boletim informativo da paróquia cristo redentor - r.das ...· moradores das comunidades de santo

Download Boletim Informativo da Paróquia Cristo Redentor - R.das ...· moradores das comunidades de Santo

Post on 13-Feb-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Boletim Informativo da Parquia Cristo Redentor - R.das Laranjeiras, 519 - RJ -Tel. 25585179 N 87- Ano VIII

A VOZ DO PROCOPe. Adam Folta,SVD

Veja este boletim e os anteriores na internet: www.cristoredentor-rj.org

OUTUBRO/2011

Quem tem acompanhado os traba-lhos da Igreja percebe a sua preocupao com a dimenso evangelizadora. No po-deria ser diferente. Somos conclamados, todos ns, a assumirmos o novo projeto denominado Misso Permanente ou Mis-so Continental. Ningum pode ficar de fora. Ningum pode se isentar. impor-tante que tenhamos a conscincia mis-sionria, no dia a dia, e que nos sintamos corresponsveis pela salvao dos irmos. Que os santos padroeiros da misso inter-cedam por ns!

Todo ms de outubro , na nossa Igreja Catlica, comemorado como Ms Missionrio. Os pastores da Igreja desta-cam as palavras-chaves que expressam a identidade do cristo atual: ser discpulo missionrio no seguimento radical de Je-sus. O discpulo nasce do encontro fasci-nante com Cristo que o atrai e lhe oferece a possibilidade de viver a vida em pleni-tude. Como desempenhar essa misso de modo concreto na nossa parquia? Ins-creva-se no grupo da Misso Continental. Depois de algumas instrues, iniciam-se as visitas domiciliares. A quem? Aos fami-liares das crianas batizadas na nossa igre-ja, aos assistidos pelos Vicentinos, aos pais das crianas da catequese, e tambm aos moradores das comunidades de Santo An-tnio e de Santa Luzia. A messe grande mas os operrios so poucos.

Ainda em outubro, celebramos a Pa-droeira do povo brasileiro. Mais uma vez, a Comunidade Nossa Senhora Aparecida - na Rua das Laranjeiras, 336 convida-nos no dia 12/10 4 feira para a missa festiva, s 10h. A novena preparatria para a Festa da Padroeira vai ser celebrada em dois ho-rrios: s 18h e s 20h. No dia da Paroeira horrio das 12h s 14h, vamos saborear um delicioso almoo, seguido de outras atividades: palestra ecumnica, desfile de modas e seresta.

Segue o ltimo convite: no dia 29, sbado, no horrio das 9 s 12h, partici-paremos da 2 parte da nossa Assembleia anual. Certamente voc no faltar a esse primordial evento na vida da nossa par-quia.

Santidade e misso, Vocao de todos ns.

Santo Arnaldo Janssen

So Jos Freinademetz

A parquia Cristo Redentor feste-jou o dia 5 de outubro de 2003, quando o papa Joo Paulo II canonizou os padres Arnaldo Janssen e Jos Freinademetz.

Santo Arnaldo Jassen, viveu de 1837 a 1909. Foi sacerdote no difcil per-odo para a Igreja catlica durante o imp-rio alemo. Com a poltica da Kulturkam-pf, implantada pelo chanceler Bismarck, criaram-se leis contra os catlicos. Reli-giosos e sacerdotes foram expulsos e bis-pos, aprisionados. Arnaldo, empenhado nos trabalhos de sua parquia e diocese, sempre foi consciente das necessidades espirituais de outros povos. Preocupava--se com a Misso Universal da Igreja e decidiu dedicar sua vida para despertar a Igreja da Alemanha para suas respon-sabilidades missionrias. Diante das difi-culdades de ao no seu pas, escolheu a cidade holandesa de Steyl, prxima da fronteira, para numa velha casa come-ar a preparao de missionrios. A casa missionria foi inaugurada em setembro de 1875. Em menos de quatro anos, dali partem os dois primeiros missionrios para a China.

Sacerdotes e leigos formam a co-munidade. Para a atuao das mulheres, santo Arnaldo cria duas congregaes, uma de missionrias e outra de contem-plativas.

Santo Arnaldo, corao plenamen-te missionrio, no sai da Europa. Mas ele congrega, ele forma, ele anima aque-les atrados por Deus para a misso.

Noutro ponto da Europa, no norte da atual Itlia, nasceu em 1852, Giuse-ppe Freinademetz. Ainda no seminrio comeou a pensar em dedicar a vida a servio das misses. Dois anos aps a or-denao entrou em contato com o padre Arnaldo Janssen. Em 1878 chega a Steyl e no ano seguinte recebe a cruz missio-nria, sendo um dos dois primeiros mis-sionrios do Verbo Divino a partir para a China. Aps dois anos de preparao em Hong Kong, parte para a provncia de Shantung do Sul. Os primeiro anos foram marcados por duras e longas viagens, as-saltos de bandidos e as dificuldades na formao das pequenas comunidades crists. Logo que uma comunidade co-meava a organizar-se, uma ordem do bispo obrigava-o a deixar tudo e a reco-mear noutro lugar. Sua vida esteve mar-cada pelo desejo de se transformar num chins entre os chineses e nesse esprito escreveu famlia: Eu amo a China e os chineses; eu quero morrer e ser sepul-tado entre eles. Encorajou muitos chi-neses a tornarem-se missionrios entre o seu povo como catequistas, religiosos, irms religiosas e sacerdotes. Faleceu em 1908.

CONTINUA NA PAG 3

SANTA TEREZINHA - 01 DE OUTUBRO

A francesa Marie Franoise Thrse Martin nossa Santa Teresi-nha do Menino Jesus, nasceu no dia 2 de janeiro de 1873, em Alenon. Seus pais se chamavam Louis Mar-tin e Zlie Gurin. Quando nasceu, era muito franzina e doente. Desde o nascimento exigia muitos cuida-dos.

Caula, viu as irms mais velhas, uma a uma, consagrando-se a Deus at chegar sua vez. Mas a vontade de segui-las era tanta que no quis nem es-perar a idade correta. Aos quinze anos, conseguiu permisso para entrar no Carmelo (Ordem das Car-melitas Descalas), em Lisieux com permisso espe-cial concedida pessoalmente pelo papa Leo XIII. Discreta e silenciosa, durante a vida quase no chamou a ateno sobre si. Parecia uma freira comum, sem nada de excepcional. Faleceu em 30 de setembro de 1897, com apenas 24 anos, tuberculosa, depois de passar por terr-veis sofrimentos. Assim viveu Santa Teresinha, desconhe-cida at mesmo das freiras que com ela compartilhavam a clausura do Carmelo. Somente depois de morta seus escritos e seus milagres revelariam ao mundo inteiro a verdadeira envergadura da grande Santa e Mestra da es-piritualidade. A jovem e humilde carmelita que abriu, na espiritualidade catlica, um caminho novo para atingir a santidade (a clebre Pequena Via), foi declarada pelo Papa Joo Paulo II Doutora da Igreja.

O seu itinerrio espiritual - caminho da infncia espiritual - est descrito no seu famoso livro Histria de uma alma, cujo segredo o reconhecimento de nossa pe-quenez diante de Deus: diante do Senhor Deus nosso Pai, devemos assumir uma atitude de criana. Ou seja, amar a simplicidade, confiar sem limites, cultivar a humildade que a verdade, servir de modo desinteressado, viver a pobreza evanglica...

Marca na histria da Igreja uma nova forma de en-tregar-se religiosidade. No lugar do medo do Deus duro e vingador, ela coloca o amor puro e total a Jesus como um fim em si mesmo para toda a existncia eterna.

MARIA DENIZE SANTOS COSTA, diz que o tempo a prpria pessoa que administra. Sua vida domstica, o convvio com o marido, dois filhos e netos, Eduardo e Olvia faz questo de mencionar seus nomes , o lazer e seu trabalho no a impede de ter mo-mentos de dedicao s Pastorais da Igreja.

Moradora na Tijuca at o final de 1989, quando casou, mudou-se para Laranjeiras, passando a Frequentar a Igreja Cristo Redentor.

Professora do ensino fundamental ministrou aulas at o nascimento de sua primognita, ficando um bom perodo se de-dicando apenas sua famlia.

Porm, em face de sua postura ativa, em 1999 aceitou o convite do Padre Sebastio para trabalhar na secretaria da Igre-ja, estreitando seus laos com a comunidade paroquial. Investi-da como Ministro Extraordinrio da Sagrada Comunho, assim permaneceu por nove anos, ajudando na entrega da Eucaristia nas missas e nos domiclios para idosos e doentes impossibilita-dos de irem a Missa. Da foi um passo para as demais atividades Pastorais.

H anos, como membro da Pastoral da Consolao e Espe-rana, participa dos plantes da parquia no Cemitrio So Joo Batista, presidindo celebraes do ritual de encomendao de corpos e oferecendo apoio espiritual a familiares e amigos dos falecidos.

No Crculo Bblico, como membro e 2 Secretria, frequen-ta as reunies realizadas todas as 5 feiras, s 15 horas.

Ajuda na Pastoral do Batismo atendendo na secretaria, participando das reunies internas e eventualmente das pales-tras a pais e padrinho.

Comparece as reunies dos vicentinos, ajudando, quando possvel na arrumao das cestas bsicas distribudas mensal-mente s famlias carentes.

- A participao nas Pastorais gratificante e enriquecedo-ra, afirma. Em nada atrapalha o meu trabalho, lazer e convvio familiar. S acrescenta, diz. Aps tantos anos, s vezes penso em deixar algumas dessas atividades para descansar um pou-co, mas, quando penso na realidade da falta de voluntrios para ajudarem nas Pastorais, permaneo, sempre rezando para que mais pessoas se apresentem.

Este ano Denize aceitou o convite do Padre Adam para voltar ao Ministrio Extraordinrio da Sagrada Comunho, pois, como ainda trabalha na secretaria da Igreja, tem facilidade de estar presente quando de eventuais emergncias de atendimen-to ou mesmo servir nas missas matinais.

Seu marido, Cassal, com frequncia participa das leituras das missas aos sbados tarde, que frequenta em sua compa-nhia.

Sempre que possvel, aps o trabalho, encontra um tem-pinho para estar com seus netos, o que lhe d enorme alegria. a renovao da vida. Com eles a gente tambm se renova, completa.

QUEM NO CONHECE ?DENIZE

A expresso discpulo-missionrio uma forte expres-so do documento de Aparecida fruto da V Conferncia Geral do Episcopado Latino-Amercano e do Caribe (13-31 de maio de 2007). Ela quer relembrar cada batizado sobre seu ser de cristo como discpulo de Jesus e ao mesmo tempo como missionrio.

Ser discpulo de Jesus significa estar com Jesus a fim de conhec-Lo (trata-se de uma experincia existencial) e de aprender dele sobre o que essencial na vida para humanizar e divinizar o ser humano. Ser discpulo de Jesus supe abando-nar o modo de viver vivido at ento (converso) para adot