aula microeconomia

Download Aula Microeconomia

Post on 19-Mar-2016

218 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Aula de microeconomia

TRANSCRIPT

  • AULA 07 MICROECONOMIA PARA BANCO CENTRAL PROFESSOR: CSAR DE OLIVEIRA FRADE

    Prof. Csar de Oliveira Frade www.pontodosconcursos.com.br 1

    Ol pessoal!

    Vamos sem maiores comentrios para a nossa aula.

    Lembro que as crticas ou sugestes podero ser enviadas para:

    cesar.frade@pontodosconcursos.com.br.

    Prof. Csar Frade

    FEVEREIRO/2013

  • AULA 07 MICROECONOMIA PARA BANCO CENTRAL PROFESSOR: CSAR DE OLIVEIRA FRADE

    Prof. Csar de Oliveira Frade www.pontodosconcursos.com.br 2

    9. Impostos e Incidncia Tributria

    Para comearmos a falar dos impostos devemos, inicialmente, definir quais

    tipos de tributao iremos tratar e classific-los.

    Em Economia tratamos trs formas de tributao: especfico, ad-valorem e

    Lump-Sum.

    9.1. Imposto ad-valorem

    Um imposto ad-valorem quando a alquota desse imposto for representada

    por um percentual sobre a base de clculo do mesmo.

    Por exemplo, o ISS um imposto municipal cobrado sobre a prestao de

    servios. Logo, se voc prestar um servio como uma aula, dever pagar uma

    parcela do seu rendimento a ttulo de imposto. Suponha que a alquota do ISS

    seja de 2%. Se isso for verdade, voc dever 2% do valor a ser recebido a

    ttulo de imposto.

    Esses impostos ocorrem com bastante freqncia mas, na economia, no so

    muito estudados pois as concluses so muito parecidas com aquelas obtidas

    com os impostos especficos.

    9.2. Imposto Especfico

    Um imposto considerado especfico quando paga-se um determinado valor

    por unidade adquirida a ttulo de imposto.

    Por exemplo, a CIDE Combustvel (Contribuio de Interveno no Domnio

    Econmico) um exemplo de imposto especfico. Quando voc vai at um

    posto abastecer o seu carro, no importa se voc est pagando R$1,00,

    R$2,00 ou R$10,00 por litro de gasolina. O valor a ser pago a ttulo de imposto

    independe do valor do litro da gasolina mas depende da alquota do imposto e

    da quantidade que ser adquirida.

  • AULA 07 MICROECONOMIA PARA BANCO CENTRAL PROFESSOR: CSAR DE OLIVEIRA FRADE

    Prof. Csar de Oliveira Frade www.pontodosconcursos.com.br 3

    Se um pessoa adquire 10 litros de gasolina em uma cidade em que o litro est

    cotado a R$1,00, o valor a ser pago a ttulo de CIDE Combustvel ser idntico

    ao que ser pago por uma pessoa que adquire 10 litros em uma local em que

    ele comercializado por R$5,00.

    Observe que o valor a ser pago a ttulo de imposto no depende do preo do

    combustvel mas depende da quantidade que est sendo adquirida.

    A melhor forma de estudarmos por meio de um exemplo. Suponha que as

    curvas de demanda e oferta sejam representadas pelas seguintes equaes:

    D = 4000 400p

    O = -500 + 500p

    Se essas forem as equaes, para determinar o preo de equilbrio e a

    quantidade de equilbrio devemos igualar as duas equaes. Observe:

    = 500 + 500 = 4000 400 +500 + 400 = 4000 + 500 900 = 4500 = ,

    Observe que se o preo do bem em questo for igual a R$5,00, a quantidade

    ofertada ser igual quantidade demandada. Isso significa que com esse

    preo, tudo que est sendo produzido ser comercializado. Aps o clculo do

    preo podemos verificar a quantidade demandada e ofertada.

    = 4000 400 5,00 = . ! = 500 + 500 5,00 = . !

    claro que a quantidade ofertada igualou a quantidade demandada a esse

    preo e com isso vemos que o valor calculado para o preo est correto.

  • AULA 07 MICROECONOMIA PARA BANCO CENTRAL PROFESSOR: CSAR DE OLIVEIRA FRADE

    Prof. Csar de Oliveira Frade www.pontodosconcursos.com.br 4

    Se o Governo introduzir um imposto do tipo especfico, o preo a ser pago pelo

    consumidor fica diferente do preo a ser recebido pelo produtor. Isto ocorre

    porque uma parcela do valor dever ser entregue ao governo.

    Observe que quando igualamos as curvas de oferta e demanda nas equaes

    anteriores, tnhamos apenas um valor para preo e, exatamente por esse

    motivo, era possvel resolver a equao.

    Com a introduo do imposto, o preo contido na equao de demanda ser

    diferente daquele existente na equao da oferta. A quantidade a ser

    demandada depende do preo que as pessoas demandantes (consumidores)

    iro pagar pelo produto. Por outro lado, a quantidade a ser ofertada depende

    do preo que os produtores iro receber pelo produto. Com isso, teremos:

    D = 4000 400pc O = -500 + 500pp

    Igualando, temos:

    500 + 500 " = 4000 400 #

    Observe que agora temos uma equao e duas incgnitas e no temos como

    resolver essa equao e encontrarmos soluo nica. Ela ter infinitas

    solues.

  • AULA 07 MICROECONOMIA PARA BANCO CENTRAL PROFESSOR: CSAR DE OLIVEIRA FRADE

    Prof. Csar de Oliveira Frade www.pontodosconcursos.com.br 5

    Devem estar se perguntando como conseguimos fazer isso antes, no

    mesmo? claro que a equao de demanda sempre dependeu do preo do

    consumidor e a de oferta do preo do produtor, mas antes do imposto no

    fazamos a diferenciao. Na verdade, se fizssemos existiria uma equao

    para montar um sistema que informaria que o preo do consumidor seria igual

    ao preo do produtor e teramos o seguinte:

    500 + 500 " = 4000 400 #

    " = #

    Dessa forma, podemos excluir a segunda equao e resolver apenas a primeira

    para chegar ao resultado.

    A partir do momento em que introduzimos um imposto devemos modificar

    essa segunda equao. Vamos fazer o seguinte? Chamaremos de equao do

    imposto essa segunda equao.

    A equao do imposto especfico a seguinte:

    # = " + $

    Trataremos como T o valor do tributo, nesse caso especfico.

    Se considerarmos um tributo especfico de R$0,90, ou seja, se houver a

    necessidade de se pagar um tributo de R$0,90 por unidade vendida, a equao

    do imposto ficaria da seguinte forma:

    # = " + 0,90

    Portanto, deveramos resolver o seguinte sistema de equaes:

    500 + 500 " = 4000 400 #

    # = " + 0,90

    A soluo deve ser feita pelo mtodo da substituio. Se o tributo for cobrado

    sobre o produtor, devemos resolver esse sistema de equaes substituindo o

  • AULA 07 MICROECONOMIA PARA BANCO CENTRAL PROFESSOR: CSAR DE OLIVEIRA FRADE

    Prof. Csar de Oliveira Frade www.pontodosconcursos.com.br 6

    preo do produtor na equao da oferta pelo seu valor na equao do imposto.

    Teramos, matematicamente, o seguinte:

    500 + 500 " = 4000 400 #

    # = " + 0,90

    " = # 0,90

    500 + 500 %# 0,90& = 4000 400 # 500 + 500 # 450 = 4000 400 # 900 # = 4950 # = 5,50

    " = # 0,90 " = 4,60

    Graficamente, essa substituio provoca um deslocamento da curva oferta

    (curva do produtor) e a nova curva, em sua interseo com a curva de

    demanda, determinaria o preo do consumidor.

    Por outro lado, se o imposto fosse sobre o consumidor, deveramos efetuar a

    substituio na equao de demanda. Matematicamente, ficaria da seguinte

    forma:

  • AULA 07 MICROECONOMIA PARA BANCO CENTRAL PROFESSOR: CSAR DE OLIVEIRA FRADE

    Prof. Csar de Oliveira Frade www.pontodosconcursos.com.br 7

    500 + 500 " = 4000 400 #

    # = " + 0,90

    # = " + 0,90

    500 + 500 " = 4000 400 )" + 0,90*

    500 + 500 " = 4000 400 " 360

    900 " = 4140

    " = 4,60

    # = " + 0,90 # = 5,50

    Graficamente, essa substituio provoca um deslocamento da curva de

    demanda (curva do consumidor) e a nova curva, em sua interseo com a

    curva de oferta original determinaria o preo do produtor.

    A concluso mais importante que independentemente do agente que venha a

    ser tributado, o resultado final exatamente o mesmo e, nesse caso, o

    consumidor pagaria R$0,50 do imposto (diferena entre o preo antes do

    imposto e o preo aps o imposto) e o produtor pagaria R$0,40.

    A partir disso podemos determinar a quantidade de equilbrio aps a

    introduo do imposto. Podemos substituir o preo do consumidor na curva de

    demanda original ou o preo do produtor na curva de oferta original que o

    resultado ser o mesmo.

  • AULA 07 MICROECONOMIA PARA BANCO CENTRAL PROFESSOR: CSAR DE OLIVEIRA FRADE

    Prof. Csar de Oliveira Frade www.pontodosconcursos.com.br 8

    = 4000 400 # = 4000 400 5,50 = 4000 2200 = 1800

    Com a nova quantidade e sabendo que o valor do imposto de R$0,90 por

    unidade vendida, podemos determinar que a arrecadao do Governo o

    produto entre o valor do imposto e a nova quantidade comercializada.

    9.3. Imposto Lump-Sum

    O imposto Lump-Sum tambm pode ser chamado de imposto sobre a renda

    ou imposto de montante fixo.

    Na verdade, nesse tipo de imposto, o Governo cobra uma alquota que um

    montante fixo por um determinado perodo de tempo. como se o Governo

    cobrasse, por exemplo, R$100,00 de imposto por ms de cada indivduo da

    populao, independentemente do seu nvel de renda.

    Segundo Varian:

    Podemos verificar que impostos e subsdios afetam os preos

    exatamente na mesma forma, exceto pelo sinal algbrico: o imposto

    aumenta o preo ao consumidor; o subsdio diminui.

    Outro tipo de imposto ou subsdio que o governo pode usar um

    imposto ou subsdio de montante fixo. Se for um imposto, isso

    significa que o governo se apropria de uma quantia fixa de dinheiro,

    independente do comportamento do indivduo. Ento um imposto de

    montante fixo faz