aw december 2014 portuguese

Download Aw december 2014 portuguese

Post on 06-Apr-2016

218 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

AW December 2014 portuguese

TRANSCRIPT

  • R e v i s t a I n t e r n a c i o n a l d a I g r e j a A d v e n t i s t a d o S t i m o D i a

    Dezembro 2014

    Minhalepra

    20 DeusNossocriador

    26 Enfrentandonossos medos27

    RSSIAMADE IN

    R e v i s t a I n t e r n a c i o n a l d a I g r e j a A d v e n t i s t a d o S t i m o D i a

  • Adventist World (ISSN 1557-5519) editada 12 vezes por ano, na primeira quinta-feira do ms, pela Review and Herald Publishing Association. Copyright (c) 2005. V. 10, N- 12, Dezembro de 2014.

    www.adventistworld.orgOn-line: disponvel em 11 idiomas

    Traduo: Sonete Magalhes Costa

    A R T I G O D E C A P A

    16 Made in RssiaAndrew McChesneyAps a queda do comunismo, a ex-Unio Sovitica teve fome de literatura crist.

    10 V I S O M U N D I A L Confiando em nosso Deus todo-poderoso

    Ted N. C. Wilson Avanando a despeito dos obstculos.

    12 D E V O C I O N A L A escrivaninha Olen Netteburg Verdadeiro ou falso: Deus necessita de ns.

    14 C R E N A S F U N D A M E N T A I S Unidos Callie Williams Deus nos chama para participar de algo

    maior do que ns mesmos.

    20 V I D A A D V E N T I S T A Minha lepra Grace Lee Ela tem cura!

    24 H E R A N A A D V E N T I S T A Ellen White como voc nunca viu

    Andrew McChesney Mais de cem anos depois, surge nova

    fotografia de Ellen White.

    22 E S P R I T O D E P R O F E C I A O Natal para as crianas

    26 R E S P O S T A S A P E R G U N T A S B B L I C A S

    Nosso Deus criador

    27 E S T U D O B B L I C O Enfrentando

    nossos medos

    28 T R O C A D E I D E I A S

    S E E S

    Dezembro 2014

    3 N O T C I A S D O M U N D O 3 Notcias especiais

    9 S A D E N O M U N D O Livre para respirar

    I L U S T R A O D A C A P A : S E R G E Y E L K I N2 Adventist World | Dezembro 2014

  • N O T C I A S D O M u N D O

    S E E S

    Os lderes adventistas aprovaram provisoriamente as propostas de reviso das principais crenas fundamentais da igreja adventista. Depois de dois dias de discusses, Artur A. Stele, presidente da comisso de reviso, disse que a troca de ideias ajudou a melhorar o produto final.

    No fim da tarde do dia 13 de outubro, os delegados do Conclio Anual a maior reunio administrativa da igreja endossaram com facilidade a ltima reviso proposta para as 28 Crenas Fundamentais, sob o voto 202-2, com trs abstenes. Eles concordaram em enviar o documento assembleia da Associao Geral para discusso e votao final pela igreja mundial, em julho de 2015.

    Quando as discusses comearam, Ted N. C. Wilson, presidente mundial da Igreja Adventista, garantiu aos delegados: As revises no mudam nenhuma das crenas fundamentais. Elas simplesmente atua-lizam e enxugam o texto. No quero que ningum nesta sala pense que estamos mudando nossas crenas. Estamos simplesmente ajustando o texto para torn-lo mais claro e til.

    A graa ao longo do tempo

    Discusso sobre as Crenas: Artur A. Stele, presidente da Comisso de Reviso, discute as atualizaes das 28 Crenas Fundamentais no Conclio Anual, em 12 de outubro.

    AN

    SE

    L

    OL

    Iv

    ER

    /

    A

    NN

    AtualizaoCrenas Fundamentais

    dasAs revises so um marco na histria das Crenas Fundamentais, que praticamente no foram modificadas desde 1980.

    Andrew McChesney, editor de notcias da Adventist World

    Dezembro 2014 | Adventist World 3

    O guia do parque esperou at que o nosso grupo, acostumado a caminhar somente na cidade, o alcanasse no caminho do Canyon. Mas, em lugar de chamar nossa ateno para as imponentes e dramticas falsias sobre nossa cabea ou para o rio fazendo seu caminho pelo vale, ele s apontou para um grupo de samambaias salientes na parede rochosa, cerca de 30 metros acima de onde estvamos.

    Com um sorriso, ele disse: Voc pode estar se perguntando como aquelas samambaias conseguem obter gua neces-sria para sobreviver neste penhasco, no deserto. Algum tem alguma ideia?

    Fomos sbios o suficiente para sequer tentar responder sobre algo que nenhum de ns imaginava a resposta.

    Ele continuou: Os hidrlogos dizem que a nica fonte de gua para aquela exploso exuberante de samambaias no penhasco a gua que as mantm vivas caiu do plat da montanha, centenas de metros acima delas, h mais de vinte anos. So necessrias duas dcadas para que a gua escoe 700 metros atravs do arenito e leve os nutrientes que fazem com que essas samambaias cresam.

    Agora foi a minha vez de sorrir, pois, de certa maneira, eu j conhecia essa histria. Ao observar como Deus nutre e reanima a Sua obra em todo o mundo pela graa concedida originalmente h anos e at mesmo h muitas dcadas, tambm sou abenoado. Em Sua misericrdia, as bnos nunca perdem o valor, mesmo quando a pessoa ou o ministrio que as recebe tenha sado de cena.

    Ao ler o artigo de capa deste ms, que conta como o ministrio de uma das casas publicadoras mais histricas do adventismo se tornou fonte para que outra editora florescesse, agradea ao Pai porque nada que vem dEle desperdiado. A chuva com a qual Deus o abenoa tambm ir abeno-ar outros se voc permitir que Ele mante-

    nha ativo o fluxo de bondade.

  • N O T C I A S D O M u N D O

    O Conclio Anual de 2014 agendou a discusso e votao para o dia 12 de outubro. Entretanto, os mais de 20 co-mentrios dos delegados foraram a co-misso de reviso a voltar ao trabalho. Ento, foi marcada uma reunio para o dia 13 de outubro e, antes do meio-dia, todas as revises propostas (menos uma) foram aprovadas e registradas no voto 179-15, com cinco abstenes.

    Creio que o processo foi muito til. Depois que apresentamos o projeto, muitas sugestes foram feitas. Penso que o resultado ficou melhor que o de domingo, dia 12 de outubro, disse Artur Stele, diretor do Comit de Pesquisas Bblicas da Igreja.

    As revises so um marco na histria das Crenas Fundamentais, que eram 27 quando foram escritas pela primeira vez, em 1980. Com exceo da adio da 28 crena (Crescimento em Cristo, n 11), em 2005, elas tm permanecido intocadas at hoje. Entre outras crenas fundamentais, est O sbado (n 20), O batismo (n15) e A natureza do homem (n 7), que est prestes a se tornar A natureza da humanidade.

    As revises introduziram no texto uma linguagem inclusiva de gnero, onde o ensino bblico a ser referido tem a clara inteno de incluir tanto homens como mulheres.

    A maior discusso se concentrou nas objees substituio da expresso santos homens de Deus por santas pessoas de Deus, na Crena Fundamental n 1, intitulada As Sagradas Escrituras. Depois, a comisso de reviso trocou a frase por autores inspirados, conforme sugesto do evangelista Mark Finley. Os delegados aprovaram o item final.

    Stele disse que no teve problema para realizar a troca dessa frase, pois as objees dos delegados devem ter sido feitas por questes de conscincia. A frase original santos homens de Deus vem de 2 Pedro 1:20, 21, cujo texto original grego usa uma linguagem de gnero inclusiva.

    Mantendo isso em mente, a Asso-ciao Geral (que supervisiona a igreja mundial) nomeou uma comisso de reviso, formada por quatro membros, para trabalhar com A criao. Ao mes-mo tempo, foi solicitada a essa comisso a reviso de outras crenas fundamentais para possveis ajustes. Os outros mem-bros da comisso so ngel Manuel Rodrguez e Gerhard Pfandl, respectiva-mente ex-diretor e ex-diretor associado do Instituto de Pesquisas Bblicas.

    A primeira ao da comisso foi convidar os membros da igreja de todo o mundo a enviar sugestes durante um ano inteiro um passo que no faz parte do protocolo, mas que Stele disse ser valioso.

    certo que no podamos incor-porar todas as novas sugestes porque algumas eram contraditrias. O que um grupo sugeria, o outro grupo pedia para no usarmos. Portanto, esse foi o processo, infomou ele.

    Segundo Stele, a comisso empregou um conjunto de cinco critrios para determinar qual sugesto incluir:

    1. Incluir as sugestes que aprofun-dem as declaraes, mas no muito.

    2. No incluir todas as sugestes em todas as sesses; necessrio ver o documento como um todo.

    3. Aceitar ideias que no esto includas na minuta, mas que podero ser incorporadas a ela.

    4. Aceitar boas sugestes que encur-tem a minuta.

    5. Eliminar sugestes que sugiram promover uma agenda pessoal.

    Eles cresceram ouvindo essa expresso, e lhes parecia ser uma citao das Escrituras; por isso, acharam que estvamos mudando o texto sagrado. Para sermos sensveis a essa questo, decidimos: Por que, ento, no procu-ramos outra frase?, comentou Stele.

    Bill Knott, membro da comisso de reviso e editor da Adventist Review e Adventist World, elogiou o produto final: A soluo criativa sugerida pelo pastor Mark Finley ilustra os valores do povo de Deus pensando junto em como melhor expressar suas crenas na importncia e autoridade das Escrituras.

    Como aconteceram as revises O processo de reviso comeou

    com uma ao votada na assembleia da Associao Geral de 2010 para harmo-nizar a Crena Fundamental n 6, A criao, como a declarao da criao aprovada pelo Conclio Anual em 2004. A declarao do conclio enfatiza que a Terra foi criada em seis dias literais h vrios milhares de anos duas questes que estiveram sob o escrutnio de evolucionistas e no so mencionadas na declarao atual da crena n 6.

    Trocar uma crena fundamental no algo simples. Quando a crena n 28 foi acrescentada em 2005, os delegados da assembleia da Associao Geral passaram o protocolo que requer pelo menos dois anos de trabalho em todos os nveis da Igreja Adventista antes que qualquer mudana seja considerada na sesso da Associao Geral.

    DELEGADOS ouvem atentos: Delegados do Conclio Anual de 2014, reunidos no auditrio principal na sede da Associao Geral, em Silver Spring, Maryland,