auto medieval - desobediência de adão

Download Auto Medieval - Desobediência de Adão

Post on 01-Jul-2015

251 views

Category:

Documents

15 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

O MISTRIO DE ADO Pea de teatro de autor Annimo do sculo XII (Traduo: Jean Lauand) ORDO: O Paraso deve estar um pouco elevado no palco, rodeado de cortinas e telas de seda, de modo que os personagens fiquem visveis apenas dos ombros para cima. No Paraso deve haver flores perfumadas, folhagens e diversas rvores carregadas de frutas, com aspecto de lugar muito agradvel. O Salvador (a Figura) deve entrar vestido com capa dalmtica e diante dele situem-se Ado e Eva. Ado usa uma tnica vermelha; Eva, vestes femininas brancas e um manto de seda branco. Os dois postados diante da Figura, mas Ado mais perto. Ado est com um rosto sereno e Eva com um ar um pouco mais humilde. O Ado deve saber bem o momento de suas falas para no ser nem muito rpido nem muito lento. E no s ele, mas todos os personagens devem ser instrudos para falar adequadamente; para fazer os gestos apropriados fala; para no acrescentar nem suprimir sequer uma slaba do texto e proferi-lo na ordem prevista. Sempre que algum mencione o Paraso deve dirigir a ele o olhar e apont-lo com o dedo. Comea a leitura: "In principio creavit Deus caelum et terram, et fecit in ea hominem, ad imaginem et similitudinem suam". Terminada a leitura, o Coro canta: "Formavit igitur Dominus hominem de limo terrae, et inspiravit in faciem eius spiraculum vitae, et factus est homo in animam viventem". Aps o canto: A FIGURA (DEUS) Ado! ADO Senhor! A FIGURA Do barro da terra, eu te formei. ADO Senhor, eu bem sei...

A FIGURA E te formei minha semelhana, minha imagem te fiz de terra, No deves jamais mover-me guerra. ADO Por certo no o farei, Ao Criador obedecerei. A FIGURA E te dei uma boa acompanhante, tua mulher, tua semelhante, tua mulher, Eva chamada, Que te ama e por ti amada. Um ao outro deveis fidelidade E ambos fiis minha vontade. No te estranha, de ti nascida, De tua costela foi ela formada, Nada de fora de ti utilizei. Foi de teu corpo que Eu a plasmei, Tu, governa-a por meio da razo E no haja entre vs dissenso, Mas grande amor e um s sentimento: Esta que a lei do casamento. A FIGURA (dirige-se a Eva:) E tu, Eva, grava em teu corao,

O que te digo no seja em vo: Se fizeres minha vontade, Guardars em teu peito a bondade. Ama e honra teu Criador E reconhece-me como teu Senhor. Para me servir sejam somente Tuas foras, teu sentir, tua mente. Que Ado seja por ti muito querido: Tu s sua mulher; ele, teu marido. S-lhe obediente de bom grado, Seja ele por ti servido e amado, Para ele seja o teu pensamento: Esta a lei do casamento. S para ele boa companheira E compartilhars sua glria derradeira. EVA Farei, Senhor, sem poupar-me nada, Tua vontade, tudo que te agrada. Reconheo-te como meu Senhor E a ele como meu igual e superior. Serei a fiel companheira, A amiga e boa conselheira. A FIGURA Obedece, Ado, e ouve-me com ateno:

A vida eterna est ao alcance de tua mo. Eu te formei e ponho dons tua disposio: Sade, felicidade, vida sem aflio. No ters fome nem por sede bebers, No ters frio nem calor sentirs, Vivers em alegria e sempre na paz, S em prazer e a dor no conhecers. Tua vida ser toda de alegria, Prazer e glria todo dia, E que Eva oua bem o que eu te dizia: No o entender, loucura seria. De toda a terra sois os principais, Sobre toda criatura imperais. Mandareis aos peixes, aves e animais. Guardai o bem, sede leais. ADO Agradeo a vossa benignidade, Que me formou e me fez tal bondade: Ter o bem e o mal sob minha potestade. Em te servir empenharei minha vontade. A FIGURA Ado! ADO Senhor!

A FIGURA (aponta o Paraso) Vs este jardim? ADO Como se chama? A FIGURA Paraso. ADO Como belo! A FIGURA Eu o plantei para ter comigo Quem o habite como meu amigo. Tu o deves habitar e guardar... (A Figura leva-os ao Paraso) ...Nele ides morar. ADO Podemos nele ficar? A FIGURA Para sempre e sem nada recear. No ireis morte ou doena experimentar. CORO "Tulit ergo Dominus hominem, et posuit eum in paradiso voluptatis, ut operaretur et custodiret illum" [6] . A FIGURA (mostrando as rvores)

Todas as frutas podes colher (E apontando para a rvore proibida, diz:) Menos esta, que no deves comer. Se a comeres, irs morrer E tua felicidade irs perder. ADO Por uma ma perder teu amor E atrair para mim a dor? Longe de mim tornar-me traidor, Perjuro contra meu Senhor. (A Figura volta para a igreja, enquanto Ado e Eva passeiam e divertem-se honntement no Paraso. Enquanto isso, os demnios correm em todas as direes na praa, por entre a platia, fazendo gestos que lhes so prprios [7] . De vez em quando, os demnios - um de cada vez - aproximam-se do Paraso, indicando a Eva o fruto proibido, com expresso de quem a aconselha a comer. O diabo vem a Ado) O DIABO Que fazes, Ado? ADO Vivo aqui muito feliz. O DIABO Com satisfao? ADO tudo que eu sempre quis. O DIABO

, mas pode melhorar... ADO Nem d para imaginar. O DIABO Claro que d... ADO No me interessa. O DIABO Por que no? Ora essa... ADO Eu tenho alegrias imensas. O DIABO Isto o que tu pensas... ADO Melhorar? Mas como? Quando? O DIABO S direi quando vieres implorando. ADO Podes esquecer, de nada preciso: Tenho de tudo no Paraso. O DIABO Isso porque no queres o bem perscrutar. Ei-lo a, e no o sabes gozar... ADO

Como assim? O DIABO Aprende de mim. Escuta aqui, Ado, eu vou contar Para ti somente. ADO O que tens em mente? O DIABO Tu confias plenamente em mim? ADO Claro que sim. S uma coisa no farei: A meu Senhor, no desobedecerei. O DIABO Que medo... de teu Senhor! ADO Medo e amor. O DIABO Mas por que temer? Que pode ele fazer? ADO Bem e mal. O DIABO Como mal?

No ests na glria? No s imortal? ADO Deus me disse que vou morrer, Se sua ordem desobedecer. O DIABO Por favor, uma informao: Qual seria esta grande... proibio? ADO Digo de modo claro e conciso: De todos os frutos do Paraso Posso provar e comer, Menos daquele que me far morrer. O DIABO Mas, mostra-me qual essa fruta to especial. ADO (aponta o fruto proibido) esta. O DIABO Que festa! Sabes por que a proibio? ADO Certamente no! O DIABO Eu te direi a razo:

Aquela a fruta da sapincia Que te dar toda a cincia. Nenhuma outra te dar esse poder. Insistes em no a comer? ADO No para mim. O DIABO Claro que sim. Teu olho ser penetrante; Tua inteligncia, rutilante. No temers mais ao teu Deus, Pois ters poderes iguais aos seus. Todos os teus desejos se realizaro. Prova desse fruto, Ado! ADO Eu no! O DIABO Toleiro! (O diabo retira-se, junta-se a outros demnios e circula pela praa. Aps um tempo, volta com rosto jovial e alegre para tentar Ado) O DIABO Como , pensou no assunto, Ado? J chegou a uma concluso?

Vais ser para sempre o caseiro, O tolo jardineiro? Ou preferes glria e poder? Ser que to difcil entender? Preferes frutas sem sabor (aponta o Paraso) quela que te daria o esplendor. Segue os conselhos meus E sers... igual a Deus! ADO Vai embora! O DIABO Como que ? ADO Arreda p! Vai embora, J, agora! Tu s queres desgraa e dor, Que eu me revolte contra o Senhor! Vai embora, Sat, Eu no comerei a ma. (Triste e cabisbaixo, o diabo se afasta de Ado e vai at as portas do Inferno, onde fica conversando com outros demnios e, de quando em quando, passeia pela platia. Depois, se aproxima do Paraso do lado de Eva e dirige-se a ela com ar jovial e lisonjeiro)

O DIABO Eva, eis que venho tua presena, enfim. EVA E por que, Satans, vens a mim? O DIABO Procuro tua glria, teu bem. EVA Deus queira. Amm. O DIABO Desvendei, eu tenho muito siso, Todas as leis do Paraso. E algumas te quero revelar. EVA Com prazer vou te escutar. O DIABO Ouvir-me-s? EVA Sou toda ouvidos E de nada duvido. O DIABO E guardars o segredo? EVA Claro, no tenhas medo. O DIABO

Contigo posso falar com segurana, Pois tenho em ti total confiana. EVA E fazes bem em confiar, Pois no te irei defraudar. O DIABO Contigo, sim, eu conto, No com Ado, que um tonto. EVA , ele meio duro: Tem convico. O DIABO Mas, pode deixar, Ele vai se abrandar. EVA Ele muito nobre, eu acho. O DIABO Nobre? Ele servil, um capacho! E j que o bem para si ele no quer Podia, ao menos, pensar em sua mulher. Tu, que s to meiga e gentil, Mais terna que as rosas de abril, Como a aurora radiosa, Como s bela e formosa!

O Criador errou e fez mal Ao constituir este casal: Tu, terna, e ele intransigente. Tu, porm, s mais inteligente, Decidida, corajosa e discreta... Alis, posso contar uma coisa secreta? EVA Ningum vai ficar sabendo no. O DIABO Nem mesmo Ado! EVA Podes ficar sossegado. O DIABO Ento, chega aqui a meu lado. Podemos falar porque Ado, l, Certamente no escutar. EVA Fala, fala sem medo, Pois ficar tudo em segredo. O DIABO Vs fostes vilmente enganados, Ao serdes aqui colocados. Fruto por Deus autorizado No vale um tosto furado.

Mas a fruta proibida, Aquela d virtude e vida, Glria, poder vital: O saber do bem e do mal. EVA E seu sabor aprazvel? O DIABO Simplesmente incrvel! E teu belo corpo, tua bela figura, Bem merece essa ventura. Basta tom-lo agora E sers dos mundos, a senhora: As alturas e a profundeza, Tudo sob tua grandeza. EVA Ele tem todo esse poder? O DIABO Podes olhar e ver. (Eva contempla com interesse o fruto proibido e, depois de examin-lo bem, diz:) EVA S contempl-lo j me faz bem. O DIABO O que ser, ento, se o comeres, hein?

EVA No sei, no sei... O DIABO Pois eu te direi: Come-o tu antes e Ado depois, Coroados pelo Cu, sereis os dois. Nada ser como antes, Ao Criador sereis semelhantes, Basta este fruto tomar E teu corao se ir transformar. Iguais a Deus sereis, certamente, Tal como ele : onipotente. Que esperas? Vai em frente! EVA No sei. Que hesitao! O DIABO Vamos! No creias em Ado! EVA , acho que o devo comer. O DIABO E quando vai ser? EVA preciso esperar Que Ado v repousar.

O DIABO Come-o logo, sem tardana Esperar tolice de criana (O diabo se afasta e vai para o Inferno. Ado aproxima-se de Eva, desgostoso por t-la visto falar com o Diabo) ADO Do que falaste, mulher, dir-me-s, Na conversa com o maldito Satans? EVA Ele falava de nossa glria. ADO Aquele traid