AutomaçãO De Elevatorias De Esgoto

Download AutomaçãO De Elevatorias De Esgoto

Post on 24-Jun-2015

1.010 views

Category:

Documents

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Inversores de Frequncia em Elevatria de Esgoto

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. AUTOMAO DE ELEVATRIAS DE ESGOTO ESISTEMA SUPERVISRIO PARA CONTROLE E OPERAOCEDAE COMPANHIA DE GUA E ESGOTO DO RIO DE JANEIROProjeto: Automao das Elevatrias de Esgoto da Lagoa Rodrigues de FreitasAutomao: Sistema de Controle e OperaoIntroduoO Sistema de Controle e Operao tem por objetivo: 1) Executar o controle automtico e manual das bombas centrifuga, permitindo uma operao segura e econmica. 2) Permitir a monitorao e controle automtico dos principais componentes locais. 3) Permitir ao operador a superviso operacional dos equipamentos e sistemas, a deteco de alarmes e a execuo de aes de forma programada. Descrio do SistemaOperao Automtica: Informada atravs da chave seletora no painel eltrico(Automtico). 1) O medidor de nvel instalado responsvel pelo controle automtico dasbombas, o sinal 4 a 20 mA enviado para a entrada analgica do CLP Twido daSchneider. 2) Quando o nvel do tanque de esgoto atinge a uma altura inicial pr-determinadainformar ao CLP, o mesmo aciona a primeira bomba e atravs do Conversor deFreqncia que fica modulando a velocidade da bomba de acordo com sinalanalgico emitido pelo medidor de nvel. 3) Quando o nvel do tanque de esgoto atinge a uma outra altura tambm pr-determinada, e informado ao CLP, onde o mesmo aciona a segunda bomba eatravs do Conversor de Freqncia fica modulando a velocidade da bomba deacordo com sinal analgico emitido pelo medidor de nvel. 4) Quando o nvel do tanque de esgoto atinge a uma outra altura tambm pr-determinada, e informado ao CLP, onde o mesmo aciona a terceira e ou quartabomba (depende da elevatria) e atravs do Conversor de Freqncia ficamodulando a velocidade da bomba de acordo com sinal analgico emitido pelomedidor de nvel. 5) Na medida que o nvel do tanque vai abaixando, o CLP ser responsvel pelaretirada das bombas, fazendo a parada remota dos conversores de freqncia econtrolando a velocidade dos mesmos atravs do sinal analgicos enviado pelomedidor de nvel. 6) Aps o nvel do tanque chegar ao nvel baixo determinado, com as bombasdesligadas aps a uma nova subida do nvel, ocorrer o rodzio das mesmas.Chamando sempre por bombas diferentes.</li></ul> <p> 2. 7) Qualquer falha dos conversores de freqncia, os mesmos iram sinalizar nodisplay falha e acionar o Led azul do painel eltrico das bombascorrespondentes. Enviar um sinal para o CLP, onde o mesmo chamar a outrabomba automticamente. 8)Qualquer sobrecarga das bombas, os conversores de freqncia iram sinalizarno display falha e acionar o Led amarelo do painel eltrico das bombascorrespondentes. Enviar um sinal para o CLP, onde o mesmo chamar a outrabomba. 9) Ao acionar o boto de emergncia ou a chave seletora das bombas, o sistemair cortar toda a energia do painel eltrico correspondente. 10) Est habilitado nos conversores de freqncia o modo de Bomba Seca, a casoocorra um problema com o medidor de nvel ou outro, o conversor de freqnciano deixar que a bomba rode em vazio (sem gua). Acionar um sinal de falhano display e acender o Led Azul do painel eltrico.Operao Manual: Informada atravs da chave seletora no painel eltrico (Manual). 1) Os conversores de freqncia acionaram as bombas correspondentes atravsdos botes de comando instalado no painel eltrico. 2) As variaes de velocidade dos conversores de freqncia no modo manual,sero feitos atravs do sinal enviado pelos potencimetros instalado no paineleltrico, onde o operador poder setar a velocidade em RPM desejada. 3) Qualquer falha dos conversores de freqncia, os mesmos iram sinalizar nodisplay falha e acionar o Led azul do painel eltrico das bombascorrespondentes. 4)Qualquer sobrecarga das bombas, os conversores de freqncia iram sinalizarno display falha e acionar o Led amarelo do painel eltrico das bombascorrespondentes. 5) Ao acionar o boto de emergncia ou a chave seletora das bombas, o sistemair cortar toda a energia do painel eltrico correspondente. 6) Est habilitado nos conversores de freqncia o modo de Bomba Seca, acaso ocorra um problema com o medidor de nvel ou outro, o conversor defreqncia no deixar que a bomba rode em vazio (sem gua). Acionar umsinal de falha no display e acender o Led Azul do painel eltrico.Informaes Importantes: 1) Alm dos parmetros de proteo dos conversores de freqncia e do motordas bombas, estam habilitados tambm funo de Bomba Seca, ondeproteger a bomba de rodar sem fluxo de gua, com isso evitando queima-l. 2)As velocidades mnima e mxima dos conversores de freqncia que estoprogramados, operando tanto em modo manual ou automtico. 3. Equipamentos Fornecidos1. Um (1) Painel demarrador de baixa tenso Tipo CCM, auto suportado, alimentao em 220 Vac, trifsico, barramento principal. Instalao abrigada, para alimentao de conjuntos motor-bombas trifsicas com acionamento por Inversores de Freqncia .2. Inversores de Freqncia Danfoss VLT FC AQUA DRIVE.3. Medidor de Nvel Ultrassnico Hidroflex da MS Instrumentos.4. Controlador Lgico programvel (CLP) Twido da Schneider Electric. Painel Eltrico (CCM)CLP TWIDOInversores de Freqncia 4. Localizao1. Elevatria de Cantagalo Controle e Operao Automtica de 03 bombas (02 Inversores de Freqncia e 01 Estrela-Tringulo) 25 CV / 220Vac.2. Elevatria de Farme de Amoedo Controle e Operao Automtica de 03 bombas (02 Inversores de Freqncia e 01 Soft-Starter) 40 CV / 220Vac.3. Elevatria do Jardim Botnico Controle e Operao Automtica de 03 bombas (01 Inversor de Freqncia e 02 Soft-Starters) 40CV / 220Vac.4. Elevatria de Caiara Controle e Operao Automtica de 03 bombas (03 Inversores de Freqncia) 60CV / 220Vac.5. Elevatria de Saturnino de Brito Controle e Operao manual de 04 bombas (04 Inversores de Freqncia) 200CV / 440Vac. (Faltando a implementao do CLP para automatizar)6. Elevatria do Lebron Controle e Operao manual de 05 bombas (03 Inversores de Freqncia e 02 Soft-Starters). 250CV / 440Vac. (Faltando a implementao do CLP para automatizar)7. Elevatria da Hpica Automao futura (Projeto j concebido)8. Elevatria de Jos Mariano Automao futura (Projeto j concebido) Implementao Futura do ProjetoEste projeto foi concebido desta maneira, porque quando for solicitado a implantaoda Telemetria, ou seja operao e controle remotamente, o sistema est semi-pronto.Faltando apenas incluir uma remota em cada painel eltrico, pois o mesmo ircomunicar atravs do protocolo MODBUS RTU j existente no CLP e a montagem dainfra estrutura de comunicao, conforme est apresentado a baixo.Estar sendo fornecido brevemente um sistema supervisrio para a construo de umCCO (Centro de Controle e Operao) do Lebron.Os CLPs sero interligados a um modem GPRS que ser responsvel pela telemetriado sistema. 5. Apresentao do Sistema de TelemetriaA comunicao de dados recebidos dos dispositivos de campo (instrumentao) entreo CLP da ER`s e o supervisrio do CCO constitui o sistema de comunicaes que baseado nos seguintes componentes: Modem GPRS e Interface entre este Server e oSoftware Supervisrio.Os dados trafegam entre a ER`s e Servidor GITS atravs da infra-estrutura daOperadora quando o modem se conecta com a estao rdio base - ERB e esta com aRede GPRS das prprias operadoras GSM. Esta rede comunica-se com a redeInternet onde o Server GITS executa a gesto das comunicaes.O Software Supervisrio do CCO por sua vez est conectado ao Server GITS atravsda rede Internet.A arquitetura deste sistema visa simplificar as implementaes, no CLP, de lgicascomplexas para controle das funes de autenticao, conexo GPRS egerenciamento da conexo, pois estas funes esto implementadas no produtomodem GPRS.Se desejar, o usurio pode tambm fornecer um nmero telefnico caso pretendaestabelecer uma comunicao padro (CSD) ou enviar mensagens de texto (SMS) ouquando necessrio solicitar outra operao desejada. O modem executa umavarredura em rea pr-determinada do CLP utilizando-se de protocolo definido.Feito isso, todo o processo de comunicao ser executado automaticamente, e se aoperao solicitada for comunicao via GPRS, ser estabelecida uma conexo com oServer GITS, tornando disponvel o acesso ao CLP atravs de softwares supervisriosou similares, que tambm estaro conectados ao Server GITS para envio ourecebimento de dados.Modem GPRSO modem GPRS encerra as seguintes caractersticas: Comunica-se com o CLP atravs de porta serial RS232 ou 485. Seus parmetros de configuraes (IP, porta, eventual nmero telefnico, etc...) so programados pelo CLP da ER. A conexo GPRS inicializa-se atravs de comando do CLP. Faz o gerenciamento automtico da conexo com o Server GITS aps autenticao na operadora. Faz a manuteno do fluxo bi-direcional de dados atravs de protocolo usado na comunicao ponto a ponto. Gera diagnstico da conexo do CLP com o sistema (nvel de sada, ausncia de sinal da operadora, etc). 6. Server GITSO Server GITS pode ser instalado em qualquer local, pois sua comunicao feitapela rede Internet. Portanto pode ser instalado no fornecedor, no contratante ou emdata centers (provedores de servios), podendo migrar de um para o outro por decisodo contratante. Este servidor executa as seguintes tarefas: Estabelece a soluo do IP dinmico e invlido atribudo aos modens pelas operadoras GSM. Faz o transporte de mensagens assncronas entre os componentes do sistema, CLPs e supervisrios em ambos sentidos. Executa a autenticao para a liberao de acesso das contas do cliente (cadastramento) seja para o caso de vrios conjuntos de modens e CLPs ou uma rede deles conectados a um nico modem. Gerencia o trfego, latncia, volume de dados, etc... Backup de dados: seus servidores so dimensionados para armazenar com total segurana um grande volume de informaes, garantindo pela prtica de padres internacionais os dados correspondentes a ltima semana de operao. Firewall: filtra todo o trfego baseado em informaes de endereo IP e porta de origem e destino dos pacotes transmitidos. O acesso no autorizado ao servidor do cliente bloqueado. IDS (Instrusion Detectoin System): trabalha com uma extensa base de dados com cdigos indesejveis, expurgando-os caso sejam colocados no trfego de dados entre a Internet e os componentes do sistema. Monitoramento e relatrios de performance permanente da rede.GITS Web Control Panel GWCP (Acesso livre via Web)Unidade de controle e administrao do GITS Server para acesso remoto aosdispositivos conectados ao sistema. O Gits Web Control Panel prov: - Criao e remoo de contas de usurios e grupos; - Criao e remoo de cadastros de dispositivos; - Visualizao dos dados por nmeros e variveis; - Manuteno e superviso do sistema.Interface com softwares supervisrios (Fornecido com o sistema desuperviso)Componentes de software que transmite e recebe dados provenientes de OPC Clientsde sistemas supervisrios para os modems e permite a criao e manipulao dedados (tags) no formato OPC de forma transparente ao sistema. a interface com osupervisrio Elipse. O OPC Server abstrai a infra-estrutura do GITS Server,disponibilizando as variveis transportadas de ou OPC Clients dos softwaressupervisrios. 7. Software de Superviso Grfica (Supervisrio) Software que proporciona a visualizao grfica e animada da aplicao e queprov: - Superviso e Controle do Sistema - Histricos de eventos - Alarmes - Diagnsticos de falhas - Relatrios - GrficosDADOS DO AUTOREng. Eduardo Mendona(Engenheiro responsvel pela execuo e elaborao do projeto)Celular: (21) 9252-6168E-mail: Eduardo@autocontrol.eng.br</p>