Benefícios obtidos pelo uso da Agricultura de Precisão

Download Benefícios obtidos pelo uso da Agricultura de Precisão

Post on 07-Jan-2017

214 views

Category:

Documents

2 download

TRANSCRIPT

  • Universidade de So Paulo

    Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"

    Departamento de Engenharia Rural

    0110601 - Estgio Profissionalizante em Engenharia Agronmica

    Relatrio Final de Estgio

    Benefcios obtidos pelo uso da Agricultura de Preciso

    Acadmico: Giancarlo Coscelli Rocco

    N USP: 5410427

    e-mail: coscelli@gmail.com

    Orientador: Prof. Dr. Jos Paulo Molin

    Supervisor: Otavio Pinto de Moraes Junior

    Dezembro de 2009

    mailto:coscelli@gmail.com

  • 1

    Sumrio

    1. Introduo ............................................................................................................................ 2

    1.1. Definio ...................................................................................................................... 2

    2. A Empresa ........................................................................................................................... 2

    2.1. A John Deere no mercado de AP ............................................................................ 4

    2.2. AMS Solues em Gerenciamento Agrcola....................................................... 4

    3. Objetivo ................................................................................................................................ 5

    4. Atividades realizadas ......................................................................................................... 5

    4.1. Treinamentos .............................................................................................................. 5

    4.1.1. Presenciais .............................................................................................. 5

    4.1.2. Cursos a Distncia................................................................................... 6

    4.1.3. Treinamentos Ministrados........................................................................ 6

    4.2. Vendas ......................................................................................................................... 7

    4.3. Promoes ................................................................................................................... 8

    4.4. Demonstraes ........................................................................................................... 8

    4.5. Suporte ......................................................................................................................... 8

    4.5.1. Suporte aos produtos .............................................................................. 8

    4.5.2. Suporte fbrica ..................................................................................... 9

    4.5.3. Suporte tcnico vendas ........................................................................ 9

    5. Consideraes Finais ........................................................................................................ 9

    6. Concluso .......................................................................................................................... 10

    7. Literatura Citada ............................................................................................................... 11

    Anexo ......................................................................................................................................... 12

  • 2

    1. Introduo

    1.1. Definio

    A ascenso de publicaes tcnicas e cientficas sobre agricultura de preciso

    (AP) evidencia sua popularizao nos ltimos anos. Com a maior quantidade de

    usurios, surgem diversas dvidas em relao ao assunto. Inevitavelmente, cria-se um

    falso conceito e surge uma questo: o que agricultura de preciso realmente?

    Para alguns, a simples utilizao de sistemas de navegao globais via

    satlite, sensoriamento remoto ou eletrnica embarcada agricultura de preciso.

    Entretanto, o conceito muito mais amplo.

    A AP surge como uma corrente contra o processo de simplificao acentuado

    que ocorreu com a agricultura, devido ao avano da mecanizao e aumento das

    reas cultivadas, resgatando o conceito de variabilidade espacial (Molin, 2001).

    Balastreire (1998) define Agricultura de Preciso como um conjunto de tcnicas

    que permitem o gerenciamento localizado das culturas. Por esta definio, nota-se que

    AP no apenas uma prtica cultural, mas sim um modelo de gesto, que engloba o

    uso de tecnologias para o manejo adequado das variaes espaciais e fatores que

    afetam a produtividade (Mantovani, 2000).

    2. A Empresa

    O estgio foi realizado na TRATORAG, concessionrio John Deere, cuja matriz

    localiza-se em Piracicaba SP. Alm desta, o grupo conta com duas filiais, situadas

    em Itapetininga SP e Itapeva SP. Ao todo, a TRATORAG responsvel pelas

    vendas e ps-vendas em mais de 100 municpios paulistas (figura 01). A regio

    abrangida pela concesso possui um parque de mquinas extremamente complexo,

    devido grande diversidade de culturas encontradas dentro desta rea.

    Durante o perodo de estgio foi inaugurada a nova loja Matriz (figura 02), em

    Piracicaba. A inaugurao tambm contou com a presena de Mark von Pentz,

    presidente mundial da Diviso Agrcola da John Deere, Aaron Wetzel, vice-presidente

    de Vendas, Marketing e Planejamento para a Amrica Latina, e Paulo Herrmann,

    diretor de Vendas para a Amrica Latina.

  • 3

    Figura 01. rea de Atuao da Empresa.

    Figura 02. Instalaes da Loja Piracicaba, com detalhe do inteiror.

  • 4

    A TRATORAG adotou o programa Certificao em AMS em janeiro de 2009.

    Em maro de 2009, o Consultor Estratgico de Negcios (CEN) Roberto Csar de

    Mendona assumiu tambm a funo de Especialista AMS, cargo responsvel por

    todo o negcio AMS do concessionrio. Em maio de 2009, a empresa compreendeu a

    importncia de um Especialista AMS com todo o tempo dedicado; assumi esta funo

    e o CEN voltou a se dedicar somente a vendas.

    2.1. A John Deere no mercado de AP

    Pelo crescimento da demanda por solues em agricultura de preciso, foi

    aberto um novo horizonte para os fabricantes de mquinas agrcolas. A John Deere,

    atenta a este novo nicho de mercado, viu a oportunidade de agregar valor em seus

    produtos com a tecnologia embarcada, e ainda assim aumentar o grau de satisfao

    dos clientes por reduzir custos operacionais.

    Diferentemente das outras empresas, ao invs de estabelecer parcerias, a

    John Deere desenvolveu os prprios produtos de agricultura de preciso, que

    receberam o nome de AMS (Agricultural Management Systems).

    Porm, o foco da John Deere no abordar a agricultura de preciso no seu

    conceito de gerenciamento. O objetivo fornecer produtos com qualidade para quele

    que deseja utilizar a Agricultura de Preciso em sua propriedade, com a vantagem

    destes produtos serem do mesmo fabricante do equipamento motor (trator, colhedora,

    etc).

    2.2. AMS Solues em Gerenciamento Agrcola

    AMS uma abreviao utilizada tanto pela fbrica como pelos concessionrios

    que corresponde expresso Agricultural Management Systems, ou Solues em

    Gerenciamento Agrcola. Tambm pode ser utilizado como uma marca, identificando

    a linha de um produto, como no nome Barra de Luz AMS.

    AMS so solues, ou conjunto de produtos, que podem ser instaladas em

    grande parte das mquinas agrcolas, capazes de reduzir os custos operacionais. Uma

    breve descrio dos produtos e solues, assim como os benefcios que podem ser

    obtidos pelo uso da tecnologia, podem ser vistos em anexo.

    Com o objetivo de divulgar o sistema AMS, a John Deere lanou mo de um

    programa para a propagao da tecnologia e suporte s informaes atravs de seus

    concessionrios, chamado de Certificao em AMS.

  • 5

    3. Objetivo

    O objetivo deste trabalho foi difundir a Agricultura de Preciso entre os clientes,

    potenciais clientes e colaboradores da empresa e desmistificar os pr-conceitos que

    tangem o tema, garantindo que o negcio AMS seja rentvel para a empresa e para o

    cliente.

    4. Atividades realizadas

    4.1. Treinamentos

    Ao longo do perodo de estgio, foram realizados diversos cursos, tanto

    presenciais como os chamados DLC (Distance Learning Classroom, ou treinamento

    distncia), alm de algumas palestras ministradas.

    4.1.1. Presenciais

    AMS Direcionamento Bsico: Instalao e configurao (40 horas)

    Realizado no Senai de Goinia (GO), onde a John Deere mantm parceria e salas

    de treinamento exclusivas. Teve o objetivo de apresentar os produtos AMS aos

    participantes, e capacit-los nas atividades de instalao e configurao.

    Master Training AMS (20 horas)

    Conferncia realizada anualmente, no SAPDC Centro de Distribuio de Peas

    da Amrica Latina em Campinas (SP), que conta com a presena de todos os

    Especialistas AMS do Brasil. Nesta conferncia foi possvel compartilhar as diferentes

    estratgias adotadas pelos Especialistas para inserir os conceitos dos produtos nas

    suas respectivas regies.

    O objetivo principal deste evento equalizar os conhecimentos de todos os

    Especialistas, e atualiz-los em relao s tendncias de mercado, novos produtos e

    comparativos com a concorrncia, alm de sanar as principais dvidas envolvidas com

    o tema. Porm, o mais importante ao realizar este treinamento foi, sem dvidas, a

    troca de experincias com os profissionais j inseridos no mercado.

    AMS Mapeamento: Conhecimento de produto (20 horas)

    Treinamento realizado no Senai, em Ribeiro Preto (SP), onde a John Deere

    tambm mantm parceria. Este treinamento foi direcionado a vendas: configurao de

    pedidos, lista de preo, conhecimento de produto, e valor agregado trazido pelos

    produtos AMS.

    ServiceAdvisor Fundamentos (40 horas)

  • 6

    Realizado em Itapeva (SP), na filial da TRATORAG. O ServiceAdvisor um

    programa desenvolvido para uso dos tcnicos da rede John Deere. Contempla toda a

    parte de instalao, configuraes, manuais tcnicos e de operao das mquinas

    John Deere disponveis no mercado nacional. Pela utilizao do programa tambm

    possvel fazer reprogramaes nas controladoras eletrnicas dos equipamentos e

    produtos AMS.

    4.1.2. Cursos a Distncia

    Os cursos a Distncia podem ser acompanhados por qualquer computador que

    possua internet. So videoconferncias em que h um professor on-line ministrando

    as aulas. So cursos de baixo custo, porm de grande valia, principalmente para

    conhecimento de produtos. Os cursos realizados foram:

    Pulverizao: Fundamentos (4 horas);

    Pulverizao: Seleo de Pontas (4 horas);

    Tratores 6000 Classic: Comparativos com a Concorrncia (4 horas);

    Tratores 7715 e 7815: Comparativos com a Concorrncia (4 horas);

    Colheitadeiras 9570 Verso Arrozeira: Fundamentos (4 horas);

    Plataforma de Milho 600C: Fundamentos (4 horas);

    Colheitadeiras 1470 e 1570: Fundamentos (4 horas).

    4.1.3. Treinamentos Ministrados

    Alm dos treinamentos realizados como participante, foram ministradas pelo

    estagirio quatro palestras abordando os temas de agricultura de preciso.

    A primeira delas foi direcionada a conjuntura da AP na cultura de cana-de-

    acar, para os alunos do Grupo de Estudos em Cana de Acar (GECA), da Escola

    Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. A palestra teve durao de 3 horas.

    Duas palestras, com durao de 4 horas cada uma, foram feitas na FATEC

    Faculdade de Tecnologia de Itapetininga (SP), para os alunos do curso de

    Tecnologia em Agronegcio. Estas apresentaes abordaram o tema Agricultura de

    preciso: princpios e perspectivas e foram solicitadas pela direo para situar os

    alunos dentro do assunto.

    Em Registro (SP), outra aula a respeito do tema foi ministrada na UNESP

    Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho para alunos da graduao do

    curso de agronomia. Nessa, fomos acompanhados pelo Coordenador Regional de

    AMS da John Deere.

  • 7

    importncia de ministrar palestras deve-se a possibilidade da consolidao

    dos conhecimentos. Em paralelo, observou-se que grande parte do pblico acreditava

    que a AP ainda no era realidade, e sim um futuro a longo prazo. Ficaram surpresos

    ao serem inseridos dentro do contexto atual do estado da arte.

    4.2. Vendas

    A pesquisa do mercado potencial foi a primeira ao realizada em vendas.

    Teve o objetivo de planejar as vendas e definir as metas para os produtos AMS

    durante o perodo de estgio. Pelo levantamento do banco de dados da empresa,

    definiram-se 20 clientes potenciais, baseados em equipamentos que possuem e rea

    cultivada. Acreditava-se que em grandes reas o benefcio obtido pela utilizao do

    AMS (reduo de sobreposio de reas) teria maiores resultados (otimizao do uso

    de insumos).

    Definidos os clientes, agendaram-se visitas a eles juntamente com os

    vendedores. De todos os 20 clientes selecionados no banco de dados, somente 8

    eram realmente clientes foco. Ao visit-los demonstraram interesse no produto,

    entretanto no queriam introduzir o uso dos equipamentos este ano. A disparidade na

    quantidade de clientes definidos pela pesquisa e os reais clientes deve-se ao fato de

    que grande parte da equipe de vendas havia sido reestruturada recentemente, e no

    tinha completo conhecimento da regio.

    Devido ao resultado das visitas aos clientes foco, houve a necessidade de

    definir uma nova estratgia. Os vendedores deveriam oferecer os produtos e solicitar a

    ajuda do Especialista nas negociaes. Para isto, foram realizadas reunies com a

    equipe de vendas de cada filial, com o objetivo de apresentar os produtos AMS e

    capacitar os participantes a oferecerem estes produtos aos clientes. Foram realizadas

    diversas visitas com os vendedores aps estas reunies. Entretanto, em sua grande

    parte, os clientes visitados sempre apresentavam alguma restrio utilizao dos

    produtos.

    Outra estratgia foi traada desde ento. Embora existam poucos clientes no

    mercado que apresentam interesse na tecnologia, so estes poucos que devem ser

    abordados. O objetivo atingir os clientes que j trazem consigo o conceito de

    agricultura de preciso. Para isto, necessrio que os vendedores compreendam o

    conceito e relatem ao Especialista AMS as possveis negociaes que ocorrem em

    suas reas de atuao. Com isto, espera-se um resultado mais efetivo e em curto

    prazo.

  • 8

    Em relao aos resultados, no foi efetuada nenhuma venda de produtos AMS

    para as mquinas que j estavam na propriedade dos clientes. Isto chamado de

    vendas field install (instalados no campo). Em contrapartida, foram realizadas vendas

    de mquinas que j foram pedidas de fbrica com AMS instalado, chamadas de

    factory install.

    4.3. Promoes

    No plano de estgio, foram propostas realizaes de eventos para a divulgao

    dos produtos AMS. Alm das palestras ministradas, previamente citadas, no ms de

    setembro foi realizado um evento em cada filial, chamado Dias de Negcios. O foco

    destes eventos foi a venda de tratores e colhedoras. Durante o evento foi apresentado

    aos clientes os benefcios do uso das solues AMS em suas mquinas, por

    intermdio de abordagens individuais.

    No foram concretizadas vendas durante os eventos, porm conseguimos

    identificar alguns clientes que realmente se interessam pela tecnologia, que

    posteriormente adquiriram equipamentos com AMS instalado de fbrica.

    4.4. Demonstraes

    As demonstraes so atividades realizadas pela empresa em que os produtos

    so deixados em comodato a um cliente por um perodo de tempo. Durante as

    demonstraes, pode-se quantificar os benefcios oferecidos pelos produtos, atravs

    da experimentao.

    Foram realizadas diversas demonstraes de produtos (tratores e AMS), em

    que o especialista AMS foi responsvel pelo estabelecimento de contratos e entrega

    tcnica dos equipamentos. Durante as atividades de demonstrao viu-se necessrio

    o acompanhamento dos operadores, para os clientes obterem o melhor desempenho

    da mquina em teste.

    4.5. Suporte

    4.5.1. Suporte aos produtos

    Por no existirem equipamentos com AMS na regio de atuao e no terem

    ocorrido vendas, a atividade de ps-venda aos produtos descrita no plano de estgio

    no pode ser realizada

  • 9

    4.5.2. Suporte fbrica

    O suporte fbrica deu-se por meio de relatrios enviados sobre a demanda

    do mercado regional, dificuldades encontradas e atuao dos concorrentes no

    mercado.

    Em agosto recebemos a visita de uma engenheira de produtos norte-

    americana, cujo objetivo foi avaliar o mercado para os produtos AMS na regio

    Sudeste do Brasil. Foi apresentada uma anlise dos pontos fortes e fracos dos

    produtos j vigentes no mercado, abordando o estado da arte da agricultura de

    preciso no Brasil e o regionalismo agrcola nacional.

    O suporte fbrica faz parte de um processo de comunicao fbrica-

    concessionrios, cuja importncia para a fbrica a contextualizao do mercado

    regional e para o concessionrio o desenvolvimento de produtos especficos que

    atendam a demanda de seus clientes.

    4.5.3. Suporte tcnico vendas

    Pela grande carga de treinamentos recebidos, alm dos conhecimentos

    adquiridos durante a graduao, foi solicitado o acompanhamento de alguns

    vendedores recm contratados, em suas visitas a clientes. Durante as viagens foi

    repassado aos vendedores os conhecimentos necessrios sobre os produtos em

    questo, para capacit-los na melhoria de seus negcios.

    No foi possvel mensurar os resultados obtidos por estes acompanhamentos,

    porm notou-se o aumento do conhecimento tcnico em relao aos produtos por

    parte dos vendedores.

    5. Consideraes Finais

    Foram encontrados clientes que se interessaram pela tecnologia AMS,

    principalmente nas regies agrcolas em que predominam grandes propriedades,

    embora ocorra uma grande resistncia AP no Mercado.

    Em relao aos treinamentos realizados, estes auxiliaram na consolidao de

    conhecimentos tcnicos e crescimento pessoal. Das atividades praticadas, a que mais

    ampliou os conhecimentos tcnicos e operacionais em relao s mquinas agrcolas

    foi o suporte tcnico equipe de vendas. Esta exigiu a pesquisa freqente de manuais

    e especificaes dos produtos prprios e concorrentes, assim como lanamentos e

    novidades.

  • 10

    A experincia de trabalhar com vendas e negociaes e o contato com

    profissionais conceituados no mercado proveu a assimilao de diferentes estratgias

    de vendas e financiamentos, possibilitando a insero do aluno no mercado de

    mquinas agrcolas.

    A realizao do estgio compreendeu um perodo de conhecimento de

    produtos, aprendizado e capacitao, como tambm conhecimento de mercado e

    definio de estratgias de vendas.

    O estgio profissionalizante permitiu ao aluno participar da rotina de uma

    empresa, vivenciar suas aes e analisar os resultados. O contato direto com o

    mercado durante o perodo de estgio um ponto que merece destaque. Entretanto, o

    amadurecimento pessoal e a emancipao profissional so os maiores valores

    providos pela prtica profissionalizante.

    6. Concluso

    Por intermdio de palestras, aulas e treinamentos, pode-se difundir e

    desmistificar a Agricultura de Preciso perante os potenciais clientes. As reunies

    corporativas e o suporte tcnico prestado equipe de vendas exerceram o mesmo

    papel em relao aos colaboradores. Para os clientes, foram utilizadas as visitas

    tcnicas e explanaes realizadas durante os eventos promovidos pela concesso.

  • 11

    7. Literatura Citada

    BALASTREIRE, L. A. Agricultura de Preciso. O autor: Piracicaba, 1998.

    81p.

    MANTOVANI, E. C. Agricultura de preciso e sua organizao no Brasil. In:

    Agricultura de Preciso. UFV: Viosa, 2000. 497p.

    MOLIN, J. P. Agricultura de Preciso - o gerenciamento da variabilidade.

    O autor: Piracicaba, 2001. 83p.

  • 12

    Anexo

    Linha de Produtos AMS

    As linhas de produtos AMS John Deere dividem-se em dois grandes grupos:

    Mapeamento de rea (gerao de mapas de produtividade) e Direcionamento. Para

    ambas as linhas, existem alguns produtos chaves, chamados de componentes

    comuns. Primeiramente os componentes sero apresentados, de forma breve, com

    uma pequena descrio.

    As diferentes composies destes componentes formam as solues em

    gerenciamento agrcola. Estas sero apresentadas em seguida, juntamente com os

    benefcios que podem ser obtidos pelo uso de cada uma.

    Componetes

    Receptores GPS

    As antenas receptoras de sinais GNSS da John Deere recebem o nome de

    StarFire iTC. Elas utilizam o sistema GPS de navegao, e trabalham em banda

    L1/L2. Para o sistema de correo diferencial, a John Deere possui 3 bases fixas

    georeferenciadas na Amrica do Sul, instaladas em Catalo (GO), Sapezal (MT) e

    Horizontina (RS). Alm das bases, aluga um canal no satlite geoestacionrio

    Inmarsat para fazer a comunicao entre os receptores dos veculos, bases de

    correo e central de processamento de dados.

    Os receptores StarFire iTC diferem-se dos antigos receptores StarFire por

    possurem internamente um mdulo de compensao de terrenos (TCM). O TCM um

    sensor localizado dentro da carcaa da antena, que compensa o deslocamento da

    antena em terrenos inclinados (figura 03). Este deslocamento causa um erro grosseiro

    nestas situaes, que proporcional ao ngulo de inclinao do terreno, conforme

    mostrado na tabela 01.

  • 13

    Tabela 01: Potencial de erro sem a utilizao do mdulo

    de compensao de terreno.

    Inclinao (Graus) Erro mdio estimado, sem

    TCM

    1 5,5 cm

    2 10 cm

    3 16 cm

    4 21 cm

    5 27 cm

    6 32 cm

    7 38 cm

    8 44 cm

    9 49 cm

    10 55 cm

    Figura 03. Gerao de erro em plano inclinado

    Com isto, as 3 opes de sinais disponibilizadas aos clientes so:

    SF1: Sinal de correo com preciso de 25 cm a 95% do tempo.

    A antena receptora de sinais SF1 a opo de menor custo de aquisio entre as

    3 disponveis. Ela recebe sinais diretos da rede GPS, alm dos sinais de correo

    enviados pelo Inmarsat.

    SF2: Sinal de correo com preciso de 10 cm a 95% do tempo.

  • 14

    O funcionamento deste receptor semelhante ao anterior. O Receptor pode ser

    adquirido pronto para receber sinais SF2 (SF2 ready), ou o receptor SF1 pode receber

    upgrade para receber sinais SF2. O custo de uma antena SF1 com upgrade para SF2

    compatvel com a antena SF2 ready. Alm de o receptor estar apto a receber este

    tipo de sinal, para trabalhar em SF2 deve-se pagar a assinatura do sinal, que pode ser

    trimestral, semestral, anual, bi-anual ou tri-anual.

    A vantagem competitiva do receptor StarFire iTC em relao aos concorrentes

    que pode-se fazer upgrade de sinal a ser recebido pelo receptor. Externamente, uma

    antena SF1 no se difere de uma antena SF2.

    RTK: Sinal de correo com preciso de 2,5 cm a 95% do tempo.

    Os receptores RTK (Real Time Kinematic Correo Cinemtica em Tempo Real)

    so antenas StarFire iTC, com o acrscimo de um rdio transmissor interno carcaa

    da antena. Esteticamente, estes se diferem dos demais por possurem uma antena de

    rdio externa. Para o funcionamento de uma rede RTK, deve-se possuir no mnimo 2

    receptores. Um para a instalao de uma base de correo e um para o veculo.

    Diversos veculos podem utilizar o sinal de uma mesma base. Obrigatoriamente as

    antenas RTK devem estar aptas a receber sinais SF2, porm neste caso a assinatura

    no necessria.

    Os sinais RTK nada mais so que ondas de rdio que corrigem o sinal recebido

    pelo receptor do veculo, atravs da posio de uma base, georreferenciada, prxima

    ao outro equipamento. Esta base faz exatamente o mesmo papel das bases de

    correo da John Deere, porm sua correo enviada ao veculo via rdio, e no via

    Inmarsat. Como a estao de correo est mais prxima aos veculos, a correo do

    erro mais exata, provendo maior preciso ao sistema. A utilizao do sistema RTK

    no requer assinaturas.

    O sistema RTK recomendado a culturas colhidas em linha, como milho e cana-

    de-acar. Nesta, o sistema tambm importante no controle de trfego sobre a

    soqueira

    Monitores

    Os monitores so os equipamentos que ficam localizados na estao do

    operador, e que realizam a interface entre os dados coletados pela antena e os

    atuadores. Quando o atuador o prprio operador, o monitor responsvel por emitir

    algum sinal que alerte o operador ao que ele deve tomar. A John Deere possui

    quatro monitores disponveis no mercado nacional.

  • 15

    Barra de Luzes

    A barra de luzes um componente que possui trs leds centrais de cor verde, e 12

    leds vermelhos esquerda e direita dos centrais. Se somente os leds verdes

    estiverem acesos, significa que o operador est na rota certa. Cada led vermelho

    aceso direita ou esquerda, significa um desvio de rota lateral correspondente a 10

    cm. A barra de luzes pode ser utilizada como monitor exclusivo ou em combinao

    com os monitores GSD4 e GS2 1800, como escrava. A barra de luzes o nico

    produto John Deere que pode ser instalado em equipamentos sem cabine.

    Display GDS4

    O conjunto GSD4 composto pelos itens Monitor GSD4, Processador Mvel

    GSD4, carto de ativaes Keycard e carto de dados Datacard, todos comprados

    separadamente. um display de tela preta e branco, porm muito fcil de operar.

    Com a utilizao somente do Monitor GSD4, o cliente usufrui somente das

    solues Piloto auxiliar e Monitoramento da produtividade. Com a combinao do

    Monitor com o Processador e os cartes, pode-se ativar as solues AMS Piloto

    Automtico, Mapeamento de colheita e Swatch Control Pro, que sero descritas

    frente.

    Display GS2 1800

    Lanado em julho de 2009,o monitor GS2 1800 surgiu como uma alternativa entre

    o display GSD4 e o GS2 2600. Sua interface muito similar ao segundo, porm os

    comandos, todos por botes, lembram o primeiro. um monitor colorido, com tela de

    18 cm (diagonal), e sua grande vantagem que os dados so extrados do monitor via

    porta USB, com a utilizao de um PenDrive. No GS2 1800 podem ser ativadas as

    solues Piloto Auxiliar e Piloto Automtico. um monitor compatvel com a tecnologia

    ISOBUS.

    Display GS2 2600

    O GS2 2600 um monitor colorido, com tela touch screen de 26 cm (diagonal) que

    possui o maior nmero de recursos disponveis dentro da linha John Deere. Nele,

    todas as solues AMS podem ser ativadas. Neste monitor, possvel mapear o

    talho que ser trabalhado, e observar em tempo real quais as linhas que a mquina

    j operou, pois estas so marcadas com uma cobertura azul no monitor, conforme a

    figura. No caso de mapeamento de produtividade, esta cobertura colorida conforme

    uma escala pr-definida, indicando diferentes classes de produtividade. O monitor

    GS2 2600 tambm compatvel com a tecnologia ISOBUS, porm seus dados so

    extrados por cartes CompactFlash. A figura 04 ilustra os 4 monitores presentes no

    mercado.

  • 16

    Figura 04. Monitores: Em cima esquerda, Barra de Luzes. Em cima

    direita, GSD4. Em baixo, esquerda, GS2 1800. Em baixo,

    direita, GS2 2600.

    Atuadores de Piloto Automtico.

    Os atuadores so equipamentos que recebem a informao dos monitores e

    executam a ao corretiva, para o equipamento se manter na rota certa. A John Deere

    disponibiliza dois tipos de atuadores, descritos a seguir

    Volante do piloto automtico universal 200 (ATU 200)

    Este item consiste em um motor eltrico, que instalado na coluna de direo do

    trator e atua sobre ela, fazendo o eixo de direo girar e, desta forma, ajustando a rota

    do trator. O ATU 200 (figura 05) um produto que pode ser instalado em diversos

    equipamento, desde que estes sejam cabinados. A John Deere indica a instalao

    somente em equipamentos que j foram previamente testados por ela, presentes na

    tabela 02. O ATU 200 um produto intercambivel, ou seja, pode ser instalado em um

    trator durante o plantio, retirado, e instalado na colhedora durante a safra.

  • 17

    Tabela 02: Lista de plataformas aprovadas para instalao do ATU

    Marca Classe Plataforma Modelo

    John Deere Colhedora de

    Algodo 99XX 9986/9996

    John Deere Colhedora de

    Algodo 99XX 9960/9965/9970/9976

    John Deere Trator 7X15 7715/7815

    John Deere Trator XX05 6405/6605/7505

    John Deere Trator XX15 6415/6615/7515

    John Deere Trator 8X00 8100/8200/8300/8400

    John Deere Trator 8X10 8110/8210/8310/8410

    John Deere Trator 8X20 8120/8220/8320/8420/8520

    John Deere Colheitadeira STS 9650/9750

    John Deere Pulverizador 4XX0 4700

    Agrale Trator BX 6110/6150

    CaseIH Trator MX 220/240/270

    CaseIH Trator MXM 135/150/165/180

    Jacto Pulverizador Uniport 2000

    Jacto Pulverizador Uniport 3000

    Massey Colheitadeira MF 3640

    Massey Trator MF 290/292/297/298/299

    Massey Trator MF 630/640/650/660/680/6350/6360

    Massey Trator MF

    5275/5285/5290/5300/5355/5310/5360/5320/5365

    Metalfor Pulverizador

    Mltiple 2800/3200, Futura 2500/3000AB, Hidro 3200

    Montana Pulverizador Parruda 2025M/2025H/3027H

    New Holland Colheitadeira CS 660

    New Holland Trator TL 90/100

    New Holland Trator TM 135/150/165/180

    New Holland Trator TS 90/100/110/120

    Servspray Pulverizador Servspray Gafanhoto ( partir de 2005)

    Valtra Trator BH 140/160/180

    Valtra Trator BM 100/110/120

    javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jd_cotton_picker9986_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jd_cotton_picker_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jd7x15lf_sa_row_crop_tractors_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jd_xx05_sa_row_crop_tractors_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jd_xx15_sf_sa_row_crop_tractors_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jd_8x00_row_crop_tractor_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jd_8x10_row_crop_tractor_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jd_8x20_row_crop_tractor_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/john_deere_9x60_combines_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jd_4700_sprayer_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/agrale_bx_tractors_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/case_mx_magnum_220-270_row_crop_tractors_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/case_mxm_row_crop_tractors_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jacto_uniport_2000_sprayer_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/jacto_uniport_3000_sprayer_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/massey_mf_3640_combine_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/massey_mf_290_row_crop_tractor_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/massey_mf_680_row_crop_tractor_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/massey_mf_5000_row_crop_tractor_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/massey_mf_5000_row_crop_tractor_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/metalfor_sprayer_3000ab_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/metalfor_sprayer_3000ab_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/montana_parruda_sprayer_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/new_holland_cs_660_combine_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/new_holland_tl_row_crop_tractors_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/new_holland_tm_row_crop_tractors_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/new_holland_ts_row_crop_tractors_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/servspray_2005_newer_sprayer_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/valtra_bh_row_crop_tractor_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);javascript:window.open(%22/pt_BR/Support/pdf/valtra_bm_row_crop_tractor_port.pdf%22,%22a%22,%22centerDims(600,500),%20toolbar=yes,location=yes,directories=yes,status=yes,menubar=yes,scrollbars=yes,resizable=yes,width=600,height=500%22);history.go(0);

  • 18

    Figura 05: ATU 200.

    Kit Veicular Piloto Automtico Integrado (ATI)

    kit veicular composto por um conjunto de sensores que atuam no sistema

    hidrulico de direo do equipamento. Com isto, o fluxo de leo hidrulico da direo

    alterado conforme a necessidade de correo da rota. Este sistema o que consegue

    maior preciso de trabalho, por ser o mais sensvel e de resposta mais rpida. O kit

    ATI disponvel apenas para os tratores John Deere 7715, 7815, 8420, 8230, 8430,

    8270R, 8320R e pulverizadores 4720 e 4730.

    Sensores de Produtividade e Umidade

    Para compor um mapa de produtividade necessrio saber qual o fluxo de massa

    que uma colhedora produz momentaneamente e qual a umidade desta massa. Com

    isto, pode-se obter o rendimento seco da cultura naquele determinado local. Os

    sensores fabricados pela John Deere esto disponveis para as Colhedoras de

    Algodo 9986 e 9996, e para as colheitadeiras de gros axiais, chamadas de STS. Os

    sensores no so indicados para a colheita de arroz, pois a alta abrasividade da

    cultura danifica os sensores.

    O sensor de fluxo de massa de gros uma placa de impacto localizada no final

    do elevador de gros (Figura 07). Ao serem lanados no final do curso do elevador, os

    gros exercem uma fora sobre a placa de impacto, que convertida pelos sensores

    em quantidade de massa por unidade de tempo. O sensor de umidade fica logo abaixo

    da placa, e coleta amostras da massa de gros para determinao do valor de

    umidade. O tempo entre as coletas de dados podem ser programadas e variam de um

  • 19

    valor mnimo de uma leitura a cada 20 segundos at um mximo de uma leitura por

    minuto.

    Figura 07: sensores de produtividade e umidade instalados nas STS.

    Solues AMS

    As diferentes composies entre os componentes formam diferentes solues,

    chamadas de Solues em Gerenciamento agrcola (AMS). Sero esplanadas

    brevemente as solues existentes, e os produtos que as compe.

    Em relao s mquinas da linha Deere existem trs tipos de configuraes:

    AutoTrac Ready: Equipamentos que so montados de fbrica com o kit piloto

    automtico integrado (sensores e controladoras). Para estes equipamentos e

    necessrio adquirir o monitor e o receptor desejado.

    GreenStar Ready: equipamentos que so montados na fbrica com todos os

    chicotes necessrios para a instalao dos produtos AMS

    AMS Full: Produtos que j saem da fbrica com todos os componentes

    instalados, inclusive monitor e receptor. So tambm chamados de produtos

    factory install.

    Os produtos avulsos que so vendidos pela concessionria e instalados no

    cliente recebem o nome de field install.

  • 20

    Monitor de produtividade

    O monitor de produtividade permite ao operador a visualizao instantnea dos

    dados de umidade e produtividade. Assim, o operador pode ter uma resposta rpida

    em relao s diferentes regulagens da mquina. Por exemplo: se o operador verifica

    no monitor a umidade dos gros maior, ele pode aumentar a velocidade do rotor da

    mquina ou estreitar o cncavo, pois a trilha deve ser mais intensa. O monitor GSD4 e

    o kit de sensores so utilizados nesta soluo.

    Mapa de produtividade

    O mapa de produtividade o ponto de partida para usurios que querem

    ingressar em agricultura de preciso, pois este materializa a resposta das culturas e

    orienta na compreenso da variabilidade espacial das lavouras, alm de servir de

    histrico e base para aplicaes de insumos. Para a utilizao desta soluo

    necessrio um monitor (que deve ser o Display GSD4 ou GS2 2600), o kit de sensores

    e um receptor. No necessrio um receptor com alta preciso para esta operao.

    Piloto Auxiliar

    O piloto auxiliar geralmente a soluo procurada por queles que desejam

    introduzir-se em direcionamento via GPS. Esta soluo indicada para trabalhos em

    que a preciso no necessita ser demasiadamente acurada. So freqentes em

    pulverizao, em substituio dos marcadores de espuma, como tambm em

    aplicaes de insumos lano, como calcrio e gesso agrcola. Seu emprego tambm

    foi aceito nas operaes de preparo de solo, com uso de subsoladores e grades. O

    maior benefcio do piloto auxiliar a reduo da sobreposio de linhas, que resulta

    na economia de insumos.

    Os monitores que podem ser utilizados com o piloto auxiliar so: Barra de

    luzes, GSD4 e GS2 1800. Os dois ltimos possuem modo de operao tanto para

    pistas retas quanto curvas. J a barra de luzes trabalha somente em pistas retas, o

    que restringe a sua utilizao a alguns produtores, principalmente na regio de

    atuao do concessionrio. A barra de luzes pode ser combinada com os displays

    GSD4 e GS2 1800, neste caso habilitando o modo de pistas curvas. Para instalao

    dos displays, o equipamento deve ser cabinado.

    Piloto automtico

    Das solues de direcionamento, a mais avanada o piloto automtico. Este

    permite um ajuste em tempo real do equipamento em relao linha guia

  • 21

    georreferenciada, diminuindo o erro causado pelo operador. O piloto automtico

    ocasiona um conforto maior ao operador, pois este fica livre para verificar as demais

    funes do conjunto trator-implemento.

    Na operao de colheita de gros, o maior benefcio obtido pelo uso do piloto

    automtico a colheita com a plataforma cheia. Nos trabalhos manuais, clssicos, o

    operador mantm uma faixa sem colher na borda da plataforma, para compensar

    algum erro gerado em passadas anteriores. Tambm notvel que, o bem estar na

    colheita de gros com piloto automtico proporciona ao operador tempo disponvel

    para se preocupar com a qualidade do processo de colheita, e aumenta ligeiramente a

    velocidade de mquina. Este leve acrscimo, ao longo do tempo, observado

    diretamente na capacidade operacional do equipamento, sem interferir na qualidade

    do gro colhido.

    Dentre as vantagens do uso do piloto automtico, o trabalho noturno merece

    destaque. Para grandes frotistas, como usinas e grupos empresariais, a qualidade do

    trabalho noturno o gargalo da utilizao das mquinas: operaes que necessitam

    preciso e qualidade, como plantio, so realizadas somente durante o dia. A utilizao

    do GPS para guiar-se aparece com uma boa oportunidade de suprir a perda de

    qualidade em tais situaes.

    A cana-de-acar , sem dvidas, a cultura que possui o sistema mecanizado

    mais complexo. O trfico intenso de mquinas sobre o canavial implica diretamente

    em diminuio da produtividade pela danificao da soqueira. A utilizao de piloto

    automtico se mostra eficiente para o controle de trfico.

    Controlador das Sees das Barras (Swatch Control Pro)

    um produto disponvel somente para os pulverizadores John Deere 4720 e

    4730. Estes modelos de pulverizadores possuem 7 sees de barra. O Swatch Control

    opera desligando as sees caso se tente pulverizar uma rea j aplicada, eliminando

    a sobreposio.

    Com a utilizao da agricultura de preciso (que no se restringe ao uso de

    produtos, mas sim de adoo de sistema de gesto), possvel melhor e monitorar a

    qualidade das operaes realizadas na lavoura, alm de gerenciar as variabilidades e

    identificar suas causas.

    possvel coletar dados e definir indicadores de qualidade e assim obter a perfeita

    gesto da lavoura. Afinal, o que no pode ser medido no pode ser administrado.

    iTEC Pro

  • 22

    O iTEC um programa que pode ser ativado em tratores da srie 8X30 (8230,

    8430) em que a manobra de cabeceira realizada pelo prprio piloto automtico, sem

    a atividade do operador. Ao chegar ao final do talho, o trator realiza uma srie de

    funes que foram pr-programadas pelo operador, como acionar as vlvulas

    hidrulicas (erguer o implemento), baixar a rotao do motor e as marchas, desligar a

    TDP e iniciar a manobra. Quando a manobra finalizada, o trator volta ao modo de

    trabalho (volta rotao e marcha definida ao trabalho, baixa o implemento e liga a

    TDP, se estas forem as funes previamente programadas).

    Expectativas

    Est previsto para maro de 2010 o lanamento das colhedoras de cana com

    piloto automtico integrado, de fbrica, produto muito esperado pelo setor canavieiro.

    Com ele ser possvel seguir uma programao de linhas pr-definidas. O trator planta

    nas linhas de cultivo, e a colhedora passa exatamente na mesma linha um ano aps,

    sem trafego sobre soqueira. Isto reduzir o problema de pular linhas na colheita de

    cana, erro ocorrido principalmente durante o trabalho noturno.

    Para o mesmo ano, tem-se a forte expectativa do lanamento do piloto

    automtico integrado nas colheitadeiras de gros STS, alm de uma mquina axial de

    menor porte. Como o mapa de colheita s est disponvel nas STS, seria uma boa

    oportunidade dos produtores menores terem acesso aos produtos AMS.

    Recentemente foram realizados testes da Antena StarFire 300. uma antena

    que possui correo diferencial WAAS ou EGNOS, porm no Brasil operar sem

    nenhuma das duas. Esta antena ter um custo mais baixo em relao s antenas

    StarFire iTC, tornando a Soluo Barra de Luz muito mais vivel e compatvel com os

    concorrentes.

Recommended

View more >