boletim climatolأ³gico ... anomalia de +0.29 آ°c. o valor mأ©dio da temperatura mأ،xima do...

Download Boletim Climatolأ³gico ... anomalia de +0.29 آ°C. O valor mأ©dio da temperatura mأ،xima do ar foi superior

Post on 04-Aug-2020

0 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Boletim Climatológico

    Mensal

    Portugal Continental

    Abril de 2013

    CONTEÚDOS

    Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela – Resumo mensal

    2 2 5 7 8

    http://www.ipma.pt

    Figura 1 - Imagem NOAA PIBERICA, canal visível das 09:19UTC do dia 2 de Maio, onde é visível a neve que ocorreu no dia 29 de Abril (circulo a vermelho).

    ISSN 2183-1076

  • BOLETIM CLIMATOLÓGICO MENSAL – abril de 2013

    Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 1|10

    Resumo

    VALORES EXTREMOS – ABRIL 2013

    Menor valor da temperatura mínima - 4.8 °C em Penhas Douradas, dia 6

    Maior valor da temperatura máxima 30.7 °C em Alcácer do Sal, dia 26

    Maior valor da quantidade de precipitação em 24h 84.4 mm em Vila Nova de Cerveira, dia 11

    Maior valor da intensidade máxima do vento (rajada) 114.8 km/h em Cabo da Roca, dia 27

    Abril 2013 - Desvios em relação à média

    Temperatura média do ar Precipitação total

    O mês de abril de 2013 em Portugal Continental caracterizou-se por valores da temperatura média do ar acima do valor normal e valores da quantidade de precipitação inferiores ao normal. O valor médio da temperatura média do ar em abril, 13.45 °C, foi superior ao valor normal com uma anomalia de +0.29 °C. O valor médio da temperatura máxima do ar foi superior ao valor médio do ar em +0.70 °C e o valor médio da temperatura mínima foi inferior em -0.11 °C. Entre os dias 20 e 26 ocorreu um período quente, com temperaturas acima dos 25 °C em grande parte do território e em particular na região Sul. A partir do dia 27, devido ao transporte de ar frio (Ar Polar) da Península Escandinava para o Continente, registou-se uma descida acentuada dos valores de temperatura máxima do ar. O valor médio da quantidade de precipitação no mês de abril foi de 67.2 mm, -11.7 mm em relação à média, classificando-se o mês como normal a seco em quase todo o território, exceto nalguns locais do interior Norte e Centro onde foi chuvoso. Nos últimos dias do mês verificou-se queda de neve acima dos 900 metros em alguns locais de Trás-os- Montes e Beira Interior e o vento foi forte e com rajadas superiores a 80 km/h no litoral oeste e nas terras altas.

  • BOLETIM CLIMATOLÓGICO MENSAL – abril de 2013

    Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 2|10

    SITUAÇÃO SINÓPTICA

    Tabela 1 - Resumo Sinóptico Mensal

    Dias Regime Tempo

    1 a 11 Corrente perturbada de oeste com ondulações frontais associadas: Tempo chuvoso

    12 a 17 Crista anticiclónica no sul da Península Ibérica e passagem de superfícies frontais frias de fraca atividade: Tempo húmido com precipitação fraca

    18 a 25 Anticiclone a nordeste dos açores e corrente de leste no Continente: Tempo seco

    26 a 30 Depressão de cut-off e massa de ar polar: Tempo frio com precipitação fraca e neve

    O estado do tempo, em Portugal Continental, até ao dia 11 de abril, continuou a ser influenciado por uma corrente perturbada de oeste com desenvolvimento de regiões depressionárias no Atlântico a norte dos Açores e à qual se associavam perturbações frontais que, no seu deslocamento para leste, atingiam o Território do Continente. Durante este período e, em especial, entre 2 e 7, as condições meteorológicas predominantes foram: céu muito nublado com ocorrência de precipitação, em especial nas regiões do Norte e Centro, vento do quadrante oeste em geral moderado, por vezes forte nas terras altas, e ocorrência de neblinas ou nevoeiros matinais. Nos dias 3 e 4, devido à influência de uma depressão frontal centrada a oeste da costa ocidental portuguesa, registou-se precipitação, por vezes forte, em especial na Estremadura que originou inundações em alguns locais dos concelhos de Oeiras e Amadora. Nos dias 5 e 6, houve queda de neve nas terras altas acima dos 1400 metros e descida da temperatura com formação de geada. A partir do dia 12 e até ao dia 17, um anticiclone, pouco intenso, localizado na região da Madeira, começou, gradualmente, a estender-se para leste, vindo a influenciar o Continente, em especial a região Sul, onde o céu esteve em geral pouco nublado. As regiões do Norte e Centro, em especial a região Norte, tiveram, por vezes, a passagem de superfícies frontais frias de fraca atividade que originaram ocorrência de precipitação fraca e céu temporariamente muito nublado e ocorreram neblinas ou nevoeiros matinais, em especial no litoral. No dia 18 e até ao dia 25, o estabelecimento de um anticiclone a nordeste dos Açores e o seu deslocamento gradual para leste, originou subida da temperatura, céu pouco nublado ou limpo e vento predominante de nordeste fraco ou moderado, temporariamente forte nas terras altas. No litoral oeste o vento predominou de noroeste, soprando por vezes forte nos dias 18, 21 e 22. A partir dos dias 26 e 27, o transporte de ar frio - Ar Polar, da Península Escandinava para o Continente e uma depressão de cut-off centrada em Espanha, originaram descida acentuada da temperatura, céu nublado, ocorrência de precipitação, em geral fraca, e em especial nas regiões do interior. Houve queda de neve acima dos 900 metros em alguns locais de Trás-os-Montes e Beira Interior, tendo sido interrompido o acesso à Torre, na serra da Estrela, no dia 29. O vento soprou de norte moderado e, nos dias 27 e 28, foi forte e com rajadas da ordem de 80 km/h no litoral oeste e nas terras altas.

    TEMPERATURA DO AR

    Na Figura 2 apresenta-se a distribuição espacial dos valores médios da temperatura média do ar e das anomalias da temperatura média, máxima e mínima.

    Os valores médios mensais da temperatura média do ar variaram entre 6.9 °C em Penhas Douradas e 16.7 °C em Faro e os desvios em relação à normal variaram entre 0.0 °C em Sines/Cabo e +1.2 °C em

  • BOLETIM CLIMATOLÓGICO MENSAL – abril de 2013

    Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 3|10

    Faro. Os desvios da temperatura máxima variaram entre 0.0 °C em Sines e 2.1 °C em Évora/Cidade e da temperatura mínima entre -0.6 °C em Mértola e +1.6 °C em Faro.

    Figura 2 - Distribuição espacial dos valores médios da temperatura do ar: temperatura média e anomalias (em cima); anomalias da temperatura máxima e mínima (em baixo)

  • BOLETIM CLIMATOLÓGICO MENSAL – abril de 2013

    Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 4|10

    A partir do dia 27 registou-se uma descida acentuada dos valores de temperatura do ar. No dia 27 a temperatura mínima diminui significativamente, pelo que, se observaram, nas regiões do interior,

    amplitudes térmicas muito elevadas, superiores a 15 °C (figura 3a). A descida da temperatura máxima entre o dia 27 e 28 foi muito acentuada, verificando-se em alguns locais do interior Norte e

    Centro diferenças superiores a 10 °C (figura 3b).

    Figura 3 - Distribuição da amplitude térmica diária no dia 27 abril (a) e diferença entre a temperatura máxima

    nos dias 27 e 28 (b)

    Número de dias com Tmax ≥≥≥≥ 25 °C Entre os dias 20 e 26 de Abril, verificou-se um período quente, com ocorrência de valores da temperatura máxima igual ou superior a 25 °C em grande parte do território. O número de

    dias com temperatura máxima ≥ 25 °C foi superior ao valor médio. As estações que registaram maior número de dias foram Alcácer do Sal com 12, Pinhão, Alvega e Amareleja com 11 dias (Figura 4). Figura 4 – Número de dias com temperatura máxima do ar igual ou superior a 25 °C

    a) b)

  • BOLETIM CLIMATOLÓGICO MENSAL – abril de 2013

    Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 5|10

    PRECIPITAÇÃO Na Figura 5 apresenta-se a distribuição espacial dos valores da quantidade de precipitação em abril. Os totais mensais de precipitação foram inferiores ao valor normal, exceto na região Norte e em parte da região centro, classificando-se o mês como normal a seco em quase todo o território, exceto naquelas regiões onde foi chuvoso. Os totais mensais variaram entre 20.8 mm em Portimão e 198.3 mm em Cabril.

    Figura 5 – Distribuição espacial da precipitação total e respetiva percentagem em relação à média

    Precipitação acumulada no ano hidrológico (desde outubro de 2012)

    Os valores da quantidade de precipitação acumulada no período de 1 de outubro 2012 a 30 de abril de 2013 são, em geral, superiores aos valores médios e variam entre 100% e 200% (Figura 6). Os valores acumulados variam entre 430 mm em Mirandela e 2048 mm em Cabril.

  • BOLETIM CLIMATOLÓGICO MENSAL – abril de 2013

    Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 6|10

    Figura 6 - Precipitação acumulada desde 1 de outubro 2012 e percentagem em relação à média

    Índice de Seca – PDSI

    Em 30 de abril de 2013 e segundo o índice meteorológico de seca PDSI1 (Tabela 3 e Figura 7), não existe seca meteorológica, encontrando-se todo o território nas classes de chuva fraca a severa.

    Tabela 2 – Classes do índice PDSI - Percentagem do

    território afetado

    Classes PDSI 30 abril 2013

    Chuva extrema 0

    chuva severa 24

    c

Recommended

View more >