camara clara e escura para avaliacao

Download Camara Clara e Escura Para Avaliacao

Post on 07-Jul-2015

681 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

RADIOLOGIA GERAL

www.radiodiagnostico.zxq.net

1

MDULO O4PRODUO RADIOLGICACMARA CLARA E ESCURA No nosso estudo, nos reportamos no comeo tcnica de processamento manual, que a que exige maiores conhecimentos prticos e tericos do operador. DEFINIO DE CMARA ESCURA o lugar no interior do qual se desenvolvem os processos de revelao, fixao e lavagem das pelculas radiogrficas (filmes) e onde se carrega e descarrega os chassis. Tem esse nome porque todos esses processos s podem ser realizados sob luz de segurana e de baixa intensidade. O adequado planejamento da instalao e disposio dos materiais em urna cmara escura essencial para se obter a maior eficincia possvel nos trabalhos, bem como para se conseguir o maior ndice de rendimento. LOCALIZAO: A localizao ideal na regio central de todas as salas, tendo comunicao direta, evitando desperdcio de tempo e por ser menos cansativo para o profissional. Deve estar longe quanto possvel de quaisquer fontes de radiao dispersa. O material de revestimento do piso no deve ser poroso. O piso de cermica um dos mais indicados, por permitir respectiva lavagem e manuteno de um adequado asseio do ambiente. No h necessidade que a cor das paredes sejam em tom escuro para ser mais seguro. E claro que a cor escura absorve alguma coisa da luz de segurana mas a luz refletida, em qualquer superfcie ser segura independente da cor usada, mas as cores mais indicadas so o cinza, e o creme.

As paredes devem ser de cor clara at o teto ou revestidas de azulejos at uma altura de l,5m 2,0m, pois as paredes negras ou escuras, exercem uma ao deprimente. Seu tamanho deve ser planejado de acordo com o tamanho do departamento radiogrfico, normalmente projetado com oito metros quadrados de rea interna, acrescida de dois metros quadrados por pessoa dentro da cmara escura. TEMPERATURA: A temperatura numa Cmara Escura deve variar entre 18 a 24C (Bontrager) e 15 a 21 (Negretti), e a umidade relativa do ar deve ser por volta de 4O% a 50%. As estufas ou processadoras automticas so fontes de calor, que ao se acumular no ambiente, pode levar a altas taxas de umidade do ar, ao amolecimento da gelatina de revestimento das pelculas tornando sua superfcie pegajosa, dando margem a marcas de dedos e outros danos. VENTILAO: Para o adequado funcionamento da cmara escura essencial a existncia de uma eficiente ventilao ambiente, exaustores apropriados, muito importante para eliminao de gases, poeira e circulao do ar, afim de manter urna temperatura adequada.

EXAUSTOR Em ao inoxidvel ou em ao tratado e pintado totalmente prova de luz. Alimentao 110V ou 220V.

Prof. Antonio S. da Silva Filho

RADIOLOGIA GERAL

www.radiodiagnostico.zxq.net

2

ARMAZENAGEM: As caixas de filmes e os chassis devem ser armazenados na posio vertical, para que no ocorra a formao de eletricidade esttica ou a deformao dos chassis ou ecrans, com alterao no contato do mesmo. ACESSO: Uma luz vermelha na entrada do laboratrio indica que no momento algum est trabalhando e sabemos que no deve penetrar nenhuma luz branca no recinto. Tudo deve estar disposto de forma que nenhuma luz exterior possa penetrar no laboratrio, inclusive quando algum entrar na sala deve haver garantia total contra a luz do dia ou artificial com instalaes de portas a prova de luz e com trincos de segurana e porta chassis prova de luz. Veja Alguns Exemplos: Sistema de Porta nica- somente uma porta separando a cmara escura do ambiente claro. o sistema menos seguro. Sistema Labirinto Paredes formando labirinto, bastante seguro, mas necessita de muito espao. Sistema de Porta Giratria - Vrias folhas de porta afixada por um eixo central, um sistema sujeito falhas. Sistema de Porta Paralela - Nesse tipo h um sistema que bloqueia e impede que as duas portas se abram ao mesmo tempo, sendo o mais adequado. OPERAES ESCURA: REALIZADAS NA CMARA

6) Insero dos filmes nas colgaduras (suporte para revelao) nos casos de processamento manual ou nas processadoras automticas; 7)Revelao manual ou automtica; 8)Manuteno dos chassis e crans.

PROCESSAMENTO MANUAL / DIVISO A Cmara Escura dividida em duas partes: Seca e mida Componentes da Parte Seca: Balco, gavetas, basculante, luz de segurana, porta chassis, chassis, porta colgaduras, colgaduras, passador de chassis, caixas de filmes e secadoras. BALCO: Local onde se carrega e descarrega os chassis, deve ficar afastado do tanque, para evitar que se respingue nos filmes e crans, com substncias qumicas. GAVETAS BASCULANTE: Local onde se guarda os filmes virgens. Esta gaveta feita com vrias divisrias, onde colocamos os filmes. composta com um sistema cie molas, onde o operador abre a gaveta, retira o filme e ao solt-la fecha-se automaticamente, sendo bastante seguro. LUZ DE SEGURANA: Serve para proporcionar a iluminao correta para que se possa manusear os filmes durante o processo de revelao.LANTERNAS DE SEGURANA Redonda ou quadrada ajustvel, em ao pintado, 8x10 ou dupla, em ao tratado e pintado ou em ao inoxidvel. Alimentao 110V ou 220V.

1) Colocao das folhas de filme virgens nos chassis; 2) Envio dos chassis com a pelcula para a sala de exposio; 3) Recebimento dos chassis com os filmes expostos; 4)Retirada das folhas de filme expostas do chassis; 5)Identificao do filme;

Prof. Antonio S. da Silva Filho

RADIOLOGIA GERAL

www.radiodiagnostico.zxq.net

3

SECADORAS: Estrutura em chapa de ao tratado e pintado para a secagem dos filmes j radiografados e revelados atravs de ar quente e frio.

COLGADURAS: Armaes metlicas com 2 presilhas superiores e 2 inferiores, com a finalidade de prender o filme radiogrfico para os banhos qumicos. Os tamanhos das colgaduras so de acordo com cada filme usado para o exame, Existem dois tipo de colgaduras, as com 4 presilhas fixas e as com as presilhas mveis.

PORTA CHASSI: uma estante com divisrias, para guardar os chassi em posio vertical, normalmente usado acima do balco para facilitar o manuseio. CHASSI: Instrumento feito de ferro ou metal, onde colocamos os filmes virgens para serem feitos os exames. dentro dele que o filme exposto e retirado para a revelao, os tamanhos dos chassis tambm acompanham os tamanhos dos filmes.CHASSI RADIOGRFICO Em alumnio e cantos em nylon de alto impacto. Com sistema de fechamento com travas tipo push, com rea interna revestida em espuma mantendo o perfeito contato entre filme e ecrans, proporcionando nitidez e qualidade de imagem.

SUPORTES PARA COLGADURAS Em ao inoxidvel, para colgaduras secas, comportando at 10 colgaduras ou para colgaduras molhadas, com capacidade para escoar 12 ou 24 colgaduras.

COLGADURAS Em ao inoxidvel, tipo americana, em todos os tamanhos. Com haste para fixao em suporte.

PASSADOR DE CHASSIS: um tnel dividido ao meio, que liga a sala de exame e a cmara escura. Ele se divide em filmes batidos e virgens. Quando o operador de cmara escura abre uma das partes (batidos ou virgens), o tcnico no consegue abri-lo pela sala de exames e vice-versa, para que no haja entrada de luz.

PORTA COLGADURAS: So pedaos de madeira ou ferro, preso na parede, com a finalidade de pendurar a colgadura, evitando que fiquem espalhadas pelo cho.

Prof. Antonio S. da Silva Filho

RADIOLOGIA GERAL

www.radiodiagnostico.zxq.net

4

TANQUE DE LAVAGEM: semelhante ao anterior, s que bem maior em seu interior, contendo gua corrente, para que no haja a impregnao de substncias qumicas, para no manchar as radiografias.

PASSA CHASSIS Em ao inoxidvel ou ao tratado e pintado, com revestimento de espuma em sua rea interna. Sistema de abertura seguro permitindo abertura de apenas uma das portas, com duas ou quatro portas. PROCESSADORA MANUAL COMPACTA Em ao inoxidvel e duralumnio, podendo ser transportada facilmente, graas ao sistema de rodzios. Possui parte hidrulica completa, permitindo instalao rpida e eficiente. Com tanque triplex em ao inoxidvel com capacidade para 20 litros de revelador, 20 litros de fixador e 40 litros de gua, com sistema de circulao por cascata; bandeja pingadeira com suporte; secador para at 12 colgaduras, com regulagem quente e fria; relgio de 60 minutos e identificador eletrnico que possibilita a identificao de radiografias atravs de fichas.

CAIXA DE FILMES: So caixas de filmes virgens, que normalmente ficam em uma estante presa na parede.

COMPONENTES DA PARTE MIDA Tanque de Revelao, Fixao e Lavagem, luz de segurana, negatoscpio, torneira para gua corrente, toalha. TANQUE PARA REVELAO: um tanque de ao inox ou plstico, normalmente de 20 a 40 litros, contendo em seu interior substncia com a finalidade de revelar a imagem radiogrfica que se encontra em imagem latente, transformando-a em real. TANQUE DE FIXAO: um tanque de ao inox ou plstico, normalmente de 20 a 40 litros, contendo em seu interior substncia com a finalidade de fixar a imagem radiogrfica, tornando-a permanente.

LUZ DE SEGURANA: Numa cmara escura de v-se ter tanto luz branca como iluminao de segurana sendo que a luz branca serve para limpeza dos tanques, preparo dos qumicos e limpeza geral. TOALHA e TORNEIRA: Para a limpeza do profissional como: secar sempre as mos e limpeza em geral da cmara escura.

TERMMETRO: Para medir a temperatura que se encontra a cmara escura. RELGIO: calcular o tempo de revelao. (geralmente s usado para revelao manual)

Prof. Antonio S. da Silva Filho

RADIOLOGIA GERAL

www.radiodiagnostico.zxq.net

5

HIGRMETRO: Para medir a umidade relativa do ar.

ECRANS INTENSIFICADORES: Desenvolvido com com base no fsforo e com tcnicas avanadas de recobrimento, revestimento de poliester o ecran elimina a carga esttica possui a velocidade e resoluo, proporcionando uma tima qualidade de imagem

NEGATOSCPIOS: serve para visualizao dos filmes e verificao dos exames.

ALFABETO DE CHUMBO: Com