AVALIAÇÃO DA CONTAMINAÇÃO ... - ?· DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA A monografia, “Avaliação da contaminação…

Download AVALIAÇÃO DA CONTAMINAÇÃO ... - ?· DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA A monografia, “Avaliação da contaminação…

Post on 24-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    SERGIO SILVA DOS SANTOS

    AVALIAO DA CONTAMINAO ATMOSFRICA POR MERCRIO NAS LOJAS DE COMERCIALIZAO DE OURO NO CENTRO URBANO DA CIDADE DE PORTO VELHO-RO

    MONOGRAFIA

    ORIENTADOR: Prof. Dr. VANDERLEI MNIESI CO-ORIENTADOR: Prof. Ms. WANDERLEY RODRIGUES BASTOS

    PORTO VELHO RO, AGOSTO DE 2001

  • 2

    FUNDAO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDNIA UNIR

    NCLEO DE CINCIA E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA AVALIAO DA CONTAMINAO ATMOSFRICA POR MERCRIO NAS LOJAS DE COMERCIALIZAO DE OURO NO CENTRO URBANO DA CIDADE DE PORTO VELHO-RO

    Monografia apresentada como requisito final para a apresentao conclusiva do curso de Bacharelado em Geografia, orientada pelo Prof. Dr. Vanderlei Maniesi, do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Rondnia UNIR.

    PORTO VELHO RO, AGOSTO DE 2001

  • 3

    FUNDAO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDNIA UNIR

    NCLEO DE CINCIA E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA A monografia,

    Avaliao da contaminao atmosfrica por mercrio nas lojas de comercializao de ouro no centro urbano da cidade de Porto Velho-RO

    Elaborado por Sergio Silva dos Santos Orientado por Prof. Dr. Vanderlei Maniesi E aprovada por todos os membros da Banca Examinadora, foi aceita pelo Departamento de Geografia como requisito para a obteno do ttulo de Bacharelado em Geografia. Porto Velho RO, Agosto de 2001

    Banca Examinadora

    ______________________________________ Prof. Dr. Vanderlei Maniesi

    Orientador

    ______________________________________ Prof. Ms Dorisvalder Dias Nunes

    Membro da Banca

    ______________________________________ Prof.Ms Eloisa Elena

    Membro da Banca

  • 4

    ...conduzir pr ordem os meus pensamentos, comeando pelos mais simples e mais fceis de conhecer, para subir, pouco a pouco, como por degraus... Descartes.

    NDICE

  • 5

    Pgina Agradecimentos Vii Apresentao Viii Lista de tabelas Ix Lista de grficos X Lista de smbolos Xi Resumo Xii

    I-INTRODUO 01

    I.1- Localizao da rea de estudo 02 I.2- Aspecto fisiogrfico 02 I.3- O mercrio no meio ambiente e na Amaznia 03 I.4- Toxicologia do mercrio 05 I.5- Anlise de Hg no Ar atmofrico 06

    II- OBJETIVOS 08

    II.1- Geral 08 II.2- Especfico: 08

    III- MATERIAIS E MTODOS 09

    III.1- Tcnica com o biomonitor 09 III.2- Tcnica mecnica com borbulhador 10 III.3- Tcnica de anlise de sedimento 10 III.4-Tcnica de anlise de urina 11

    IV- RESULTADOS 11

    V- CONCLUSO 20

    VI- BIBLIOGRAFIA 21

  • 6

    AGRADECIMENTO A Deus, pelo dom da vida. Aos meus familiares: pais, irmos, filhos e esposa pelo apoio e compreenso das minhas ausncias. Ao Prof. Dr. Ene Gloria da Silveira, pela oportunidade de participar de uma iniciao cientfica no PIBIC, no qual engrandeceu a minha formao acadmica e profissional. Ao meu orientador Prof. Dr. Vanderlei Maniesi, pelo valiosa e competente orientao. Ao Prof. Ms Wanderley Rodrigues Bastos, por ter colaborado para meu desenvolvimento referente a pesquisa cientfica como co-orientador. Aos membros da equipe do LABIOGEOQ, pelo companheirismo e amizade, essenciais para o desenvolvimento deste trabalho. A todos os professores que muito me ajudaram nestes quatro anos e meio de aprendizagem e em especial a Professora Eloiza Elena, no qual me deu grandiosas sugestes e apoio.

  • 7

    APRESENTAO

    Esta monografia teve como principal objetivo realizar o monitoramento da contaminao atmosfrica por mercrio nas lojas de comercializao de ouro no centro urbano da cidade de Porto Velho-RO, atravs do biomonitor Tillandsia usneoides L.L.(Bromeliaceae), sedimento superficial das rua e nas urina dos trabalhadores destas lojas. No qual nos mostrou os atuais teores de mercrio nas matrizes citados acima, que serviro de parmetro para futuras pesquisas no contexto evolutivo ou redutivo da contaminao por mercrio no ambiente em questo.

  • 8

    LISTA DE TABELAS

    Pgina

    Tabela 1: Resultado de [Hg] no Biomonitor 13 Tabela 2: Resultado de [Hg] em sedimento superficial 15 Tabela 3: Resultado de [Hg] em urina de trabalhadores 17

  • 9

    LISTA DE FIGURAS

    Pgina

    Grfico 1: Correlao de [Hg] no Biomonitor e perodo climtico 14

    Grfico 2: Correlao de [Hg] em sedimento superficial e perodo climtico 16 Grfico 3: Correlao da [Hg] em urina dos trab. com F.J.T e I.J.T 18 Grfico 4: Correlao de [Hg] em Ar e o ambiente fechado e aberto 19

  • 10

    LISTA DE SMBOLOS

    CPVH Centro de Porto Velho, Rondnia

    FJT- Final de Jornada de Trabalho FIMS- Flow Injection Mercury System FCU- Fator de Correo de Umidade Hg- Mercrio [Hg]- Concentrao de Mercrio H2SO4- cido Sulfurico HNO3- cido Ntrico IJT- Incio de Jornada de Trabalho KMnO4- Permanganato de Potssio icro NH2OH.HCl- Cloridrato de Hidroxilamina OMS- Organizao Mundial de Sade

  • 11

    UFRJ- Universidade Federal do Rio de Janeiro

    RESUMO

    Na presente monografia, foi realizado um monitoramento do mercrio no

    meio ambiente em especial no ar atmosfrico, nas lojas de comercializao de

    ouro e proximidades, no centro urbano da cidade de Porto Velho-RO. Onde se

    utilizou mtodos e tcnicas com o biomonitor Tillandsia usneoides

    L.L.(bromeliaceae) e borbulhamento mecnico para determinao de

    concentrao total de mercrio em sedimento superficial, ar e urina. Utilizando-

    se a digesto de amostras em forno de microondas e banho-maria associado com

    cidos, em seguida com a determinao automatizada de mercrio pr gerao

    de vapor frio acoplado a um espectrofotmetro de absoro atmica, no

    Laboratrio Biogeoqumica Ambiental UNIR-RO.

    Neste trabalho foi constatado a presena de mercrio em, sedimento

    superficial no ar atmosfrico e em urina onde apresentou ndice at 02 vezes

    superior ao sugerido pela Organizao Mundial de Sade (OMS), que de

    50g.L-1 e no ar atravs do biomonitor 608 vezes superior a uma rea sem

    influncia de fonte poludora.

  • 12

    Revelando assim, que o mercrio esta presente no ambiente em estudo

    como tambm ainda continua sendo lanado no ambiente embora em menor

    escala que no passado, merecendo com isso aprofundamento e continuidade no

    monitoramento deste metal no essencial aos seres humanos.

  • 13

    I-INTRODUO

    O ser humano prioriza suas necessidades fisiolgicas, especialmente

    alimentao, deixando geralmente despercebido um item primordial para sua

    sobrevivncia que ar (oxignio) que respira. Vejamos, um homem adulto

    consegue sobreviver algumas semanas sem alimentao e s alguns dias sem

    gua. Mas apenas alguns minutos sem ar (oxignio).

    Com isso, na Amaznia, em especial na bacia do rio Madeira, teve-se uma

    intensa utilizao do mercrio (Hg) no processo de extrao de ouro devido a

    grande atividade garimpeira durante as dcadas de 70 e 80, o que proporcionou

    uma grande disperso de mercrio no ambiente. Embora numa escala bastante

    inferior, ainda hoje ocorrem constantes liberaes de vapor de mercrio nos

    garimpos da regio e, principalmente, nas lojas de comercializao desse metal,

    que funcionam no centro da cidade de Porto Velho-RO.

    No que diz respeito determinao da qualidade do ar, segundo a

    Organizao Mundial de Sade (OMS), o mercrio (Hg) quando presente na

    atmosfera em altas concentraes pode causar danos sade de indivduos

    expostos.

    Pesquisador como Veiga (1994), relata tambm a disperso de vapor de

    Hg para atmosfera proveniente das queimadas, que tem ocorrncia anual no

    perodo de estiagem na regio em estudo.

    Diante desses fatos observa-se a necessidade de um estudo, atravs do

    monitoramento atmosfrico por este metal na regio.

  • 14

    I.1-Localizao da rea de estudo

    O municpio de Porto Velho RO, situa-se na latitude 8 45 43 Sul e

    longitude 63 54 14 Oeste com uma altitude 85,2m, sua rea de 34.209,5Km2,

    seus pontos extremos e limites; ao Norte o Estado de Amazonas, ao Sul Nova

    Mamor e Buritis, a Leste Candeias do Jamari e Alto Paraso, ao Oeste o

    Republica da Bolvia e o Estado do Acre.

    Sua populao estimada residente no Municpio de Porto Velho em

    1997, segundo o IBGE, era de 304.996 habitantes.

    A cachoeira de Teotnio, est localizada a Sudoeste da cidade de Porto

    Velho-RO, no rio Madeira, entre os municpios Porto Velho e Jaciparan, na

    latitude 80 53 8 Sul e longitude 640 4 34 Oeste.

    I.2- Aspecto Fisiogrfico

    A diversificao das caractersticas e propriedades dos solos impe

    regio um carter heterogneo, onde se destacam o Podzlico Vermelho

    Amarelo, Latossolo Vermelho Amarelo e Latossolo Amarelo, desenvolvidos

    principalmente a partir de rochas do Pr-Cambriano e sedimentos do Tercirio

    (RADAMBRASIL, 1978).

    A hidrografia da rea constituda principalmente pelo rio Madeira, o

    qual corta rochas pr-cambrianas e sedimento cenozico desde seu alto curso at

    a cidade de Porto Velho. Neste trecho o rio apresentase encaixado,

    apresentando desnveis altimtricos em suas margens, assim como afloramentos

    rochosos em seu leito, responsveis por vrias cachoeiras e corredeiras. Ao

    penetrar no domnio exclusivo dos sedimentos cenozico, a norte de Porto

    Velho, a montante do rio Madeira, no apresenta mais cachoeira e nem

    corredeiras, o rio se torna meandrante, formando vrios depsitos recentes, onde

    se observa o nmero varivel de praias. Rondnia possui predominncia de

  • 15

    Floresta do tipo Hilia, porem menos rica em gneros e espcies e, floresta

    tropical latifoliada com espcies decduas que indicam a existncia da estao

    seca. Destacam-se como as mais abundantes: Floresta Ombrfila Aberta

    (Floresta de Transio), Savanas e reas de Tenso Ecolgica e Ao

    Antrpicas (Kuhlmann apud SILVEIRA, 1998).

    Localizado na Regio Norte, o estado de Rondnia possui caractersticas

    do domnio climtico mais pluvioso do Brasil. Correspondendo, pois, a uma

    transio entre o Amaznico e o clima do Brasil Central. Localizado na Zona

    Intertropical, possui duas estaes bem definidas: a das secas no inverno e das

    chuvas no vero.

    Em Porto Velho e na parte central do Estado, a durao da estao seca

    corresponde a um perodo de trs a quatro meses e no restante do Estado apenas

    um a dois meses. Este perodo ou estao seca no se caracteriza por secas

    intensas, podendo ocorrer, nestas pocas, dias de chuvas abundantes (Oliveira

    apud SILVEIRA, 1998).

    O Estado possui uma mdia anual de temperatura de 28C, e as mdias

    mensais so sempre superiores a 26C, com sua mxima de 36C e sua mxima

    absoluta de ordem de 43C.

    I.3- O mercrio no meio ambiente e na Amaznia

    A atmosfera terrestre composta por uma mistura de gases, cuja

    composio qumica varia com a altitude, assim como variam a temperatura, e a

    densidade. Esta composio qumica tambm variou com o tempo, sofrendo

    perdas e adies durante o tempo geolgico. Segundo STEIN & BOUDEL

    (1984), a composio qumica da troposfera no poluda, ou pelo menos o que

    deveria ter sido antes que interferncia do homem seria de 78% de nitrognio

    (N2), 21% de oxignio (O2), com o restante correspondendo ao argnio, dixido

    de carbono, gases nobres e outros elementos ainda menos abundantes.

  • 16

    O mercrio como um dos poluentes da atmosfera terrestre classificado

    como metal pesado, encontra-se no estado lquido temperatura ambiente e

    possui as seguintes propriedades fsico-qumicas: nmero atmico = 80, peso

    atmico = 200,59, ponto de ebulio = 359,9oC, ponto de fuso = -38,87oC, alta

    volatilidade e condutividade trmica. Alm disso, o mercrio est includo na

    lista negra de todas as convenes internacionais sobre meio ambiente, e

    considerado altamente txico (IPCS,1991).

    Sob condies normais de temperatura e presso, o mercrio ocorre nas

    seguintes formas: mercrio metlico (Hg0) no estado lquido ou gasoso, em uma

    forma mais reduzida (Hg+) e na forma estvel Hg+2 (Andren, apud SILVA,

    1988).

    O estudo do comportamento do mercrio no ambiente muito importante

    por sua alta toxidade, aliado ao seu grande uso. Casos de contaminao por

    mercrio tm ocorrido com freqncia em muitas partes do mundo, sendo os

    mais conhecidos o da baia de Minamata (Japo) ocorrido em meados dos anos

    50, quando uma fbrica de produto qumico despejou na baia detritos ricos em

    mercrio, contaminando peixes e frutos do mar consumidos pela populao,

    causando profundas desordens neurolgicas e mais de 1200 mortes; outro caso

    de contaminao tambm muito conhecido ocorreu no Iraque em meados dos

    anos 60 quando milhares de pessoas intoxicaram-se ao consumir sementes

    destinadas ao plantio, tratadas com fungicidas organomercuriais (RIMOLI,

    1988).

    O mercrio liberado para a atmosfera na forma Hg0 (fase vapor), sofre

    oxidao e retorna superfcie na forma Hg+2. No tem uma distribuio

    uniforme na atmosfera. Perto do solo sua concentrao maior do que a

    distncias acima de 1 a 2 metros. Tambm est estreitamente relacionado com a

    umidade relativa do ar, pode aumentar 50 vezes seu contedo no ar quando a

    umidade relativa do ar se aproxima de 100% (Matheson apud SILVA, 1988).

  • 17

    O mercrio ocorre na natureza como minrio cinbrio (HgS) e liberado

    para o meio ambiente atravs de fontes naturais (atividades vulcnicas,

    lixiviao das rochas, intemperismo e degaseificao da crosta), como tambm

    fontes antropognicas como atividade industrial, uso farmacutico e

    principalmente garimpos de ouro, entre outros (JOENSUU, 1971).

    Os lanamentos de mercrio para a bacia do rio Madeira, nas dcadas de

    70 e 80, oscilaram entre 10 e 50 toneladas por ano. Calcula-se que as perdas de

    mercrio em garimpos no processo de extrao de ouro sejam de 55% a 65%

    para a atmosfera na queima do amlgama e o restante para o rio, como fase

    metlica, sendo a relao mdia Hg:Au (mercrio:ouro) 1,32 kg de mercrio

    para 1 kg de ouro extrado (PFEIFFER & LACERDA, 1988).

    Depois de queimado o amlgama, o ouro resultante ainda contm como

    impureza cerca de 5% do seu peso em mercrio, sendo necessria uma requeima

    no ato da venda. A requeima feita nas lojas de compra de ouro que funcionam

    nas cidades e geralmente no tm o cuidado devido com exausto e filtragem do

    ar contaminado, resultando na contaminao desses ambientes e atmosfera das

    cidades onde se concentram esses compradores podendo atingir grupos

    populacionais ocupacionais e no ocupacionais (LACERDA & SALOMONS,

    1991).

    I.4-Toxicologia do mercrio

    O vapor de mercrio (Hg0), quando no estado gasoso exposto ao seres

    humanos por curto espao de tempo, resulta em sintomas patolgicos,

    normalmente envolvidos com o trato respiratrio. Quando inalado absorvido

    pelos pulmes transportado pelo sangue acumulando-se principalmente nos

    rins, mas pode atravessar a barreira hemato-enceflica e causar danos ao sistema

    nervoso central (LACERDA & SALOMONS, 1991). C...

Recommended

View more >