boletim da adunirio n.17

Download Boletim da Adunirio n.17

Post on 28-Jul-2016

215 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • Boletim no 17| 28 de abril de 2016

    Boletim daADUNIRIO

    Seo Sindical do

    ADUNIRIOEleies para o Andes-SN e para o Conselho Fiscal da Adunirio acontecem em maio

    Minuta sobre laboratrios e ncleos recebe inmeras crticas

    Docentes se mobilizam contra Projeto de Lei 257/2016

    pg 5, 6 e 7

    pg 4pg 3

    A votao que ir decidir sobre a prxima diretoria do Andes-SN e sobre o Conselho Fiscal da Adunirio ser realizada nos dias 10 e 11 de maio.

  • Diretoria: Presidente: rodrigo Castelo | Vice-Presidente: Leonardo Vilela de Castro | Secretrio Geral: rodrigo Vilani| 1 Secretria: Giselle Souza | 2 Secretrio: igor Silva Gak | 1 tesoureira: elizabeth Sara Lewis | 2 tesoureira: andra thees ConSeLho FiSCaL titulares: Willian G. Soares, Dayse Martins hora, enedina Soares | Suplentes: ris a. Cerqueira, Viviane narvaes ConSeLho De rePreSentanteS: Carla Daniel Sartor, Carlo romani, Jos Damiro, Fbio Simas, Marcelo Carneiro de Lima aDMiniStratiVo: Claudinea Castro CoMUniCao: Bruno Marinoni

    Boletim da adunirio no 17 | 28 de abril de 2016

    ndice

    preciso estar atentos e fortespgina 2

    Docentes se mobilizam contra Projeto de Lei 257/2016 que retira direitos dos

    servidorespgina 3

    61 Conad acontece em roraima

    pgina 4

    II Encontro Nacional de Educao (ENE) abre inscriespgina 4

    andes-Sn lana cartilha sobre o Projeto do Capital para a educao

    pgina 4

    Minuta sobre laboratrios e ncleos recebe inmeras crticas

    pgina 4

    Votao para o Conselho Fiscal da Adunirio acontece nos dias 10 e 11 de maio

    pgina 5

    Professores da Unirio participam da eleio para diretoria do Andes-SN (2016-2018)

    pgina 5

    entrevistas: eleies andes-Snpgina 6 e 7

    Caminhos bloqueados - IIIpgina 8

    Demolir para no dialogarpgina 8

    2

    O golpe contra a presidenta, operado pelas classes dominantes que querem uma direita puro sangue no comando do Executivo, atingiu o seu ponto mximo no dia 17 de abril. Naquele domingo, todo o dio, preconceito e misoginia se materializou na casa legislativa, onde ilustres desconhecidos clamavam pelo impeachment em nome de Deus e da famlia. S faltou a referncia explcita propriedade privada...Sabemos que o impeachment de Dilma nunca foi promessa de mudana para melhor, mas sim de aprofundamento dos cortes nos gastos pblicos, dos ajustes fiscais, da represso e da crise. O legado desses 13 anos de PT no poder, porm, colocou a esquerda em uma encruzilhada. Apesar da compreenso de que o golpe intensifica a ofensiva da direita contra os trabalhadores, as contrarreformas operadas pelo petismo continuam subtraindo direitos conquistados pelo povo com muita luta. Alm disso, parte do resultado do projeto de conciliao de classes foi a desmobilizao das bases que haviam acumulado fora ao redor da estratgia democrtico-popular, que hoje se encontra nos seus ltimos suspiros.O PSDB nos deixou um legado de privatizaes diretas ou por meio das organizaes sociais (OSs), alm da primeira rodada da contrarreforma da Previdncia. Lula e Dilma aprofundaram essa contrarreforma com medidas como a taxao dos inativos e a criao do Funpresp, alm de ter leiloado o patrimnio pblico sob o discurso das concesses e criado mecanismos no

    clssicos de privatizao, como o caso da Ebserh, que escancara as portas dos hospitais pblicos ao mercado sem entregar diretamente a gesto da empresa pblica. Para completar, a Lei Antiterrorismo de autoria do governo Dilma, um mecanismo legal de forte represso que ser usado contra os movimentos sociais nas lutas anunciadas para os prximos anos. A herana maldita s cresceu.Caso o impeachment se concretize e se instale um governo do PMDB, vislumbramos a possibilidade de que nem mesmo as poucas conquistas arrancadas do governo Dilma na greve de 2015 estejam garantidas, como o caso do reajuste de 5,5% previsto para agosto deste ano. No nos surpreenderia, pois a recente experincia com os governos do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro nos provam que o PMDB no tem nenhum melindre em cortar o pagamento dos funcionrios pblicos e dos aposentados.Entendemos que precisamos permanecer atentos e fortes e intensificar a mobilizao. O primeiro passo nesta direo termos uma massiva votao na chapa para a direo nacional do Andes-SN, sindicato que tem se mostrado combativo na perspectiva da defesa de uma educao pblica e democrtica. No plano mais geral, precisamos avanar na construo de um projeto unificado de esquerda, pois uma sada pela esquerda s ser possvel se estivermos prontos para enfrentar a onda reacionria e, ao mesmo tempo, o governismo que vacila diante da fuga dos aliados fisiolgicos que cultivou ao longo desses anos todos.

    preciso estar atentos e fortesEditorial

  • Boletim da adunirio no 17 | 28 de abril de 2016 3

    Docentes se mobilizam contra Projeto de Lei 257/2016 que retira direitos dos servidoresDocentes federais de 25 sees sindicais do Andes-SN presentes na reunio do Setor das Instituies Federais de Ensino (Setor das Ifes) definiram aes e mobilizaes para o perodo de 25 a 29 de abril contra o Projeto de Lei Complementar (PL) 257/2016, de autoria do Governo Federal. A proposta ataca frontalmente os direitos dos trabalhadores e tramita em regime de urgncia na Cmara. A data de 25 de abril foi escolhida para marcar um dia nacional de lutas contra o PL 257/2016, no qual foram feitas atividades nas Ifes, assim como nas Instituies Estaduais de Ensino (Iees) e Instituies Municipais de Ensino (Imes), e se pressionou parlamentares nos estados para votarem contra o PL.O projeto, entre outras medidas, prev a suspenso dos concursos pblicos, o congelamento de salrios, o no pagamento de progresses e outras vantagens (como

    gratificaes), a destruio da previdncia social e a reviso dos Regimes Jurdicos dos Servidores. O PL faz parte do pacote de ajuste fiscal iniciado pelo governo, no final de 2014.A proposta foi anunciada pelos ministrios da Fazenda e Planejamento como um pacote de medidas voltadas para a conteno de gastos pblicos e no dia 22 de maro chegou Cmara dos Deputados na forma de projeto de lei. Alm do possvel congelamento salarial, a matria prev corte de at 30% em despesas com benefcios pagos a servidores e programas de demisso incentivadas para atingir eventuais metas fiscais que estejam sob risco de no serem alcanadas.Fizemos uma avaliao do plano de lutas do setor, do PL 257 e tiramos alguns encaminhamentos. O Setor das Federais diante, sobretudo, do PL definiu como ao prioritria uma grande mobilizao na

    ltima semana do ms de abril para barrar esse projeto de lei que possibilita a retirada de direitos dos servidores federais, estaduais e municipais, disse Paulo Rizzo, presidente do Andes-SN.A Comisso Nacional de Mobilizao far um trabalho integrado com a diretoria do Andes-SN, de conversas com deputados federais e senadores. Mas, o trabalho principal tem que ser feito na base pelas sees sindicais, em conjunto com as regionais do Sindicato para que os docentes se articulem e fortaleam os fruns locais dos servidores pblicos federais, estaduais e municipais, bem como demais setores dos trabalhadores, para dar visibilidade precarizao do servio pblico e construir juntos aes de enfrentamento ao projeto, esclareceu Paulo Rizzo.*Com informaes do Andes-SN e do Portal do Servidor Federal

    Charges

  • Boletim da adunirio no 17 | 28 de abril de 20164

    Elaborada pelo Grupo de Trabalho de Poltica Educacional (GTPE) do Andes-SN, a cartilha Projeto do Capital para a Educao foi lanada em maro de 2016. O texto se divide em trs partes e tem por objetivo fazer uma anlise crtica e apresentar a posio do Sindicato Nacional sobre propostas de lei que se encontram no Congresso Nacional. Na primeira parte da cartilha, discute-se a quem interessa a armadilha da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Nas palavras do texto, tal medida resultar, se adotada, muito mais em um treinamento para a resoluo de certas questes e situaes-problema do que em um caminho formativo efetivo. A segunda parte dedicada ao projeto conhecido como Escola sem partido. O projeto de lei possui uma forte perspectiva conservadora e fere liberdades fundamentais ao exerccio da docncia e da cidadania. No mbito da organizao do trabalho pedaggico, o PL limita as possibilidades de construo da proposta coletiva da escola, cuja finalidade deve contemplar as dimenses poltica e pedaggica (Projeto Poltico

    Pedaggico). O veto transversalidade que os projetos propem mata/aniquila todas as chances de que temas no ligados ao contedo tcnico de cada matria sejam trabalhados em sala. Aparentemente, temas como tica, sade, orientao sexual e pluralidade cultural no so pertinentes para a educao escolar, diz a cartilha.Por fim, o texto trata da Proposta de Emenda Constituio n 10/2014. De acordo com a cartilha do Andes-SN, a PEC prope a reestruturao da Educao na forma de um Sistema nico de Educao Superior Pblica afinado com o conjunto de polticas regressivas de contrarreforma do Estado que esto em curso, usurpando uma reivindicao histrica do movimento por um sistema nacional de educao. O texto completo pode ser acessado clicando no link Projeto do Capital para a Educao.O GTPE possui tambm uma sesso local na Unirio e se rene periodicamente. Os interessados em participar devem procurar o professor Leonardo Castro, membro da diretoria da Adunirio.

    Andes-SN lana cartilha sobre o Projeto do Capital para a Educao

    Minuta sobre laboratrios e ncleos recebe inmeras crticasA reitoria encaminhou uma minuta para a sesso do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extenso (Consepe) marcada para o dia 11 de abril com o objetivo estabelecer uma nova poltica para os laboratrios e ncleos da Unirio. Diante da ausncia do qurum, a apreciao do texto no foi votada e atendendo ao apelo dos conselheiros o reitor Jutuca se comprometeu publicamente a no encaminh-la ad referendum (ao contrrio do que se tornou uma prti