caderno enem2012 sab_branco

Download Caderno enem2012 sab_branco

Post on 22-Jun-2015

169 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUES SEGUINTES EXAME NACIONAL DO ENSINO MDIO A COR DO SEU CADERNO DE QUESTES BRANCO. MARQUE-A EM SEU CARTO-RESPOSTA 1 DIA CADERNO 3BRANCO PROVA DE CINCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS PROVA DE CINCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS *BRAN75SAB0* Ler apossar-se da fantasia. 1 Este CADERNO DE QUESTES contm 90 questes numeradas de 1 a 90, dispostas da seguinte maneira: a. as questes de nmero 1 a 45 so relativas rea de Cincias Humanas e suas Tecnologias; b. as questes de nmero 46 a 90 so relativas rea de Cincias da Natureza e suas Tecnologias. 2 Confira se o seu CADERNO DE QUESTES contm a quantidade de questes e se essas questes esto na ordem mencionada na instruo anterior. Caso o caderno esteja incompleto, tenha qualquer defeito ou apresente divergncia, comunique ao aplicador da sala para que ele tome as providncias cabveis. 3 Verifique, no CARTO-RESPOSTA, se os seus dados esto registrados corretamente. Caso haja alguma divergncia, comunique-a imediatamente ao aplicador da sala. 4 ATENO: aps a conferncia, escreva e assine seu nome nos espaos prprios do CARTO-RESPOSTA com caneta esferogrfica de tinta preta. 5 ATENO: transcreva no espao apropriado do seu CARTO-RESPOSTA, com sua caligrafia usual, considerando as letras maisculas e minsculas, a seguinte frase: 6 Marque no CARTO-RESPOSTA, no espao apropriado, a opo correspondente cor desta capa. 7 No dobre, no amasse nem rasure o CARTO-RESPOSTA, pois ele no poder ser substitudo. 8 Para cada uma das questes objetivas, so apresentadas 5 opes identificadas com as letras A, B, C, D e E. Apenas uma responde corretamente questo. 9 No CARTO-RESPOSTA, preencha todo o espao compreendido no crculo correspondente opo escolhida para a resposta. A marcao em mais de uma opo anula a questo, mesmo que uma das respostas esteja correta. 10 O tempo disponvel para estas provas de quatro horas e trinta minutos. 11 Reserve os 30 minutos finais para marcar seu CARTO- RESPOSTA. Os rascunhos e as marcaes assinaladas no CADERNO DE QUESTES no sero considerados na avaliao. 12 Quando terminar as provas, acene para chamar o aplicador e entregue este CADERNO DE QUESTES e o CARTO-RESPOSTA. 13 Voc poder deixar o local de prova somente aps decorridas duas horas do incio da aplicao e poder levar seu CADERNO DE QUESTES ao deixar em definitivo a sala de provas nos 30 minutos que antecedem o trmino da prova. 14 Voc ser excludo do exame no caso de: a. prestar, em qualquer documento, declarao falsa ou inexata; b. perturbar, de qualquer modo, a ordem no local de aplicao das provas, incorrendo em comportamento indevido durante a realizao do Exame; c. se comunicar, durante as provas, com outro participante verbalmente, por escrito ou por qualquer outra forma; d. utilizar qualquer tipo de equipamento eletrnico e de comunicao durante a realizao do Exame; e. utilizar ou tentar utilizar meio fraudulento, em benefcio prprio ou de terceiros, em qualquer etapa do Exame; f. utilizar livros, notas ou impressos durante a realizao do Exame; g. se ausentar da sala de provas levando consigo o CADERNO DE QUESTES antes do prazo estabelecido e/ou o CARTO-RESPOSTA a qualquer tempo; h. no cumprir com o disposto no edital do Exame.

2. CH - 1 dia | Caderno 3 - BRANCO - Pgina 1 CINCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Questes de 1 a 45 QUESTO 01 Torna-se claro que quem descobriu a frica no Brasil, muito antes dos europeus, foram os prprios africanos trazidos como escravos. E esta descoberta no se restringia apenas ao reino lingustico, estendia-se tambm a outras reas culturais, inclusive da religio. H razes para pensar que os africanos, quando misturados e transportados ao Brasil, no demoraram em perceber a existncia entre si de elos culturais mais profundos. SLENES, R. Malungu, ngoma vem! frica coberta e descoberta do Brasil. Revista USP, n. 12, dez./jan./fev. 1991-92 (adaptado). Com base no texto, ao favorecer o contato de indivduos de diferentes partes da frica, a experincia da escravido no Brasil tornou possvel a A formao de uma identidade cultural afro-brasileira. B superao de aspectos culturais africanos por antigas tradies europeias. C reproduo de conflitos entre grupos tnicos africanos. D manuteno das caractersticas culturais especficas de cada etnia. E resistncia incorporao de elementos culturais indgenas. QUESTO 02 Ns nos recusamos a acreditar que o banco da justia falvel. Ns nos recusamos a acreditar que h capitais insuficientes de oportunidade nesta nao. Assim ns viemos trocar este cheque, um cheque que nos dar o direito de reclamar as riquezas de liberdade e a segurana da justia. KING Jr., M. L. Eu tenho um sonho, 28 ago. 1963. Disponvel em: www.palmares.gov.br. Acesso em: 30 nov. 2011 (adaptado). O cenrio vivenciado pela populao negra, no sul dos Estados Unidos nos anos 1950, conduziu mobilizao social. Nessa poca, surgiram reivindicaes que tinham como expoente Martin Luther King e objetivavam A a conquista de direitos civis para a populao negra. B o apoio aos atos violentos patrocinados pelos negros em espao urbano. C a supremacia das instituies religiosas em meio comunidade negra sulista. D a incorporao dos negros no mercado de trabalho. E a aceitao da cultura negra como representante do modo de vida americano. QUESTO 03 verdade que nas democracias o povo parece fazer o que quer; mas a liberdade poltica no consiste nisso. Deve-se ter sempre presente em mente o que independncia e o que liberdade. A liberdade o direito de fazer tudo o que as leis permitem; se um cidado pudesse fazer tudo o que elas probem, no teria mais liberdade, porque os outros tambm teriam tal poder. MONTESQUIEU. Do Esprito das Leis. So Paulo: Editora Nova Cultural, 1997 (adaptado). A caracterstica de democracia ressaltada por Montesquieu diz respeito A ao status de cidadania que o indivduo adquire ao tomar as decises por si mesmo. B ao condicionamento da liberdade dos cidados conformidade s leis. C possibilidade de o cidado participar no poder e, nesse caso, livre da submisso s leis. D ao livre-arbtrio do cidado em relao quilo que proibido, desde que ciente das consequncias. E ao direito do cidado exercer sua vontade de acordo com seus valores pessoais. QUESTO 04 Disponvel em: www.gandhiserve.org. Acesso em: 21 nov. 2011. O cartum, publicado em 1932, ironiza as consequncias sociais das constantes prises de Mahatma Gandhi pelas autoridades britnicas, na ndia, demonstrando A a ineficincia do sistema judicirio ingls no territrio indiano. B o apoio da populao hindu priso de Gandhi. C o carter violento das manifestaes hindus frente ao inglesa. D a impossibilidade de deter o movimento liderado por Gandhi. E a indiferena das autoridades britnicas frente ao apelo popular hindu. *bran75SAB1* 3. CH - 1 dia | Caderno 3 - BRANCO - Pgina 2 QUESTO 05 Diante dessas inconsistncias e de outras que ainda preocupam a opinio pblica, ns, jornalistas, estamos encaminhando este documento ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de So Paulo, para que o entregue Justia; e da Justia esperamos a realizao de novas diligncias capazes de levar completa elucidao desses fatos e de outros que porventura vierem a ser levantados. Em nome da verdade. In: O Estado de So Paulo, 3 fev. 1976. Apud. FILHO, I. A. Brasil, 500 anos em documentos. Rio de Janeiro: Mauad, 1999. A morte do jornalista Vladimir Herzog, ocorrida durante o regime militar, em 1975, levou a medidas como o abaixo- assinado feito por profissionais da imprensa de So Paulo. A anlise dessa medida tomada indica a A certeza do cumprimento das leis. B superao do governo de exceo. C violncia dos terroristas de esquerda. D punio dos torturadores da polcia. E expectativa da investigao dos culpados. QUESTO 06 Disponvel em: www.metmuseum.org. Acesso em: 14 set. 2011. A figura apresentada de um mosaico, produzido por volta do ano 300 d.C., encontrado na cidade de Lod, atual Estado de Israel. Nela, encontram-se elementos que representam uma caracterstica poltica dos romanos no perodo, indicada em: A Cruzadismo conquista da terra santa. B Patriotismo exaltao da cultura local. C Helenismo apropriao da esttica grega. D Imperialismo selvageria dos povos dominados. E Expansionismodiversidadedosterritriosconquistados. QUESTO 07 Aps o retorno de uma viagem a Minas Gerais, onde Pedro I fora recebido com grande frieza, seus partidrios prepararam uma srie de manifestaes a favor do imperador no Rio de Janeiro, armando fogueiras e luminrias na cidade. Contudo, na noite de 11 de maro, tiveram incio os conflitos que ficaram conhecidos como a Noite das Garrafadas, durante os quais os brasileiros apagavam as fogueiras portuguesas e atacavam as casas iluminadas, sendo respondidos com cacos de garrafas jogadas das janelas. VAINFAS, R. (Org.). Dicionrio do Brasil Imperial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2008 (adaptado). Os anos finais do I Reinado (1822-1831) se caracterizaram pelo aumento da tenso poltica. Nesse sentido, a anlise dos episdios descritos em Minas Gerais e no Rio de Janeiro revela A estmulos ao racismo. B apoio ao xenofobismo. C crticas ao federalismo. D repdio ao republicanismo. E questionamentos ao autoritarismo. QUESTO 08 Portadora de memria, a paisagem ajuda a construir os sentimentos de pertencimento; ela cria uma atmosfera que convm aos momentos fortes da vida, s festas, s comemoraes. CLAVAL, P. Terra dos homens: a geografia. So Paulo: Contexto, 2010 (adaptado). No texto, apresentada uma forma de integrao da paisagem geogrfica com a vida social. Nesse sentido, a paisagem, alm de existir como forma concreta, apresenta uma dimenso A poltica de apropriao efetiva do espao. B econmica de uso de recursos do espao. C privada de limitao sobre a utilizao do espao. D natural de composio por elementos fsicos do espao. E simblica de relao subjetiva do indivduo com o espao. *bran75SAB2* 4. CH - 1 dia | Caderno 3 - BRANCO - Pgina 3 QUESTO 09 Charge annima. BURKE, P. A fabricao do rei. Rio de Janeiro: Zahar, 1994. Na Frana, o rei Lus XIV teve sua imagem