biografia de luis vaz de camões

10
BIOGRAFIA DE LUIS VAZ DE CAMÕES Trabalho realizado por: Mailyne Vieira Número: 12 Turma: 11ºPtas

Upload: tatiana-raquel

Post on 21-Jan-2017

30 views

Category:

Art & Photos


5 download

TRANSCRIPT

Page 1: Biografia de luis vaz de camões

BIOGRAFIA DE LUIS VAZ DE CAMÕES

Trabalho realizado por: Mailyne VieiraNúmero: 12

Turma: 11ºPtas

Page 2: Biografia de luis vaz de camões

ÍNDICE

• Biografia

• Principais características da poesia Camoniana

• Análise de um poema de Camões

• O meu poema

• Vilancete e cantiga

Page 3: Biografia de luis vaz de camões

BIOGRAFIA• Luís Vaz de Camões nasceu em 1524 e morreu em 1580. Foi um grande poeta português, autor

do poema "Os Lusíadas", uma das obras mais importantes da literatura portuguesa, que celebra os feitos marítimos e guerreiros de Portugal. É o maior representante do Classicismo português.

• Nasceu aparentemente em Lisboa, não se sabe o local exato nem o ano de seu nascimento, supõe-se por volta de 1524. Filho de Simão Vaz de Camões e de Ana de Sá Macedo, foi para o Exército da Coroa de Portugal em 1547, embarcou como soldado para a África, onde participou na guerra contra os Celtas e Marrocos, e em combate perdeu o seu olho direito. Em 1552, de volta a Lisboa frequentou tanto serões da nobreza como as noitadas populares. Numa briga, feriu um funcionário real e acabou por ir preso.

• Embarcou para a Índia em 1553, onde participou de várias expedições militares. Em 1556, foi para a China, também em várias expedições. Em 1570, voltou para Lisboa, já com os manuscritos do poema "Os Lusíadas", que foi publicado em 1572, com a ajuda do rei D. Sebastião.

Page 4: Biografia de luis vaz de camões

CONTINUAÇÃO…

• O grande amor de Camões foi a jovem chinesa chamada Dinamene, que morreu afogada em um naufrágio. Diz a lenda que Camões conseguiu salvar o manuscrito de “Os Lusíadas”, segurando com uma das mãos e nadando com a outra.

• Depois da morte da sua amada, Camões escreveu vários sonetos lamentando a sua morte sendo o mais famoso “A Saudade do Ser Amado”. Camões deixou além de “Os Lusíadas”, um conjunto de poesias líricas, entre elas “Os Efeitos Contraditórios do Amor” e “O Desconcerto do Mundo”. E as comédias “El-Rei Seleuco”, “Filodemo” e “Anfitriões”.Camões morreu em Lisboa, Portugal, no dia 10 de Junho 1580, em absoluta pobreza.

Page 5: Biografia de luis vaz de camões

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA POESIA CAMONIANA

• Lírica CamonianaNa lírica camoniana coexiste a poética tradicional e o estilo renascentista.

• Caraterísticas da corrente tradicionalAs formas poéticas tradicionais: cantigas, vilancetes, esparsas, endechas, trovas...Uso da medida velha: redondilha menor e maior.Temas tradicionais e populares; a menina que vai à fonte; o verde dos campos e dos olhos; o amor simples e natural; a saudade e o sofrimento; a dor e a mágoa; o ambiente cortesão com as suas “cousas de folgar” e as futilidades; a exaltação da beleza de uma mulher de condição servil, de olhos pretos e morena (a “Barbara, escrava”); a infelicidade presente e a felicidade passada.

Page 6: Biografia de luis vaz de camões

CONTINUAÇÃO…

• Características da corrente renascentistaO estilo novo: soneto, canção, écloga, ode, entre outros.Medida nova: decassílabos.O amor surge, à maneira petrarquista, como fonte de contradições, entre a vida e a morte, a água e o fogo, a esperança e o desengano;A concepção da mulher, outro tema essencial da lírica camoniana, em íntima ligação com a temática amorosa e com o tratamento dado à Natureza (“locus amenus”), oscila igualmente entre o pólo platónico (ideal de beleza física, espelho da beleza interior), representado pelo modelo de Laura e o modelo renascentista de Vénus.

Page 7: Biografia de luis vaz de camões

ANÁLISE DE UM POEMA DE CAMÕES

• O poema que passaremos a analisar divide-se em 2 partes:Mote: descreve a ação geral realizada por Leonor, a sua amada.Volta: o poeta anda em volta do assunto tratado no mote. Na volta o sujeito poético faz a descrição da figura feminina tratada no mote, descrevendo tanto a beleza física e psicológica da sua amada demonstrando assim o fascínio que ela exerce nele.

“Descalça vai para a fonte

Leonor pela verdura;

Vai formosa e não segura.

 

Leva na cabeça o pote,

O texto nas mãos de prata,

Cinta de fina escarlata.

Sainho de chamalote;

Traz a vasquinha de cote.

Mais branca que a neve pura;

Vai formosa e não segura.

 

Descobre a touca a garganta,

Cabelos de ouro o trançado,

Fita de cor de encarnado,

Tão linda que o mundo espanta;

Chove nela graça tanta

Que dá graça a formosura;

Vai formosa e não segura.”

Page 8: Biografia de luis vaz de camões

O MEU POEMA

Page 9: Biografia de luis vaz de camões

VILANCETE E CANTIGA• Vilancete era uma forma poética comum na Península Ibérica, na época da Renascença.

Os vilancetes podiam também ser adaptados para música. Este tipo de poema tem um mote, o início do poema que, na música, funciona como refrão, seguido de uma ou mais estrofes. Cada uma com 7 versos.Cada verso de um vilancete está normalmente dividido em cinco ou sete sílabas métricas ("medida velha").Se o último verso do mote se repetir no fim da estrofe, diz-se que o vilancete é perfeito. Ex.: (Mote:)

Enforquei minha Esperança;

Mas Amor foi tão madraço,

Que lhe cortou o baraço.

• Como se pode ver, o esquema rimático é: abb cddc cbb, que era o mais comum.O tema dos vilancetes era normalmente a saudade, o campo e os pastores, a 'mulher perfeita' e amor não-correspondido e consequente sofrimento. 

Page 10: Biografia de luis vaz de camões

CONTINUAÇÃO…• Cantiga é a denominação de certos

poemas curtos, de tema leve e de grande aceitação popular. Seu fundo e sua forma variam de acordo com as diferentes épocas. Na Idade Média, a cantiga apresentou diversos géneros: cantiga de amigo, de amor, de escárnio, de maldizer, e de romana.

• A diferença entre o vilancete e a cantiga depende do número de versos no mote: se houver 2 ou 3 é um vilancete, se houver 4 ou mais é uma cantiga.