CADERNO DE ESPECIFICAES GLOBAIS DE SERVIOS E ? 2011-05-17 1.1 - INSTALAES DO CANTEIRO

Download CADERNO DE ESPECIFICAES GLOBAIS DE SERVIOS E ? 2011-05-17 1.1 - INSTALAES DO CANTEIRO

Post on 08-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

Caderno de Especificaes Arquitetura OBJETIVO - DOCUMENTOS DO PROJETO - - 1 CADERNO DE ESPECIFICAES GLOBAIS DE SERVIOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAO DO PRDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAO INSTITUTO UNI-FAMEMA / OSCIP Marlia/SP NDICE 1. PRELIMINARES. 2. DEMOLIES E RETIRADAS. 3. ALVENARIAS E PEAS EM GRANITO. 4. ESQUADRIAS DE MADEIRA. 5. REVESTIMENTOS DE PAREDES. 6. PISOS. 7. INSTALAES HIDRULICAS. 8. PINTURA. 9. LIMPEZA GERAL. Caderno de Especificaes Arquitetura OBJETIVO - DOCUMENTOS DO PROJETO - - 2 1. PRELIMINARES 1.1 - INSTALAES DO CANTEIRO DE OBRA - Dever ser prevista uma verba para material e mo de obra que suporte a construo de um abrigo de materiais e ferramentas a serem utilizadas pela contratada. 1.2 - PLACA DE OBRA E DIVERSOS - Dever ser prevista uma verba para instalao em lugar a ser indicado pela administrao da Faculdade de Medicina de Marlia - FAMEMA, uma placa com as dimenses de 2,00 x 1,00 metros onde conste o logotipo de demais informaes que sero fornecidas pela contratante. - O CONSTRUTOR dever submeter apreciao da FISCALIZAO, em tempo hbil, amostras ou catlogos dos materiais que venham em substituio aos especificados para a obra, sob pena de impugnao dos trabalhos porventura executados. - A execuo de todos os servios contratados obedecer, rigorosamente, os projetos fornecidos e as especificaes. Devero ser observadas, tambm, as demais instrues contidas na Carta-convite da presente licitao. - Todas as medidas devero ser conferidas no local, no cabendo nenhum servio extra por diferenas entre as medidas constantes no projeto e o existente. - Compete ao Construtor fazer prvia visita ao local da obra para proceder minucioso exame das condies locais, averiguar os servios e material a empregar. Qualquer dvida ou irregularidade observada nos projetos ou especificaes dever ser previamente esclarecida junto FISCALIZAO DA FAMEMA. - No ser permitida a alterao das especificaes, exceto a juzo da FISCALIZAO e com autorizao por escrito da mesma. - Ficar o CONSTRUTOR obrigado a demolir e a refazer os trabalhos impugnados logo aps o recebimento da ordem correspondente, sendo por sua conta exclusiva as despesas decorrentes dessas providncias. - Durante a execuo dos servios, todas as superfcies atingidas pela obra devero ser recuperadas, utilizando-se material idntico ao existente no local, procurando-se obter perfeita homogeneidade com as demais superfcies circundantes. Todo e qualquer dano causado s instalaes da FAMEMA, por elementos ou funcionrios da contratada, dever ser reparado sem nus. - A obra dever ser entregue completamente limpa e desimpedida de todo e qualquer entulho ou pertence do Construtor, e com as instalaes em perfeito funcionamento. - No intuito de tomar-se toda a precauo necessria a evitar a ocorrncia de acidentes na obra, informa que, durante a execuo dos trabalhos dever ser rigorosamente observada norma regulamentadora do Ministrio do Trabalho (NR-18 Obras de Construo, Demolio e Reparos). Caderno de Especificaes Arquitetura OBJETIVO - DOCUMENTOS DO PROJETO - - 3 - Manter ambientes ventilados por ocasio do manuseio de materiais combustveis (colas, solventes, impermeabilizantes, etc.). Os trabalhadores nessas atividades devero ter plenos conhecimentos sobre o manuseio de extintores de incndio. - RELAO DE DOCUMENTOS INTEGRANTES: PROJETO ARQUITETNICO MEMORIAL DESCRITIVO CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO PLANILHA DE CUSTOS IMPLANTAO E ADMINISTRAO DA OBRA 2 DEMOLIES E RETIRADAS. - A Execuo das demolies obedecer, rigorosamente, o disposto na NBR-5682 (NB-598) e ser conforme projeto de arquitetura representada na cor amarela demolir. - Os materiais passveis de reaproveitamento sero de propriedade da FAMEMA. Os demais materiais remanescentes das demolies sero de propriedade do Construtor, a quem caber a providncia de remoo do local para no prejudicar o incio dos trabalhos. - O Construtor dever reaproveitar os materiais que estiverem em boas condies de reutilizao, complementando no que couber. Servios a serem executados: 2.1 - Demolio de alvenaria de tijolos comuns sem reaproveitamento. 2.2 - Retirada de tubulaes hidrulicas existentes. 2.3 - Retirada de entulho em caambas 3. ALVENARIAS E PEAS EM GRANITO 3. - ALVENARIAS Caractersticas tcnicas: - Material: Blocos cermicos com resistncia compresso de 1,5 a 2,5 Mpa e dimenses de 9 x 19 x 19 cm e canaletas cermicas de 9 x 19 x 24 cm, assentados com argamassa mista de cimento cal e areia fina sem peneirar, no trao 1:2:8. - Acabamento da alvenaria: chapisco, emboo e reboco, para as paredes que recebero pintura. Chapisco e emboo para as paredes que iro receber revestimento cermico. - Prever vergas de concreto armado nos vos de janelas. Caderno de Especificaes Arquitetura OBJETIVO - DOCUMENTOS DO PROJETO - - 4 Servios a serem executados: 3.1 - Alvenaria com tijolo cermico furado dimenses: 9x19x19 cm assentados com argamassa mista de cimento, cal e areia mdia no trao 1:2:8. Espessura da junta 12 mm e da parede sem revestimento: 9 cm. 3.2. PEAS EM GRANITO Caractersticas tcnicas: - Placas de granito Cear polido. Aplicao: - Nos peitoris de alvenaria dos guichs da recepo. 4. - ESQUADRIAS DE MADEIRA PORTAS DE MADEIRA PARA PINTURA: Caractersticas tcnicas e execuo: - Onde indicado no projeto dever ser instalado portas de madeira nas dimenses indicadas com as seguintes caractersticas: - Portas de madeira, nas dimenses de 0,90 x 2,15 m; 1,05 x 2,15 m com enquadramento em madeira macia para pintura. - O revestimento ser em pintura esmalte sinttico sobre massa regularizadora em ambas as faces, na cor a ser definida pela fiscalizao, com execuo de visores na dimenso de 0,19 x 1,20 m. - As guarnies sero executadas em madeira macia 4x1. Servios a serem executados: 4.1 - PM1-Porta interna de madeira de uma folha, 0,90 x 2,15 m, com dobradias cromadas e fechadura modelo IMAB-CROMADA ou similar. 4.2 - PM2-Porta interna de madeira de uma folha, 1.05 x 2.15 m, com dobradias cromadas e fechadura modelo IMAB-CROMADA ou similar. 5 REVESTIMENTOS DE PAREDES SERVIOS A SEREM EXECUTADOS: 5.1 - Chapisco sobre superfcies verticais, empregando argamassa de cimento e areia mdia ou grossa sem peneirar no trao 1:3, espessura 5 mm 5.2 - Reboco Paulista para paredes internas/externas, empregando argamassa de cimento, cal hidratada e areia fina sem peneirar no trao 1:2:11, espessura 20 mm 5.3 - Assentamento de azulejo branco 20x20 com argamassa pronta tipo cimento e cola, rejuntado na cor branca. 5.4 - Assentamento de azulejo branco 15x30 com argamassa tipo cimento e cola, rejuntado na cor branca. 6. PISOS Caderno de Especificaes Arquitetura OBJETIVO - DOCUMENTOS DO PROJETO - - 5 Internos: Caractersticas tcnicas e execuo da regularizao de cimentado: - Em toda a rea onde foi retirado o piso existente, recompor todas as furaes utilizadas para instalaes hidrulicas antes da regularizao. - Trao: 1:3 (cimento: areia); - Pigmentao: Natural; - Dimenses: Monoltico; - Espessura: 30 mm; - Acabamento: Liso desempenado; - Aplicao: Em toda regio onde ser executado o piso em granilite. Caractersticas tcnicas e execuo do piso em granilite. - Onde indicado no projeto arquitetnico dever ser executado o piso de granilite na cor existente modulados. Nos encontros das paredes tem-se a execuo de uma faixa de 10 cm em granilite. Servios a serem executados: 6.1 - Regularizao de base para assentamento de piso em granilite, empregando argamassa de cimento e areia grossa sem peneirar no trao 1:3 com espessura de 3 cm 6.2 - Revestimento de pisos com granilite na cor existente com juntas de dilatao moduladas. 6.3 - Execuo de uma rampa de acessibilidade na porta de entrada. 7. INSTALAES HIDRULICAS - Diversos: - Dever ser executado conforme projeto Hidrulico e Caderno de Especificaes de Hidrulica apresentados que se encontram em conformidade com as normas tcnicas vigentes e exigncias da concessionria local. Servios a serem executados: Servios descritos e enumerados na Planilha de Servios de Instalaes Hidrulicas 7.1 - TUBOS E CONEXES GUA FRIA 7.2 - ESGOTO 7.3 - INCNDIO 8. PINTURA - Diversos: Execuo esmalte sinttico sobre massa acrlica: - Tratamento prvio e/ou pintura de base: - Selador no caso de revestimentos novos aplicar uma demo de selador acrlico. Caderno de Especificaes Arquitetura OBJETIVO - DOCUMENTOS DO PROJETO - - 6 - Fundo preparador de parede no caso de superfcies com reboco fraco, desagregado, gesso, fibrocimento ou caiao, que aps limpeza aplicar uma demo de fundo preparador de paredes. - Emassamento em revestimentos novos ou sem emassamento aplicar duas demos com massa acrlica. Sobre a massa acrlica antes da pintura de acabamento deve-se aplicar uma demo de lquido selador. - Pintura de acabamento: - Paredes internas: conforme indicado em projeto. - Aplicao: - Sobre paredes internas, conforme indicado pela fiscalizao. Execuo esmalte sinttico com emassamento: - Tratamento prvio e/ou pintura de base: - Limpeza, lixamento e emassamento quando superfcies de madeira; - Pintura de acabamento: - Aplicar no mnimo duas demos. - Aplicao: - Esquadrias de madeira. Servios a serem executados Interna e externamente. 8.1 - Emassamento de paredes internas com duas demos de massa acrlica. 8.2 Pintura interna em ltex cor branco neve em laje de concreto em duas demos, sem massa corrida. 8.3 - Pintura externa ltex cor concreto em duas demos sem massa corrida. 8.4 Pintura externa ltex branco neve em parede de gesso, em duas demos sem massa corrida. 8.5 - Emassamento de esquadrias de madeira, com duas demos de massa, para pintura a leo ou esmalte. 8.6 - Pintura a esmalte em esquadrias de madeira e de ferro, com duas demos. 8.7 Pintura externa com hidrofugante sobre superfcie de tijolo cermico a vista com duas demos. OBSERVAO Todos os servios devero ser executados com a devida preparao das superfcies, atravs de lixamento e limpeza quando se fizer necessria. Tanto as esquadrias de madeira como as metlicas, devero ter a aplicao de fundos protetores e regularizadores a fim de garantir a boa qualidade dos servios. No tocante as alvenarias todos os cuidados devero ser tomados a fim de tornar a superfcie regular onde for recomendado, com a devida aplicao de massa regularizadora e respectivo fundo preparador, para receber a tinta de acabamento em duas demos. 9. LIMPEZA GERAL. 9.1. Limpeza geral da obra: - Antes da entrega definitiva dos servios a CONTRATADA dever proceder uma limpeza geral da obra, compreendendo pisos e paredes, vidros, metais e peas sanitrias, bem como uma verificao final das condies gerais da obra a fim de permitir a correo de eventuais falhas construtivas, criando, dessa forma, condies para o uso imediato das novas instalaes. Caderno de Especificaes Arquitetura OBJETIVO - DOCUMENTOS DO PROJETO - - 7 Marlia, 29 de Abril de 2011. ______________________________________________ INSTITUTO UNI-FAMEMA/OSCIP ______________________________________________ EMPRESA CNPJ RESPONSVEL PELA ASSINATURA DO CONTRATO

Recommended

View more >