Avaliao nutricional da alface cultivada em solues nutritivas ...

Download Avaliao nutricional da alface cultivada em solues nutritivas ...

Post on 07-Jan-2017

214 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • Revista Biotemas, 24 (2), junho de 2011

    27

    Avaliao nutricional da alface cultivada em solues nutritivas suprimidas de macronutrientes

    Thiago Batista Firmato de Almeida*Renato de Mello Prado

    Marcus Andr Ribeiro CorreiaAline Peregrina Puga*Jos Carlos Barbosa

    PPG em Agronomia (Cincia do Solo)Faculdade de Cincias Agrrias e Veterinrias

    Universidade Estadual PaulistaVia de Acesso Prof. Paulo Donato Castellane, s/n, CEP 14.870-000, Jaboticabal SP, Brasil

    * Autores para correspondnciathibalmeida@gmail.com; linepuga@yahoo.com.br

    Submetido em 30/11/2010Aceito para publicao em 12/04/2011

    ResumoA alface a mais popular das hortalias folhosas, sendo conhecida mundialmente e o seu consumo ocorre

    principalmente na forma in natura. Objetivou-se avaliar o efeito da omisso de macronutrientes no crescimento tratamentos foram: soluo completa e omisso individual de N, P, K, Ca, Mg e S, sob delineamento inteiramente casualizado, com trs repeties. As plantas foram cultivadas em soluo nutritiva de Hoagland & Arnon, em vasos (8L). Aos 56 dias aps o transplantio, foram avaliados: a altura das plantas, o nmero de folhas, a rea foliar, o ndice SPAD, a matria seca da parte area, das razes e planta inteira, os teores dos macronutrientes da parte area e razes e descrio das desordens nutricionais. As omisses dos nutrientes afetaram as variveis de crescimento. Os teores de nutrientes observados nas plantas de alface do tratamento com soluo nutritiva completa e da omisso, na parte area foram, respectivamente, N= 23,2 9,5; P= 5,4 1,3; K= 58,9 3,2; Ca= 12,1 3,6; Mg= 5,5 0,7 e S= 3,2 1,5g.kg-1. As omisses dos macronutrientes causaram prejuzos, pois !"#$

    Palavras-chave: % Lactuca sativa, Nutrio mineral

    AbstractNutritional disorder of lettuce cv. Veronica in nutrient solution with suppressed macronutrients.

    Lettuce is the most popular of the leafy vegetables. It is known worldwide and its consumption occurs mainly in the natural form. The objective was to evaluate the effect of macronutrient omission on the growth and

    '+'

  • Revista Biotemas, 24 (2), junho de 2011

    28 T. B. F. Almeida et al.

    completely randomized design with three replications. Plants were grown in Hoagland & Arnon, in pots (8L). At 56 days after transplant we evaluated plant height, leaf number, leaf area, SPAD index, dry matter of shoots, roots and whole plant, levels of macronutrients in shoots and roots, and the nature of nutritional disorders. The omission of nutrients affected the growth variables. The nutrients found in lettuce plants from nutrient solution and the complete omission in the shoot were, respectively, N= 23.2 to 9.5, P= 5.4 to 1.3, K= 58,9 to 3.2, Ca= 12.1 to 3.6, Mg= 5.5 to 0.7 and S= 3.2 to 1.5g.kg-1. The omission of macronutrients caused quality losses, since "+""'+'

    Key words: Lactuca sativa>?'

    IntroduoA alface a mais popular das hortalias folhosas,

    sendo conhecida mundialmente e o seu consumo ocorre principalmente na forma in natura. Originria de clima temperado, a sua adaptao, em regies de temperatura elevada, tem gerado obstculos ao seu crescimento e desenvolvimento, impedindo que a cultura expresse todo o seu potencial gentico. uma das hortalias mais difundidas atualmente, sendo cultivada por todo o pas (LIMA, 2005). No entanto, o cultivo da alface entre os produtores destaca-se por se tratar de uma cultura de fcil manejo e por apresentar ciclo curto, garantindo rpido retorno do capital investido (KOEFENDER, 1998).

    No Brasil, a cultura da alface tem uma rea plantada de aproximadamente 35.000ha, sendo que o grupo que predomina do tipo crespa. Neste grupo, enquadra-se a cv. Vernica, liderando com 70% do mercado, enquanto o tipo americana detm 15% deste mercado (COSTA; SALA, 2005). Dentre as hortalias de folhas, a alface a mais plantada e consumida pela populao brasileira. O estado de So Paulo o principal produtor de hortalias e tem o maior mercado consumidor do Brasil (CAMARGO FILHO; CAMARGO, 2008).

    Em cultivos protegidos, a tcnica hidropnica pode ser considerada a aplicao mais intensiva deste sistema agrcola de produo e, segundo Rodrigues (2002), uma alternativa de cultivo de plantas com uso de solues nutritivas balanceadas, na ausncia ou na +

    Na literatura encontra-se uma srie de sugestes de soluo nutritiva para o cultivo da alface, porm, nesta rea ressente-se da falta de pesquisa na rea de nutrio de plantas, especialmente com relao s

    desordens nutricionais fato importante, pois pode afetar a produtividade e a qualidade das hortalias.

    Diante disso, objetivou-se avaliar o efeito da omisso de macronutrientes no crescimento e no estado nutricional da alface cv. Vernica, bem como descrever

    Material e MtodosO experimento foi realizado na Faculdade de

    Cincias Agrrias e Veterinrias da UNESP, campus de Jaboticabal, estado de So Paulo, cujas coordenadas ""WXYZo1522S, 48o1858O e altitude de 575m, utilizando a cultura da alface, cv. Vernica, em vasos contendo 8L de soluo nutritiva.

    Objetivou-se com o trabalho, avaliar o efeito da omisso de macronutrientes no crescimento e no estado nutricional da alface cv. Vernica, bem como descrever

    Os tratamentos foram constitudos por: 1- soluo nutritiva completa (N, P, K, Ca, Mg, S, B, Cl, Cu, Fe, Mn, Mo e Zn); 2- omisso de nitrognio (-N); 3- omisso de fsforo (-P); 4- omisso de potssio (-K); 5- omisso de clcio (-Ca); 6- omisso de magnsio (-Mg); 7- omisso de enxofre (-S), dispostos em um delineamento inteiramente casualizado, com trs repeties.

    A semeadura da alface foi realizada em bandeja de 200 clulas em substrato comercial Bioplant, sem adubao. Aps a formao das primeiras folhas, dez dias aps a emergncia (DAE), duas plntulas foram transplantadas para vasos contendo 8L de soluo nutritiva de Hoagland e Arnon (1950), diluda a 50% da concentrao usual, mantidos durante a primeira semana

  • Revista Biotemas, 24 (2), junho de 2011

    29Desordem nutricional em alface suprimida de macronutrientes

    de cultivo e soluo a 100% para a segunda semana de

    +!+$\]+utilizou-se a presente soluo nutritiva sem a diluio. Alocaram-se os vasos na casa de vegetao, em bancadas a 1m de altura do solo, distanciando de 0,4m entre si. As solues nutritivas foram substitudas a cada quinze dias e preparadas com gua deionizada. O pH das solues nutritivas foi monitorado diariamente, ajustando-se a 5,5 0,5, usando-se soluo NaOH ou HCl 0,1M.L-1. Para a reposio da gua evapotranspirada utilizou-se gua deionizada, sendo a soluo nutritiva oxigenada constantemente, atravs de compressor de ar.

    Realizou-se durante a conduo do experimento o rodzio dos vasos a cada semana, para proporcionar as mesmas condies de temperatura, umidade e luminosidade para os tratamentos.

    As plantas foram colhidas aps 56 dias aps o transplantio (DAT). Nessa ocasio, determinou-se a altura das plantas, medida do colo da planta at o pice da ltima folha desenvolvida e o nmero total de folhas por planta. Realizou-se a medida indireta do teor de

    +^_ %{^_`'Development) em dez folhas por unidade experimental com auxlio do aparelho da OPTI-Sciences modelo CCM-200 e a rea foliar foi medida com o aparelho LI-3100 Area Meter.

    O material vegetal colhido foi lavado com gua deionizada, separado em parte area e razes e colocado para secar em estufa de ventilao forada a 65oC at massa constante, determinando-se, ento a matria seca. Aps, determinou-se os teores dos macronutrientes na matria seca da parte area e das razes, conforme mtodo descrito por (BATAGLIA et al., 1983). Com os resultados da matria seca da parte area (MSPA) e razes (MSR) calculou-se a matria seca da planta inteira (MSPI) e dos respectivos teores de nutrientes, realizou-se o clculo do acmulo desses nutrientes na parte area (APA), raiz (AR) e na planta inteira (API). Durante +$]+#|" plantas para cada tratamento.

    Para os resultados obtidos, realizou-se a anlise de varincia e para comparao das mdias, o teste de Tukey (p

  • Revista Biotemas, 24 (2), junho de 2011

    30 T. B. F. Almeida et al.

    TABELA 1: Variveis vegetativas das plantas de alface, em funo da omisso de macronutrientes na soluo nutritiva e da soluo completa.

    TratamentosAltura

    de planta (AP)

    rea foliar (AF)

    Nmero de folhas /

    planta (NF)SPAD

    Matria secaParte area

    (MSPA) Razes (MSR)Planta inteira

    (MSPI)cm mm g planta-1

    Soluo completa 59,16 1313,53 26,67 5,27 7,17 1,02 8,19- N 24,25* 230,80* 11,00* 2,43* 1,75* 0,53* 2,29*- P 15,17* 201,76* 13,00* 3,03* 1,10* 0,30* 1,37*- K 11,25* 102,33* 15,00* 3,83* 0,10* 0,10* 0,15*- Ca 8,77* 28,65* 4,67* 3,93* 0,15* 0,03* 0,18*- Mg 22,50* 466,10* 18,00* 4,37* 1,80* 0,17* 1,98*- S 41,77* 828,15* 20,33* 3,67* 4,80* 0,40* 5,16*F 232,85** 146,16** 104,44** 31,40** 412,83** 209,61** 504,76**DMS 5,77 185,70 3,33 0,78 0,62 0,11 0,62C.V.% 7,9 14,7 7,7 7,4 9,3 11,2 8,2

    %"+N>Ca>Mg>P>S), o AR (N>K>P>S>Ca>Mg) e o API (K>N>Ca>P>Mg>S), destacando-se o potssio e o nitrognio.

    Sanchez (2007), trabalhando com cultivares de alface crespa em hidroponia, determinou a seguinte ordem decrescente quanto ao seu acmulo de macronutrientes nas folhas: K>N>Ca>Mg>P>S, corroborando com a mesma sequncia ocorrida neste experimento no tratamento com soluo nutritiva completa. Os dados obtidos por Furlani (1995) e Cortez et al. (2000), ambos cultivando em sistema hidropnico obedeceram a seguinte ordem para a extrao de macronutrientes: K>N>Ca>P>Mg, sendo esta mesma sequncia tambm obtida por Garcia (1982), s que em condies de solo. Nota-se, nestes dados da literatura, semelhanas com a do presente trabalho.

    A partir dos resultados, foi possvel concluir que as omisses dos nutrientes afetaram as variveis de

    _ ?$^_ %produo de MSPA. J as omisses dos macronutrientes causaram prejuzos, pois afetaram a nutrio da hortalia !"#$

    RefernciasASHKAR, S. A.; RIES, S. K. Lettuce tipburn as related to nutrient imbalance and nitrogen composition. Journal of American Society for Horticultural Science, Alexandria, v. 96, n. 4, p. 448-452, 1971.BARBOSA, J. C.; MALDONADO JR, W. AgroEstat Sistema de anlises estatsticas de ensaios agronmicos, Verso 1.0, Jaboticabal: Universidade Estadual Paulista, 2010. s/paginao.BATAGLIA, O. C.; FURLANI, A. M. C.; TEIXEIRA, J. P. F.; FURLANI, P. R.; GALLO, J. R. Mtodos de anlise qumica de plantas. Campinas: IAC, 1983. 48 p.CAMARGO FILHO, W. P.; CAMARGO, F. P. Planejamento da produo sustentvel de hortalias folhosas: organizao das informaes decisrias ao cultivo. Informaes Econmicas, So Paulo, v. 38, n. 3, p. 27-36, 2008.CASTELLANE, P. D.; ARAJO, J. A. C. Cultivo sem solo Hidroponia. 4 ed. Jaboticabal: FUNEP, 1995. 43 p.COLLIER, G. F.; TIBBITTS, T. W. Tipburn of lettuce. Horticultural Reviews, Milton, v. 4, p. 49-65, 1982.CORTEZ, G. P.; ARAJO, J. A. C.; BELLINGIERI, P. A. Cultivo de alface em hidroponia associada criao de peixes. I. qualidade

    da gua. Horticultura Brasileira, Braslia, v. 18, p. 192-193, 2000.COSTA, C. P.; SALA, F. C. A evoluo da alfacicultura brasileira. Horticultura Brasileira, Braslia, v. 23, n. 1, artigo de capa, 2005.FAQUIN, V.; MARQUES, E. S.; SANTOS, H. S.; DUBOC, E. relao NO3-: NH4+ e cloro na soluo nutritiva e do horrio de colheita. In: REUNIO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIO DE PLANTAS, 21, Petrolina, 1994. Anais... Petrolina, SBCS, 1994. p. 152-153.FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produo e comercializao de hortalias. 2 ed. Viosa: Universidade Federal de Viosa, 2003. 412 p.FURLANI, P. R. Cultivo de alface pela tcnica de hidroponia NFT. Campinas: Instituo Agronmico de Campinas, 1995. 18 p.GARCIA, L. L. C. Absoro de macro e micronutrientes e sintomas de carncia de macronutrientes em alface (Lactuca sativa L.), cv. Brasil 48 e Clauses Aurlia. 1982. 78 f. Dissertao (Mestrado em Agronomia) Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de So Paulo, Piracicaba. 1982.HAAG, H. P. Manual de Adubao. So Paulo: Associao Nacional para Difuso de Adubos-ANDA, 1971. 256 p.HAAG, H. P.; MINAMI, K. Nutrio mineral de hortalias LXXV. Absoro de nutrientes pela cultura de almeiro. Anais da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, v. 45, n. 2, p. 597-603, 1988.HOAGLAND, D. R.; ARNON, D. I. The water culture method for growing plants without soils. Berkeley: California Agricultural Experimental Station, 1950. 347 p.KOEFENDER, R. B. Hidroponia como instalar e manejar o plantio de hortalias dispensando o uso do solo. So Paulo: Nobel, 1998. 102 p.LIMA, B. A. B. Avaliao de mudas de alface submetidas adubao foliar com biofertilizantes cultivadas em diferentes substratos. Y Y >" { `"~-ESAM, Mossor. 2005.MALAVOLTA, E. Elementos de nutrio mineral de plantas. So Paulo: Agronmica Ceres, 1980. 251 p.MALAVOLTA, E. Manual de nutrio mineral de plantas. So Paulo: Editora Agrnomica Ceres, 2006. 638 p.MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Avaliao do estado nutricional das plantas: princpios e aplicaes. 2 ed. Piracicaba: POTAFS, 1997. 319 p.NOGUEIRA FILHO, H.; SANTOS, O.; BORCIONI, E.; SINCHAK, S.; PUNTEL, R. Aquaponia: Interao entre alface hidropnica e criao superintensiva de Tilpias. Horticultura Brasileira, Braslia, v. 21, n. 2, s/paginao, 2003.PRADO, R. M. Nutrio de plantas. So Paulo: Editora UNESP, 2008. 417 p.RODRIGUES, L. R. F. Tcnicas de cultivo hidropnico e de controle ambiental no manejo de pragas, doenas e nutrio vegetal em ambiente protegido. Jaboticabal: FUNEP. 765 p. 2002. SANCHEZ, S. V. Avaliao de cultivares de alface crespa produzidas em hidroponia tipo NFT em dois ambientes protegidos em Ribeiro Preto-SP. 2007. 63 f. Dissertao (Mestrado em Agronomia). Faculdade de Cincias Agrrias e

  • Revista Biotemas, 24 (2), junho de 2011

    36 T. B. F. Almeida et al.

    Veterinrias/Universidade Estadual Paulista FCAV/UNESP, Jaboticabal. 2007.?

Recommended

View more >