br período democrático

Download br período democrático

Post on 12-Jun-2015

8.603 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

slide encontrado na internet - em alguns casos acrescentei imagens e/ou informaes

TRANSCRIPT

<p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>A REPBLICA LIBERAL-POPULISTA (1946 1964): PERODO DEMOCRTICO</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>PERODO ANTERIOR:</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>A REPBLICA LIBERAL - POPULISTA (1946 1964):Eurico Gaspar Dutra PSD (jan 1946 jan 1951):Eleito com o apoio do PTB e de Getlio Vargas: Ele disse: para presidente vote Dutra. Constituio de 1946: (Quinta constituio do Brasil e quarta da Repblica) Foi promulgada; Repblica Federativa; Presidencialismo (com mandato de cinco anos); Retorno da independncia entre os trs Poderes; Retorno das autonomias estaduais e municipais; Voto universal e obrigatrio para alfabetizados, maiores de 18 anos; Votao para Presidente e Vice-Presidente; No geral, apresentou um carter liberal e redemocratizante.</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>Eurico Gaspar Dutra:Alinhamento do Brasil aos EUA no contexto da Guerra Fria (Imperialismo Cultural); Rompimento das Relaes Diplomticas com a URSS; Fechamento do PCB; Os polticos do PCB so cassados; Aumento das importaes e Dficit Comercial (importaes suprfluas); Aumento do custo de vida; Proibio de greves e interveno em sindicatos;</p> <p>Plano Salte (sade, alimentao, transporte e energia); Pavimentao asfltica Rio-So Paulo (Via Dutra).</p> <p>Proibio do jogo do bicho e fechamento dos cassinos;</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>Alguns pontos apresentados na Constituio de 1946</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>A REPBLICA LIBERAL - POPULISTA:</p> <p>Getlio Vargas PTB (jan 1951 ago 1954):</p> <p>Poltica econmica nacionalista e intervencionista.Plano Lafer (Horcio Lafer): estmulo a industria de base (Plano Qinqenal); Criao do BNDE (Banco Nacional de Desenvolvimento Econmico); Campanha O petrleo nosso, com o apoio de Monteiro Lobato , que culminou em 1953 com a criao da Petrobrs; Aumento de 100% do salrio mnimo, concedido pelo Ministro do Trabalho Joo Goulart; Empresrios nacionais, associados ao capitais internacionais, financiaram a oposio ao governo atravs da UDN e do seu lder e governador da Guanabara Carlos Lacerda (dono da Tribuna da Imprensa); Atentado a Carlos Lacerda (rua Toneleros, Copacabana no Rio de Janeiro); Suicdio de Getlio Vargas (24 de agosto de 1954). Carta Testamento: ...saio da vida para entrar na Histria.; Carlos Lacerda foge para Portugal; Assumem: Caf Filho (vice-presidente), Carlos Luz (presidente da Cmara dos Deputados) e Nereu Ramos (presidente do Senado) at jan 1956.</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>A REPBLICA LIBERAL - POPULISTA:Tentativa de golpe dos udenistas (com o apoio de Carlos Luz), que tentam impedir a posse de JK e Jango, acusando-os de comunistase no terem conseguido a maioria absoluta de votos, com o apoio de oficiais da Aeronutica sediados em Samtarm (PA). A tentativa de golpe foi desarticulada pelo general Henrique Teixeira Lot (Ministro da Guerra). Juscelino Kubitschek PSD (jan 1956 jan 1961): JK o presidente Bossa Nova; Anistia aos envolvidos ns tentativa de golpe; Plano de Metas: 50 anos de desenvolvimento em 5 de governo;</p> <p>Interiorizao do desenvolvimento.</p> <p>Emprstimos e investimentos estrangeiros.</p> <p>O Plano de Metas previa investimentos em: energia, transporte, alimentao industria de base e educao. Poltica econmica modernizadora e desnacionalizadora, criticava os oposicionistas; Construo de Braslia (Oscar Niemeyer e Lcio Costa), construda pelos candangos;</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>A REPBLICA LIBERAL - POPULISTA:Juscelino Kubitschek: Instalao de indstrias de bens durveis, principalmente multinacionais automobilsticas; No final do governo JK, o pas teve um aumento considervel da dvida externa e da inflao (superinflao), o que provocou o aumento do custo de vida e poder aquisitivo do salrio mnimo caiu consideravelmente; Criao da SUDENE(Superintendncia de Desenvolvimento do Nordeste);</p> <p>Concentrao de indstrias em SP, Rio e MG. Incio do processo de sucateamento das ferrovias brasileiras, pois o governo federal passou a investir somente em rodovias, satisfazendo os interesse das multinacionais automobilsticas; O aumento da inflao do custo de vida e da dvida externa, levou o governo a romper com o FMI e a decretar moratria.</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>MEU BEM, MEU MALJuscelino deixou um legado de progresso, mas tambm "bombas-relgio" para seus sucessores. Confira:</p> <p>A construo de Braslia ajudou a desenvolver o interior e tirou o excesso de poder do eixo Rio-So Paulo. JK trouxe a indstria automobilstica para o pas, gerando consumo e desenvolvimento.</p> <p>A obra foi to cara que obrigou o governo a emitir dinheiro, gerando uma inflao sem precedentes.</p> <p>No limitou a remessa de lucros ao exterior nem obrigou as empresas a investir parte deles no pas.</p> <p>A malha rodoviria foi modernizada e expandida de forma intensa.</p> <p>O pas ficou dependente do petrleo e as ferrovias foram abandonadas.</p> <p>A poltica industrial gerou milhares de novos empregosA falta de contrapartida na rea rural gerou xodo e em pouco tempo. inchao nas metrpoles.</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>A REPBLICA LIBERAL - POPULISTA:Jnio Quadros PTN (jan a ago 1961):Eleito com o apoio da UDN: Jnio Quadros a UDN de porre!; Teve como smbolo de campanha a vassourinha que varreria a corrupo da administrao pblica; Adoo do cmbio flutuante;</p> <p>Manteve uma poltica externa independente: Reatou relaes diplomticas com a URSS e China Popular. Condecorou o ministro cubano, o mdico argentino e lder revolucionrio de esquerda, Ernesto Che Guevara, com a comenda da Ordem do Cruzeiro do Sul. A UDN rompe com o Governo e Carlos Lacerda, em rede de TV, acusa Jnio de abrir as portas do Brasil ao comunismo internacional; Sem apoio Jnio Quadros renuncia (26 de Agosto de 1961): ...foras terrveis levantaram-se contra mim e me intrigam ou infamam...A mim no falta a coragem da renncia.</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>Com a renncia de Jnio, deveria assumir o vice-presidente. Jango estava em visita oficial a China Popular e era considerado pelos grupos reacionrios, simpatizante do comunismo. Setores ligados ao grande capital nacional e internacional, com o apoio de parte das Foras Armadas tentaram impedir a posse de Goulart, quando eclodiu em Porto Alegre, depois se espalhando pelo RS e Brasil, o Movimento da Legalidade, liderado pelo governador Leonel Brizola (com o apoio do III Exrcito), que exigia o cumprimento da constituio e a posse de Joo Goulart.</p> <p>A REPBLICA LIBERAL - POPULISTA:</p> <p>Joo Goulart PTB (set 1961 abr 1964):Adoo do sistema Parlamentarista, que deveria ser referendado por um plebiscito, tendo como Primeiro Ministro Tancredo Neves; Realizao do plebiscito (6 de janeiro de 1963): de um total de 12 milhes de votos, quase 10 milhes de cidados votaram contra o parlamentarismo; Governo nacionalista e poltica externa independente; Plano Trienal de Desenvolvimento Econmico e Social: Buscar melhor distribuio das riquezas, atacando os latifndios improdutivos. Encampar as refinarias particulares de petrleo. Reduzir a dvida externa brasileira. Diminuir a inflao, mantendo o crescimento econmico.</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>A REPBLICA LIBERAL - POPULISTA:Joo Goulart PTB (1961 - 1964):Comcio da Central do Brasil no Rio de Janeiro (com a presena de 300 mil pessoas). Jango anuncia um conjunto de medidas denominadas de Reformas de Base: Reforma Agrria; Quando Jango chegou a Porto Alegre, Leonel Reforma Urbana; Brizola, de fuzil na mo, j organizava a Reforma Educacional; resistncia, forando o governador do RS, Ildo Meneghetti, a fugir para Passo Fundo, Reforma Eleitoral; para onde transferiu a capital do estado e Reforma Tributria. Lei de remessas de lucro para o exterior. instaurou o seu governo. Os trabalhadores comearam greves para pressionar os deputados e senadores a aprovarem as reformas, as classes dominantes, em oposio, organizavam ,em vrias cidades, as Marchas com Deus pela Liberdade, em So Paulo a Marcha teve como uma de suas lderes a socialite Hebe Camargo. Em 31 de maro de 1964 comeou o Golpe Militar em MG (gal Olmpio Mouro Filho, apoiado pelo governador Magalhes Pinto), que recebeu a adeso de unidades no RS, SP e GB. Em 1 de abril Jango deixou Braslia e rumou para Porto Alegre, onde Brizola, com o apoio da BM, tentou convence-lo inutilmente a resistir, ambos fugiram para o Uruguai. O Golpe Militar no Brasil contou com o apoio dos EUA (Operao Brother Sam).</p> <p>Histria</p> <p>Caetano</p> <p>A DITADURA MILITAR (1964 1985):Com a deposio de Joo Goulart, assumiu a presidncia Ranieri Mazzilli (presidente da Cmara dos Deputados). Em 9/4/1964 foi decretado o AI-1 (Ato Institucional n 1) que estabelecia eleies indiretas para o prximo Presidente da Repblica e dava ao Executivo Federal, durante seis meses, poderes para cassar mandatos, suspender direitos polticos, modificar a constituio e decretar o estado de stio. No dia 10 de abril, pressionado, o Congresso Nacional elegeu o marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, que assumiu a presidncia no dia 15 do mesmo ms. . Estado de stio: suspenso temporria dos direitos e garantias individuais previstos na constituio.Ato Institucional: conjunto de normas superiores, baixadas pelo governo, que se sobrepunham a prpria Constituio Federal.</p>