aula coerência textual

Download Aula coerência textual

Post on 05-Jul-2015

50 views

Category:

Education

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Segundo Ingedore Koch, A coerência constitui a textualidade, isto é, faz de uma sequência linguística um texto e não um amontoado aleatório de frases ou palavras. Portanto, esta apresentação tem por objetivo apresentar o texto como uma unidade linguística concreta cujo sentido preenche uma função comunicativa reconhecível e reconhecida.

TRANSCRIPT

Slide 1

Fatores de coerncia

A coerncia textual o resultado de um processo de construo do sentido feito pelos interlocutores numa situao de interao. KOCK, Ingedore Grunfeld Villaa. Texto e coerncia. 5 ed. So Paulo: Cortez, 1997.O que coerncia? Interlocuo e interao Interlocutor Aquele a quem o texto se dirige preferencialmente.

Interao Troca que se estabelece entre indivduos socialmente organizados e inseridos numa situao concreta de comunicao.

Falhas de construo

Falhas de construo

Falhas de construo

Falhas de construo

Falhas de construo

Falhas de construo

Construindo o sentido verdade que a cada gerao ficamos mais altos?

Sim, principalmente nos pases desenvolvidos. Apesar de o crescimento ser limitado pela gentica, a melhora na dieta e nas condies de sade sempre traz centmetros a mais. "O consumo de protenas estimula a produo de clulas dos tecidos sseos e musculares, acelerando o crescimento", diz a nutricionista paulista Flora Spolidoro.

Superinteressante, So Paulo, ed. 155, p. 41, ago. 2000.

Construindo o sentido Cidadezinha qualquer

Casas entre bananeiras Mulheres entre laranjeirasPomar amor cantar.

Um homem vai devagar.Um cachorro vai devagarUm burro vai devagar.

Devagar... as janelas olham.

Eta vida besta,meu Deus.

Andrade. Carlos Drummond de. Antologia potica.Rio de Janeiro: Record. 1990. p. 44.

Construindo o sentido Pessoas que tomam caf da manh todos os dias correm menos riscos de ter infeces, conforme estudos realizados. As infeces so comuns em crianas que frequentam a escola pela primeira vez. Por isso, a escola tem como filosofia o desenvolvimento de um processo de ensino-aprendizagem construtivista.

Texto incoerente

Elementos lingusticos Conhecimento de mundo Implcitos Intertextualidade

Fatores de coerncia Itens lexicais

Elementos lingusticos

Elementos lingusticos

Conhecimento de mundo

Elementos lingusticos

Elementos lingusticos

Implcitos

So informaes que necessitam de um ato de inferncia ou de pressuposio para o entendimento.

Elementos lingusticos

Elementos lingusticos

Intertextualidade

Dilogo que um texto estabelece com outros textos outras realidades.

O autor utiliza contedos referidos direta ou indiretamente.

Elementos lingusticos

Elementos lingusticos

(Fuvest) Atribuir ao doente a culpa dos males que o afligem procedimento tradicional na histria da humanidade. A obesidade no foge regra.

Na Idade Mdia, a sociedade considerava a hansenase um castigo de Deus para punir os mpios. No sculo 19, quando proliferaram os aglomerados urbanos e a tuberculose adquiriu caractersticas epidmicas, dizia-se que a enfermidade acometia pessoas enfraquecidas pela vida devassa que levavam. Com a epidemia de Aids, a mesma histria: apenas os promscuos adquiririam o HIV.

Coube cincia demonstrar que so bactrias os agentes causadores de tuberculose e da hansenase, que a Aids transmitida por um vrus e que esses microorganismos so alheios s virtudes e fraquezas humanas: infectam crianas, mulheres ou homens, no para puni-los ou v-los sofrer, mas porque pretendem crescer e multiplicar-se como todos os seres vivos. Tanto se lhes d se o organismo que lhes oferece condies de sobrevivncia pertence vestal ou ao pecador contumaz.(...)

Druzio Varella, Folha de S. Paulo, 12/11/2005.Crie uma frase com a palavra "obesidade" que possa ser acrescentada ao final do 2 pargrafo sem quebra de coerncia.

Em relao obesidade no poderia ser diferente, somente aqueles que cometem o pecado da gula apresentariam tal mal.

.(Fuvest ) O cheque em branco que o eleitor passa ao eleito alto demais, faz parte da condio mesma de candidato expor-se ao escrutnio pblico e abrir mo de uma srie de prerrogativas, entre elas a privacidade.("Folha de S. Paulo)

a) H algum problema de coerncia na expresso ALTO DEMAIS, dado o contexto lingustico em que ela ocorre? Justifique sua resposta.

b) Qual , no texto, a relao de sentido entre PRERROGATIVAS e PRIVACIDADE?

a) Mesmo sendo uma expresso ambgua, "alto demais"(...) no contexto em que est aplicada h um problema de coerncia porque no existe um cheque alto demais em branco.

b)Pode-se entender que prerrogativas indicam as vantagens que o eleito possua antes, entre elas o fato de ter privacidade em sua vida (pessoal ou profissional).

26Referncias

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e discursos. Por um Interacionismo Sociodiscursivo. Trad. de Anna Rachel Machado. So Paulo: EDUC, 1999.

KOCK, Ingedore Grunfeld Villaa. Texto e coerncia. 5 ed. So Paulo: Cortez, 1997.

MACHADO, A. R. Os textos de alunos como ndices para avaliao das capacidades de linguagem. In: Seminrio e Prticas de Anlise, ANAIS do III Colquio Franco-brasileiro de Anlise do Discurso, BH: UFMG, 2002.

SCHNEUWLY, B. & DOLZ, J. Gneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004.

Recommended

View more >