aula: crédito tributário, lançamento e espécies de lançamento

Download Aula: Crédito Tributário, Lançamento e espécies de Lançamento

Post on 05-Jul-2015

15.373 views

Category:

Documents

16 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. Curso de Especializao em Direito TributrioAula: Crdito Tributrio, Lanamento e espciesde LanamentoSo Paulo, 25 de agosto de 2012 Prof. Aurora Tomazini de Carvalho

2. Direito positivo, Cincia do Direito e realidade social Cincia do Direito descreveH C direito positivoLEGISLADOR CFB------------------------------ LEI--------------------------------- A--------------------------------------------------------------H C, H C,--------------------------------- -------------------------------- prescreveLEI--------------------------------- -------------------------------- H C...B--------------------------------------------------------------- -------------------------------------- ----------------------------------------------------------------- ----------------------------------------------------------------- ----------- ------------------------------------------------------------------Linguagem social---------------------------------------------PAULO DE BARROS CARVALHO 3. Construo do sentido dos textos jurdicos N1 S4 - Plano de Sistematizao N2 v N3(relao entre normas) S1 - Plano de Expresso N4(enunciados prescritivos)contextoS3 - Plano Normativo CF H C(normas jurdicas) B--------------------------- LEI ------------------------------ ------------------------------A-------------------------- ----------------------------------------------------------- ------------------------------ A base de clculo o-----------------------------LEI ----------------------------------------------------------- ------------------------valor venal do imvel S2 - Plano ProposicionalB------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- O contribuinte o(significaes isoladas)-----------------------------------------------------------------------------------------proprietrio------------------------------------------------------------------------------------------ leiturainterpretaoreferenciais 4. Fenomenologia da atuao do direito tributrio CONSTITUIOCTNA------------------------------------------------------------- B------------------------------------------------------------ -------------------------------------------------------------- ---------------------------------------------------------------------------------- LEI HCB--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------LEGISLADOR----LANAMENTO CONTRIBUINTE C----------------------------- ------------------------------- Indevido -------------------------------H C ------------------------------- ----AGENTE ADMINISTRATIVOEXECUO RepetioHC D---------------------------- ------------------------------- ADMINISTRAO ------------------------------- ------------------------------- ----- 5. Ciclo de positivao da norma tributriaNorma da estrutura ConstituioNorma geral e abstrata PLANO DO LeiDEVER SER Norma individual e concreta Lanamento Linguagem socialPLANO DOSER Linguagem social modificada 6. Teorias sobre a incidncia e o conceito decrdito tributrio RMITCRDITOTeoria tradicional (declaratria) lanamento Crdito um estgio da obrigao:- quando ela se torna exigvel# OB. TRIB. (formalizada) RMIT Fjt OB. TRIB.Teoria de Paulo de Barros Carvalholanamento(constitutiva)# $ Crdito um elemento da obrigao: - o direito subjetivo do Sa exigir o montante da prestao 7. Crdito Tributrio Lei H CRMITNorma geral e abstrataNorma individual econcretaCRDITO DBITO # Rj = Sa $ Sp Fato jurdico Direito subjetivoDever jurdicoObrigao tributriaCrdito Tributrio: o direito subjetivo de que portador o sujeito ativode uma obrigao tributria e que lhe permite exigir o objeto prestacional,representado por uma importncia em dinheiro. 8. Lanamento Tributrio problema semnticoLanamento tributrio: i) procedimento administrativo (art. 142 CTN);ii) norma individual e concreta produto daquele ato; iii) ato-fatoderradeiro da srie em que se consagra o procedimento; iv) atividadematerial do sujeito passivo de calcular o montante do tributo; v) normaindividual e concreta expedida pelo contribuinte. Sentido amplo veiculo que introduz a norma individual e concretaque constitui o crdito tributrio Sentido estrito art. 142 do CTN 9. Crticas definio do art. 142 do CTN Artigo 142 do CTN - lanamento o procedimento privativo daautoridade administrativa, vinculado e obrigatrio que visa verificar aocorrncia do fato jurdico, determinar a matria tributvel, calcular omontante do tributo devido, identificar o sujeito passivo e, quando for ocaso, aplicar a penalidade cabvel. Procedimento Privativo da autoridade administrativa Aplicar a penalidade cabvel 10. Lanamento tributrio processo e produtoO lanamento como procedimento administrativo constitui-se noconjunto de atos tendentes a identificar a ocorrncia de fatos jurdicosdescritores de eventos tpicos, causa da obrigao de pagar tributos. (ex:incio de fiscalizao, intimaes, anlise da documentao emitida pelocontribuinte, etc).Problema2 acepes:- conjunto ordenado de atos administrativos e termos que evoluem,unitariamente, para a consecuo de ato especfico, que sua finalidade(ex: procedimento administrativo tributrio, procedimento de consulta)- qualquer atividade fsico-material e intelectual para produo de atojurdico administrativo (ex: o enquadramento da norma ao fato poragente administrativo com a redao de um ato jurdico administrativo) 11. Lanamento tributrio ato-fato e ato-norma (Eurico Marcos Diniz de Santi) NormaAdministrativaAto Fato jurdicoAto-norma tributrioadministrativo Crditotributrio Duplicidade (SA---$---SP)Semntica Ato-fato administrativo Procedimento 12. Lanamento tributrio norma, procedimento eato (Paulo de Barros Carvalho)Norma Administrativa AtoNormaAto Fato jurdicotributrio Crditotributrio Triplicidade (SA---$---SP)Semntica ProcedimentoProcedimento 13. Definio de LanamentoLanamento tributrio ato jurdico administrativo, da categoria dossimples, constitutivos e vinculados, mediante o qual se insere na ordemjurdica brasileira uma norma individual e concreta, que tem comoantecedente o fato jurdico tributrio e, como conseqente, aformalizao do vnculo obrigacional, pela individualizao dos sujeitosativo e passivo, a determinao do objeto da prestao, formado pelabase de clculo e correspondente alquota, bem como peloestabelecimento dos termos espao-temporais em que o crdito h de serexigido. 14. Estrutura do ato requisitosAto-fato (veculo introdutor) - produo Norma Agente capazAdministrativa Ato Forma prescrita em lei Motivao doFato jurdico Publicidade ato tributrio FinalidadeAto-norma (norma introduzida) - produtoContedo doCrdito ato tributrio Motivao = fato jurdico tributrio (SA---$---SP) Contedo lcito do ato = crdito tributrioForma prescritaem leiFinalidade Agente Publicidade CompetenteProcedimento 15. Sujeitos credenciados a emitir a norma tributria individual e concreta- Administrao Lanamento Art. 142 CTN Cumprimento de- Sujeito passivoAuto-Lanamento deveres instrumentais EC 45/04 - Juiz Sentena Art. 114 VIII CF 16. Lanamento e auto de infrao LeiH C RMIT Quando for o caso, aplicar a penalidade cabvel (crtica)lcito No que peseLanamento normalmente Lei estarem no mesmo suporte fsico.H C RMS(art. 113 CTN) Normas ilcito usualmenteveiculadas pelo AIAuto de infrao 17. Modalidades de lanamento Trs tipos: - Lanamento de ofcio - Lanamento por declarao - Lanamento por homologao Dois tipos: Ato de formalizao do sujeito passivo: mediante GIA/DCTF homologao expressa ou tcita do ato de formalizao ou/e do ato depagamento (Lanamento por homologao) Ato de formalizao da autoridade fiscal = Lanamento de ofcio(2 tipos): Sem declarao do contribuinte (Lanamento de ofcio) Com declarao do contribuinte (Lanamento por declarao) 18. Lanamento de ofcio - Art. 149 do CTNArt. 149. O lanamento efetuado e revisto de ofcio pela autoridade administrativa nos seguintescasos:I - quando a lei assim o determine; II - quando a declarao no seja prestada, por quem de direito,no prazo e na forma da legislao tributria; III - quando a pessoa legalmente obrigada, embora tenhaprestado declarao nos termos do inciso anterior, deixe de atender, no prazo e na forma da legislaotributria, a pedido de esclarecimento formulado pela autoridade administrativa, recuse-se a prest-loou no o preste satisfatoriamente, a juzo daquela autoridade; IV - quando se comprove falsidade, erroou omisso quanto a qualquer elemento definido na legislao tributria como sendo de declaraoobrigatria; V - quando se comprove omisso ou inexatido, por parte da pessoa legalmente obrigada,no exerccio da atividade a que se refere o artigo seguinte; VI - quando se comprove ao ou omissodo sujeito passivo, ou de terceiro legalmente obrigado, que d lugar aplicao de penalidadepecuniria; VII - quando se comprove que o sujeito passivo, ou terceiro em benefcio daquele, agiu comdolo, fraude ou simulao; VIII - quando deva ser apreciado fato no conhecido ou no provado porocasio do lanamento anterior; IX - quando se comprove que, no lanamento anterior, ocorreu fraudeou falta funcional da autoridade que o efetuou, ou omisso, pela mesma autoridade, de ato ouformalidade especial.Pargrafo nico. A reviso do lanamento s pode ser iniciada enquanto no extinto o direito daFazenda Pblica. Exemplo: IPTU. Caractersticas: a) a autoridade tributria lana; b) o sujeitopassivo efetua o pagamento. 19. Lanamento por homologao - Art. 150 doCTN Art. 150. O lanamento por homologao, que ocorre quanto aos tributos cuja legislaoatribua ao sujeito passivo o dever de antecipar o pagamento sem prvio exame da autoridadeadministrativa, opera-se pelo ato em que a referida autoridade, tomando conhecimento daatividade assim exercida pelo obrigado, expressamente a homologa. 1 O pagamento antecipado pelo obrigado nos termos deste artigo extingue o crdito, sobcondio resolutria da ulterior homologao ao lanamento. 2 No influem sobre a obrigao tributria quaisquer atos anteriores homologao,praticados pelo sujeito passivo ou por terceiro, visa

Recommended

View more >