caderno linha azul 19 de dezembro 2014

Download Caderno Linha Azul 19 de dezembro 2014

Post on 06-Apr-2016

216 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal O Estado (Ceará)

TRANSCRIPT

  • Linha Azul FORTALEZA - CEAR - BRASILSexta-feira, 19 de dezembro de 2014

    O Senhor j ouviu a minha splica, o Senhor aceitar a minha orao (SALMOS 6.9)

    FEIJOADA LIVRO

    Jornalista Snia Pinheiro durante o lanamento de mais uma edio da Revista People Luxo, editada por ela.

    Renata Benevides e Karla Rodrigues, caps da Ca-puchino Press, realizaram uma feijoada na cerve-

    jaria Devassa para festejar o sucesso de 2014.

    Dorian Sampaio e Srgio Fujiwara emolduram Alberto Perdigo que autografou seu novo livro

    Comunicao Pblica e Incluso Poltica.

    PEOPLE LUXOIRATU FREITAS

    IRATU FREITAS IRATU FREITAS

  • 2LINHA AZUL

    EDITORA: Wanda Palhano COORDENAO GERAL:

    Soraya de Palhano COLABORAO: Iratu Freitas PROJETO: Kelton Vasconcelos DIAGRAMAO E ARTE FINAL: J. Jnior e Rafael F. Gomes

    EXPEDIENTE

    IAN GOMESian.gomes2008@gmail.com

    sempre assim: quando o m do ano se aproxima costumamos repensar o que foi feito e, o que deixou de ser concretizado. No entanto, de-vemos lembrar que a vida segue e, os sonhos por mais impossveis que paream ser podem sim, ser realizados. Por isso, preciso planejar e seguir construindo cada um deles. No importa se so simples ou grandiosos. O mais importante acreditar, ter con ana. Cada um capaz de descobrir e construir o que realmente poder tra-zer a tal sonhada felicidade. importante reforar que nas pequenas e nas grandes realizaes possvel encontrar o verdadeiro sentido para a vida . Pois os sonhos, ou melhor a realizao deles, independe da virada do calendrio.

    CONVERSANDO A GENTE SE ENTENDE

    MATUSAHILA SANTIAGOmatusahilasantiago@hotmail.com

    Conhecemos pessoas com a autoesti-ma to elevada que at nos surpreende, como se diz no popular: se acha! e se acha com uma firmeza to forte que faz--nos lembrar a performance de um gato.

    No sei se j observaram a perfoman-ce de um gato. Ele no se intimida com nada, ele entra em qualquer lugar com ares de soberania total e olha de igual para igual para os que se encontram no recinto; caso sofra ataque ele recua para depois atacar novamente. Ele se acha o dono do pedao. Ao entrar em qualquer local, ele entra com garbo, com altivez de soberano, de majestade. Entra sem temor e sem timidez. diferente do cachorro que sempre servil e j entra buscando aconchego, desconfiado.

    O cachorro no alardeia autoestima, ele procura ser aceito, demonstra humil-dade, necessita de nossa ateno, fica feliz ao receb-la e agradece balanan-do sua cauda.

    O gato no demonstra gratido por nada, age como se tivssemos obriga-o para com ele. O gato impenetrvel, talvez qual o espantalho ele tenha seus medos, suas saudades, suas alegrias, po-rm, guarda tudo pra si, qual uma esfinge indecifrvel!

    Desde criana ouvi dizer que o gato no possui a fidelidade do co, sua fi-delidade no ao dono e sim ao lar. O gato mais sbio! O que importa a sua segurana.

    Infelizmente esta questo de possuir autoestima elevada ou baixa uma ques-to inerente a cada um, no podemos fa-bric-la. A autoestima nos d entusiasmo, nimo. Sem uma boa dose de entusiasmo nada funciona.

    Sem entusiasmo tudo frio e sem vida. Entusiasmo inato, parece ser orgnico, infelizmente no o tem quem quer, qual uma ddiva, qual a beleza!

    Quem bom quando se encara a vida entusiasticamente, porque o homem que deve valorizar o que faz com alegria, e no esperar que as cousas que faz o valorizem.

    O entusiasmo gmeo da autoestima que gera a disposio para batahlar pelos seus sonhos! Imitemos a autoimportncia e o porte elegante e destemido do gato!

    AUTOESTIMA...

    Variedades

    Toque Social

    A tua salvao espero, SENHOR!GNESIS 49 : 18

    ATITUDE - Os empresrios Manoel e Mana Holanda, do Maraponga Mart Moda, realizam a quarta edio do Bazar do Bem, nos dias 20, amanh e domingo ,21, com descontos de at 70%. Parte da renda ser destinada ao GEEON.

    CONHECI-MENTO - Liana Fuji-ta da Fujita Engenha-ria, realizou palestra na Universidade Federal Rural do Se-mirido do RN no IV Seminrio Inovao na Engenharia Civil.

    AO - A Magis Incorporaes realiza, amanh, sbado , o Natal dos

    Sonhos para mais de 120 crianas em parceria com a Fundao Terra e empresas cearenses.

    AGENDA - O Shopping Paran-gaba realiza dia 27 o Parangaba Fest as seguintes atraes: Wesley Safado, Simone e Simaria e Banda Encantus.

    PRMIO - A INNI Consultoria Organizacional, empresa cearense especializada em certi caes, rece-beu os prmios Gran Awards de Exceln-cia de Qualidade 2014 e Empresa do Ano em Qualidade, em So Paulo.

    FORTALEZA - CEAR - BRASILSexta-feira, 19 de dezembro de 2014

    FRUM DE DEFICINCIA & ACESSIBILIDADE Aconteceu no auditrio Waldyr Diogo da FIEC a V edio do Frum de De cincia e Acessibilidade.

    O evento uma realizao da ARTE PENSAMENTO, empresa de Glucia Andrade.

    Miroval Leo Andrade, Beny Schimidt, Gl ucia Andrade e Weiber Xavier

    Izabel Pontes do Governo do Estado do Cear

    Guirlanda Ponte e Ana Helena

    Glaucia Andrade e Renata Peixoto

    Nilda Andrade, Gl ucia Andrade e Cl udia Carvalho

    Amanda Machado em seu depoimento Anat lia Batista e Chris Calixto

    Dr. Weiber Xavier em sua palestraEdinalda Coelho e Nice Arruda

    Nadja de Pinho Pessoa

    Dr. Miroval em sua palestra

    Solange e Wanda Palhano

    Mestre de cerimnias V nia Rios

    Monika Vieira e Juliana Bon m Soraya Ferreira Lima

    Ed nia Brand o

    Miroval Andrade, Beny Schimdt e Weiber Xavier Samia Dionele e Ilamacir Machado

    FOTOS: IRATU FREITAS

  • Brenda Gadelha, B rbara Bria, Ray Andrade e Brenna Gadelha

    Dorian Sampaio, Alberto Perdig o e Srgio Fujiwara Artur Bruno com Perdig o que falava sobre a obra Mirella e Milena com o pai Alberto Perdig o

    Alberto Perdig o e Romeu Duarte

    Perdig o e Amaury C ndido

    Autor e famlia

    Luiza Perdig o e Edileuza Mendon a

    Helena Demes e Venicio Guimar es

    Milena e Mirella com Luiza Perdig o

    Filipe Cabral, Daniele Cabral e Isabela Herculano

    Filipe Cabral, Daniele Cabral e Isabela Herculano

    Renan Gondim e Ar cia Castelo

    Jussara Leoni e Severino Andrade Catarina Brand o e Felipe NogueiraElias de Ara jo, Alessandra Santana e Guilherme San-tana de Ara jo

    Camilla Studart e Renan Damasceno

    3FORTALEZA - CEAR - BRASILSexta-feira, 19 de dezembro de 2014LINHA AZUL

    A quem tenho eu no cu seno a ti [Deus]? E na terra no h quem eu deseje alm de ti (SALMOS 73.25)

    LIVROO jornalista Alberto Perdigo lanou seu livro Comunicao Pblica e Incluso Poltica no Espao de Cultura dedicado a

    Demcrito Dummar. O livro traz desenho de capa de Srvulo Esmeraldo e texto de Gilmar de Carvalho. O projeto gr co de Srgio Fujiwara para Drian Filho (RDS). O autor foi apresentado pelo deputado federal Artur Bruno.

    FOTOS IRATU FREITAS

  • Deus o meu rochedo, nele con arei; o meu escudo, e a fora da minha salvao, o meu alto retiro, e o meu refgio. meu Salvador, II SAMUEL 22 : 3

    Quando chega a segunda quinzena de dezembro, comeamos a matutar sobre o que zemos no ano que est a terminar e o que nos espera no que che-ga em uma quinta-feira e, de cara, nos d quatro dias de feriados. Em fevereiro deste ano perdi a minha me, viga mes-tra da famlia, ombro e conselheira de uma rcua de lhos e parentes. Agora, exato no dia 8 de dezembro ganhei uma nova neta. Tristeza e alegria.

    Ao olh-la no berrio gerei um lme em ashback em que eu era o escritor, o autor do roteiro, o diretor e o prota-gonista. E conclui nesse lme imagi-nrio, sem cortes e sem mudanas de dilogos verdadeiros, que muita gente fez parte do script no linear que a vida minha e a dos outros (crdi-to para Beatriz Alcntara) com quem fui contracenando no grande teatro greco-romano que o viver. O que conclui est escrito abaixo. como se fosse uma sinopse.

    Estou no caminho sem volta que o viver. Ou voc avana, passo a passo,

    mesmo que isso lhe custe a perda e a ausncia de pessoas essenciais, ou se deixa invadir pela lassido, a ansie-dade, a amargura e a nostalgia. Isso o tornar, eventualmente, triste.

    Confesso, j me senti combalido por poucas vezes, duas foram duras. Mas no esse o objeto desta minha con-versa com voc, quem quer que seja. Alegro-me, hoje, com pequenas e bo-bas coisas. No preciso mais fazer vestibular, entrar em concurso pblico e provar roupa em alfaiate presumido. Quero andar de sapatos sem meias, sair de qualquer reunio antes da meia-noite, no conversar com quem me desagrada e deixar de tentar con-vencer o outro das minhas certezas.

    Que certezas? Quero a companhia de poucos e usar o meu tempo no tra-balho que me d prazer de criar e ser til. Sou um art ce que construiu um gibo imaginrio para proteger as mi-nhas fraquezas contra os sabidos que se acreditam eternos e poderosos.

    Simpatia no , infelizmente, meu for-

    te, mas quando bate a empatia eu me solto como um menino em parque de diverses. A vida . No se idealiza, no nada romntica, tampouco fcil, pois fcil o comum, dizia eu na minha bo-bice, aos 16 anos. Agora, neste plat, com escarpas ao redor, no deixei de amar, mas o ceticismo me acompanha. Fui, apesar de me acharem arguto, pre-sa fcil para pessoas embusteiras.

    Os embusteiros so como paco-tes bem produzidos. Os laos que os adornam so cegos e s com o tem-po, quando desfeitos, aparecem a podrido, o malfeito e o mau carter escondidos na aparncia. A aparncia que muitos pensam ser tudo e no nada. Todos pagam um preo, o dos embusteiros a ignomnia.

    Faz tempos estudei Sociologia, mas hoje no sei mais nada. Sei apenas que este foi um ano difcil para o pas ldico do futebol e para o pas real que enfrenta uma tormenta que no se sabe quando e nem quando vai parar. Alegro-me, por outro lado, em saber que os Estados

    Unidos e Cuba vo reat