caderno de expectativas de aprendizagem versão .elementos formais composição movimentos e...

Download Caderno de Expectativas de Aprendizagem Versão .Elementos Formais Composição Movimentos e Períodos

Post on 08-Nov-2018

215 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • GOVERNO DO PARAN

    SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO DEPARTAMENTO DE EDUCAO BSICA

    Caderno de Expectativas de Aprendizagem Verso Preliminar

    PARAN 2011

  • Caderno de Expectativas de Aprendizagem Texto Introdutrio - Verso Preliminar

    Em 2011, iniciaram-se as discusses sobre a elaborao do Caderno de

    Expectativas de Aprendizagem pelo Departamento de Educao Bsica.

    importante ressaltar que este um processo rduo, uma vez que entendemos que

    esse documento deve ser elaborado de maneira coletiva, com a participao dos

    professores da rede e dos tcnicos pedaggicos que atuam nos Ncleos Regionais

    da Educao. Esta verso preliminar apresenta a sistematizao de

    aproximadamente 11.720 contribuies dos professores, debatidas durante a

    Semana Pedaggica de julho de 2011, bem como as contribuies dos tcnicos

    pedaggicos dos NRE, as quais foram discutidas na formao continuada, realizada

    pelo DEB no ms de outubro.

    Importante destacar que a opo pela elaborao das Expectativas de

    Aprendizagem deu-se pela necessidade de continuar o processo de implementao

    das Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educao Bsica para a Rede Estadual

    (Parecer CEE/CEB n 130/10)1, referencial terico curricular que fundamenta o

    documento. A elaborao das Expectativas de Aprendizagem busca atender a um

    princpio legal: o direito educao com qualidade e equidade.

    Assim, as Expectativas de Aprendizagem expressam aquilo que essencial

    ao aluno saber ao final de cada srie/ano do Ensino Fundamental e ao final do

    Ensino Mdio, dentro de cada contedo bsico, definidos nas Diretrizes e, por se

    referirem a esses contedos, so amplas, e apresentam-se como um norte, um

    objetivo final a se atingir, uma vez que prerrogativa da mantenedora definir o

    desenvolvimento bsico esperado para todos os alunos, em todas as sries/anos.

    Nessa perspectiva, podem servir como mais um subsdio ao trabalho docente,

    podendo ser utilizadas como referencial, tanto para o planejamento das aulas,

    quanto para o acompanhamento do trabalho realizado pelo pedagogo. Contudo,

    importante ressaltar que esse documento poder subsidiar a elaborao da

    1 O Conselho Estadual de Educao emitiu parecer favorvel s DCEs, alm disso sugeriu substituir a nomenclatura para Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educao Bsica para a Rede Estadual de Ensino (Parecer 130/10 disponvel em: http://www.cee.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=71).

    GOVERNO DO ESTADO DO PARAN SECRETARIA DE EDUCAO

    SUPERINTENDNCIA DE EDUCAO DEPARTAMENTO DE EDUCAO BSICA

  • Proposta Pedaggica Curricular e do Plano de Trabalho Docente, visto que a

    elaborao desses so atribuies dos professores dos estabelecimentos de ensino,

    os quais possuem autonomia para sua produo, porm no tem a inteno de

    substituir esses documentos. Sendo assim, cabe escola definir o qu, como, para

    quem e para que ensinar, bem como planejar e avaliar o processo de ensino-

    aprendizagem.

    Deste modo, as Expectativas de Aprendizagem representam um objetivo a

    ser alcanado, cabendo ao estabelecimento e a cada professor, no seu Plano de

    Trabalho Docente, definir o caminho que ser percorrido para que os alunos

    aprendam.

    As Expectativas de Aprendizagem entendidas como elementos balizadores e

    indicadores de objetivos a serem atingidos, notabilizam-se pelo seu potencial de

    qualificao e democratizao do ensino pblico ofertado populao, pois: (1)

    contribuem para a qualificao do ensino, na medida em que, coerentes com as

    Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educao Bsica para a Rede Estadual

    expressam claramente, embora de forma ampla, os contedos fundamentais que

    devem ser ensinados/aprendidos em cada uma das disciplinas do currculo escolar;

    (2) podem ser consideradas instrumentos pedaggicos de democratizao do

    ensino, ao serem apropriadas por todo o conjunto de estabelecimentos e

    professores, na medida em que asseguram a todos uma mesma baliza geral de

    temas/contedos a ser ensinados/aprendidos.

    Critrios de Avaliao no podem ser confundidos com expectativas de

    aprendizagem, visto que os critrios so elaborados pelo professor, no seu Plano de

    Trabalho Docente e esto voltados para os contedos especficos eleitos pelo

    professor a partir dos contedos bsicos que devem estar previstos na Proposta

    Pedaggica Curricular, mais especificamente intencionalidade do ensino de

    determinado contedo, expresso na justificativa, a qual, por sua vez, revela a

    concepo de educao.

    De acordo com Depresbteres (1995, p.166), a

    [...] palavra critrio vem do latim criterium e do grego kriterion, que quer dizer discernir. Em sua acepo comum, uma regra que se aplica para julgar a verdade. No sentido filosfico, um signo ou caracterstica que permite avaliar uma coisa, uma noo, ou apreciar um objeto. o que serve de fundamento a um juzo. Pode-se dizer que critrio de avaliao um princpio que se toma como referncia para julgar alguma coisa. Parmetro, padro de julgamento, padro de referncia so alguns sinnimos de critrio.

  • Sendo assim, os critrios de avaliao devem ser elaborados a partir dos

    contedos especficos e mais propriamente a partir da abordagem e do recorte

    destes, realizados por cada professor, visto que o objetivo da definio de critrios

    claros de avaliao justamente a possibilidade de que se apresentem como

    parmetros, objetivos necessrios para o acompanhamento da aprendizagem.

    Segundo Luckesi (2011, p. 412) o critrio (...) depende de um conjunto de decises

    que tomamos. O critrio define o que queremos como resultado de nossa atividade

    e, desse modo, estabelecer a direo tanto para o ato de ensinar quanto para o de

    avaliar.

    Nesse sentido, os critrios de avaliao da aprendizagem servem como um

    subsdio para a avaliao diagnstica, sendo que a partir da sua definio que os

    instrumentos de avaliao devem ser elaborados pelo professor.

    Em coerncia com os elementos definidores acima descritos, cada uma das

    disciplinas com tradio curricular na Educao Bsica contar, ao final do processo

    de construo do Caderno de Expectativas, com um texto prprio. A organizao

    curricular disciplinar, opo clara das DCEs, implica na observao da relevncia

    dos vrios saberes e conjuntos de conhecimentos e seus respectivos contedos.

    Sendo assim, fundamental a compreenso de que as diferentes disciplinas,

    embora respeitem as caractersticas e as finalidades das expectativas, as

    expressaro de acordo com suas peculiaridades. Tambm por este motivo, os

    Cadernos das Disciplinas so acompanhados de textos introdutrios os quais, alm

    de informaes sobre o processo de elaborao, alertam para aspectos importantes

    a serem considerados em termos dos requerimentos pedaggicos e cientficos

    relevantes para cada uma delas.

    Por fim, importante destacar que a elaborao Caderno de Expectativas de

    Aprendizagem mais uma etapa de implementao das Diretrizes Curriculares

    Orientadoras da Educao Bsica para a Rede Estadual, preservando a autonomia

    dos estabelecimentos de ensino e dos professores, visto que esta uma conquista

    histrica dos educadores e um preceito legal. Por conseguinte, neste mesmo

    sentido, apresenta-se como um esforo da SEED, em conjunto com os professores

    da rede, em estabelecer aquilo que fundamental que cada aluno das nossas

    escolas saiba ao final de cada srie/ano do Ensino Fundamental e ao final do Ensino

    Mdio.

  • Referncias:

    DEPRESBITERIS, L. Avaliao da Aprendizagem do Ponto de Vista Tcnico-Cientfico e Filosfico Poltico. In: Srie Idias n. 8. So Paulo: FDE, 1998, p. 161-172. LUCKESI, C. C. Avaliao da aprendizagem: componente do ato pedaggico. Cortez: So Paulo, 2011. PARAN. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAO. COORDENAO DE GESTO ESCOLAR. O que so critrios de avaliao? Disponvel em: http://mariocz.files.wordpress.com/2009/05/criterios_avaliacao.pdf. Acesso em: 29 de setembro de 2011.

  • Expectativas de Aprendizagem Arte

    O referido Caderno de Expectativa de Aprendizagem visa auxiliar o professor na sua prtica como mais um subsdio que vem enriquecer sua ao docente. Logo, as expectativas de aprendizagem, referem-se ao que essencial o aluno saber no final de cada srie/ano do Ensino Fundamental e Mdio, nesse sentido apresentam-se de forma ampla e geral. Salienta-se que as expectativas no substituem as Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educao Bsica para a Rede Estadual de Ensino e sim so construdas a partir deste documento e dos contedos bsicos apresentados em cada ano e em cada rea de Arte, a saber: Msica, Artes Visuais,Teatro e Dana. Segundo as Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educao Bsica para a Rede Estadual:

    Os contedos bsicos para a disciplina de Arte esto organizados por rea. Devido ao fato dessa disciplina ser composta por quatro reas (artes visuais msica, teatro e dana), o professor far o planejamento e o desenvolvimento de seu trabalho, tendo como referncia sua formao. A partir de sua formao e de pesquisas, estudos, capacitao e experincias artsticas, ser possvel a abordagem de contedos das outras reas artsticas (DCE, 2006, p.88).

    Nesse sentido, o professor deve trabalhar em busca da totalidade do conhecimento em arte cumprindo com os contedos bsicos da sua formao e relacionando-os com os contedos das outras reas, quando possvel. Lembramos que os contedos de msica, a partir da Lei 11.769/08 so obrigatrios, portanto devem ser desenvolvid