BREVE ESTUDO SOBRE O CONSELHO DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL (CACS - Fundeb) NO MUNICÍPIO DE DONA INÊS/PB

Download BREVE ESTUDO SOBRE O CONSELHO DE ACOMPANHAMENTO E  CONTROLE SOCIAL (CACS - Fundeb) NO MUNICÍPIO DE DONA INÊS/PB

Post on 04-Aug-2015

724 views

Category:

Documents

0 download

DESCRIPTION

Trabalho Final do Curso do Fundeb - Fundo de Desenvolvimento da Educao Bsica - do Programa Formao Pela Escola - FNDE

TRANSCRIPT

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educao FNDE Programa Formao pela Escola Tutor:Josenildo Fernandes da Silva

Equipe: Edilma das Dores Amaral, Espedito Bento da Silva, Jairo Alves Felipe, Maria das Graas Geraldo da Silva, Maria das Graas Vitorino de Sousa Azevedo e Maria Nilma Pereira Borges. BREVE ESTUDO SOBRE O CONSELHO DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL (CACS - Fundeb) NO MUNICPIO DE DONA INS/PB INTRODUO O artigo 24 da Lei n 11.494/2007 e o art. 10 do Dec. n 6.253/2007 estabelecem a obrigatoriedade de criao, no mbito de cada esfera governamental, de um Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb, fortalecendo, com essa exigncia, a participao da sociedade no processo de gesto e verificao da aplicao dos recursos pblicos vinculados educao. O Conselho do Fundeb um colegiado, formado por representaes sociais variadas, cuja funo principal proceder ao acompanhamento e ao controle social sobre a distribuio, a transferncia e a aplicao dos recursos do Fundo, no mbito de cada esfera municipal, estadual, distrital ou federal. Os trabalhos desenvolvidos pelo Conselho do Fundeb no so remunerados e o colegiado no integra a estrutura administrativa do governo. Sua ao deve ser independente e, ao mesmo tempo, harmnica com os rgos da administrao pblica local. No mbito municipal o Conselho composto por, no mnimo, 9 (nove) membros. O Poder Executivo deve oferecer ao Conselho do Fundeb o necessrio apoio material e logstico, disponibilizando, se necessrio, local para reunies, meio de transporte, materiais, equipamentos, etc., garantindo assim, condies para que o Conselho desempenhe suas atividades e, efetivamente, exera suas funes. O controle exercido pelos conselhos do Fundeb representa a atuao da sociedade, que pode apontar falhas ou irregularidades eventualmente cometidas, para que as autoridades constitudas, no uso de suas atribuies legais e regimentais, adotem as providncias que cada caso venha a exigir. Assim, vamos conhecer um pouco o Conselho do Fundeb do municpio de Dona Ins - PB.

ANLISE DAS ENTREVISTAS COM OS CONSELHEIROS DO CACS - FUNDEB

Para conhecermos melhor como atua o CACS do Fundeb em nosso municpio, realizamos uma entrevista com os Conselheiros, com o objetivo de levantar informaes tcnicas sobre a organizao e atuao do Conselho. Com base na anlise das informaes prestadas pelos Conselheiros durante as entrevistas percebemos que no h um consenso entre eles no tocante a muitas questes. Alm disso, podemos perceber que alguns Conselheiros no sabem nem responder com clareza qual rgo esto representando no Conselho. A maioria dos Conselheiros entrevistados afirma que tm conhecimento da legislao que orienta as atividades do CACS do Fundeb; que durante as reunies do Conselho h sempre uma discusso acerca das obrigaes e competncias do colegiado; e que a criao do Conselho deu-se a partir de uma lei especfica, aprovada pelo Legislativo responsvel e sancionada pelo Executivo municipal. Quando perguntamos sobre a situao do Conselho junto ao FNDE, ou seja, se ele est devidamente cadastrado junto quela Autarquia, somente um entrevistado foi coerente em sua colocao, visto que o Conselho encontra-se registrado junto ao FNDE, mas as informaes prestadas pelo municpio encontramse desatualizadas, e sua composio no condiz com a atual realidade. Segundo os entrevistados, o Conselho possui regimento interno, elaborado para definir os procedimentos e critrios de funcionamento do mesmo. As reunies acontecem mensalmente, e nelas so discutidas as questes de responsabilidade do Conselho. Para isso o Poder Executivo local fornece oferece ao CACS do Fundeb o necessrio apoio material e logstico, disponibilizando o local para reunies, meio de transporte, materiais para anlise, equipamentos, etc. No que diz respeito participao dos suplentes nas reunies do Conselho, houve uma grande disparidade de respostas. Diante desse fato procuramos alguns suplentes, os quais afirmaram que, no so convidados para as reunies, muito menos comunicados. Outro fato contraditrio diz respeito divulgao das reunies para a populao, a maioria respondeu que as reunies so divulgadas, no entanto, numa pesquisa informal com vrias moradores da cidade, nenhum disse ter ouvido a divulgao dessas reunies nos meios de comunicao local. Em relao ao acompanhamento e execuo do Fundo, ficou evidente que nem todos os Conselheiros participam de todas as etapas, pois alguns no

participam da elaborao do Plano de Execuo do Fundo, apenas acompanham o crdito dos recursos recebidos, sua aplicao e prestao de contas. importante destacar que todos afirmaram que em nenhuma ocasio constataram alguma irregularidade relacionada utilizao dos recursos do Fundeb, se realmente esse fato verdico, o municpio deve ser um exemplo a ser seguido. Por fim, queremos destacar que a maioria dos Conselheiros participa do Programa de Formao pela Escola do FNDE, algo de extrema relevncia, visto que os cursos tem como propsito contribuir para a melhoria da qualidade da gesto e fortalecimento do controle social dos recursos pblicos destinados educao.

PONTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DA ATUAO DO CONSELHO

Aps a anlise das entrevistas destacamos alguns pontos positivos e negativos referentes ao CACS do Fundeb do municpio de Dona Ins PB. Inicialmente, destacamos alguns pontos positivos que so: a existncia do Conselho, criado com base numa lei especfica do prprio muncipio, e que possui um regimento interno; o auxlio que Poder Executivo local d, oferecendo apoio para o seu funcionamento, garantindo material e condies, como local para reunies, meio de transporte, materiais, equipamentos, registos contbeis, etc., de maneira que se faz possvel a realizao mensal das reunies do Conselho; o acompanhamento e controle feito pelos Conselheiros dos recursos financeiros recebidos, da aplicao e da fiscalizao das prestaes de contas. Como pontos negativos destacamos: a organizao do Conselho, visto que o mesmo no possui a representao dos segmentos previstos em Lei, e alguns conselheiros nem sabem de fato o que representam; a omisso de alguns Conselheiros, que de certa forma negaram-se a prestar informaes; a falta de coerncia das informaes prestadas por alguns Conselheiros durante a entrevista que realizamos; o no conhecimento da legislao referente ao Fundeb, por parte de alguns Conselheiros; a desatualizao dos dados do Conselho junto ao FNDE, visto que as informaes constantes no sistema, no condizem com a realidade; a no participao de alguns membros do CACS no Programa de Formao pela Escola. Outro ponto negativo o fato de alguns membros do Conselho, durante a entrevista, dizer que as reunies do Conselho so divulgadas para a populao, o que inverdico, pois ao entrevistarmos alguns moradores (professores,

trabalhadores autnomos, funcionrios pblicos, vereadores, etc.) todos disseram jamais ouviram a divulgao do dia e local das reunies do CACS do Fundeb. Alm disso, dizer que os suplentes tambm so convidados a participarem das reunies do Conselho tambm no condiz com a realidade, visto que procuramos nos informar sobre o assunto, e constatamos que essa informao no procede. De certa forma as algumas informaes prestadas perderam sua

credibilidade. Chamou-nos a ateno, o fato de todos os Conselheiros responderem que em nenhuma ocasio constataram irregularidades na aplicao dos recursos do Fundeb, s que sabemos que o sistema falho e erros acontecem, se no fosse assim no haveria a necessidade de acompanhamento e fiscalizao da aplicao dos recursos pblicos. O que nos leva a pensar que o Conselho no est fazendo um trabalho de qualidade, ou que os Conselheiros omitiram essa informao.

PROPOSTA DE SOLUO

Para solucionar os problemas relacionados ao CACS do Fundeb em nosso municpio, inicialmente a populao deveria ser informada da existncia do Conselho, qual sua funo, como est organizado, quem so seus membros, quais so suas atribuies. Alm disso, seria importante que os membros escolhidos fossem pessoas compromissadas com a transparncia do Conselho. Outras medidas simples seria divulgar por meio de programas de rdio, difusora ou por avisos fixados nos prdios pblicos, os dias em que sero realizadasas reunies, ou seja, deveria ser feito um calendrio das reunies para ser divulgado. O Conselho tambm deveria fazer palestras nas escolas incentivando os alunos, os pais a participarem das reunies, para que eles tenham conhecimento de como est sendo aplicados os recursos pblicos destinados educao. Os suplentes deveriam ser convidados a participarem das reunies, pois como sabemos, se algum dos membros tiver que se afastar, o suplente ter que assumir a vaga, e assim ele j ter conhecimento do que est sendo discutido. E o Poder Executivo do nosso municpio deveria ser mais flexvel, garantindo no s o acompanhamento, mas tambm a participao do Conselho e da prpria populao na elaborao da programao oramentria, na transparncia dos recursos financeiros recebidos, bem como a aplicao dos recursos e prestao de contas.

Dessa forma, se tivermos um Conselho adequadamente constitudo, com os membros escolhidos de forma legtima, bem organizado e instrumentalizado, ser possvel desempenhar o seu papel de forma efetiva, ou seja, como um rgo de acompanhamento e vigilncia cvica da aplicao dos recursos pblicos, o que de fundamental importncia para a existncia de uma sociedade democrtica.

OBSERVAO: No conseguimos obter informaes sobre a execuo dos recursos financeiros do Fundeb no municpio, visto que at a presente data o representante do Poder Executivo, no nos repassou qualquer informao, mesmo tendo sido procurado por vrias vezes. 06/11/2012

REFERNCIAS Brasil. Cartilha: Subsdios ao Ministrio Pblico para acompanhamento do FUNDEB - Fundo de Manuteno e Desenvolvimento da Educao Bsica e de Valorizao dos Profissionais da Educao. Braslia: FNDE, 2009, 41p. Disponvel em: http://www.mp.rs.gov.br/areas/infancia/arquivos/fundeb_subsidios_mp.pdf. Acesso em: 01 de junho de 2012, s 20hs. BRASIL. FUNDEB: Manual de orientao. Braslia: FNDE, 2008. 92p. Disponvel em: ftp://ftp.fnde.gov.br/web/siope/leis/manual_orientacao_fundeb.pdf. Acesso em: 01 de junho de 2012, s 20hs. BRASIL. Ministrio da Educao (MEC). Mdulo: Fundeb: Braslia: MEC, FNDE, 2009, 166 p.

ApndiceFICHA COM O QUESTIONRIO DA ENTREVISTA

Nome: ________________________________________ Data: ___/___/____ rgo que representa: __________________________________________

01. Voc tem conhecimento da legislao que orienta o CACS Fundeb? ( ) Sim ( ) Em parte ( ) No

02. Durante as reunies do Conselho h uma discusso acerca das obrigaes e competncias do colegiado? ( ) Sim ( ) s vezes ( ) Nunca

03. Foi aprovada no municpio uma legislao especfica para criao do CACS? ( ) Sim ( ) No tenho conhecimento

04. O Conselho est em situao regular junto ao FNDE, ou seja, est devidamente cadastrado junto quela Autarquia? ( ) Sim ( ) Em parte ( ) No

05. O Conselho possui regimento interno? ( ) Sim ( ) No tenho conhecimento

06. Com que frequncia ocorre s reunies do Conselho? ( ) De 15 em 15 dias ( ) Semanalmente ( ) Mensalmente

07. Os Suplentes so convidados para participarem das reunies? ( ) Sim ( ) s vezes ( ) No

08. As reunies do Conselho so divulgadas para a populao? ( ) Sim, freqentemente ( ) s vezes ( ) Nunca

09. Voc participa da elaborao da Programao Oramentria? ( ) Sim ( ) s vezes ( ) No

10. Voc tem acesso s prestaes de contas? ( ) Sim ( ) s Vezes ( ) Raramente ( ) Nunca

11. Voc participa dos Cursos de Formao pela Escola do FNDE? ( ) Sim ( ) No

12. Voc visita as obras realizadas com recursos do FNDE? ( ) Sim ( ) s vezes ( ) Raramente ( ) Nunca

13. De que forma o Poder Executivo local apoia o CACS? _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ ____________________________________________________ 14. Em alguma ocasio voc constatou alguma irregularidade relacionada utilizao dos recursos do Fundeb? _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _____________________________________________________ 15. Se voc constatasse alguma irregularidade o que faria diante da situao? _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _____________________________________________________ _____________________________________________________

Recommended

View more >