com os meios tcnicos disponveis.

    Art. 22. A pauta das sesses dos rgos referidos no artigo anterior ser divulgada com antecedncia mnima de 48 (quarenta e oito) horas, franqueando-se a todos o acesso e a presena no local da reunio.

    Pargrafo nico. Somente em caso de comprovada urgncia e mediante aprovao da maioria dos integrantes do colegiado podero ser objeto de deliberao matrias que no se encontrem indicadas na pauta da sesso, divulgada nos termos do caput.

    Art. 23. Os autores de representao ou reclamao disciplinar sero notificados do inteiro teor da deciso final proferida.

    CAPTULO VII

    DO ACOMPANHAMENTO DA EXECUO DA LEI DE ACESSO INFORMAO

    Art. 24. O Presidente do CNMP e o Procurador-Geral de cada Ministrio Pblico designar autoridade que lhe seja diretamente subordinada para, no mbito da respectiva instituio, exercer as seguintes atribuies:

    I - assegurar o cumprimento das normas relativas ao acesso informao, de forma eficiente e adequada aos objetivos da Lei de Acesso Informao;

    II - monitorar a implementao do disposto na Lei de Acesso Informao e apresentar relatrios peridicos sobre o seu cumprimento;

    III - recomendar as medidas indispensveis implementao e ao aperfeioamento das normas e procedimentos necessrios ao correto cumprimento do disposto na Lei de Acesso Informao; e

    IV - orientar as respectivas unidades no que se refere ao cumprimento do disposto na Lei de Acesso Informao e seus regulamentos.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO122

    Art. 25. Cada Ministrio Pblico publicar, anualmente, em seu stio eletrnico:

    I - rol das informaes que tenham sido desclassificadas nos ltimos 12 (doze) meses;

    II - rol de documentos classificados em cada grau de sigilo, com identificao para referncia futura;

    III - relatrio estatstico contendo a quantidade de pedidos de informao recebidos, atendidos e indeferidos, bem como informaes genricas sobre os solicitantes;

    IV - descrio das aes desenvolvidas para a concretizao do direito constitucional de acesso informao.

    1 Os relatrios a que se refere o caput deste artigo devero ser disponibilizados para consulta pblica nas sedes das instituies.

    2 Os relatrios sero ainda encaminhados ao CNMP, que os submeter anlise da Comisso de Controle Administrativo e Financeiro, a qual propor ao Plenrio as providncias que entender cabveis para a execuo da Lei de Acesso Informao.

    3 O CNMP e cada Ministrio Pblico mantero extrato com a lista de informaes classificadas, acompanhadas da data, do grau de sigilo e dos fundamentos da classificao.

    Art. 26. Sero institudos programas permanentes de treinamento dos membros e servidores sobre o desenvolvimento de prticas relacionadas transparncia na administrao pblica.

    Art. 27. O Conselho Nacional do Ministrio Pblico promover a cooperao tcnica com as unidades do Ministrio Pblico e entre elas, envolvendo o compartilhamento de sistemas, conhecimento e experincias, inclusive por meio do Banco Nacional de Projetos do Planejamento Estratgico Nacional e do Frum Nacional de Gesto institudo pela Portaria CNMP-PRESI n 25, de 23 de maro de 2012.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 123

    Art. 28. O Conselho Nacional do Ministrio Pblico fiscalizar o cumprimento da legislao relativa ao acesso informao, bem como do disposto nesta Resoluo, por meio de procedimentos de controle administrativo e pela Corregedoria Nacional por ocasio de suas inspees, podendo expedir as recomendaes e determinaes que entender cabveis para a adequao dos procedimentos adotados.

    Art. 29. Cada Ministrio Pblico encaminhar ao Conselho Nacional do Ministrio Pblico os atos normativos eventualmente editados com vistas a regulamentar a Lei de Acesso Informao ou esta Resoluo, no prazo de 5 (cinco) dias contados da data de publicao do ato ou, em se tratando de atos regulamentares j em vigor, contados da data da publicao desta Resoluo.

    Art. 30. Esta Resoluo entra em vigor na data de sua publicao, ressalvado o prazo de 60 (sessenta) dias para implementao do disposto no art. 7, incisos VIII, XII, XIII e XIV.

    Braslia, 28 de agosto de 2012.

    ROBERTO MONTEIRO GURGEL SANTOSPresidente do Conselho Nacional do Ministrio Pblico

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO124

    8.3. RESOLUO CNMP N 115/2014

    RESOLUO N 115, DE 15 DE SETEMBRO DE 2014

    (Publicado no DOU, Seo 1, de 1/10/2014, pg. 104)

    Altera o inciso VII do art. 7 da Resoluo n 89, de 28 de agosto de 2012.

    O CONSELHO NACIONAL DO MINISTRIO PBLICO, no exerccio das atribuies que lhe so conferidas pelo artigo 130-A, 2, inciso I, da Constituio da Repblica, considerando o disposto no art. 5, da Resoluo CNMP N 92, de 13 de maro de 2013 (Regimento Interno do Conselho Nacional do Ministrio Pblico) e tendo em vista a deciso Plenria proferida na 18 Sesso Ordinria, realizada em 15/09/2014, nos autos do Processo CNMP n 0.00.000.00001351/2013-61;

    CONSIDERANDO o disposto no artigo 5, incisos XXXIII e LX; no artigo 37, caput e 3; no artigo 127, caput; e no artigo 129, inciso II, da Constituio da Repblica;

    CONSIDERANDO o disposto no artigo 2 e no artigo 5, incisos I, alnea h, e V, alnea b e 1, da Lei Complementar n 75, de 20 de maio de 1993, e no artigo 1 e no artigo 80, da Lei n 8.625, de 12 de fevereiro de 1993;

    CONSIDERANDO o disposto na Lei n 12.527, de 18 de novembro de 2011, especialmente em seu artigo 3, incisos I, II e V;

    CONSIDERANDO, como sucedneo do princpio republicano e do decorrente imperativo de transparncia administrativa, o dever do Poder Pblico de conferir publicidade sua atuao, com a disponibilizao das suas informaes da forma mais abrangente possvel;

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 125

    CONSIDERANDO o que disps a Resoluo CNMP n 89, de 28 de agosto de 2012;

    CONSIDERANDO a necessidade de se avanar ainda mais na promoo do acesso pblico s informaes administrativas referentes ao Ministrio Pblico e sua gesto;

    CONSIDERANDO o que vem sendo decidido pelo Supremo Tribunal Federal em relao constitucionalidade de dispositivos regulamentares que preveem a divulgao nominal dos salrios dos servidores pblicos em stios eletrnicos dos rgos a que esto ligados;

    RESOLVE:

    Art. 1. O inciso VII do artigo 7 da Resoluo n 89, de 28 de agosto de 2012, passa a vigorar com a seguinte redao:

    art. 7: .....................................................................

    VII - remunerao e proventos percebidos por todos os membros e servidores ativos, inativos, pensionistas e colaboradores do rgo, incluindo-se as indenizaes e outros valores pagos a qualquer ttulo, bem como os descontos legais, com identificao individualizada e nominal do beneficirio e da unidade na qual efetivamente presta servios, na forma do Anexo I.

    ...................................................................................

    Art. 2. Os Ministrios Pblicos da Unio e dos Estados devero adequar seus stios eletrnicos, incluindo as informaes necessrias implementao da presente Resoluo, no prazo de 30 dias a contar de sua entrada em vigor.

    Art. 3. Encerrado o prazo de que trata o artigo anterior, a Coordenadoria de Acompanhamento de Decises deste Conselho Nacional consultar o portal eletrnico de cada unidade do Ministrio Pblico para verificar o estrito cumprimento do disposto no art. 7, VII, da Resoluo n 89, com a redao dada pelo artigo 1 da presente Resoluo, devendo autuar e distribuir Procedimentos de Controle Administrativo referentes s unidades

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO126

    cujos stios eletrnicos no contenham as informaes exigidas no referido inciso, ou as publiquem em desacordo com o Anexo I da referida Resoluo.

    Art. 4. Esta Resoluo entra em vigor na data de sua publicao.

    Braslia, 15 de setembro de 2014.

    RODRIGO JANOT MONTEIRO DE BARROSPresidente do Conselho Nacional do Ministrio Pblico

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 127

    8.4. PORTARIA CNMP-PRESI N 93/2016

    PORTARIA CNMP-PRESI N 93, DE 9 DE AGOSTO DE 2016.

    Altera a composio do Comit Gestor Permanente do Portal da Transparncia do Ministrio Pblico.

    O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO MINISTRIO PBLICO, no uso das atribuies previstas no art. 130-A, 2, II, da Constituio Federal, no art. 5, 4, da Resoluo CNMP n 86, de 21 de maro de 2012, que dispe sobre a criao do Comit Gestor Permanente do Portal da Transparncia do Ministrio Pblico, bem comonos arts. 1, 5, e 38, III, da Portaria CNMP-PRESI n 70, de 27 de maro de 2014, RESOLVE:

    Art. 1 Alterar a composio do Comit Gestor Permanente do Portal da Transparncia do Ministrio Pblico - CGPPT, institudo pela Portaria CNMP-PRESI n 93, de 25 de junho de 2012, que passa a ter os seguintes integrantes:

    I - LAURA CRISTINA DE ALMEIDA MIRANDA, membro auxiliar da Comisso de Controle Administrativo e Financeiro;

    II - DANDY DE JESUS LEITE BORGES, membro auxiliar da Presidncia do CNMP;

    III - FABIANA DE FARIAS MARINHO, Coordenadora de Gesto de Pessoas do CNMP;

    IV - WESKLEY RODRIGUES DOS SANTOS, Secretrio de Gesto Estratgica do CNMP;

    V - PAULO CLIO SOARES JUNIOR, Secretrio de Tecnologia da

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO128

    Informao do CNMP;

    VI - TATIANA JEBRINE, Assessora de Comunicao do CNMP;

    VII - FLVIO HENRIQUE HOLLANDA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE, Analista de Finanas e Controle da Comisso de Controle Administrativo e Financeiro;

    VIII - NATHLIA BRGIDA GOMES BEZERRA, Analista Jurdica da Comisso de Controle Administrativo e Financeiro;

    IX - LARISSA ALVES CAMPOS, Tcnico Administrativo da Comisso de Controle Administrativo e Financeiro.

    Art. 2 Fica revogada a Portaria CNMP-PRESI N 6, de 26 de janeiro de 2016, Publicada no Dirio Eletrnico, caderno administrativo, de 27 de janeiro de 2016. Art. 3 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicao.

    Braslia-DF, 9 de agosto de 2016.

    RODRIGO JANOT MONTEIRO DE BARROS

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 129

    8.5. TABELA DE MONITORAMENTO DO CUMPRI-MENTO DA RESOLUO CNMP N 86/2012 NO PORTAL DA TRANSPARNCIA

    Link de Consulta Processual na Pgina Principal

    Acessibilidade para Pessoas com Deficincia na Pgina Principal

    1. Identidade Visual

    1. Apresentada na pgina principal da internet de cada Ministrio Pblico, conforme consta modelo no Manual.

    2. Padres de Navegao

    1. Apresentao dos 9 grupos de informaes no primeiro nvel de navegao.

    2. Apresentao de informaes conforme o segundo nvel de navegao.

    3. Acesso s informaes de anos anteriores.

    Execuo Oramentria e Financeira

    CRDITO ORAMENTRIO E RECEITAS PRPRIAS

    1. Objeto: detalhar a origem do recolhimento.

    2. Valores Previstos: valores autorizados na LOA somados aos eventuais crditos adicionais.

    3. Apresentao dos valores arrecadados ms a ms, por regime de caixa, considerando-se efetivamente a entrada nos cofres pblicos.

    4. Crdito oramentrio liberado/cota financeira liberada.

    5. Receitas prprias.

    6. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO130

    FUNDOS: SALDOS E RECEITAS

    1. Fundo.

    2. Saldo do fundo em janeiro.

    3. Valores recebidos mensalmente.

    4. Saldo atual.

    5. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    DETALHAMENTO DE DESPESAS

    1. Objeto: detalhar os gastos.

    2. Valores Previstos: valores da lei oramentria adicionados ou reduzidos de eventuais crditos adicionais.

    3. Apresentao dos valores pagos no ms. Regime de Caixa.

    4. Apresentao do total, que corresponde ao somatrio dos valores dos meses do ano.

    5. Apresentao do total geral, que corresponde ao somatrio dos valores contidos nas linhas: pessoal e encargos sociais, outras despesas correntes, investimentos e inverses financeiras.

    6. Apresentao da totalizao dos valores em linhas amarelas.

    7. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    DESPESAS POR AO ORAMENTRIA

    1. Descrio da Ao: descrio das aes oramentrias conforme constar na lei oramentria de cada unidade do Ministrio Pblico.

    2. Autorizado: valores da lei oramentria adicionados ou reduzidos de eventuais crditos adicionais.

    3. Empenhados: valor total de empenhos realizados no ms.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 131

    4. Liquidados: total de valores liquidados no ms.

    5. Pagos: total de valores pagos no ms.

    6. Somatrio dos valores de cada uma das colunas.

    7. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    EMPENHOS E PAGAMENTOS POR FAVORECIDO

    1. UG: cdigo e nome da(s) unidade(s) gestora(s) vinculada(s) ao Ministrio Pblico.

    2. Nome do Favorecido: nome da pessoa fsica ou jurdica beneficiria do pagamento feito pelo Ministrio Publico.

    3. CNPJ/CPF: cdigo nmero do CNPJ, se pessoa jurdica, ou CPF, se pessoa fsica, do beneficirio do pagamento.

    4. Objeto: descrio resumida do objeto contratado.

    5. Tipo de Licitao. Exemplos: menor preo, melhor tcnica e tcnica e preo.

    6. Modalidade de Licitao. Exemplos: concorrncia, tomada de preos ou convite. Informar tambm se houve dispensa ou inexigibilidade, ou se a contratao foi feita por meio de adeso ata de registro de preos.

    7. Nmero do Empenho.

    8. Valor Empenhado: descrever o valor empenhado para a contratao.

    9. Valor Pago no ms.

    10. Valor Pago at o ms.

    11. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO132

    DESPESAS COM CARTO CORPORATIVO E SUPRIMENTO DE FUNDOS

    1. Suprido: nome do titular do carto corporativo ou do recebedor do suprimento de fundos, que tenha efetuado compras no ms de referncia.

    2. Nmero do CPF do Suprido.

    3. Perodo de aplicao: data estabelecida para que o suprido utilize os recursos a ele disponibilizados. Dever ser informada no formato dd/mm/aaaa.

    4. Aprovao de contas. Opes: sim, no ou em anlise.

    5. Data da aquisio do bem ou servio.

    6. Nome do favorecido pelo pagamento.

    7. CPF/CNPJ do favorecido pelo pagamento.

    8. Resumir o objeto da aquisio. Exemplo: aquisio de 5 parafusos para fixao de pias.

    9. Valor da aquisio do material ou servio.

    10. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    DIRIAS E PASSAGENS

    1. Nome do membro, servidor ou colaborador eventual que recebeu a diria.

    2. Cargo do membro ou servidor que recebeu a diria. Exemplo: subprocurador da Repblica, promotor de Justia, analista processual, tcnico administrativo.

    3. Perodo a que se referem as dirias. Exemplo: 25/07/2011 a 28/07/2011.

    4. Informar o trecho percorrido. Exemplo: BSB/BH/BSB. Em caso de trechos muito extensos, utilizar o rodap do quadro para detalhamento.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 133

    5. Tipo de transporte utilizado: avio, carro ou nibus.

    6. Motivo da viagem. Ex.: participar de Congresso X, reunio de trabalho sobre XXX, etc.

    7. Valor total da passagem ou custo de transporte.

    8. Quantidade de dirias pagas. Informar quando houver pagamento de meias dirias.

    9. Valor total das dirias pagas.

    10. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    OUTROS BENEFCIOS: PAGAMENTOS NO REGISTRADOS EM CONTRACHEQUE

    1. Descrio da natureza do benefcio. Exemplo: cota de telefonia celular, cota de servios grficos.

    2. Nome do beneficirio.

    3. Cargo do beneficirio.

    4. Valor pago no ms.

    5. Somatrio dos valores pagos no ms.

    6. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    REPASSES A FUNDOS OU INSTITUTOS PREVIDENCIRIOS

    1. Fundo ou Instituto Previdencirio: informar o nome da instituio destinatria da arrecadao dos valores previdencirios de folha de pagamento. Exemplo: Instituto Nacional

    2. Valores recolhidos ms a ms.

    3. Somatrio dos valores dos meses do ano por Fundo ou Instituto Previdencirio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO134

    4. Somatrio dos valores dos meses do ano (total geral).

    5. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    LIMITE DE GASTOS COM PESSOAL

    Essa informao est regulamentada pela Portaria STN n 407/2011, Parte II, que aprova o Manual de Demonstrativos Fiscais, disponvel no link legislao da pgina da Secretaria do Tesouro Nacional (www.tesouro.fazenda.gov.br). Os ramos do MPU que tenham seus demonstrativos consolidados no Relatrio Gesto Fiscal do MPU esto dispensados da apresentao do referido quadro, devendo este estar contido na informao divulgada no site do MPU.

    PRESTAO DE CONTAS ANUAL

    Esta informao no apresenta formato padro. Dever ser divulgado o Relatrio Anual de Prestao de Contas do ordenador de despesas da Unidade.

    Licitaes, contratos e convnios

    LICITAES

    1. Informar o nmero do edital do processo licitatrio.

    2. Data de publicao nos meios de comunicao devidos.

    3. Nmero do processo interno do rgo.

    4. Descrio da licitao.

    5. Tipo do processo licitatrio, conforme previsto na Lei n 8.666/93, Lei n 10.520/2002, Decreto n 5.450/2005 e demais normas pertinentes.

    6. Modalidade de licitao, conforme previsto na Lei n 8.666/93, Lei n 10.520/2002, Decreto n 5.450/2005 e demais normas pertinentes.

    7. Situao do andamento do processo licitatrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 135

    8. Nome da empresa vencedora. Caso o processo licitatrio esteja em andamento, preencher o campo com o termo aguardando.

    9. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    DISPENSA E INEXIGIBILIDADE

    1. Classificao como dispensa/inexigibilidade.

    2. Preceito legal.

    3. Nmero do empenho.

    4. Data do empenho.

    5. Objeto.

    6. Elemento e Subelemento da Despesa.

    7. Valor do Empenho.

    8. Contratado(a).

    9. CNPJ/CPF do contratado(a).

    10. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    CONTRATOS

    1. Informa o nmero do contrato.

    2. Descrio do objeto do contrato.

    3. Data da publicao nos meios de comunicaes devidos.

    4. Nmero do edital do processo licitatrio relacionado.

    5. Perodo de vigncia do contrato no formato dd/mm/aaaa.

    6. Situao do contrato, indicando se ativo, concludo ou rescindido.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO136

    7. Descrio do(s) item(ns) a ser(em) fornecido(s) pelo contrato. Excetuam-se os materiais de consumo.

    8. Unidade de medida do(s) item(ns) a ser(em) fornecido(s).

    9. Valor unitrio do(s) item(ns) a ser(em) fornecido(s)

    10. Quantidade do(s) item(ns) a ser(em) fornecido(s)

    11. Valor total de cada item, de acordo com a frmula i x j.

    12. Valor total do contrato com o somatrio dos totais dos itens presentes no contrato.

    13. Nome da empresa ou da pessoa fsica contratada.

    14. Nmero do CNPJ ou do CPF da contratada.

    15. Lista dos scios, no caso de empresa.

    16. Informar se h termo aditivo.

    17. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    TERMOS ADITIVOS DE CONTRATOS

    1. Nmero do contrato.

    2. Nmero do aditivo.

    3. Objeto.

    4. Data da publicao.

    5. Valor total.

    6. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    CONVNIOS E INSTRUMENTOS CONGNERES

    1. Informar o nmero do convnio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 137

    2. Tipo de instrumento utilizado.

    3. Descrio do objeto do convnio.

    4. Data de publicao nos meios de comunicao devidos.

    5. Nmero do processo de convnio relacionado.

    6. Perodo de vigncia do convnio no formato dd/mm/aaaa.

    7. Situao do convnio, indicando se ativo, concludo ou rescindido.

    8. Nome do convenente.

    9. Nmero do CNPJ/CPF do convenente.

    10. Nome do(s) representante(s) do convenente.

    11. Valor financeiro do repasse instituio.

    12. Valor da contrapartida.

    13. Situao da regularidade da prestao de contas.

    14. Informar se h termo aditivo.

    15. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    TERMOS ADITIVOS DE CONVNIOS E DE INSTRUMENTOS CONGNERES

    1. Nmero do convnio.

    2. Nmero do aditivo.

    3. Objeto.

    4. Data da publicao.

    5. Valor total.

    6. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO138

    ATAS DE REGISTRO DE PREOS PRPRIAS E ADERIDAS

    1. Informar o nmero da ata.

    2. rgo gerenciador da ata.

    3. Descrio do objeto da ata.

    4. Data da publicao nos meio de comunicaes devidos.

    5. Nmero do edital do processo licitatrio relacionado.

    6. Perodo de vigncia da ata.

    7. Descrio do(s) item(ns) a ser(em) registrado(s), conforme a licitao realizada.

    8. Unidade de medida do(s) item(ns) a ser(em) registrado(s)

    9. Valor unitrio do(s) item(ns) a ser(em) registrados.

    10. Quantidade do(s) item(ens) a ser(em) registrados.

    11. Valor total de cada item com a seguinte memria de clculo.

    12. Valor total do contrato com o somatrio dos totais dos itens presentes no contrato.

    13. Nome da empresa ou da pessoa fsica registrada.

    14. Nmero do CNPJ ou do CPF registrado.

    15. Lista dos scios, no caso de empresa.

    16. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    PRESTADORES DE SERVIOS

    1. Nome da empresa contratada.

    2. Nmero do contrato relacionado.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 139

    3. Nome completo do funcionrio da empresa.

    4. Nmero do CPF do funcionrio com os 3 primeiros dgitos e os 2 ltimos dgitos ocultos.

    5. Cargo ou atividade desenvolvida pelo funcionrio.

    6. Nome da unidade administrativa que o funcionrio desempenha suas atividades.

    7. Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    8. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    Gesto de Pessoas

    QUADRO DE MEMBROS ATIVOS

    1. Cdigo funcional do membro.

    2. Nome completo do membro.

    3. Nome do cargo efetivo.

    4. Preencher com o tipo/cdigo de funo comissionada, cargo em comisso, funo gratificada, ou outra da mesma natureza exercida pelo membro.

    5. Identificar a lotao do membro.

    6. Nmero do ato/portaria de nomeao.

    7. Data da publicao na imprensa oficial do ato/portaria de nomeao.

    8. Indicao se o membro vitalcio, no formato sim/no.

    9. Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    10. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO140

    QUADRO DE MEMBROS INATIVOS

    1. Cdigo funcional do membro.

    2. Nome completo do membro.

    3. Nome do cargo efetivo, quando da aposentadoria.

    4. Nmero do ato/portaria de nomeao (somente sero exigidas a partir das aposentadorias ocorridas em 2012, sendo desejvel seu preenchimento para todos os membros inativos, mas no obrigatrio).

    5. Data da publicao na imprensa oficial do ato/ portaria de nomeao (somente sero exigidas a partir das aposentadorias ocorridas em 2012, sendo desejvel seu preenchimento para todos os membros inativos, mas no obrigatrio).

    6. Nmero do ato/portaria de aposentadoria.

    7. Data da publicao na imprensa oficial do ato/portaria de aposentadoria.

    8. Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    9. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    QUADRO DE SERVIDORES ATIVOS

    1. Cdigo funcional do servidor.

    2. Nome completo do servidor.

    3. Nome do cargo efetivo.

    4. Preencher com o tipo/cdigo de funo comissionada, cargo em comisso, funo gratificada, ou outra de mesma natureza exercida pelo servidor.

    5. Identificar a lotao do servidor.

    6. Nmero do ato/portaria de nomeao.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 141

    7. Data da publicao na imprensa oficial do ato de nomeao.

    8. Indicar se o servidor estvel, no formato sim/no.

    9. Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    10. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    QUADRO DE SERVIDORES INATIVOS

    1. Cdigo funcional do servidor.

    2. Nome completo do servidor.

    3. Nome do cargo efetivo, quando da aposentadoria.

    4. Nmero do ato/portaria de nomeao (somente sero exigidas a partir das aposentadorias ocorridas em 2012, sendo desejvel seu preenchimento para todos os membros inativos, mas no obrigatrio).

    5. Data da publicao na imprensa oficial do ato/ portaria de nomeao (somente sero exigidas a partir das aposentadorias ocorridas em 2012, sendo desejvel seu preenchimento para todos os membros inativos, mas no obrigatrio).

    6. Nmero do ato/portaria de aposentadoria.

    7. Data da publicao na imprensa oficial do ato de aposentadoria.

    8. Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    9. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    QUADRO DE PENSIONISTAS

    1. Informar nome do membro ou servidor falecido que deu origem ao pagamento de penso por morte.

    2. Informar o nome do beneficirio da penso.

    3. Detalhar o cargo efetivo do instituidor da penso.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO142

    4. Nmero do ato/portaria de concesso da penso, se houver (somente sero exigidas a partir das concesses de penso ocorridas em 2012, sendo desejvel seu preenchimento para os demais casos, mas no obrigatrio).

    5. Data da publicao na imprensa oficial do ato de concesso da penso (somente sero exigidas a partir das concesses de penso ocorridas em 2012, sendo desejvel seu preenchimento para os demais casos, mas no obrigatrio).

    6. Ordenar o quadro em ordem alfabtica

    7. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    QUADRO DE SERVIDORES CEDIDOS PARA O MINISTRIO PBLICO

    1. Cdigo funcional do servidor.

    2. Nome completo do servidor.

    3. Nome do cargo efetivo no rgo de origem.

    4. Nome do cargo atual equivalente no MP ou informar atividade realizada no MP.

    5. Preencher com o tipo/cdigo de funo comissionada, cargo em comisso, funo gratificada, ou outra de mesma natureza exercida pelo servidor.

    6. Identificar a lotao do servidor.

    7. Nmero do ato/portaria da cesso.

    8. Data da publicao na imprensa oficial do ato de cesso.

    9. rgo da Administrao direta ou indireta de origem do servidor.

    10. Informar com sim, caso o nus seja do Ministrio Pblico, e no, caso o nus seja do rgo de origem.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 143

    11. Informar o prazo de cesso.

    12. Total de servidores cedidos para o MP.

    13. Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    14. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    QUADRO DE SERVIDORES CEDIDOS PELO MINISTRIO PBLICO

    1. Cdigo funcional do servidor.

    2. Nome completo do servidor.

    3. Nome do cargo efetivo no MP.

    4. Preencher com o tipo/cdigo de funo comissionada, cargo em comisso, funo gratificada, ou outra de mesma natureza exercida pelo servidor.

    5. Identificar a lotao do servidor.

    6. Nmero do ato/portaria de cesso.

    7. Data da publicao na imprensa oficial do ato de cesso.

    8. rgo da Administrao direta ou indireta para qual o servidor foi cedido.

    9. Informar com sim, caso o nus seja do Ministrio Pblico, e no, caso o nus seja do rgo de destino.

    10. Informar o prazo de cesso.

    11. Total de servidores cedidos pelo MP.

    12. Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    13. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO144

    SERVIDORES E MEMBROS COM GRATIFICAO

    1. Cdigo funcional do servidor ou membro.

    2. Nome completo do servidor ou membro.

    3. Descrever o cargo comissionado, funo de confiana ou qualquer outra gratificao recebida pelo servidor ou membro.

    4. Identificar a lotao do servidor ou membro.

    5. Informar se o servidor possui vnculo efetivo com o servio pblico ou no.

    6. Nmero do ato/portaria de nomeao.

    7. Data da publicao na imprensa oficial do ato de nomeao.

    8. Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    9. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    ESTAGIRIOS

    1. Nome completo do estagirio.

    2. Informar se o estagirio de nvel superior ou mdio.

    3. Preencher com a especialidade, caso seja estgio de nvel superior: Direito, Administrao, Informtica, etc. No caso de estgio de nvel mdio, preencher com a expresso no se aplica.

    4. Informar sim se o estgio for obrigatrio, ou no se no for obrigatrio.

    5. Informar a data final do estgio no formato dd/mm/aaaa.

    6. Somar o quantitativo de estagirios obrigatrios.

    7. Somar o quantitativo de estagirios no obrigatrios.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 145

    8. Ordenar o quadro em ordem alfabtica.

    9. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    CARGOS VAGOS E OCUPADOS POR MEMBROS E SERVIDORES

    1. Nome dos cargos efetivos.

    2. Quantidade de cargos existentes.

    3. Quantidade de cargos ocupados.

    4. Quantidade de cargos vagos.

    5. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    CARGOS EM COMISSO E FUNES DE CONFIANA OCUPADOS E VAGOS

    1. Descrever a estrutura de cargos comissionados, funes de confiana ou equivalentes.

    2. Nmero de cargos existentes.

    3. Nmero de cargos ocupados com vnculo por membros.

    4. Nmero de cargos ocupados com vnculo por servidores.

    5. Nmero de cargos ocupados sem vnculo.

    6. Nmero de cargos vagos.

    7. Nmero total de cargos existentes.

    8. Nmero total de cargos ocupados.

    9. Nmero total de cargos vagos.

    10. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO146

    ATOS DE PROVIMENTO

    1. Nome completo do membro ou servidor.

    2. Nome do cargo efetivo.

    3. Nmero do ato/portaria de provimento.

    4. Data da publicao na imprensa oficial do ato de nomeao.

    5. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    VACNCIAS

    1. Nome completo do membro ou servidor.

    2. Nome do cargo efetivo.

    3. Nmero do ato/portaria de vacncia.

    4. Data da publicao na imprensa oficial do ato de vacncia.

    5. Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    PLANOS DE CARREIRA

    1. Apresentao conforme disposto nas leis que regulamentam as carreiras de membros e servidores da unidade.

    ESTRUTURA REMUNERATRIA

    1. Apresentao conforme disposto nas leis que regulamentam as carreiras de membros e servidores da unidade.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 147

    8.6. TABELA DE MONITORAMENTO DO CUMPRI-MENTO DA RESOLUO CNMP N 89/2012 NO PORTAL DA TRANSPARNCIA

    RESOLUO N 89 (ITENS NO CONTEMPLADOS NA RESOLUO N 86)

    1 - Planejamento Estratgico

    1.1 - Finalidades e objetivos institucionais e estratgicos.

    1.2 - Metas.

    1.3 - Indicadores.

    1.4 - Resultados alcanados at o momento.

    1.5 - Dados gerais para o acompanhamento de programas, aes, projetos e obras desenvolvidos.

    1.6 - Documento em que est formalizado o objetivo.

    1.7 - Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    2 - Contato

    2.1 - Registro das competncias (atuao das reas meio e fim).

    2.2 - Estrutura organizacional.

    2.3 - Registro dos endereos, telefones, horrios de atendimento das unidades das reas meio e fim, constando o nome da unidade e a caracterstica do imvel.

    2.4 - Registro do e-mail institucional dos membros, constando seu nome, cargo e lotao.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO148

    3 - Contracheque

    (Remunerao e proventos, incluindo-se as indenizaes e outros valores pagos a qualquer ttulo, bem como os descontos legais, com identificao individualizada e nominal do beneficirio e da unidade na qual efetivamente presta servios, na forma do anexo e conforme o prazo do 1 do Art. 7 da Resoluo n 89)

    3.1 - Remunerao percebida por todos os membros ativos.

    3.2 - Proventos percebidos por todos os membros inativos.

    3.3 - Remunerao percebida por todos os servidores ativos.

    3.4 - Proventos percebidos por todos os servidores inativos.

    3.5 - Valores percebidos por todos os pensionistas.

    3.6 - Valores percebidos por todos os colaboradores.

    3.7 - Verbas referentes a exerccios anteriores.

    3.8 - Publicao at o ltimo dia til do ms subsequente ao do recebimento da remunerao.

    3.9 - Apresentao em formato aberto e no proprietrio.

    4 - Atividade-fim

    (Cf. Anexos da Resoluo CNMP n 74/2011)

    4.1 - Termos de ajustamento de conduta firmados.

    4.2 - Estudos e levantamentos estatsticos sobre sua atuao.

    4.2 - Relao dos membros que participam de Conselho e assemelhados, externamente instituio.

    4.3 - Recomendaes expedidas.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO 149

    4.4 - Audincias Pblicas realizadas (conforme Resoluo n 82/2012 - CNMP)

    4.5 - Registros dos procedimentos preparatrios e respectivo andamento no mbito do Ministrio Pblico, observado o disposto no pargrafo nico do art. 5. (Smula Vinculante 14)

    4.6 - Registros dos procedimentos de investigao criminal e respectivo andamento no mbito do Ministrio Pblico, observado o disposto no pargrafo nico do art. 5. (Smula Vinculante 14)

    4.7 - Registros dos inquritos civis e respectivo andamento no mbito do Ministrio Pblico, observado o disposto no pargrafo nico do art. 5. (Smula Vinculante 14)

    4.8 - Registros dos inquritos policiais e respectivo andamento no mbito do Ministrio Pblico, observado o disposto no pargrafo nico do art. 5. (Smula Vinculante 14)

    4.9 - Dados e estatsticas da movimentao processual em cada unidade.

    4.10 - Respostas s perguntas mais frequentes da sociedade.

    5 - Servio de Informaes ao Cidado - SIC

    5.1 - Unidade e autoridade responsvel pelo SIC.

    5.2 - Atendimento e orientao ao pblico quanto ao acesso a informaes.

    5.3 - Informaes sobre a tramitao de documentos nas suas respectivas unidades.

    5.4 - Protocolo de documentos e requerimentos de acesso a informaes.

    5.5 - Formulrio eletrnico para apresentao de pedidos de informao.

    5.6 - Atalho para o SIC em destaque na pgina principal do rgo.

  • NOVO MANUAL DO PORTAL DA TRANSPARNCIA DO MINISTRIO PBLICO150

    6 - Publicao Anual (Art. 25 da Resoluo n 89)

    6.1 - Rol das informaes que tenham sido desclassificadas nos ltimos 12 meses.

    6.2 - Rol de documentos classificados em cada grau de sigilo, com identificao para referncia futura.

    6.3 - Relatrio estatstico contendo a quantidade de pedidos de informao recebidos, atendidos e indeferidos, bem como informaes genricas sobre os solicitantes.

    6.4 - Descrio das aes desenvolvidas para a concretizao do direito constitucional de acesso informao.

  • Servio de Informaoao Cidado

Recommended

View more >