AULA DE INTRODUÇÃO À AGRONOMIA

Download AULA DE INTRODUÇÃO À AGRONOMIA

Post on 05-Jul-2015

3.821 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Disciplina Introduo Agronomia Tema:Estudo do Solo Prof. Msc. Alex Aguiar Ldo</p> <p>SOLO Para os Agrnomos soloseria melhor definido como o material mineral ou, que recobre a superficie do planeta orgnico, inconsolidado e serve como o meio natural para o crescimento das plantas terrestres. Entre o solo e o material de onde ele derivado, existem diferenas marcantes do ponto de vista fsico, qumico, biolgico e morfolgico.</p> <p>PERFL DO SOLO Horizontes do Solo</p> <p>PERFL DO SOLO... Solos jovens</p> <p>O solo formado a partir de rochas, que com ajuda do clima e de microrganismos se transforma num material solto e macio. composto de ar, gua, matria orgnica e mineral.</p> <p>Fatores de formao dos solos Na paisagem, os solos diferenciam-se devido ao de seus fatores de formao, cuja atuao de carter independente. Os fatores de formao do solo so cinco: - Material de origem - Clima - Relevo - Organismos vivos - Tempo</p> <p>Material de origem o material intemperizado, de natureza mineral ou orgnica que deu origem aos solos por processos pedogenticos. Esse material pode j ter sofrido transporte e deposio, o que muito comum nas condies de clima tropical.</p> <p>Material de origem...</p> <p>O material de origem constitudo por minerais com diferentes graus de suscetibilidade ao processo de intemperismo o qual pode ser fsico, qumico e biolgico.</p> <p> Ele pode estar relacionado com vrios atributos do solo: qumico, granulomtrico, morfolgico e mineralgico.</p> <p>Material de origem...</p> <p> Rochas</p> <p>baslticas do origem a solos de textura argilosa ou muito argilosa enquanto que solos derivados de arenito so arenosos. Materiais de origem ricos em quartzo, conferem ao solo cor clara.</p> <p>Clima</p> <p> Os</p> <p>elementos do clima, cuja a atuao sobre a pedognese mais direta, so: -radiao solar (calor), precipitao pluvial (gua) e presso atmosfrica (vento). - O calor influi diretamente nas atividades das reaes qumicas e processos biolgicos que ocorrem no perfil do solo.</p> <p>Clima...</p> <p>A</p> <p>gua promove a reao de hidrlise (ataque de ons H+ estrutura de minerais, com conseqente colapso e destruio dos minerais) onde ocorre a hidratao do solo. A gua excedente atua no desenvolvimento do perfil do solo conforme a sua quantidade: regies onde a quantidade de gua excedente grande, geralmente apresentam solos mais profundos, pois a velocidade dos processos pedogenticos mais acentuada.</p> <p>Clima...</p> <p> O vento causa a eroso elica e o ressecamento da superfcie do solo. O clima relaciona-se diretamente com o tipo de vegetao local, que pode ter grandes variaes botnicas.</p> <p>Intemperismo predominante Os</p> <p>processos de intemperismo fsico e qumico no ocorrem isoladamente, mas simultaneamente. Conforme as condies climticas, podem predominar os processos de intemperismo fsico ou os de intemperismo qumico. Em climas secos (frios ou quentes) predomina o intemperismo fsico; em climas midos predomina o intemperismo qumico.</p> <p>Intemperismo TEMPOAROCHA</p> <p>A B</p> <p>A B C</p> <p>ROCHA</p> <p>ROCHA Rocha recm exposta Solo jovem raso</p> <p>ROCHA Solo maduro - bem desenvolvido</p> <p>Solo intermedirio pouco desenvolvido</p> <p>Horizontes do Solo</p> <p>Composio volumtrica do solo</p> <p>CONSERVAO DO SOLO 1-Eroso; 2 Nutrio das Plantas; 3 Perda da Matria Orgnica; 4 - Homem</p> <p>1 - EROSO Definio o arrastamento das partculas do solo pelas guas, pelos ventos ou por gelo. A eroso pode ser lenta: causada pela netureza; Acelerada: causada pelo homem. Agentes da eroso: gua eroso hdrica; ventos - eroso elica geleiras eroso glacial. Eroso hdrica: - Tipos Espirro o deslocamento de partculas do solo no momento em que a gota de chuva entra em contato com o solo.</p> <p>- Laminar a remoo gradual de uma fina camada superficial, de espessura relativamente uniforme, cobrindo parcialmente todo o relevo.</p> <p>EROSO LAMINAR SEVERA</p> <p>Sulcos o desgaste em faixas estreitas dirigidas ao longo dos maiores declives do terreno</p> <p>Ravinas</p> <p> Vossoroca o deslocamento de massas do solo, formando grandes desbarrancamentos ou cavidades no solo.</p> <p>EROSO ELICA</p> <p>Forma bizarra produzida pela eroso elica. Salar de Uyuni, Bolivia</p> <p>DANOS CAUSADOS PELA EROSO Reduo da matria orgnica do solo; Estragos de estradas; Estragos em represas e canais; Reduo da quantidade de gua absorvida pelo solo; Queda de produo das lavouras; Maior exposio do solo, causando uma maior perda de umidade.</p> <p>Fatores que afetam a eroso hdrica A) declividade do terreno. - comprimento da rampa - altura da rampa B) Natureza do solo. - solos argilosos menor eroso - mdia 10,5 ton/ha; - solos arenosos maior eroso mdia de 21,6 ton/ha. C) Clima. - Fatores hdricos que afetam: - intensidade da chuva; - durao da chuva; - distribuio da chuva.</p> <p>d) Manejo do solo Vegetao Matas Pastagens Caf Algodo Coberturas do solo Palha queimada Palha incorporada Palha com adubo verde</p> <p>Perdas de solo em Kg/ha/ano 4 700 1.100 38.000</p> <p>19.790 18.250 10.300</p> <p>2 Nutrio das plantas Retirada de nutrientes do solo pelas plantas, causando um maior empobrecimento do solo devido a no reposio dos mesmos nutrientes; Quanto maior o nmero de plantas em uma rea maior e mais rpido o empobrecimento do solo.</p> <p>3 Perda da matria orgnica Consequncias: - perda da camada superficial expondo o solo a intempries; - empobrecimento do solo; - maior eroso; - menor penetrao de umidade.</p> <p>Queima da matria orgnica pelo fogo.</p> <p>O corte indiscriminado de rvores e as queimadas.</p> <p>4 HOMEM Uso da terra sem utilizao de tcnicas adequadas; Desmatamentos inadequados; Queimadas em reas imprprias; Plantio morro abaixo.</p> <p>Prticas de Conservao do Soloa) b) c) d) e) f) g)</p> <p>Prticas de Carter EdficoSo aquelas que dizem respeito ao solo em si, procurando manter ou melhorar sua fertilidade. Ajustamento a sua capacidade de uso; Controle de queimadas; Adubaes; Rotao de culturas; Adubao verde; Consorciao de culturas; Calagem.</p> <p>Prtica de adubao verde</p> <p>Prtica de adubao verde</p> <p>Crotalaria juncea</p> <p>Crotalaria juncea cv. Iac 1</p> <p>Prtica de adubao verde</p> <p>Prtica de adubao verde</p> <p>Mucuna preta Stizolobium spp</p> <p>Prticas de Carter vegetativoSo aquelas que visam o controle natural da eroso.</p> <p>a) b) c) d) e) f) g)</p> <p>Formao e manejo adequado de pastagens; Reflorestamento; Cultura em faixas; Controle adequado de capinas; Cobertura morta; Plantio mais cedo ou mais tarde; Plantio de quebra ventos.</p> <p>Prticas de Carter vegetativo</p> <p>Curvas de Nvel</p> <p>Quebra-ventos arbreos</p> <p>Prticas de Carter vegetativo</p> <p>Prticas de Carter MecnicoSo as que dizem respeito ao trabalho de conservao do solo com utilizao de mquinas. Preparo do solo; Plantio em curvas de nvel; Fazer subsolagem; Disposio racional de carreadores; Estrutura para controle de vossorocas; Estruturas para desvio e infiltrao de guas que escoam das estradas; Aplicao de herbicidas; Construo de terraos.</p> <p>a) b) c) d) e) f) g) h)</p> <p>Construo de terraos</p> <p>Prtica do plantio direto</p> <p>Plantio em curvas de nvel.</p> <p>Plantio direto</p> <p>Curvas de Nvel</p> <p>PREPARO DO SOLO GRADE ARADORA SENDO ARRASTADA POR UM TRATOR DE ESTEIRAS</p> <p>PREPARO DO SOLO ARADO DE DISCOS USADO EM TRATOR DE PNEUS</p> <p>GRADE NIVELADORA</p> <p>SUBSOLADOR</p> <p>GRADE ARADORA</p> <p>GRADE ARADORA</p> <p>GRADE NIVELADORA</p> <p>ARADO DE DISCOS REVERSVEL</p> <p>ARADO DE AIVECA REVERSVEL</p> <p>ARADO GRADEADOR</p> <p>ARADO DE TRAO ANIMAL</p> <p>CULTIVADOR DE TRAO ANIMAL</p> <p>SOLO DEVIDAMENTE PREPARADO</p> <p>PLANTADEIRA ADUBADEIRA TRAO ANIMAL</p> <p>PLANTADEIRA ADUBADEIRA MANUAL (MATRACA)</p> <p>PLANTADEIRA TRAO MECNICA</p> <p>Plantadeiras adubadeiras</p> <p>COBERTURA MORTA</p> <p> COBERTURA MORTA COM PALHAS E COM FILME PLSTICO</p> <p>CULTURAS COM COBERTURA MORTA at aqui</p> <p>TUTORAMENTO</p> <p>CULTURA COM TUTORAMENTO</p> <p>IRRIGAO POR ASPERSO CONVENCIONAL</p> <p>IRRIGAO POR PIV CENTRAL</p> <p>IRRIGAO POR SULCOS</p> <p>IRRIGAO POR AUTOPROPELIDO</p> <p>IRRIGAO PO MICROASPERSO</p> <p>IRRIGAO POR MICROASPERSO</p> <p>IRRIGAO POR GOTEJAMENTO</p> <p>PUVERIZAO COM AVIO</p> <p>PULVERIZAO COM ATOMIZADORES</p> <p>TIPOS DE PULVERIZADORESATOMIZADOR PARA TRATORES PULVERIZADOR COSTAL ATOMIZADOR COSTAL</p> <p>PULVERIZAO COM PULVERIZADORES DE BARRAS</p> <p>PULVERIZADOR COSTAL</p> <p>PULVERIZADOR DE BARRAS DE ARRASTO</p> <p>COLHEDEIRA DE MILHO</p>