avalia§£o ambiental estrat©gica e avalia§£o de ... a avalia§£o...

Download Avalia§£o Ambiental Estrat©gica e Avalia§£o de ... A Avalia§£o Ambiental Estrat©gica (AAE)

Post on 08-Feb-2019

232 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

UNIVERSIDADE DE LISBOA

FACULDADE DE CINCIAS

DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL

Avaliao Ambiental Estratgica e Avaliao de

Impacte Ambiental na frica Oriental

Um caso de estudo aplicado ao saneamento bsico na

zona costeira

Cristina Maria Caseiro Rebelo

DOUTORAMENTO EM CINCIAS DO MAR

2012

UNIVERSIDADE DE LISBOA

FACULDADE DE CINCIAS

DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL

Avaliao Ambiental Estratgica e Avaliao de Impacte

Ambiental na frica Oriental

Um caso de estudo aplicado ao saneamento bsico

Cristina Maria Caseiro Rebelo

DOUTORAMENTO EM CINCIAS DO MAR

Dissertao orientada pela Prof. Doutora Maria Jos Costa e pelo Prof.

Doutor Jos ngelo Guerreiro da Silva

2012

Agradecimentos

i

AGRADECIMENTOS

A realizao desta tese representou um perodo muito importante da minha

vida e no teria sido possvel concretizar este desafio sem o apoio daqueles que

financiaram a investigao, os que orientaram e todos os que me apoiaram. Assim,

quero agradecer a todos os que contriburam nas diferentes fases do processo, em

especial:

Professora Doutora Maria Jos Costa, por ter aceite a orientao desta tese,

pela disponibilidade, orientao e apoio dispensado ao longo deste percurso.

Ao Professor Doutor Jos Guerreiro por me ter proposto este tema para

realizao da dissertao de doutoramento, pela disponibilidade e orientao ao longo

do seu desenvolvimento, por ter acreditado que seria capaz de concretizar este

desafio at ao fim e por ter sido pragmtico em todos os momentos em que tal foi

necessrio.

Ao Professor Pinto Paixo pela sua disponibilidade e pelas condies que me

ofereceu para a realizao da mesma.

Ao Professor Doutor Jos Paula, coordenador cientfico do projecto PUMPSEA

(Peri-urban mangrove forests as filters and potential phytoremediators of domestic

sewage in East Africa), por ter estado sempre presente quando foi preciso.

Fundao para a Cincia e Tecnologia, pelo apoio financeiro dado ao longo

do doutoramento.

EGA Environmental Governance Advisors Sociedade de Consultoria em

Governana Ambiental, Lda. pelas condies oferecidas para a prossecuo da

dissertao.

Ao NEMC, Universidade Dar es Salaam, KMFRI e Universidade Eduardo

Mondlano agradeo por me terem acolhido, ajudado na logstica exigente do trabalho

de campo, pela disponibilizao e ajuda na obteno de informao extremamente

relevante para a dissertao.

NEMA, DNAIA, DAWASA, DAWASCO, aos responsveis pela gesto e

operao das ETAR de Kipevu e Infulene, aos responsveis pela gesto e operao

das Zonas Hmidas Construdas de Moshi, Ruaha e Kleruu, por me terem recebido,

Agradecimentos

ii

pela pacincia e disponibilidade com que me responderam s inmeras questes

colocadas em diversas alturas, pela informao disponibilizada.

Ao Karolis Njau, Rose Salema, Sixtus Kayombo, B. Baya, Melania Sangeu,

Lewis Nzali, Stephen Mwangi, James Cairo, Salomo Bandeira, Adriano Macia, Mercia

Tembe, Ligia Mabunda, e restantes colegas do NEMC, Universidade Dar es Salaam,

KMFRI e Universidade Eduardo Mondlano, por me terem recebido de braos abertos,

pela ajuda no trabalho de campo, pelos conselhos e ensinamentos, por partilharem

comigo a sua sabedoria, camaradagem e amizade. Ao Stefano Cannicci e Nico

Koedman pela informao disponibilizada e troca de ideias.

Catarina Grilo e Catarina Fonseca, pelos momentos bem passados nas

inmeras deslocaes efectuadas a frica e pela troca de ideias.

Raquel, Ana, Bruno, Ctia, Patrcia e Cludio pelo companheirismo de todos

os dias e pelas ajudas em tarefas diversas. s meninas da FuTurBio, Marta, Sara e

Sofia, pelo apoio e incentivo nas fases mais difceis.

Alda e Lurdes pela vossa amizade incondicional, por me terem apoiado nos

bons e nos maus momentos, por me terem mostrado que possvel fazermos mesmo

aquilo que pensamos, partida, no estar ao nosso alcance.

Aos meus pais por me terem permitido a procura de sonhos, pelo constante

apoio e incentivo nas minhas decises, pela pacincia nos meus maus momentos e

pelas minhas sucessivas ausncias. Aos meus irmos, Sara e Filipe, pelo seu apoio

incondicional. Sei que estaro sempre a.

Ao Fernando, meu companheiro e melhor amigo, cuja pacincia interminvel

me permitiu arrastar a finalizao desta tese. Foram anos duros e de ausncias

prolongadas. Este tambm um projecto teu, pois sempre acreditaste que valia a

pena e apoiaste-me incondicionalmente em todos os momentos.

Apoio Financeiro

iii

APOIO FINANCEIRO

A presente dissertao foi financiada pela Fundao para a Cincia e

Tecnologia atravs da atribuio de uma bolsa de doutoramento

(SFRH/BDE/15553/2005).

Apoio Financeiro

iv

Abstract and Keywords

v

RESUMO E PALAVRAS-CHAVE

A Avaliao Ambiental Estratgica (AAE) e a Avaliao de Impacte Ambiental

(AIA) so instrumentos preventivos da poltica de ambiente com larga disseminao

escala global. Embora data de incio da presente dissertao as prticas de AAE em

frica ocorressem essencialmente na frica do Sul, os ltimos anos trouxeram

significativa evoluo, em particular na frica Austral.

A presente dissertao incidiu na eficcia desses instrumentos na Tanznia,

Qunia e Moambique recorrendo anlise: i) da similitude de procedimentos, quadro

legal e institucional; ii) da similitude destes com os da EU e frica do Sul; iii) dos

constrangimentos, lacunas, e das melhorias e correces a introduzir nos sistemas.

Como caso de estudo/teste foi usada a construo (ou inteno de construo) de

Zonas Hmidas Construdas em zonas costeiras, principal prioridade ambiental e de

sade pblica, na regio, largamente assinalada pela OMS.

Apesar da integrao da AAE e de AIA nos processos de tomada de deciso,

estes continuam a actuar como ferramentas de mitigao. O potencial da AAE em

termos estratgicos no aproveitado e os procedimentos de AIA so bastante

burocratizados. Os principais constrangimentos so: falta de pessoal qualificado;

custos; desconhecimento dos stakeholders do instrumento AAE; o receio que a AIA

possa constranger o desenvolvimento econmico; falta de vontade poltica e

fragilidades/ ausncia do quadro legal e institucional. A desburocratizao e reduo

dos custos e prazos podero passar por simplificar o processo de AIA para as

actividades que tipicamente tm impactes potencialmente negativos sobre o Ambiente,

mas que, devido sua escala e natureza, j so bem conhecidos.

No domnio do saneamento bsico verificou-se um grave dfice infraestrutural

de saneamento com srias consequncias ao nvel da sade pblica, com particular

incidncia nas zonas costeiras. Neste contexto recomenda-se a adopo de uma

Estratgia Nacional para o Saneamento em reas Costeiras apresentando-se um

possvel modelo.

Palavras-chave: Avaliao Ambiental Estratgica, Avaliao Impacte Ambiental;

Saneamento, frica Austral, Zonas Costeiras.

Abstract and Keywords

vi

Abstract and Keywords

vii

ABSTRACT AND KEYWORDS

Strategic Environmental Assessment (SEA) and Environmental Impact

Assessment (EIA) are the most widespread preventive instruments of environmental

policy. Nevertheless, at the beginning of this Dissertation SEA practices in Africa were

applied mainly in South Africa. However, during last years, the situation evolved

positively, particularly in East Africa.

Present work addresses the effectiveness of these instruments in Tanzania,

Kenya and Mozambique proceeding to the analysis of: i) the similarity of procedures,

legal and institutional frameworks at regional level: ii) similarity of systems regarding

EU and South Africa; iii) the constraints, gaps, improvements and corrections to be

introduced in these systems. As a case study/test was used the construction (or

intention of constructing) a mangrove constructed wetlands (MCW) in coastal areas, a

main priority for environment and public health policies in the region, strongly

demanded by the WHO.

Despite the integration of SEA and EIA in the decision making processes, they

are still used mainly as mitigation tools. The SEA strategic potential is not used and,

generally, the EIA procedures are quite bureaucratised. The main constraints are

related to the lack of qualified personnel, costs, stakeholders unawareness of SEA, the

fear that EIA can constrain economic development, lack of political will and

weaknesses/absence of the legal and institutional framework. The debureaucratisation,

as well as costs and deadlines reduction, can result from simplification of the EIA

procedures for activities that typically have potentially negative impacts on the

environment, which however, due to its scale and nature, are well known.

Regarding sanitation there is a serious deficit of appropriated infrastructures

with serious well-known consequences to public health, particularly in coastal areas.

Accordingly the adoption of a National Strategy for Sanitation in Coastal Areas is

r

Recommended

View more >