betania do lima - files. · pdf file a mensagem para o 51.º dia mundial da paz pede mais...

Click here to load reader

Post on 18-Jan-2019

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Oferecer a requerentes de asilo, refugiados, mi-grantes e vtimas de trfico humano uma possibili-dade de encontrar a paz de que andam procura exige uma estratgia que combine quatro aes: - acolher, proteger, promover e integrar, escreve Francisco no texto intitulado Migrantes e refugia-dos: homens e mulheres em busca de paz.

A mensagem para o 51. Dia Mundial da Paz pede mais possibilidades de entrada legal, evitando repelir refugiados e migrantes para lugares onde os aguardam perseguies e violncias.

Em relao ao verbo proteger, Francisco recor-da que muitos fogem dum perigo real em busca de asilo e segurana, de impedir a sua explorao.

Penso de modo particular nas mulheres e nas crianas que se encontram em situaes onde esto mais expostas aos riscos e aos abusos que chegam at ao ponto de as tornar escravas, alerta.

O Dia Mundial da Paz foi institudo pelo Papa Pau-lo VI e celebrado no primeiro dia do novo ano.

Director: Valdemiro B. Domingues - Proco de Santa MartaRedaco e Administrao: Fbrica da Igreja da Parquia de Santa Marta - Centro Paroquial | 4925-001 Viana do Castelo

Ano XXXIV | N. 433 | DEZEMBRO 2017 II Srie | Publicao Mensal

BETANIA DO LIMASumrio Trduo da Se-

nhora de Lurdes //pg. 3

Prespio da igre-ja paroquial //pg. 4

Dia do Pijama //pg. 5

A Festa de Natal //pg. 5

rvore de Natal e prespio do Vatica-no// pg. 6

Aniversrio na-talcio//pg. 8

Luzes e sombrasNota de abertura

Por estes dias de Natal, tenho andado procura do Menino Je-sus!...

Nas igrejas vi lindos prespios com muitas imagens e enfei-tes. Mas, o Menino no estava l. Nas praas da cidade, rvo-res cheias de luzes e de msica. No descobri o que procurava. Nas casas dos cristos, l estava, num canto da sala, o prespio de Natal: azevinhos, musgo, pequenas pedras lmpadas a piscar. Mas, onde est o Meni-no, perguntava-me?

Percorri vrias ruas e cami-nhos. Mas o que sempre encon-trei foram grandes enfeites alusi-vos a esta quadra natalcia. Nada de descobrir o Menino Jesus.

h!... No quero passar por mentirosos! Na verdade, vi mui-tas imagens do Menino. Umas grandes e outras mais peque-ninas. Umas de material caro e outras feitas por mos artesanais e de material pobre e simples. Outros, to pequeninos e toscos, como aqueles que tenho junto chamin do fogo de sala, em que as imagens so quase in-visveis. No entanto, todos me convenceram a fazer uma pausa para admirar a sua originalida-de e beleza.

Ele, o Menino, estava no gesto

largo de gratido do pobre casal que acaba de receber um cabaz recheado de bens necessrios para que a sua famlia tambm tenha natal.

Afinal, os lindos meninos dos nossos prespios so, apenas e nada mais, um grito de alerta e um sinal de que Jesus Menino deve ser procurado noutros lugares.

Hoje, como nos dois mil anos de Cristianismo, o Menino anda camuflado nas pessoas mais pobres e abandonadas; nas que vivem sem ternura e sem carinho; nas que deixaram de acreditar nEle, o Emanuel, filho de Maria de Nazar.

Um dos prefcios do tempo de Advento, recorda-nos esta realida-de do Natal cristo: - Agora Ele vem ao nosso encontro, em cada homem e em cada tempo, para que O recebamos na f e na caridade e dmos testemunho da gloriosa es-perana do seu Reino.

Sinceros votos para que cada um de ns, neste Natal, encon-tre o verdadeiro Menino Jesus. Aquele que vive mesmo ao nosso lado, s vezes debaixo das mes-mas telhas. Talvez o seu nome seja, no Jesus, mas se chame Jos, Manuel, Francisco...Joana, Carolina ou Maria!...

Padre Valdemiro

Onde est o Menino?

Dia Mundial da Paz 2018

Turismo Religioso e PazO secretrio-geral da Organizao Mundial de

Turismo (OMT), em finais de novembro, disse em Ftima que as viagens motivadas por fins religiosos e culturais tm um forte impacto na pacificao da sociedade.

No h nada mais eficaz do que as pessoas se encontrarem, ficar lado a lado, comendo, partilhando histrias, memrias. Isso supera todos os esteretipos, no se podem nutrir sentimentos de dio ou

ressentimento em relao a pessoas que visitamos, referiu aos jornalistas.

O responsvel falava no final do Congresso In-ternacional de Turismo Religioso e Peregrinao, que decorreu em Ftima no Centro Pastoral Paulo VI.

O congresso internacional juntou, durante dois dias, mais de mil pessoas ligadas ao sector.

Os trabalhos contaram com uma interveno do reitor do Santurio, padre Carlos Cabecinhas, que apresentou a Cova da Iria como o mais signifi-cativo destino de turismo religioso portugus.

Natal 2017 / Ano Novo 2018NATAL recordar e reviver

o nascimento de Jesus de

Nazar, o Messias Salvador !...

ANO NOVO o renascer de uma nova esperana para

cada um de ns e para nossas

famlias!...

Votos sinceros de um

Natal de Luz e de Alegria!...

E de um Novo Ano abenoado por Deus com muita Paz e Sade.

Proco, membros dos Conselhos Pastoral e Assuntos Econmicos e direo do Centro Social

2 DEZEMBRO 2017

BETNIA DO LIMA Redaco e Administrao:No RoChA, M. De FtIMA PAReNte,e CNDIDA FeRNANDeSCentro Social e Paroquial de Santa Marta de PortuzeloViana do Castelo | tel. 258 830 336 | Fax 258 831 757E-mail: [email protected]: [email protected]

Inscrito no Instituto da Comunicao Social com o n. 105423II. srie | Ano XXXIV | n. 433

Propriedade: FBRICA DA IgRejA DA PARquIA De SANtA MARtAContribuinte Fiscal n. 501170081 e registada como empresa jornalsticacom o n. 213.088

Composio e impresso:gRFICA CASA DoS RAPAzeSRua de Santo Antniotel.: 258 823 987 | tel.: 960 190 628Viana do Castelo | Contribuinte n. 500 877 262Tiragem: 900 exemplares - Preo: 1 GMail: [email protected]

A festa e o arraialH festas que se celebram porque sim; j os antigos

festejavam. E os festejos so tanto mais badalados quanto mais interessam ao comrcio. Que tradio, muitas vezes alicerada no se sabe j em qu. A tradio nasce de um acontecimento, real ou lendrio, a que o tempo esbate os contornos, adoa as arestas, adensa a nebulosidade e vai fazendo o seu caminho at ser elevado condio de cul-tura. Estar o Natal j nesta fase, ou estar o pai natal a sobrepor-se? O comrcio j no tem mais que conquistar; ocupou todo o espao, absorveu os valores e est quase a eliminar todos os concorrentes, a comear pelo Menino Jesus, ainda que erga prespios fluorescentes, animados e divertidos. Pelo menos nesta poca do ano devia ser proi-bida a entrada de menores de 12 anos nos centros comer-ciais e nos supermercados. Evitava-se muita baba e ranho e libertavam-se os pais de muitos sacrifcios e angstias. Qual o 13 ms, ainda no recebido, que resiste a to grande solicitao e exigncia?

Voltemos tradio.As festas so precedidas de um arraial preparatrio, as-

sim a modos de quem espera um grande acontecimento. Tradicional. Com o devir do tempo, implacvel, o arraial j se sobreps festa que lhe deu origem. Quem j pensou porque se come bacalhau na noite de 24 de dezembro? Isto onde o peru americano ainda no aterrou. So guas passadas o tempo em que os pobres se refugiavam no ba-calhau. O frigorfico era a salgadeira e o que l se con-servava destinava-se alegria da festa 25 de dezembro. At porque a preparao da festividade exigia disposies espirituais e fsicas que se alcanavam pela abstinncia. O bacalhau resolveu o problema, ainda que com o primei-ro lugar ameaado. Porm, a ameaa mais forte vem das telecomunicaes. Tantas famlias em que a comunicao j no so as histrias do av e da av. Mensagens, face-books e por a adiante. Muita comunicao e outro tanto isolamento. Alta velocidade sem rotundas nem semforos que obriguem a moderar a marcha para conseguir identifi-car com quem nos cruzamos na vida. S.A.

BETANIA DO LIMA

NATAL por excelncia a quadra

propcia reunio de conv-vio entre amigos e colegas de trabalho e que normalmente tem o desfecho de 24 para 25, com a reunio de famlia.

Natal. o reencontro

de amigos e familia-res com o sentido de celebrar; um hino famlia, amiza-de, solidariedade, onde a imaginao de cada um viaja e acompanha no si-lncio a estrela mais cintilan-te, gravando recordaes. tambm ter presente aqueles a quem a vida no propor-ciona as emoes a que um ser humano tem direito.

Se abraar o esprito na-talcio e o viver na sua real essncia, hoje em dia talvez utpica, diria que importan-te sentir que contribumos de forma mais simples para que um amigo, um vizinho, ou aquele com quem cruza-mos, levassem com eles um sorriso nosso. Se abraar com mais fora ainda, diria que sentir aqueles de quem gostamos, mesmo que fisica-mente no estejam ao nosso

Visita mensal aos doentes

Os membros da Legio de Maria e do grupo da Pastoral da Sade, costumam visitar, ao longo do ano, as pessoas mais idosas e doentes dos vrios lu-gares. Em certas ocasies, so-bretudo Natal e Pscoa, alm da visita at lhes levam um pe-queno miminho.

O proco, acompanhado pelo presidente da Pastoral da Sade, todos os meses visitam e leva a sagrada comunho a uma mdia de 70/80 pessoas, algumas delas j acamadas. A visita de dezembro acontece sempre antes do Natal.

Concerto solidrio

No prximo dia 6 de ja-neiro de 2018, no centro cultural de Viana do Castelo, vai ter lugar um concerto so-lidrio.

A Equipa de Cuidados Pa-liativos do hospital (USAM) alargou a sua atuao a n-vel do suporte comunitrio, acompanhando cada vez mais doentes/famlias no do-miclio. Da o aumento da necessidade de emprstimo de produtos de apoio, de forma exponencial. As maio-res necessidades verificam-se no que respeita a camas articuladas com sistema de proteo lateral, c