brise soleil

Download brise soleil

Post on 25-Jun-2015

1.469 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

a principal contribuio brasileira arquitetura moderna foi o domnio do calor e da luzPhilip Goodwin (Brazil Builds 1943)

projeto e dimensionamento de brise-soleils

gogliardo vieira maragno

O brise-soleil atua como um filtro, criando uma pelcula permevel ao redor do edifcio que permite a penetrao da luz no espao interno e suaviza o impacto da forma, tendo um efeito muito semelhando ao do peristilo de um templo grego, o qual suaviza a relao entre a massa e o espao circundande.- geofrey baker -

ARQUITETURA ...- um espao artificial criado pelo homem para abrigar a si mesmo, seus deuses e seus mortos; - um artefato fundamental para proteg-lo da hostilidade do clima, dos animais e dos outros homens; - fruto de sua vontade e desejo de criar.

Sob o ponto de vista do abrigo, arquitetura um filtro que promove o intercmbio entre o homem e o ambiente natural. A influncia do clima um dos condicionantes reconhecidos na arquitetura produzida em cada regio. A fachada o lugar onde se do as trocas entre o exterior e o interior. Sua soluo fundamental.

EFEITOS DA ARQUITETURA MODERNA:- desmaterializao do edifcio; - dissoluo das paredes, reduzidas ao mnimo; - transformao das paredes em finas membranas quase sem substncia; - o material ideal: pele de vidro. De que adianta, eu pergunto,encher novamente um espao que nos foi dado vazio?. Le Corbusier.

PORQUE O VIDRO:- pela transparncia: possvel ver atravs dele; - pela possibilidade de revelar o exterior mesmo com espaos delimitados; - pela continuidade dos espaos que fluem livremente. PORM, O ABANDONO DA PAREDE TRADICIONAL... - faz perder-se as vantagens da massa na - inrcia trmica - proteo solar - isolamento acstico - privacidadeToda responsabilidade foi transferida, a uma ossatura independente, podendo tanto ser de concreto armado, como metlica. Assim, aquilo que foi invariavelmente uma espessa muralha durante vrias dezenas de sculos, pode, em algumas dezenas de anos, graas as nova tcnica, transformar-se (quando convenientemente orientada, bem entendido: sul no nosso caso) em uma simples lmina de cristal. - Lucio Costa

A ABORDAGEM AMBIENTAL NOS PRIMEIROS TEMPOS DA ARQ. MODERNA- crena nas possibilidades da tecnologia - condicionamento mecnico (ar-condicionado recm inventado); - uso de painis de vedao com materiais isolantes; - crena no homem universal (e portanto em um estilo internacional).

A DEFASAGEM ENTRE A TEORIA E A REALIDADE- Le Corbusier enfrentou-a no Hospital do Exrcito da Salvao em Paris.

Toda nao constri para seu prprio clima. Neste momento de interpretao das tcnicas cientficas, internacionalmente, eu proponho: um nico edifcio para todas as naes e climas, a casa com respirao perfeita. Le Corbusier.

DO FRACASSO INVENO DO BRISE-SOLEIL:Na Arglia, em clima diferente do europeu, Corbusier protege as fachadas envidraadas dos edifcios com a inveno dos brises, ntido reconhecimento do sol como um dado fundamental do projeto. Nasce um novo elemento arquitetnico!

Inspirao:

Acima - Papadaki & Lecrerc: projeto para o Concurso do Memorial Cristvo Colombo. Santo Domingo, 1928. Fonte: ARONIN, 1953. Abaixo MalletStevens: Pavilho de Turismo, Paris, 1925. Fonte:

NO BRASIL:clima bem diferente do temperado. A TRADUO DO IDERIO EUROPEU OCORRE DE MANEIRA PARTICULAR E EXITOSA. - busca de transparncia, mas em sintonia com o contexto cultural, econmico e climtico do pas; - utilizao do pano de vidro, mas protegido da inclemncia do clima; - uso da climatizao interna, principalmente com a proteo solar, ao invs da climatizao artificial.Resultado:

PROJETOS DE FORTE CARTER REGIONAL E INDISCUTVEL VALOR ARQUITETNICO INTERNACIONAL.

A INTRODUO DA ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL:A linguagem da arquitetura moderna encontrou terra frtil no Brasil onde se desenvolveu e criou caractersticas prprias. O brise-soleil incorporou-se imediatamente ao repertrio dos arquitetos brasileiros - pela natureza tropical do clima e; - por ter encontrado referncias similares em elementos da nossa arquitetura tradicional.Elementos tradicionais: coberturas com telhas capa-canal, beirais avantajados, janelas com gelosias, uso freqente de venezianas, muxarabis, alpendres e varandas.

OS PROJETOS EXEMPLARES

o desejo agudo de conhecer melhor a arquitetura brasileira, principalmente as solues dadas ao problema do combate ao calor e aos efeitos da luz sobre as grandes superfcies de vidro foi o principal motivo de minha viagem ao Brasil que resultou na exposio e ivro. Philip Goodwin (Brazil Builds 1943)

MINISTRIO DA EDUCAO E SADE - 1936/1945Lucio Costa, Oscar Niemeyer, Jorge Moreira, Afonso Reidy, Carlos Leo e Ernani Vasconcelos Rio de JaneiroFoi este projeto, em sua verso final, que deu ensejo primeira aplicao monumental de muito dos elementos corbusianos caractersticos, inclusive o terrao-jardim, o brise-soleil e o panverre.FRAMPTON (Hist. Crtica da Arq. Moderna)

A fachada SSE pouco insolada forma um gigantesco pano de vidro. A fachada NNO, insolada durante quase o ano todo, tem um sistema de brisesoleils com lminas verticais fixas, de concreto pr-fabricado, e mveis de fibro-cimento protegendo o vidro. As faces menores, mais expostas ao sol, so cegas. O edifcio ventilado naturalmente por ventilao cruzada que aproveita a diferena de temperatura entre as faces N e S e no encontra obstculos internos.

MINISTRIO DA EDUCAO E SADE - 1936/1945

Alm do bloqueio radiao solar direta, a transmisso de calor evitada com o afastamento de 50cm do brise em relao fachada criando uma camada de ar. A reflexo seria ainda melhor se as minas tivessem cor mais clara. A mobilidade dos brises colabora na visibilidade e na possibilidade de graduar a entrada de luz.

A incidncia dos ventos no Rio SSE, ustamente a fachada sem obstculos. Os pilotis melhoram a circulao de ar no trreo em quarteiro muito adensado. O revestimento dos pilotis e de trechos das paredes no trreo com azulejos ou granito so deais para o clima mido do Rio. O sistema de proteo de fachada alm da proteo solar contribui de maneira especial na caracterizao e qualificao do projeto.

MINISTRIO DA EDUCAO E SADE - 1936/1945

Os quebra-sis, controlados manualmente, dotam a face norte do edifcio de extraordinria riqueza, dando-lhe ainda um cunho individual. Esses quebra-sis mveis como venezianas externas superdimensionadas representam apenas um dos vrios tipos que os arquitetos brasileiros desenvolveram com o objetivo de proteger suas edificaes do sol tropical. A grande vantagem desse tipo permitir um livre trnsito de ar por detrs das venezianas, evitando a formao de bolsas de ar que transportariam o calor de fora para o interior dos aposentos. O controle manual simples possui tambm grande vantagem, j que a quantidade de luz pode ser regulada em cada escritrio como o desejadoArchitectural Forum Chicago (fev. 1943) sobre o MES

PORQUE USAR UM BRISE-SOLEIL: 1- para evitar o ofuscamento visual; 2- para evitar o desconforto direto e imediato pela incidncia da radiao sobre o corpo, e; 3- para evitar a elevao da temperatura dos ambientes a nveis indesejveis causada pela radiao solar.Assim, se o terceiro motivo refere-se aos climas quentes, os outros dois acontecem em qualquer clima.

Estratgias bsicas para a proteo solar:1- Uso de dispositivo de proteo interno janela; 2- Uso de materiais transparentes com caractersticas seletivas quanto radiao solar ou aplicao de pelcula de recobrimento ao vidro comum; 3- Uso de dispositivo externo ao edifcio ou a janela, dentre os quais inclu-se o brise-soleil.

Eficincia dos protetores solares:

Tipos de Brises:Quanto ao movimento fixos - escamoteveis Quanto posio horizontais verticais orientveis combinados

Quanto escala dimensional grande escala ou esc. do edifcio - mdia escala - pequena escala ou esc. dos componentes Quanto integrao ao edifcio integrado ao todo - adicionado ao todo Quanto ao alinhamento em relao a fachada saliente - alinhado - recuado

Ufa. hora de uma pausa......

Recommended

View more >