ca agendamarço2015

Download Ca agendamarço2015

Post on 07-Apr-2016

217 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Agenda da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão - Março2015

TRANSCRIPT

  • MARO

  • 2SEX, 06 MAR a QUA, 29 ABR

    UMA SUSTENTVEL LEVEZAExposio de Artur Baptista

    FOYER . EXPOSIOEntrada livre

    Esta Sustentvel Leveza assenta em trs pilares estruturais:Procura de equilbrios assimtricosUtilizao expressiva do movimentoAfirmao do vazio como elemento construtivo. A mostra constituda por dezoito composies cuja policromia nasce de uma paleta previamente determinada e plasmada sobre um suporte de tecido. Os numerosos elementos que, criteriosamente associados, vo construir cada conjunto, so desenhados tesoura. Respeitam a sua posio, correlacionando-se entre si por alinhamentos e justaposies diversas.Assim se vence o horror ao vazio, respeitando-o e conferindo-lhe um valor estrutural, imprescindvel na criao de uma leveza sustentvel.

  • 3PEQUENO AUDITRIOEntrada livre . 120 m

    QUA, 04 . 15H00

    DEAMBULAES ARTSTICAS - CICLO DE ENCONTROS TEMTICOSPrimeiro encontro:

    DIABO NO CORPO: O EROTISMO NA ARTE DA GRCIA ANTIGA AOS NOSSOS DIAS Oradora Helena MachadoUma organizao da Casa das Artes e Sentido Directo

    A Histria das Artes e das Culturas permite descobertas e aprendizagens vastssimas e surpreendentes; permite reavivar memrias e experincias sensoriais, mas permite, sobretudo, dar outra luz nossa atualidade, nossa vida. Partindo de temas sempre escolhidos pelos desafios e pertinncia atual que nos colocam, e tambm pela sua linha de seduo dos sentidos e do pensamento, este Ciclo de Encontros pretende criar pontes entre o passado e o presente atravs de deambulaes artsticas que nos levaro por caminhos to diversos como a pintura, a literatura, a escultura, a msica, a arquitetura, o cinema e pelos mitos fundadores da nossa Civilizao.

    Por deambulaes entendemos, claramente, a liberdade e, sobretudo, o prazer no caminhar em conjunto, porque estes encontros s tero sentido com a intrnseca partilha de saberes entre o formador, a sua plateia e a Casa que nos acolhe para estes passeios eruditamente libertinos. Comearemos por uma pequena viagem geral numa clara seduo dos sentidos para o primeiro Encontro. Servir de ponto de partida para o programa que este ano se dedicar s Paixes Artsticas, abordando temas como o Poder, a Ambio, a Honra, a Glria e o Herosmo, o Cime, a Paixo Amorosa, a Paixo do Belo, entre outros.

    Helena Machado formadora de Histria da Cultura e das Artes. Desenvolveu a sua investigao e formao cientficas especialmente no mbito do Grande Sculo - sc. XVII, culminando, em 2005, com a sua defesa de Tese de Mestrado, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, dedicada ao Teatro e a Arte dos perodos Barroco e Clssico. Passou pela cole du Louvre, em Paris, e presena constante em quase todas as exposies temporrias de museus parisienses, particularmente no Louvre, Orsay, Centre Pompidou, Grand e Petit Palais e segue, apaixonadamente, as companhias teatrais nacionais.

  • 4DOM, 01 . 18H30

    CONCERTO COM PIANO E ORQUESTRAOBRAS DE TCHAIKOVSKY, BEETHOVEN E NUNO PEIXOTO

    Direo Dainius PavilionisSolista/Piano Joo Monteiro (Vencedor do Prmio Helena Costa)ORQUESTRA SINFNICA DA ESMAE

    Programa:

    I - Concerto de Piano No. 1, em Si Bemol Menor, op. 23 |Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893)

    II - Sinfonia n. 5, Op. 67 |Ludwig van Beethoven (1770-1827)

    III - ...na viagem de um livro de Nuno Peixoto

    GRANDE AUDITRIO . MSICA ERUDITA5 euros (Estudantes e Carto Quadriltero Cultural: 2,5 euros) . M/6 . 90 m

  • 5SEX, 06 e SB, 07 . 21H30

    TRAGO-TE NA PELEDuas narrativas, dois casais, duas relaes. Duas perspetivas diferentes sobre o mesmo tema: o amor.

    Uma coproduo do Cine Teatro Constantino Nery e Casa das Artes de Vila Nova de Famalico

    Duas narrativas, dois casais, duas relaes. Duas perspetivas diferentes sobre o mesmo tema: o amor. Um casal de escritores aparecer em projeo vdeo, outro casal, de artistas plsticos, no palco. Duas realidades distintas que acabam por se intersectar. Cada uma das relaes , simultaneamente, de interdependncia e rivalidade, de influncia mtua e de competio. A partir de uma ideia original de Lusa Pinto, que desafiou Marta Freitas a escrever um texto especialmente para este projeto, Trago- -te na pele joga-se na hibridez entre o palco e a tela, transpondo barreiras entre o real e o imaginrio.

    Texto Marta Freitas Encenao Lusa Pinto Intrpretes Isabel Carvalho e Pedro Almendra Realizao vdeo, cenografia e figurinos Lusa PintoDireo musical Carlos T Arranjos musicais Nicolas Tricot Desenho de Luz Bruno Santos Assistente de encenao Joo Costa Captao vdeo e edio Carlos Costa Diretor de fotografia Rodolfo Guedes Assistente de vdeo Lus Monteiro Diretor de fotografia Rodolfo Guedes Coproduo Cine Teatro Constantino Nery e Casa das Artes de Vila Nova de Famalico

    GRANDE AUDITRIO . TEATRO8 euros (Estudantes e Carto Quadriltero Cultural: 4 euros) . M/14 . 75 m

    ESTREIA

  • 6SB, 14 e DOM, 15 . 21H30 (SB) e 18h00 (DOM)

    SALPICOS GULOSOS DE COREste bailado inspirado no conto dos irmos Grimm A Casinha de Chocolate.

    Uma Coproduo entre o CRESCER ALM DA DANA- Associao para o ensino e desenvolvimento da Dana e a Casa das Artes de Vila Nova de Famalico.

    um bailado que ser levado a cena por 50 bailarinos em formao, de diferentes idades, da Crescer Alm da Dana e que baseado no conto dos irmos Grimm A Casinha de Chocolate.Esta histria baseada na vida pobre de um casal e seus filhos e na deciso de os abandonarem na floresta para que possam encontrar outra forma de sobrevivncia, visto que eles no tinham comida para alimentar toda a famlia.Deciso complicada para o pai mas muito incentivada pela madrasta m.A verdade que os dois irmos depois de terem superado vrias necessidades e momentos verdadeiramente assustadores conseguem chegar a casa no fim de toda a histria ricos e capazes de viverem felizes para sempre com a sua famlia.Eis que dentro deste enredo de drama, sorte e amor que se desenvolve todo o nosso bailado, cheio de momentos assustadores e outros mgicos.E assim que mais uma vez estaremos no palco na Casas das Artes de Vila Nova de Famalico com verdadeira entrega e paixo e tambm cientes da enorme oportunidade e responsabilidade que para todos ns estarmos a fazer o que mais gostamos na vida! DANAR!!

    GRANDE AUDITRIO . DANA6 euros (Estudantes e Carto Quadriltero Cultural: 3 euros) . M/6 . 60 m

    ESTREIA

  • 7GRANDE AUDITRIO . MSICA15 euros (Carto Quadriltero Cultural: 7,5 euros) . M/6 . 70 m

    Foto

    graf

    ia Is

    abel

    Pin

    to

    SB, 21 . 21H30

    ANTNIO ZAMBUJO RUA DA EMENDARua da Emenda, o 6. lbum de originais de Antnio Zambujo, , afinal, uma avenida do mundo onde coabitam as sonoridades do Brasil, Frana, Uruguai e do continente africano trazidas, claro est, para a dimenso portuguesa. Pica do 7, o primeiro single, o reencontro entre Zambujo e um dos seus mais antigos parceiros, Miguel Arajo. Juntos, desenham o cenrio do eltrico e romantizam a tpica figura do revisor. Outros so os colaboradores habituais que marcam presena em Rua da Emenda, de Joo Monge a Maria do Rosrio Pedreira, de Jos Eduardo Agualusa a Pedro da Silva Martins, entre outros uma festa onde ainda h espao para novos encontros, como acontece com Samuel ria e Jos Fialho Gouveia, para citar alguns. Nos 15 temas que completam Rua da Emenda cabem tambm emocionantes tributos aos talentos imortais de Noel Rosa (confirmando a paixo de Antnio Zambujo pela msica brasileira), Serge Gainsbourg (com La Chanson de Prvert reinventada pela magia da guitarra portuguesa), Jorge Drexler (o uruguaio que j ganhou um scar), Rodrigo Maranho e Pedro Lus (mais dois brasileiros da linha da frente). Ao vivo, Antnio Zambujo enche o espao e para o tempo com a sua voz e guitarra, cheias de recantos e subtilezas, na companhia de msicos de exceo, dirigidos pelo seu contrabaixista e diretor musical, Ricardo Cruz. O pblico convidado a participar para que, a uma s voz, ecoem as emoes dos protagonistas e sentimentos universais, a que Zambujo sabe dar vida de forma mpar, nas suas canes.

    www.antoniozambujo.comwww.facebook.com/Ant.Zambujo

  • 8SEX, 27 . 21H30

    DIA MUNDIAL DO TEATRO

    PORTUGAL, MEU REMORSO A partir de textos de Alexandre ONeilDireo artstica e interpretao de Ana Nave e Joo Reis

    Seria difcil imaginar uma cabea mais ferica e to distintamente irnica como a de Alexandre ONeill para, na possibilidade de uma travessia pelo Portugal dos nossos dias (o pas europeu com tiques e vcios de ontem) lhe dar um sentido altura das suas enormes encruzilhadas.Verbalizar os dislates da vida e do amor luz de um pas incerto, um exerccio que na escrita e na personalidade de ONeill se transforma numa espcie de combustvel sem limites, desgnio perfeito para uma vida inspirada: Algumas palavras de dio algumas palavras de amor / O tapete que vai partir para o infinito / Esta noite ou uma noite qualquer.Quando num caf do Prncipe Real nos juntmos para dar um destino ao nosso enorme apreo pelo poeta, tambm ns procurvamos esse difcil compromisso entre tornar legveis as vrias exploses de sentido da sua poesia e ao mesmo tempo revelar uma unidade dramatrgica que fosse visvel para todos ns: imagens, canes, vises perifricas.Se em muitos aspetos ONeill foi um poeta incompreendido e indecifrvel, como o tantas vezes a nossa vidinha, certo que se tornou um dos grandes do sculo XX, com vida cheia e literalmente profcua e a contaminar tantas e tantas criaturas. Portugal, Meu Remorso um tributo assumido das nossas inquietaes e incertezas, da nossa admirao pelo poeta que apostava tudo na vida mesmo que errada.Esta noite ou uma noite qualquer, com algumas palavras de dio e outras de amor, a nossa viagem ao Portugal infinito de Alexandre O Neill.

    Direo artstica e interpretao Ana Nave e Joo Reis Texto Maria Antnia Oliveira Apoio dramatrgico Rui Lagartinho Espao sonoro Francisco Leal Vdeo Patrcia Sequ