boletim de greve nº 17

Download Boletim de Greve nº 17

Post on 30-Mar-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Ministério da Saúde aprova o fim da Greve

TRANSCRIPT

  • 17Florianpolis, 31 de agosto de 2012

    nmero

    Ministrio da Sadeaprova o fim da Greve

    Anvisa tem assembleia hoje, dia 31/08

    Sindprevs/SC ganhou liminar contra o corte do ponto

    Em Assembleia conjunta dos servido-res do Ministrio da Sade e da Anvisa realizada em Florianpolis, na tarde do dia 29 de agosto, os servidores do Minis-trio da Sade aprovaram o trmino da Greve, com retorno ao trabalho no dia 30 de agosto. Os servidores avaliaram que a Greve em Santa Catarina seguiu forte e manteve a unidade e que a mobilizao deve continuar e aprovaram manter o Estado de Greve.

    Foi avaliado que a proposta do governo no atendeu as demandas da categoria e que a luta futura deve continuar na busca da tabela j apresentada ao Ministro da Sade, que pede equiparao com a tabela do INSS, discutir a

    Carreira, negociar o ponto eletrnico e as 30 horas. Tambm foi colocada a importncia do Ministrio da Sade, aps um longo perodo, ter voltado a mostrar sua organizao e fora.

    Deliberaes da assembleiapara o Ministrio da Sade:- Rejeitou a proposta e as tabelas apresen-

    tadas pelo governo.- Aprovou que a Fenasps mantenha as ne-

    gociaes com o governo para buscar a tabela j apresentada ao Ministrio da Sade, equipa-rando os valores com a tabela do INSS.

    - Aprovou o fim da Greve com retorno ao trabalho no dia 30 de agosto.

    - Aprovou permanecer em Estado de Gre-ve.

    - Aprovou manter a mobilizao da cate-goria.

    Deliberaes da Anvisa - Rejeitou na ntegra a proposta apresenta-

    da pelo governo.- Aprovou a manuteno da Greve.- Aprovou nova assembleia na sexta-fei-

    ra, dia 31 de agosto, s 13h30min em frente ao prdio do Ministrio da Sade em Flo-rianpolis.

    O Sindprevs/SC parabeniza todos os guerreiros do Ministrio da Sade e da An-visa pela luta e unio da categoria.

    Fonte: Sindprevs/SC

    No dia 28 de agosto, o Juiz Federal Subs-tituto, Digenes Tarcsio Marcelino Tei-xeira, acatou o pedido de liminar ajuizado pelo Sindprevs/SC, atravs do Mandado de Segurana n 5015151-80.2012.404.7200/SC, contra o corte do ponto dos servidores do Ministrio da Sade em greve. O Juiz determina na sua deciso que autorida-de impetrada que se abstenha de efetuar qualquer desconto sobre a remunerao dos servidores pblicos substitudos em razo da participao no movimento grevista em curso, comandando a realizao de folha suplementar de pagamento na hiptese de j ter sido efetivada qualquer medida contrria ordem proferida nesta deciso.

    O processo do Sindprevs/SC defende que qualquer ato administrativo no sentido

    da aplicao do corte do ponto aos grevistas caracteriza flagrante medida coercitiva, des-provida de base legal, devendo ser caracte-rizada como ato voltado exclusivamente a impedir o exerccio de um direito constitu-cional fundamental, demonstrando sua ca-bal ilegalidade.

    A deciso s chegou ao conhecimento da Direo do Sindprevs/SC e do Comando Estadual de Greve aps o trmino da As-sembleia do dia 29 de agosto, quarta-feira. O Sindprevs/SC foi informado pela sua As-sessoria Jurdica que o servio de Gesto de Pessoas do Ncleo Estadual do Ministrio da Sade em Santa Catarina estaria sendo notificado naquele mesmo dia.

    A ntegra da liminar est em www.sind-prevs-sc.org.br, em jurdico.

  • O que o governo apresentou para o Ministrio da Sade

    A Fenasps, depois de cinco reu-nies remarcadas, foi recebida pela segunda vez pelo governo, no dia 28 de agosto. A reunio teve incio s 10h45min, com o governo reafirmando os valores de 15,8% e cobrando da Federao uma contra proposta.

    A Fenasps informou que at aquele momen-to no tinha recebido nenhuma proposta oficial-mente, e que no conhecia os nmeros j que o governo no havia apresentado nem encaminha-do a tabela.

    Depois desta argumentao, a Fenasps rece-beu a tabela na reunio, j negociada e acordada pela Condsef e com o governo, em que todos os valores recaem sobre a Gratificao de Desem-penho, aumentando ainda mais a diferena entre ativos e aposentados.

    A Federao questionou o que se poderia adi-cionar ou mudar na tabela apresentada. O Secre-trio Srgio Mendona informou que no havia mais tempo para mudanas e que teramos de dar uma resposta o mais breve possvel, at a manh do dia 29.

    Os representantes da Federao falaram sobre todas as negociaes realizadas em 2008, em que a Condsef havia negociado uma tabela rebaixa-da para a Carreira do PST (Previdncia, Sade e Trabalho) e que o governo havia se comprome-tido em resgatar os valores e iniciar a equipara-o da Carreira com a Carreira do Seguro Social. Ponderaram ainda que a Secretaria de Recursos Humanos do Ministrio do Planejamento (SRH/MP) havia indicado s entidades que elaboras-sem propostas para 2013 em diante e na Mesa Nacional de Negociao Permanente do Minist-rio da Sade, e que s aceitaria a proposta oriun-da desta Mesa e assinada pelas trs entidades e referendada pelo Ministro da Sade.

    Em maro deste ano, o Ministro da Sade en-caminhou o Aviso Ministerial n 005/2012 para a Ministra do Planejamento, assim acreditvamos que o compromisso firmado seria mantido para atender a expectativa dos servidores. A Fenasps falou do descontentamento ao ser informada de que a Condsef havia encaminhado uma outra proposta, diferente da acordada pelas entidades e referendada pelo Ministro, sem discutir com toda a base, e quando o aviso foi devolvido para o Mi-nistrio da Sade os servidores entenderam que no havia outra sada seno a Greve.

    A Fenasps disse que j protocolou no Mi-nistrio do Planejamento um Plano de Car-reira para os servidores da Seguridade Social e pautas reivindicatrias em que reafirmam a luta dos trabalhadores por Plano de Carreira, com paridade, reestruturao da tabela, con-dies de trabalho, regulamentao das 30 horas entre outros pontos, alm da pauta de

    reivindicaes do Seguro Social.A Fenasps falou sobre a indignao pela ma-

    neira como o governo tem tratado a Federao nesta negociao, que a Fenasps teve um trata-mento diferenciado das demais entidades, as quais o governo apresentou e discutiu uma pro-posta, mas a Federao no teve possibilidade de intervir em prol dos interesses da categoria. O governo imps uma tabela sem condies da Fenasps poder negociar. Mas, a Condsef foi privilegiada e discutiu a Carreira PST juntando as Carreiras do PGPE e fazendo com que os ser-vidores da Sade, que antes eram uma folha em torno de 200 mil, agora faam parte de uma folha de 510 mil servidores.

    A Fenasps ponderou que os valores acresci-dos na tabela no atendem aos anseios da cate-goria e que ao juntar a Carreira da Seguridade com a da PGPE o governo est distanciando a categoria da CPST e do Seguro Social ainda mais e que esta poltica, alm de aumentar os valores de gratificao, no contempla a paridade entre ativos, aposentados e pensionistas.

    A Federao afirmou que contrria Ava-liao de Desempenho da maneira que est co-locada e que a implementao dos valores na GDPST vai aumentar ainda mais o assdio sobre os servidores e cria uma insegurana muito gran-de, sendo que em 2015 a gratificao ser 100%

    do vencimento bsico.Os dirigentes sindicais tambm falaram que

    os servidores cedidos sofrem assdio na Avalia-o de Desempenho, como j havia sido informa-do anteriormente. Foi lembrado que o Ministrio da Sade encaminhou o Aviso n. 553/GM/MS buscando alterao na Lei 11.784 contemplando os 100 pontos para todos. O governo informou que dever fazer uma agenda com o Ministrio da Sade para discutir as questes relacionadas a condies de trabalho.

    O governo informou ainda que est estu-dando o reajuste do auxlio alimentao de R$ 304,00 para R$ 373,00 e um acrscimo de 20% em mdia da per capta do Ministrio da Sade, referente aos planos de sade e ampliando para

    nove as faixas etrias nos planos, com o objetivo de repassar um valor maior para quem ganha me-nos e tem mais idade, gerando um impacto de R$ 800 bilhes no oramento do governo.

    Foi informado ainda que a preocupao da Casa Civil est no setor da Educao e que a Sade no foi prioridade para o governo, e que o reajuste linear para todos os servidores pblicos federais do Executivo.

    Os representantes da Fenasps questionaram novamente se o valor de 15,8%, apresentado pelo governo, poderia ser utilizado de outra forma e o governo novamente disse que isso seria possvel se existisse um tempo maior para negociar.

    Ao ser questionado sobre o acordo, o gover-no informou que so dois acordos diferenciados para as entidades assinarem:

    - O primeiro Acordo econmico - tabela apresentada pelo governo e aceita pela Condsef e Cntss no valor de 15,8% na folha do Ministrio da Sade e com recebimento no perodo dos trs anos 2013 a 2015 abaixo discriminados:

    Aposentados: NS= 166,66NI= 155,00NA = 105,00Servidores Ativos:NS = 1.000,00NI = 930,00NA = 630,00- Segundo Acordo: referente ao corte do pon-

    to. Este acordo, segundo o governo, no est amarrado ao econmico, e poder ser negociada a forma de repor os dias de greve, com ressarci-mento de duas parcelas a partir do dia 5/9, aps a assinatura do mesmo com o fim da greve.

    INSSO governo apresentou a seguinte proposta:

    15,8% dividido em trs anos 2013 a 2015 de 20% do VB e 80% na Gratificao de desempe-nho conforme tabela em anexo. Os representan-tes da Fenasps avaliaram preliminarmente que a proposta no contempla a categoria de modo geral, principalmente em relao paridade entre ativos e aposentados.

    O Comando Nacional de Negociao avaliou que foram esgotadas todas as possibilidades para buscar uma negociao e que o governo tratou de forma desrespeitosa a Fenasps que hoje a entidade que faz o enfrentamento em defesa dos diretos da categoria.

    Desta forma, o CNG orienta aos sindicatos estaduais os seguinte encaminhamentos:

    - Discusso das tabelas encaminhadas; - Assembleias estaduais at sexta-feira; e- Encaminhar ao CNG as deliberaes das

    assembleias estaduais sobre a greve, bem