caderno linha azul 20 de fevereiro de 2015

Download Caderno Linha Azul 20 de Fevereiro de 2015

Post on 07-Apr-2016

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal O Estado (Ceará)

TRANSCRIPT

  • C M Y K

  • C M Y K

    l Fortaleza, Cear, sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015 2

    Defensores empossados com a defensora geral Andrea Coelho

    Mesa de Autoridades

    Subdefensor T lio Iumatti, defensora geral Andr a Coelhoe corregedora Vanda L cia Veloso Coral da defensoria

    Defensor p blico Gustavo Barros discursa em nome dos empossados

    B rbara Magalh es, Patr cia Moreira e Helaine OliveiraDirce Calisto e Luiz Fernando

    Carlos e Auxiliadora Mendon aPedro Aur lio e Darlene Arag oDefensores empossados Dyrce Calisto e Ricardo Vieiracom a defensora geral Andra Coelho

    Fernanda Castelo Branco e Ant nio Benevides e Lara Castelo Branco

    Fernanda Castelo Branco e Ant nio Benevides e Lara Castelo Branco Vicente Barroso, Bia, Andrea, Victor e Andressa Esteves

    Sandra Dond, Am lia Garcez e Epaminondas Feitosa

    VariedadesIan Gomes

    ian.gomes2008@gmail.com

    cabeas de coluns no LINHA AZUL _ IAN GOMES.indd 1 11/2/2015 09:35:32

    Toque SocialMatusahila Santiago

    matushilasantiago@hotmail.com

    colunAs no LINHA AZUL _ MATU.indd 1 11/2/2015 09:37:36

    Toque SocialMatusahila Santiago

    matushilasantiago@hotmail.com

    colunAs no LINHA AZUL _ MATU.indd 1 11/2/2015 09:37:36

    Toque SocialMatusahila Santiago

    matushilasantiago@hotmail.com

    colunAs no LINHA AZUL _ MATU.indd 1 11/2/2015 09:37:36

    PosseA Defensoria Pblica do Estado do Cear - DPGE CE realizou, na sede da instituio, solenidade de promoo de 23 defensores pblicos para o segundo grau. O evento

    marcou a promoo fruto da primeira Lei de iniciativa da Defensoria Pblica proposta Assembleia Legislativa, em maio de 2014, pela defensora pblica geral do Estado do

    Cear, Andra Maria Alves Coelho. Conversando a gente se entende

    A vida um eterno aprendizado, sabemos dis-so. E, para que isso se concretize estamos sempre em constate insatisfao , o que de certa forma permite reinventar o nosso olhar sobre o mundo e, essencialmente sobre ns mesmos. exata-mente nesses momentos de questionamentos que a vida pode dar uma girada e, trazer algu-mas mudanas satisfatrias. Quando Guimares Rosa disse que o animal satisfeito dorme, nos alerta para no aceitar a monotonia como algo tranquilo e de nitivo. A vida exige movimento. E, assim, aprendemos mais, criamos mais. A cada insatisfao novas descobertas.Viver pode ser perigoso, como lembra Guimares Rosa, mas o perigo tem seus encantos.Pense nisso.

    Motivao. O Grupo Ao Cearense incentiva lhos de seus funcionrios bem sucedidos na escola, com prmios como notebooks,tablets e vale livraria. a 5a pre-miao e 12 estudantes so vencedores.

    Incentivo. O proje-to Parangaba e Sade em parceria com a Greenlife Academias continua at o dia 28 deste ms no Shopping Parangaba.

    Pensar. A Semana do Pensamento Criati-vo acontece de 24 deste ms a 1o de maro na

    Caixa Cultura Forta-leza. Informaes 85 34532770

    Prestgio. O Sho-pping RioMar realiza agora em maro a primeira edio do prmio RioMar Mulher em aluso ao dia Inter-nacional da Mulher, 8 de maro.Dez mulheres sero homenageadas.

    Necessidade. A venda de acessrios para circular de bici-cleta com segurana aumentaram at 15% de preo devido a grande procura, asse-gurou o vendedor de uma rede de lojas.

    Palhaos...Outro dia escutando uma histria de vida de uma

    pessoa tive a conscincia de que todas as vidas so iguais. Somos eternos palhaos neste circo que se chama vida. Cresceu numa famlia que imaginava nadarem em felicida-de. Os pais sempre demonstrando afetividade um para com o outro, e ela idealizou uma histria de amor idntica a dos pais. Passado algum tempo quando j era uma adolescen-te perdeu sua me. Alm do golpe da saudade, lastimava no mais testemunhar aquele eterno idlio, e, mais ainda sua vontade de encontrar um grande amor crescia dentro dela. Desprezou alguns pretendentes, e nas suas horas de solido se interrogava por que no tinha a sorte da me? Muitas vezes perguntou a seu pai e ele apenas esboava um ligeiro sorriso, porm nunca lhe respondia nada. O tempo foi passando, suas amigas foram se casando, descasando e ela sempre a espera do amor to sonhado. Um dia seu pai lhe falou: - Fulana est na hora de voc crescer, tirar as fantasias da cabea e casar. A vida passa rpida e noto que voc gosta muito de criana, repense nas atitudes tomadas e decida-se por uma boa pessoa, muita gente boa apareceu e voc no quis. Ela ento respondeu: - Eu quero casar-me com uma pessoa que me ame igual ao amor que o senhor tinha pela mame. Ele cou pensativo sorrindo e respon-deu: - Eu nunca amei sua me, o amor da minha vida foi outra pessoa; como no pude casar-me com ela casei-me com sua me por convenincia, sabia ser uma tima pessoa e resolvi minha vida, precisava construir um lar e queria lhos, uma vida pacata qual a de meus pais.

    E ela atnita perguntou: - como era o nome da mulher que o senhor amava? Ele respondeu:- nem me lembro mais. Muitas vezes desejei at que sua me morresse. Toda aquela histria que sua me contava do nosso primeiro encontro era fantasia dela, e voc sabe que ningum tirava nada da cabea de sua me quando ela criava uma cousa. Case lha, vida continuidade, inicie sua caminhada. Ele que dissera que no lembrava mais o nome da mulher amada, dirigindo-se ao seu quarto pronunciava bem baixinho: - o nome dela era Joice, Joice. Ento quei a pensar, viveram em paz com a famlia, foram tidos como exemplo de amor e levaram a vida inteira como palhaos, representando para a platia do mundo que os aplaudia, e, os citavam como prottipos de felicidade. Quantos de ns no estamos a re-presentar peas idnticas? Quantos palhaos conhecemos? Ou somos ns mesmos os palhaos? A vida nos oferece um enredo diverso do que sonhamos e planejamos, e temos que aceit-lo, queiramos ou no.

    EDITORA Wanda Palhano COORDENAO GERAL Soraya de Palhano n COLABORAO Iratu FreitasDIAGRAMAO E ARTE FINAL J. Jnior e Rafael F. Gomes

    Respondeu Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ningum vem ao Pai, a no ser por mim. JOO 14 : 6

    FOTOS IRATU FREITAS

    Toque SocialMatusahila Santiago

    matushilasantiago@hotmail.com

    colunAs no LINHA AZUL _ MATU.indd 1 11/2/2015 09:37:36

  • C M Y K

    3

  • C M Y K

    Joo Soares Neto escreve www.joaosoaresneto.com.br

    colunAs no LINHA AZUL _ joao soares neto.indd 1 11/2/2015 10:14:21

  • C M Y K

    5 Fortaleza, Cear, sexta-

    feira, 20 de fevereiro de 2015

    Diretoria da AJE

    Marcelo Paz passa a presidncia da AJE para RicardoDreher de Palhano

    Ricardo Palhano, Ricardo Dreher Palhano e Beto Studart Carlos Fujita, Odilon Aguiar, Walter Cavalcante e Alexandrino Di genes

    Ricardo Dreher em seu discurso de posse

    Fujita Neto e Carlos Fujita

    Yuri Braune Palhano e Raissa Xerez

    Rivia Grieco, Tadeu Leandro e Henning Von Koss

    Alan Sankey e Jo o Rafael Furtado

    Hermeto de Paula e Tomasinho Figueiredo

    Tales de S Cavalcante e Alessandra Arag o

    Caio Ito e Brena Bonfi m

    Elenice Braga, Ricardo Dreher Palhano, ClaraGermana e Clara Leticia

    Alberto Saboia e Lucas Sotero

    Diretoria AJE

    Eduardo Sancho, Daniel Tomaz e Rodrigo Rodrigues Ricardo Dreher Palhano e Famlia Palhano

    Camila Cacau, Mara Ramalho, Carol Melo e Leonardo Bayma

    Severino Ramalho Neto, Ricardo Dreher eTomasinho Figueiredo

    Isadora Leit o, Nat lia Pinheiro e ngela Teixeira

    Rafael Albuquerque, Thiago Pinho, Ricardo, Felipe Dummar e Herisson Viana

    Henning Von Koss representa Jorge Pinheiro (HAPVIDA) e Ricardo Dreher

    Ricardo Dreher Palhano e Wanda Palhano

    Marcelo Paz entrega o pr mio de jovem mentalidade empreendedora ao empres rio Evandro Colares da Advance na foto sendo representado por Patriolino Dias

    Solenidade Ricardo Dreher de Palhano, diretor operacional aqui de O Estado, assumiu em solenidade bastante prestigiada, a

    coordenao geral da AJE (Associao dos Jovens Empresrios). O evento aconteceu no auditrio Waldyr Diogo da Casa da Indstria.

    Pois o salrio do pecado a morte, mas o dom gratuito de Deus a vida eterna em Cristo Jesus, nosso SENHOR. ROMANOS 6 : 23

    FOTOS IRATU FREITAS

  • C M Y K

    Luiz Carlos Martins DeAaZ lc.martins@terra.com.br

    colunAs no LINHA AZUL _ luis c martins.indd 1 11/2/2015 10:37:32

  • C M Y K

    7

    PretonoBrancoJulieta Bronte

    jbrontee@uol.com.br

    coluns no LINHA AZUL _ julieta.indd 1 11/2/2015 10:58:07

    Fortaleza, Cear, sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

    Andr Montenegro, Enid C mara, Paulo Andr e Daniel Furlani

    Andr Montenegro, Nicole Barbosa e Alexandre Pereira

    Dourado, Artur Bruno e Marcelo Paz

    Enid C mara, Circe Jane Teles da Ponte, Fernando Castro Alves, Regina Jereissati e K ssio C sar

    Alysson Arag o

    Artur Bruno, Ricardo Cavalcante e Beto Studart

    C lio Ribeiro e Rodrigo Pereira

    Elenice Braga e Leandro Queiroz

    Nat lia Pinheiro, Andr Albuquerque e ngela Teixeira

    Ricardo Dreher e Beto Studart

    S rgio Aguiar e Ricardo Dreher PalhanoRicardo Dreher Palhano e Marcelo Paz

    Rafael Albuquerque, Alberto Saboia, Jos Laureano e R mulo F rrer

    Fernando Laureano e Rodrigo Rodrigues

    Marcus Saraiva e esposa

    Rafael Albuquerque e Alana Fran a

    Solenidade PARTE III

    Fraternidade 2015Inicia-se mais uma Quaresma e com esta uma

    nova Campanha da Fraternidade promovida pela Conferncia Nacional dos Bispos do Brasil embalada pelas diretrizes traadas pelo Papa Francisco, que pretende resgatar valores origin-rios da Igreja Catlica.O tema deste ano Frater-nidade: Igreja e Sociedade e o lema Eu vim para servir (cf. Mc 10, 45). Com isso, a Campanha da Fraternidade 2015 buscar reaproxim