bienal de arte 2010

Download Bienal de Arte 2010

Post on 17-Mar-2016

214 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Educativo - Biena de Arte 2010

TRANSCRIPT

  • 29 A BIENAL DE SO PAULO

  • INSTITUTO MOREIRA SALLES

  • Fundao Bienal

    Longe do circuito de museus e centros culturais europeus e norte-americanos, cabe ainda hoje Bienal de So Paulo a misso de irradiar por todo o Brasil, e mesmo pela Amrica Latina, o melhor da produo artstica atual, a ponta mais avanada da expresso e da sensibilidade do nosso tempo. Nesse sentido, a Bienal de So Paulo, consciente do seu compromisso de oferecer subsdios estticos, essenciais para a formao espiritual de uma nao, afirma-se como uma instituio eminentemente educativa.

    Apoiada numa respeitvel tradio do nosso pas que ela prpria ajudou a desenvolver e em rede com instituies culturais, escolas pblicas e privadas, ONGs, associaes de bairro e organizaes comunitrias, a Fundao Bienal de So Paulo encampa a educao da arte e pela arte seja pelo contato direto com as obras expostas, seja pelo uso de mdias variadas, da impressa digital, transmitindo os insu-mos artsticos sob forma dinmica, atraente e instigante.

    A proposta curatorial de tomar a relao entre arte e poltica como o cerne desta 29 Bienal de So Paulo faz com que a preocupao assinalada ganhe proporo ainda maior. No intuito de incentivar a relao dos visitantes com as obras de arte e entre si, criar espaos de convvio e de reflexo. Do mesmo modo, o site da Fundao Bienal de So Paulo foi projetado para ser no apenas um difusor de informaes, mas um catalisador de discusses, um lugar aberto interao do pblico.

    O recm-criado So Paulo Polo de Arte Contempornea mais um resultado do empenho da Fundao Bienal em estimular a formao de redes entre as diversas associa-es ligadas arte e cultura em So Paulo. No mesmo esprito, o Projeto Educativo da 29 Bienal congrega agora 22 instituies culturais da cidade em torno de seu pro-grama de formao de educadores. A presente publicao vem contribuir para divulgar o perfil de cada uma dessas instituies parceiras, bem como as aes que desenvolvem para promover o ensino e a difuso da arte.

    Heitor MartinsPresidente da Fundao Bienal de So Paulo

    4

  • Ministrio da Cultura

    Isso arte? uma pergunta que j deve ter passado, alguma vez, pela cabea de algum ao estar diante de uma obra que no corresponde s suas expectativas sobre o que deseja presenciar como arte. Arte, e principalmente arte contempornea, no assunto simples de ser tratado depois de Marcel Duchamp nos ter legado a falsa sensao de que tudo pode ser arte, ou de Joseph Beuys ter afirmado que todos podem ser artistas.

    As experincias com as vrias expresses artsticas, principalmente com as artes visuais contemporneas, tornam-se essenciais para indicar possibilidades de novas vises e oportunidades de comunicao e percepo. Determinada pelo contexto histrico-social, a obra de arte inspira modos de vida, olhares, sentimentos que se fixam nos canais de seu dilogo com o espectador.

    J a percepo envolta pela vivncia cultural de cada um pode liberar sensaes de pertencimento e identidade, alm de resgatar tradies que poderiam estar esquecidas ou ignoradas. Tais impresses podem minimizar a diluio cultural, estimular diferenciaes que delimitam territrios especficos de cada sociedade e transformar as culturas globalizadas em manifestaes heterogneas.

    As instituies culturais e educacionais, somadas s aes da Funarte e do Ministrio da Cultura, tm papel importante na convocao de todos para a empreitada social e poltica da educao e da arte no pas. Ao provocarem o estar/ficar em locais projetados para a convivncia, essas instituies convidam o pblico a compartilhar histrias, dividir o tempo e o espao em relaes sociais que reforam seu sentimento de insero perante tudo o que emana das expresses e viveres constitudos histrica e socialmente.

    Juca FerreiraMinistro da Cultura

    Srgio MambertiPresidente da Funarte

    5

  • Patrocinador do Projeto Educativo

    isso o que encontramos no Projeto Educativo da 29 Bienal de So Paulo. Alm da quebra de barreiras eco-nmicas e sociais para permitir aos diversos segmentos da sociedade acessarem o espao da exposio, h a realiza-o de aes consistentes e contnuas junto a professores, estudantes, novos visitantes e toda a comunidade interes-sada, para proporcionar a melhor experincia esttica. Com o apoio a este Projeto, esperamos que um nmero cada vez maior de pessoas possa descobrir no contato com a arte novos significados e sentidos para suas vidas. Desejamos a todos uma boa experincia!

    Instituto Votorantim

    O contato com a arte transforma o ser humano. Por isso, a Votorantim apoia e investe em projetos culturais compro-metidos em tornar esta experincia acessvel ao maior nmero de pessoas. E isso no requer apenas ampliar as oportunidades de contato da populao com a obra de arte, mas toda uma estratgia de mediao que permita a sua melhor fruio.

    6

  • O trabalho educativo da 29 Bienal foi concebido para se desenvolver em equipe numa rede de colaboraes. A partir da troca de ideias e experincias entre profissionais de instituies culturais e educativas, bem como de ONGs e comunidades , criam-se dilogos e debates mobilizado-res em torno das relaes entre arte e poltica. So essas reflexes que alimentam o Projeto Educativo desta edio e esto na base da formao oferecida aos educadores que atendero o pblico durante a mostra.

    A educao, assim como a arte, possui uma dimenso poltica. Tem a capacidade de estimular outras maneiras de compreender e se relacionar com o mundo. nesse sentido que o educador pode atuar como provocador, encorajando as pessoas a se aventurar por caminhos desconhecidos, j que, no contato com a arte, muitas vezes necessrio despojar-se de certezas para abrir espao a novas leituras e vivncias.

    Os estudantes que recebero o pblico durante a exposio assumem o papel de educadores na medida em que participam de uma formao constante e mantm um esprito investigador, combinado a uma postura flexvel, onde no existem verdades absolutas. Acreditamos no educador que dialoga e orienta, desarma, mas informa, acolhe, mas tambm provoca, num territrio onde pergun-tas so mais frequentes que respostas. A ideia favorecer a conversa entre os visitantes e as obras, incentivando-os a acreditar em suas prprias percepes e buscando incitar experincias instigantes e significativas.

    Foi pensando na diversidade dos pblicos e das possibi-lidades de aproximao com a arte que elaboramos a forma-o em parceria com 22 instituies culturais de So Paulo [veja a lista completa na contracapa]. Ao longo do curso, os alunos entraro em contato com essas instituies, seus modos de trabalho e concepes sobre o papel do educador. Podero compartilhar suas experincias e especificidades, como o atendimento a diferentes pblicos, as aes poticas e atelis prticos, os cursos para professores etc.

    Queremos proporcionar aos participantes diferentes maneiras de perceber o mundo e a arte, bem como a ao educativa. A formao oferecida a quinhentos estudantes de reas como artes visuais, arquitetura, histria e filosofia, dos quais trezentos sero contratados para atuar na 29 Bienal. Agradecemos as instituies que generosamente abriram espao para nos receber e conosco compartilharam seu trabalho. Acreditamos que este seja o incio de um longo caminho de parcerias e colaboraes.

    Stela BarbieriCuradora Educacional da 29 Bienal de So Paulo

    Agnaldo Farias e Moacir dos AnjosCuradores da 29 Bienal de So Paulo

    Entre movimentos

    7

  • O Instituto Moreira Salles (IMS) uma associao civil sem fins lucrativos que tem por finalidade exclusiva a promoo e o desenvolvimento de programas culturais. Seu acervo rene mais de 550 mil fotografias, 100 mil msicas (25 mil gravaes digitalizadas), uma biblioteca com 500 mil ttulos (mais de 80 mil catalogados) e uma pinacoteca com mais de 3 mil obras.

    Entre as colees, mantidas por meio das mais modernas tcnicas de restaurao e conservao, destacam-se: na rea de fotografia, as de Marc Ferrez, Marcel Gautherot, Jos Medeiros, Hildegard Rosenthal, Otto Stupakoff e Hans Gunter Flieg; na rea de msica, as de Jos Ramos Tinhoro, Hum-berto Franceschi e Pixinguinha; e na de literatura, Decio de Almeida Prado, Ana Cristina Cesar, Mario Quintana, Rachel de Queiroz, Otto Lara Resende, Paulo Autran, Clarice Lispector, Erico Verissimo e Lygia Fagundes Telles. Na rea editorial, alm de livros e catlogos de arte, o IMS publica a srie Cadernos de literatura brasileira e a revista de ensaios serrote.

    O IMS possui trs centros culturais localizados no Rio de Janeiro, So Paulo e Poos de Caldas, onde promove exposi-es, palestras, apresentaes musicais, ciclos de cinema, cursos e aes educativas, alm de trs galerias de arte dispos-tas no Rio de Janeiro (Cinema Artplex), So Paulo e Curitiba.

    Instituto Moreira Salles IMS

    Educativo IMS

    Os projetos oferecidos pelo Educativo do Instituto Moreira Salles possuem duas vertentes principais: as visitas de escolas e outros grupos, e os projetos especiais. No primeiro caso, as visitas podem ter formatos variados, de acordo com o perfil e a faixa etria do pblico, contemplando exposies em geral ou assumindo um recorte e roteiro especficos. Nas visitas escolares, tambm possvel realizar um trabalho em conjunto com o professor, que ento convidado a conhecer o espao antes de trazer seus alunos. J os projetos espe-ciais so trabalhos contnuos desenvolvidos com escolas parceiras. A partir de um planejamento feito com o professor a fim de determinar como as artes visuais podem se relacio-nar com os contedos trabalhados em sala de aula, os alunos participam, durante todo o ano, de encontros mensais no IMS e em outros espaos da cidade, como parques, a prpria escola ou mesmo outras instituies culturais.

    Durante as visitas, o pblico participa de uma srie de atividades que visam estimular a interao e o conhe-cimento sobre os espaos e acervos do IMS, ampliar sua capacidade de obse