biofísica contração muscular profa. meire freitas

Download Biofísica Contração Muscular Profa. Meire Freitas

Post on 07-Apr-2016

223 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • BiofsicaContrao Muscular

    Profa. Meire Freitas

  • O Corpo em Movimento

  • Fisiologia Muscular EsquelticaOs efetuadores da postura e do movimento

  • Tecidos MuscularesProf Meire FreitasControle InvoluntrioSISTEMA MOTORVISCERALMsculo EstriadoMsculo CardacoMsculo EsquelticoMsculo LisoControle InvoluntrioControle VoluntrioSISTEMA MOTORSOMTICOSISTEMA MOTORVISCERAL

  • Tipos de Msculos

    Tecido Muscular Estriados ou Esqueltico- Responsveis pelos movimentos voluntrios;Tecido Muscular Liso ou Visceral- Pertence vida de nutrio (digesto, excreo, etc); involuntrios;Msculo Cardaco ou Miocrdio - Vermelho e estriado, porm, involuntrio.

  • Tipos de ContraoProf Meire FreitasCONTRAO ISOTNICACONTRAO ISOMTRICAA contrao muscular proporciona desenvolvimento de fora mecnica ou ( tenso). Essa fora causa movimento ou se ope a uma carga (peso).

  • O SARCMERO A UNIDADE CONTRTIL BSICA DO MSCULO.Prof Meire Freitas

  • Estrutura do SarcmeroBIOFSICA

  • Prof Meire Freitas FILAMENTO GROSSOFILAMENTO FINOA molcula de miosina possui um sitio de ligao para actina e outro para a ATPase.TroponinaTropomiosinaDupla hlice de ActinaCada molcula de actina possui um sitio de ligao para a cabea de miosina. Nessa condio est obstruda pela tropomiosina

  • No estado de repouso (msculo relaxado) a miosina no consegue se ligar actina porque os stios de ligao esto obstrudos pela tropomiosina.

    Prof Meire Freitas

  • Prof Meire FreitasO Clcio liga-se troponina e remove a tropomiosina liberando os sitios de ligao da actina para a cabea da miosina.

    A ligao da miosina com a actina, traciona a cabea da miosina no sentido da linha M

    O filamento fino desliza sobre o grosso

  • Prof Meire Freitas1) A miosina se liga actina Inicio da contrao2) Primeiro ciclo de deslizamento3) Desligamento4) Reinicio do cicloPresena de CaDisponibilidade de ATP

  • Prof Meire Freitas

    Ciclo das pontes cruzadas

    - a miosina liga-se a actina (forma a ponte cruzada) o ATP hidrolisado a cabea da miosina inclina em direo linha M deslizamento do filamento fino sobre o grosso o sarcmero se encurtaEnquanto houver Ca++ e ATP disponveis, o ciclo se repete e o sarcmero encurta.

  • Prof Meire FreitasSe as pontes cruzadas continuarem a se formar, os filamentos finos continuam a deslizar sobre os grossos.

    As linhas Z se aproximam uma da outra, o sarcmero encurta. Se todos os sarcmero se encurtarem, a miofibrila como um todo encurta-se e ocorre a contrao do msculo.O sarcmero pode variar o comprimento

  • Teoria do Filamento DeslizanteProf Meire Freitas

  • Tbulos TProf Meire Freitas

  • BIOFSICAContrao Muscular

  • Mecanismo da Contrao MuscularProf Meire Freitas

  • Mecanismo da Contrao MuscularBIOFSICA

  • BIOFSICAContrao MuscularPara quebrar a ligao da cabea da miosina com a actina necessrio ATP, contudo a molcula de ATP no necessria para a formao do complexo actina-miosina. Tal observao explica a razo do endurecimento dos msculos dos animais aps a morte, situao conhecida como rigor mortis. A morte cessa a reposio da molcula de ATP, assim o complexo actina-miosina no pode ser quebrado.

  • O potencial de ao viaja axnio abaixo Os canais de Ca2+ dependentes de voltagem abrem-se Exocitose de ACh Difuso de ACh na fenda sinptica ACh liga-se ao receptor Abertura dos canais de Na+ (entrada) e K+ (sada) Aumento da probabilidade de incio de um potencial de ao O potencial de ao viaja ao longo da membrana O potencial de ao entra no retculo sarcoplasmtico O potencial de ao abre os canais de Ca2+ dependentes de voltagem Os ons de Ca2+ ligam-se aos filamentos, causando contrao

    Prof Meire FreitasResumo da Contrao Muscular

  • BIOFSICAComo Funciona a Contrao ?TEORIA DO FILAMENTO DESLIZANTE

    O PA causa a rpida liberao do on Ca2+ no interior da clulaO on Ca2+ liga-se troponinaA troponina passa por uma mudana conformacionalTal mudana movimenta a tropomiosina para fora da rea de encaixe da miosinaHidrlise do ATP (pela a ATPase da miosina), o que permite a formao do complexo actina-miosina A ligao da miosina com a actinaOs filamentos de actina deslizam sobre a miosinaUma nova molcula de ATP permite a quebra do complexo actina-miosina. A nova molcula de ATP sofre hidrlise. O processo continua at que no haja mais Ca2+

  • Tipos de Fibras Musculares

    Fibras de abalo lentoMuita mitocndrias, muitas mioglobinas e bem vascularizadoAdaptada para realizar a respirao aerbica e resistente fadigaEx: musculatura postural

    Fibras de abalo rpidoRicas em fosfagnios e realiza o metabolismo anaerbicoO reticulo sarcoplasmtico libera Ca rapidamenteEx: gastrocnmico

  • A ENERGIA necessria para a contrao (e relaxamento) provem da hidrolise de ATP Fontes de ATP Fosfato de creatinaGlicliseFosfolrialaao oxidativa

  • Todos os msculos dependem do consumo de ATPO ATP disponibilizado pela sntese de Fermentao anaerbica (produo rpida mas limitada): no necessita de O2 mas produz cido lticoRespirao aerbica (produz mais ATP mas lentamente): requer disponibilidade continua de O2

  • Prof Meire FreitasFraqueza progressiva e perda da capacidade de contratilidade pelo uso prolongado.

    CausasQueda na disponibilidade de ATP Alterao no potencial de membrana Inibio enzimtica pelo acmulo de cido ltico (pH cido) Acumulo de K extracelularEsgotamento de acetilcolinaFadiga

  • Cibra contratura involuntria do msculo.O msculo entra em espasmo e contrai sem o controle da pessoa.Geralmente so contraes muito dolorosasPode ocorrer por diversas causas:o acmulo de cido lticodevido a uma alterao no metabolismo de alguns elementos, como sais minerais, potssio e clcio, entre outros.

  • Obrigada