brasil, era vargas: 1930-1945

Download Brasil, era Vargas: 1930-1945

Post on 07-Jan-2017

218 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • BRASIL, ERA VARGAS: 1930-1945 PRODUO DO CONHECIMENTO NO CAMPO DA HISTRIA

    DA EDUCAO - A produo do HISTEDBR : um estudo preliminar

    Profa. Lgia Martha Coimbra da Costa Coelho

    Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

    1.Consideraes iniciais: os porqus e o como do estudo

    No Brasil, estudos que se pretendam consistentes em relao a fontes

    bibliogrficas do perodo que corresponde denominada era Vargas necessitam

    delimitar, com preciso, seu campo de atuao, visto ser esta poca, provavelmente,

    uma das mais frteis de nossa Histria e, igualmente, da Histria da Educao

    Brasileira.

    Nesse sentido, levando em considerao a reviso bibliogrfica que nos foi

    solicitada pelo HISTEDBR estabelecemos, como objetivo deste estudo, descrever a

    produo do conhecimento no campo da Histria da Educao, no que concerne ao

    perodo denominado era Vargas (1930-1945), refletindo sobre a natureza desse

    perodo histrico a partir do caldo ideolgico que o caracterizou e influenciou a

    formao de concepes e prticas que colaboraram na constituio do panorama

    educacional brasileiro.

    Costumamos apresentar a era Vargas como um perodo em que ideologias,

    bem caracterizadas, constituam concepes e prticas polticas; em que movimentos

    dos mais diversos matizes representavam-nas formando, na sociedade brasileira, o

    que denominamos de caldo ideolgico, de definio nem sempre precisa. Pensando

    nesse contexto multifacetado e conflituoso, bem como no manancial de fontes que

    procura explic-lo, e sobre o qual no h limites precisos, fizemos opo por analisar o

    Brasil da era Vargas mapeando as produes do prprio HISTEDBR, uma vez que

    estas constituem material concreto, factvel, possibilitando-nos um porto seguro de

    reflexo - ao.

    Delimitado nosso campo de ao mapeamento da produo do HISTEDBR

    em relao ao perodo Vargas procuramos estabelecer alguns passos

    metodolgicos. O primeiro, mais geral, foi o que definiu quais atividades desse grupo

  • 2

    de pesquisa seriam examinadas. Neste momento, levamos em considerao

    documento que evidencia sua estruturao, formada por Grupos de Trabalho

    estaduais e locais. No documento (2005), ao historiar as atividades desenvolvidas pelo

    HISTEDBR encontramos, no perodo de 1991 a 2001, os Seminrios Nacionais de

    Estudos e Pesquisas, realizados periodicamente. Verificamos que, no encontro de

    2001, o V Seminrio Nacional reuniu a Coordenao geral e os Coordenadores dos

    GTs e que vrias decises e propostas foram aprovadas, entre elas,

    Em vista da experincia bem sucedida de vrios colquios do HISTEDBR da Regio

    Nordeste, operacionalizados pelo Grupo de Trabalho sediado na Universidade Federal de

    Sergipe, e coordenado pela profa. Marta Vieira Cruz, decidiu-se (...) pela realizao de

    Jornadas Regionais e/ou Temticas (2005, p.21)

    O referido documento ressalta, ainda, a realizao de quatro Jornadas, at o

    ano de 2004, o que demonstra a vitalidade dessa modalidade de evento no

    HISTEDBR (p.23). A partir destas informaes, optamos por discutir, neste estudo, as

    produes apresentadas no mbito das cinco Jornadas ocorridas at o ms de maio

    de 2005. Decidimos tambm trabalhar com as produes arroladas pelos prprios

    Grupos de Trabalho, at o mesmo ms e anoTPiPT, uma vez que esta estrutura de GTs

    foi um marco na constituio do grupo de pesquisa.

    Acreditamos que a deciso de realizar o estudo a partir da produo

    apresentada pelos GTs locais, bem como dos ttulos e resumos de trabalhos

    apresentados em cinco Jornadas do HISTEDBR de certa forma delimitou nosso

    perodo de atuao at maio de 2005, quando foi realizada a V Jornada do

    HISTEDBR, em Sorocaba, So Paulo.

    No entanto, uma primeira anlise do material referente ao corte acima

    estabelecido nos mostrou que vrios trabalhos e pesquisas no apresentavam, em

    seus ttulos e/ou resumos, evidncias claras do perodo histrico em que se moviam.

    Nesse sentido, tornou-se necessrio trabalhar a partir de uma metodologia de anlise

    que objetivasse destacar a insero daquele perodo histrico nos estudos e

    pesquisas do HISTEDBR nacional. Esta tarefa concretizou-se a partir da criao de

    trs grupos de anlise, constitudos por naturezas diversas, a saber:

    (1) temticas abordadas dentro do perodo destacado. Inserimos

    neste primeiro grupo as produes em que o perodo histrico

    abertamente declarado no ttulo, ou no corpo do resumo/texto, inferindo que

  • 3

    as temticas e/ou objetos de estudo so passveis de serem trabalhados

    em momentos histricos diferentes. No entanto, em opo terico-

    metodolgica de seu(s) autor(es), esse objeto / temtica inserido no

    perodo que ora investigamos. Fazem parte desta categoria, por exemplo,

    trabalhos como Colgio Santa Teresa: um projeto scalabriniano (1939-

    1942), apresentado durante a II Jornada do HISTEDBR, ou ainda Histria

    das instituies educacionais em Gois: Lyceu de Goyaz 1930/1937,

    apresentado na IV Jornada. Pode-se perceber, pelos ttulos elencados, que

    o objeto de investigao encontra-se demarcado e contextualizado,

    possibilitando a gerao de estudos de compreenso da histria da

    educao no perodo assinalado. Nestes casos, estabelece-se o carter

    compreensivo que o perodo histrico empresta ao objeto e/ou temtica

    estudados.

    (2) periodizao perpassa o mapeamento periodolgico, compe o

    locus em que o objeto de estudo / temtica se insere sem, no entanto,

    ser seu foco de investigao, ou de interesse imediato. Nesta

    categoria, inserimos produes cujo objeto abordado em um longo

    perodo scio-histrico, perpassando 1930-1945 sem, contudo, constituir

    este momento um foro privilegiado de reflexo terico-metodolgica do

    referido trabalho. Esto neste caso trabalhos como, por exemplo, Escola

    ferroviria Cel. Tibrcio Cavalcanti, de Ponta Grossa (1940-1973) Modelo

    de educao profissionalizante, apresentado durante a II Jornada do

    HISTEDBR e As faces da mulher que se forma professora na Curitiba do

    final do sculo XIX metade do sculo XX, apresentado na III Jornada. Em

    situaes como estas, percebe-se que o perodo histrico que investigamos

    no se constitui em fundamento da produo apresentada. No entanto, h

    aportes referenciais nele inscritos que, provavelmente, sero elencados

    e/ou emergiro na apreenso do objeto de estudo / temtica escolhidos, de

    modo que, sem ele, provavelmente esse objeto / temtica ficaria incompleto

    na reflexo realizada por seu(s) autor(es). Nestes casos, evidencia-se, nas produes, o carter ilustrativo do perodo histrico que mapeamos.

    (3) periodizao como cenrio de adensamento do objeto de estudo

    proposto, ou seja, cujas temticas refletem a periodizao apresentada,

    constituindo-se esta quase que o prprio objeto de estudo. Fazem parte

    desta categoria trabalhos cujo objeto / temtica pertenam, visceralmente,

  • 4

    ao perodo investigado. Em outras palavras, produes como O Manifesto

    dos Pioneiros de 1932 e a educao pblica: a preocupao com o

    nacionalismo e o homem cidado, apresentada durante a IV Jornada do

    HISTEDBR, e Francisco Campos: renovador da escola nova ou idelogo do

    pensamento autoritrio?, apresentada na II Jornada, s poderiam estar

    inseridas neste contexto scio-histrico - 1930 a 1945. Inferimos que,

    nestes casos, o perodo em questo emerge como fundamento terico-

    metodolgico, historicizando a temtica investigada. Nesse sentido, as

    produes assumem um carter de adensamento histrico.

    Os trs grandes grupos apresentados deixam de lado, obviamente, produes

    que no incluem o recorte periodolgico pr-estabelecido, ou seja, trabalhos que no

    explicitam o perodo de 1930 a 1945 em seus ttulos, resumos e, por vezes, nos

    prprios trabalhos. Estamos cientes de que esta deciso pode reduzir o quantitativo de

    produes examinadas. No entanto, estabelecer um outro corpus implicaria o

    aprofundamento deste estudo, no sentido da leitura acurada de toda a produo do

    HISTEDBR Grupos de Trabalho locais e Jornadas , visando uma especificidade

    histrico-temporal nem sempre presente, o que demandaria maior tempo de anlise e

    um suporte humano para a pesquisa de que no dispomos no momento.

    Acreditamos, contudo, que um grande espectro de produes pde ser

    mapeado a partir dos critrios estabelecidos, permitindo uma reflexo mais apurada

    sobre o que fomos, o que somos e o que ainda viremos a ser enquanto grupo de pesquisa em Histria da Educao Brasileira. 2. Brasil - era Vargas e a produo de conhecimento do HISTEDBR

    Conforme esclarecemos na introduo do estudo, o mapeamento de que ora

    nos ocupamos levou em considerao duas realidades que estruturam o HISTEDBR

    enquanto um grande grupo de pesquisa: a produo divulgada pelos GTs locais e os

    trabalhos apresentados durante as Jornadas regionais.

    Especificamente em relao produo dos GTs, o trabalho com dados

    existentes na sede do HISTEDBR, at maio de 2005, provavelmente excluiu algumas

    produes e pesquisas que vm se realizando e que no constavam, poca, do

    material disponibilizado. No entanto, importante lembrar que estudos desta natureza

    precisam ser efetivados periodicamente, objetivando sempre o processo de

  • 5

    construo e reconstruo inerente ao grupo como um todo e aos grupos locais, em

    particular o que, de certa forma, diminui lacunas como a que ora apontamos.

    Este it

Recommended

View more >