Biologia - Aula 15 - Transpiração nos vegetais

Download Biologia - Aula 15 - Transpiração nos vegetais

Post on 06-Jun-2015

14.080 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Aula 15 Transpirao nos vegetaisTranspirao o processo em que as plantas perdem gua sob forma de vapor. A folha o principal rgo responsvel pela transpirao vegetal; mas outros rgos como flor, caule e fruto tambm transpiram. A transpirao total das plantas realizada pelos estmatos (processo fisiolgico) e pela cutcula (fenmeno fsico).

Folha vista frontal da epiderme

Corte transversal da folha Transpirao total Transpirao estomatar Transpirao cuticular

=

+

Transpirao estomatarA transpirao estomatar realizada pelos estmatos e regulada por um fenda, denominada ostolo, delimitada por duas clulasguarda (ou clula estomtica) clorofiladas. Atravs do ostlo, a planta realiza as trocas gasosas com o meio ambiente.

Transpirao cuticularA transpirao cuticular um processo fsico de evaporao, sem o controle da planta. A cutcula de natureza lipdica recobre a epiderme, protegendo-a.

Cutcula

Plantas hidrfilas as delgada

Plantas xerfilas espessa

As plantas higrfilas vivem em ambiente mido, apresentando uma cutcula delgada, folhas moles e grandes; tais folhas no precisam economizar gua. As plantas xerfilas so adaptadas ao ambiente seco, elas apresentam, em geral, folhas pequenas, duras e a cutcula espessa, garantindo planta uma boa economia hdrica. As vezes as folhas ficam reduzidas a pequenas escamas ou se transformam em espinhos, como nas cactceas.

Planta xerfila

Planta hidrfila

Fatores que influem na transpirao Externos

Internos Superfcie de evaporao Espessura da cutcula Grau de abertura dos estmatos plos

Temperatura Unidade do solo Umidade do ar Ventilao Luz

Para constatao da transpirao, pode ser feito um experimento: colocando-se uma folha recm-retirada em uma balana sensvel, percebemos que ela apresenta reduo de massa ao longo do tempo, devido a perda de gua na transpirao. Abaixo, os resultados representados em um grfico:

Mtodo do PotmetroO potmetro um recipiente cheio de gua em que colocado um ramo com folhas, passando-o por uma tampa vedada. Dele sai um tubo graduado cheio de gua. Levantando-se um pouco essa extremidade, aprisionamos no tubo uma bolha de ar. Com o passar do tempo, o nvel do lquido no tubo graduado diminui, demonstrando que a gua do recipiente foi absorvido e conduzida pelo xilema at as folhas do ramo.

Mecanismo de abertura e fechamento dos estmatos:Fotoativo luz Hidroativo gua

A abertura e o fechamento dos estmatos esto relacionados com o grau de turgescncia das clulasguarda.

Mecanismo hidroativoGanho de gua Fechamento ------------------- Abertura do do ostolo ------------------ ostolo perda de gua Quando uma planta dispe de pouca gua, suas folhas murcham e os estmatos fecham-se. Ao receber gua, as clulasguarda tornam-se trgidas e ocorre a abertura do estmatos.

Mecanismo fotoativoEm presena de luz, a clulaguarda realiza a fotossntese, diminuindo a concentrao de CO2 (H2CO3); tornando o meio alcalino, em conseqncia, a enzima fosforilase transforma o amido, acar insolvel, em glicose, acar solvel, aumentando a concentrao das clulasguarda. As clulasguarda, devido a alta concentrao osmtica, recebem gua das clulas vizinhas (baixa concentrao osmtica), ocorrendo abertura do ostolo. Na ausncia da luz, as clulasguarda eliminam o CO2 durante a respirao, tornando o meio cido. A enzima fosforilase transforma a glicose em amido. Diminui a presso osmtica, ocorrendo o fechamento do ostolo.

Fatores Intensidade da luz Concentrao de CO2 no mesfilo Disponibilidade de gua Grande Pequena Grande Pequena Grande Pequena

Estmatos Abertura + + + + + + Fechamento

As plantas de regies ridas abrem os seus estmatos somente noite, quando a temperatura ambiente mais baixa e a transpirao reduzida.

Exerccios1) (Unesp) Considere os seguintes esquemas do estmato.

As situaes A e B esto relacionadas com os seguintes fenmenos: alta (I) Intensidade da luz baixa (II) alta (III) Concentrao de CO2 baixa (IV)

alto (V) Suprimento de gua baixo (VI) Para ocorrer a situao A, so necessrios a) I, IV, V. b) I, III e V. c) I, IV e VI. d) II, IV e VI. e) II, III e V.

2) (Unesp) O grfico que melhor representa a variao na abertura dos estmatos (x) em funo da concentrao de CO2 (y) :

3) Os esquemas abaixo representam detalhes da epiderme de duas folhas, designadas por I e II.

Com relao anlise dos esquema, pode-se dizer que: a) em I, as clulas estomticas apresentam menor suprimento hdrico que em II. b) em I, as clulas estomticas apresentam maior suprimento hdrico que em II. c) em I, as clulas estomticas esto trgidas. d) em II, as clulas estomticas esto murcha. e) em I e II, as clulas estomticas devem apresentar o mesmo suprimento hdrico.

4) (FUVEST) Uma folha recmtirada de uma planta foi pesada a intervalos de 5 minutos, e verificou-se que seu peso foi diminuindo. Cada ponto do grfico abaixo representa a perda de peso entre duas pesagens consecutivas.

a) Por que a folha perde peso? b) Como se explica a mudana de comportamento da curva a partir do ponto indicado pela seta? 5) (FUVEST) As xerfitas so plantas adaptadas a ambientes secos. Todas as alternativas apresentam caractersticas desse tipo de planta, exceto: a) aumento do nmero de estmatos com processo de fechamento lento. b) tecidos e rgos adaptados para armazenamento da gua. c) folhas pequenas ou reduzidas a espinhos. d) produo de ceras para reduzir a transpirao. e) sistemas radiculares extensos para facilitar a absoro.

Resoluo de exerccioResposta do exerccio 1: A Resposta do exerccio 2: A Resposta do exerccio 3: A Resposta do exerccio 4: a) Devido a transpirao cuticular e estomatar. b) Os estmatos esto fechados e a planta continua a perder gua pela cutcula. Resposta do exerccio 5: A